Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Alexandre Torres é reeleito presidente da OAB Petrolina

Alexandre Torres é reeleito presidente da OAB Petrolina. (Foto: Blog Waldiney Passos)

O atual presidente da Subseccional Petrolina da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Alexandre Torres, foi reeleito para mais um mandato, nesta segunda-feira (19). Com 355 dos votos válidos e mais de 61%, o advogado militante foi escolhido para continuar à frente da entidade por mais três anos (2019-2022).

“A advocacia petrolinense deu uma aula de democracia. Fizemos uma campanha propositiva e, com muita alegria, estamos com essa missão de continuar os avanços que conquistamos em favor da classe”, pontuou o presidente reeleito.

Além de Alexandre, a Diretoria terá a seguinte formação: a vice-presidente, Ingrid Almeida; a secretária geral, Juliana Santana; o secretário adjunto, Dyego Patryck; e o tesoureiro Fernando Meireles. Além da diretoria foram eleitos os novos conselheiros.

Em seu discurso logo após o resultado, Alexandre reafirmou as bandeiras de luta desse novo mandato. “Continuaremos a investir na formação continuada, no apoio ao jovem advogado, no empoderamento da mulher advogada e na defesa intransigente às prerrogativas”, ressaltou.

LEIA MAIS

Campanha de Haddad gastou 15 vezes mais que a de Bolsonaro

Derrotado na eleição presidencial, Fernando Haddad (PT) gastou 15 vezes mais que o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). A informação foi repassada ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no sábado (17), último dia para os candidatos participantes do segundo turno prestarem contas ao órgão.

Pelas informações prestadas, Haddad arrecadou aproximados R$ 35,4 milhões (sendo R$ 33,7 em recursos financeiros) e gastou R$ 37,5 milhões, restando uma dívida de campanha de cerca de R$ 3,8 milhões. Enquanto isso Bolsonaro (PSL) arrecadou R$ 4,4 milhões e gastou R$ 2,5 milhões.

O presidente eleito já havia declarado suas informações ao TSE que apontou 17 indícios de irregularidade na documentação entregue. A defesa do pesselista já esclareceu os fatos e agora cabe ao Tribunal julgar as informações.

Com informações da Folha de Pernambuco

Presidente eleita da Associação de Moradores da Vila 12 fala sobre os resultados das eleições e as demandas da comunidade

Francineide Pereira e Marinalva Olindina. (Foto: Blog Waldiney Passos)

A eleição para a presidência da Associação de Moradores da Vila 12 do Projeto Senador Nilo Coelho em Petrolina (PE), aconteceu ontem (15). A “Chapa 2” foi a vencedora da eleição com 191 votos. Eleita presidente da Associação, Francineide Pereira, popularmente conhecida como “Neidinha”, participou do Programa Super Manhã da Rádio Jornal, com Waldiney Passos.

De acordo com a presidente eleita, a Vila 12 foi criada em 1994, e essa é a primeira eleição para associação de moradores, até então a comunidade não tinha associação. Durante a entrevista, “Neidinha” falou o que motivou a criação da associação e as principais demandas da comunidade. “Nós não temos assistência de quase nada. Nós não temos posto de saúde, não temos água boa, a nossa Vila não tem cobertura nenhuma. Nós montamos essa associação para buscar benefícios para nossa comunidade”, disse.

LEIA MAIS

Eleições 2018: quem não votou nem justificou ausência deve regularizar situação

(Foto: Ilustração)

O eleitor que não votou nem apresentou justificativa no primeiro e segundo turnos do pleito das Eleições 2018 tem 60 dias, a contar de cada turno, para regularizar sua situação junto a Justiça Eleitoral. Para isso, deverá preencher o Requerimento de Justificativa Eleitoral – pós eleição, e escolher de que forma o documento deve chegar ao juiz da zona eleitoral na qual está inscrito: entrega pessoal no cartório, envio pelos Correios ou via internet, por meio do Sistema Justifica.

A justificativa deverá ser apresentada para cada turno em que o eleitor esteve ausente ou deixou de apresentar justificativa. Assim, quem não votou nem justificou nos dias 7 e 28 de outubro, deverá preencher dois requerimentos. O Requerimento de Justificativa Eleitoral – pós eleição deve ser preenchido corretamente com os dados do eleitor. Também é necessário declarar o motivo da ausência às urnas e anexar documentação comprobatória digitalizada. O cidadão receberá um protocolo para acompanhar o andamento do requerimento, que será encaminhado para exame pelo juiz competente. Se acolhida a justificativa, o eleitor será notificado da decisão.

Consequências

LEIA MAIS

Trump afirma que vai trabalhar com Bolsonaro na área de comércio

(Foto: Internet)

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse hoje (29) que teve uma conversa “muito boa” com o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). Em sua conta no Twitter, Trump afirmou que os dois concordaram que Brasil e Estados Unidos “vão trabalhar juntos em comércio, Forças Armadas e em tudo mais”.

