Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Bolsonaro lidera corrida presidencial com folga, segundo pesquisa do IBOPE

A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

A primeira pesquisa de intenção de voto divulgada após o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) barrar a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) mostra Bolsonaro na liderança da corrida presidencial com 22%, dez pontos a mais do que Marina Silva (Rede) e Ciro Gomes (PDT), que aparecem com 12% cada.

Os números do Ibope foram anunciados nesta quarta-feira (5). Fernando Haddad, vice na chapa do PT, foi apresentado aos entrevistados como o candidato do partido e recebeu 6% das intenções de voto, atrás de Geraldo Alckmin (PSDB), que tem 9%.

Depois aparecem: Alvaro Dias (Podemos) e João Amoêdo (Novo) com 3%; Henrique Meirelles (MDB) com 2%; Guilherme Boulos (PSOL) e Vera (PSTU), João Goulart Filho (PPL) com 1%; Cabo Daciolo (Patriota) e Eymael (DC) com 0%. Branco/nulos somam 21%. Não sabem ou não responderam: 7%.

O Ibope fez a pesquisa entre os dias 1º e 3 de setembro, em 142 municípios em todo o país, com 2.002 entrevistados. A pesquisa foi contratada pelo jornal “O Estado de S. Paulo” e pela TV Globo, e registrada no TSE com o número BR05003/2018.

A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos, e o intervalo de confiança estimado é de 95%. Segundo o Ibope, isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados serem um retrato do “atual momento eleitoral”.

Segundo turno

Em um eventual segundo turno com os principais candidatos, Jair Bolsonaro só venceria Haddad, de acordo com a pesquisa, com uma diferença de apenas 1%.

Enfrentando Marina, Ciro e Alckmin, o deputado federal não conseguiria se eleger. Contra Ciro, por exemplo, perderia por 44% a 33%. Marina venceria Bolsonaro com 10 pontos de vantagem e Alckmin venceria com 9 pontos à frente do parlamentar.

Deixe uma resposta