Trump observou que Bolsonaro venceu a disputa eleitoral por uma diferença “substancial”. Bolsonaro recebeu 55,13% dos votos válidos e Fernando Haddad (PT), 44,87%. “Foi uma excelente ligação. Dei a ele meus parabéns”, escreveu.

LEIA MAIS

Eleitores têm até 27 de dezembro para justificar ausência no segundo turno 

(Foto: Ilustração)

Os eleitores que não compareceram ao local de votação neste domingo (28) e não justificaram a ausência no segundo turno ainda podem regularizar a situação eleitoral até dezembro. Os ausentes do primeiro turno, realizado em 07 de outubro, tem até 06 de de dezembro para justificar por que não compareceram à votação. Para os que se ausentaram no segundo turno, o prazo vai até 27 de dezembro.

A justificativa pode ser feita mediante o preenchimento de um requerimento disponível no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que deve ser entregue pessoalmente em qualquer cartório eleitoral ou enviado por via postal ao juiz da zona eleitoral na qual é inscrito. Além do formulário, o eleitor deve entregar documentação que comprove a impossibilidade de comparecimento na votação.

LEIA MAIS

Segundo turno das eleições em Petrolina termina com saldo positivo

(Foto: Taísa Alencar/G1 Petrolina)

Nas três Zonas Eleitorais de Petrolina, a votação de domingo (28) correu de forma tranquila. Apesar de haver registro de uma prisão que repercutiu na cidade, a Justiça Eleitoral do município avaliou o processo eleitoral como dentro do esperado.

A prisão foi registrada na 145ª ZE e segundo o chefe de cartório, Edvanilson Araújo de Lima, o pleito “ocorreu dentro do esperado”. Quatro urnas precisaram ser substituídas e a mesária presa ontem já foi liberada. Ela exercia a função de presidente na seção 383 e foi até a 377 interferir na situação.

Segundo a Justiça Eleitoral, ela utilizou um aparelho celular para registrar uma tecla colada com supercola na urna, mesmo após ser aconselhada a não fazê-lo. “Ela responderá em liberdade por se tratar de um crime de menor potencial”, disse Edvanilson.

LEIA MAIS

Eleições: abstenções superam 21%, nulos somam mais de 7%

(Foto: Ilustração)

O resultado das urnas no segundo turno das eleições presidenciais terminou com um número que chama atenção. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), 21,25% dos eleitores se abstiveram de votar, enquanto brancos somaram 2,15% e nulos, 7,44%.

No total, esses dados representam 30% dos eleitores brasileiros que optaram por não escolher entre nenhum dos dois candidatos à Presidência da República. Segundo o TSE, esse número é o maior desde 1989.

A média histórica nacional em eleições presidenciais é de 4,45% nulos, o maior pico foi em 2006, quando a marca atingiu 7,38%. De acordo com os dados das urnas, além da polarização entre PT e PSL existe uma terceira via que não se sente representada.

Bolsonaro vence em apenas um município em Pernambuco

Dos 185 municípios de Pernambuco, o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) venceu em apenas um: Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste pernambucano. Ele teve 53,8% dos votos (23 mil) contra 46,1% de Fernando Haddad (19,7 mil). No primeiro turno das eleições, o município já tinha dado o recado quando Bolsonaro ganhou com 45,64% contra 26,24% do petista.
Recife que no primeiro turno fez com que Bolsonaro liderasse com 383.895 votos e alcançasse 43,14% do percentual, recuou e, agora, sem a presença dos outros candidatos foram registrados 482.673 a favor de Haddad, um total de 52,50% dos votos. Jair teve 47,50%, um total de 436.764 votos.

Em Petrolina, no Sertão do São Francisco, a decisão favorável ao petista ficou ainda mais evidenciada no segundo turno, quando 68,03%, 105.663 eleitores preferiam Haddad a Bolsonaro que ficou com 31,97%, 49.661 votos. Anteriormente, no primeiro turno, Haddad liderou com  49,95%,
74.135 votos enquanto Bolsonaro teve 30,23%, total de 44.859 votos.

Estado
Contando apenas com os votos de Pernambuco, Fernando Haddad venceria com 66,53% dos votos enquanto Jair Bolsonaro possui, até o momento, 33,47%.

Nordeste
No nordeste. Fernando Haddad venceria com 68,2% contra 32% de Bolsonaro.

Com informações do Diário de Pernambuco.

Após derrota, Haddad promete se reconectar às bases e aos pobres

Relembrando um trecho do hino nacional, petista disse que ‘um professor não foge à luta’

Pouco menos de duas horas após Jair Bolsonaro (PSL) ter se tornado presidente do Brasil, o segundo colocado na eleição,Fernando Haddad (PT), fez um discurso no qual disse que ele não desistirá de defender seus ideais, lutará para manter as instituições e se reconectará com as bases e os pobres do país. A fala de Haddad, de voltar a se encontrar com a população, veio após o rapper Mano Brown ter criticado as falhas na comunicação com o “povão” .

Antes mesmo de começar sua fala, o público fez um minuto de silêncio em memória àqueles que morreram durante a campanha eleitoral, como o mestre de capoeira baiano, conhecido como Moa do Katende e morto com 12 facadas após discussão política , e o cearense Charlione Lessa Albuquerque, assassinado enquanto acompanhava uma carreata de apoiadores de Haddad . A vereadora Marielle Franco também foi lembrada na homenagem.

Haddad iniciou seu pronunciamento agradecendo a família, os apoiadores e todos os 45 milhões de eleitores. O petista reforçou o valor da coragem, que aprendeu com seus antepassados e que o motiva a seguir na luta política.

— Em primeiro lugar, gostaria de agradecer meus antepassados. Aprendi com eles o valor da coragem para defender a justiça a qualquer preço. Meus pais a memória dos meus avós me ensinaram que a coragem é fundamental — relembrou Haddad.

O segundo colocado nas eleições presidenciais de 2018 pontuou que nos últimos dias viu a festa da democracia tomar as ruas. Ele contou que viu muitos apoiadores à sua candidatura, muitos nem sendo ligados a partido político ou algum tipo de associação. Haddad pontuou, entretanto, que o período pede conscientização porque, em sua avaliação, “tem muita coisa em jogo”.

Eleito, Bolsonaro diz que será ‘defensor da democracia e da Constituição’

Político do PSL não menciona adversário, Fernando Haddad (PT), e frisa que seu compromisso com país é ‘juramento a Deus’

Eleito presidente do Brasil,Jair Bolsonaro (PSL) destacou no discurso da vitória que será “defensor da democracia, da Constituição e da liberdade”. O militar leu as suas primeiras palavras como presidente eleito em rede nacional de televisão, sem mencionar o adversário derrotado, Fernando Haddad (PT). No pronunciamento, prometeu focar nos direitos dos cidadãos, com corte de privilégios e “quebra de paradigmas”. Pouco antes de ir à TV, ele fez transmissão ao vivo no Facebook, na qual prometeu governar ” seguindo os ensinamentos de Deus ao lado da Constituição “.

Ao lado da mulher, Michelle Bolsonaro, e dos principais aliados, Bolsonaro voltou a citar o “slogan” de sua campanha, João 8:32, sobre conhecer e “ser libertado” pela verdade, e disse fazer dos brasileiros “testemunhas” de que o governo defenderá o regime democrático e o texto constitucional.

– Isso não é a promessa de um partido, não é a palavra de um homem, mas um juramento a Deus. A verdade foi um farol que nos guiou até aqui e que vai seguir iluminando o nosso caminho. O que ocorreu hoje nas urnas não foi a vitória de um partido, mas a celebração de um país pela liberdade. O compromisso que assumi com os brasileiros foi de fazer um governo decente, comprometido com o país e com o povo. E garanto que assim será.

LEIA MAIS

Petrolina: eleitores de Bolsonaro lotam Avenida São Francisco, na Areia Branca

Eleitores comemoraram vitória de Bolsonaro.

Após a confirmação da vitória de Jair Bolsonaro (PSL) para a Presidência da República, os eleitores de Petrolina (PE) do novo presidente do Brasil foram saíram às ruas para comemorarem a conquista.

No bairro Areia Branca, vários eleitores lotaram a Avenida São Francisco e fizeram a festa com a vitória de Bolsonaro. Muitos jovens se fizeram presente no ato de comemoração.

Bolsonaro é o novo presidente do Brasil

Bolsonaro impões primeira derrota ao PT após quatro eleições com vitória.

Jair Messias Bolsonaro (PSL) vence as eleições de 2018 e é o mais novo presidente do Brasil. Mandato começa em 2019 e vai até 2022. Fernando Haddad (PT) disputava o segundo turno com Bolsonaro.

Bolsonaro confirmou o que previam as pesquisas e se tornou o 42º presidente da história do país. Resultado encerra sequência de vitórias do Partido dos Trabalhadores ao cargo de presidente da República.

Bolsonaro deve ter um árduo caminho à frente da presidência, já que o país vive um dos momentos mais delicados da sua história. Em breve o presidente eleito deve se pronunciar sobre a eleição.

Toffoli: futuro presidente terá de garantir pluralidade política

(Foto: José Cruz/ Agência Brasil)

Logo após votar em uma escola no Lago Norte, bairro nobre de Brasília, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, disse hoje (28), que o futuro presidente terá de garantir a pluralidade política e promover o bem, sem preconceito ou discriminações.

Com a Constituição Federal nas mãos, Toffoli fez um rápido pronunciamento à imprensa no qual cobrou, do próximo presidente do Brasil, a promoção do bem de todos.

“É importante lembrar que o futuro presidente terá como seu primeiro ato jurar a Constituição. É importante que se cumpra o artigo terceiro da Constituição, que diz o que constitui os objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil. Primeiro: construir uma sociedade livre, justa e solidária. Segundo: garantir o desenvolvimento nacional. Terceiro: erradicar a pobreza, a marginalização, e reduzir as desigualdades sociais e regionais”, disse o ministro ao iniciar o discurso.

LEIA MAIS
123