Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Brasil perde 72.615 vagas formais de emprego em maio

Desemprego

No acumulado deste ano até maio, o saldo de postos fechados é de 448.101

O Brasil perdeu 72.615 vagas formais de emprego em maio deste ano, informou nesta sexta-feira, 24, o Ministério do Trabalho. O resultado do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) é fruto de 1.209.991 contratações e 1.282.606 demissões no período.

O saldo divulgado ficou dentro das estimativas de analistas do mercado financeiro consultados pelo AE Projeções, que esperavam volume de empregos fechados em maio entre 40 mil e 120 mil. Com isso, a mediana ficou negativa em 88 mil postos.

O número de postos fechados em maio deste ano foi menos intenso do que em igual mês do ano passado, quando foram extintas 115.599 vagas. Porém, superou o fechamento de 62.844 vagas formais de emprego em abril de 2016.

No acumulado deste ano até maio, o saldo de postos fechados é de 448.101 pela série com ajuste, ou seja, incluindo informações passadas pelas empresas fora do prazo. No acumulado dos últimos 12 meses, o País encerrou maio sem 1.781.906 vagas, também com ajuste.

Com informações da Agência Estado.

Juazeiro é a primeira cidade do país na geração de emprego em abril

Dados foram divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged)/Foto: internet

Dados foram divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged)/Foto: internet

O município é destaque na geração de emprego com carteira assinada, ocupando agora o primeiro lugar no país. Foram 1.982 novos postos em abril, segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), nesta semana.

“Isso é motivo de muito orgulho para nós que estamos à frente da administração do município. Não descansamos um só dia na busca de fomentar nossa cidade, de atrair as parcerias público-privadas, de irmos atrás dos governos Estadual e Federal para trazermos obras, investimentos que possibilitassem a recuperação da nossa infraestrutura urbana; atraímos grandes empresas, fortalecemos nossas industrias, pagamos em dia o salário dos nosso funcionários. Tudo isso trouxe segurança para o comércio local e abriu portas para que investidores acreditassem no nosso trabalho e na nossa cidade”, comemora o prefeito Isaac Carvalho.

Com informações da Assessoria

Desemprego cresce para 10,9% e atinge 11 milhões de pessoas

Em relação ao mesmo período do ano passado, o número de pessoas desempregadas aumentou em 3,2 milhões

A taxa de desocupação atingiu 10,9% no trimestre móvel encerrado em março último, resultado 1,9 ponto percentual acima da taxa de 9% do trimestre fechado em dezembro de 2015 e 3 pontos percentuais a mais que no mesmo trimestre de 2015, quando o desemprego estava em 7,9%. Esta é a maior taxa de desemprego da série histórica da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua (Pnad Contínua) iniciada em 2012.

Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (29) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A população desocupada chegou a 11,1 milhões de pessoas, aumentando 22,2% (2 milhões de pessoas), em relação ao número de desempregados do período imediatamente anterior (outubro a dezembro de 2015).

No confronto com igual trimestre do ano passado, o número de desemprego subiu 39,8%, o que significa um aumento de 3,2 milhões de pessoas desocupadas.

Os dados do IBGE indicam que, no trimestre encerrado em março último, a população ocupada do país estava em 90,6 milhões de pessoas, apresentando uma redução de 1,7%, quando comparada com o trimestre de outubro a dezembro de 2015. Em comparação com igual trimestre do ano passado, houve queda de 1,5% na população ocupada, representando menos 1,4 milhão de pessoas.

Com informações do NE10

Brasil registra 165 mil novas empresas em fevereiro, diz Serasa

O setor de serviços segue como o mais procurado pelos empreendedores, com a abertura de 104.493 novas empresas em fevereiro/Foto: internet

O setor de serviços segue como o mais procurado pelos empreendedores, com a abertura de 104.493 novas empresas em fevereiro/Foto: internet

 Foram criadas 165.028 novas empresas no Brasil em fevereiro, o maior registro para o mês desde 2010, aponta o Indicador Serasa Experian de Nascimento de Empresas. O número é 14,2% superior ao registrado em fevereiro de 2015: 144.501. O primeiro bimestre do ano acumula 331.641 novas companhias, crescimento de 12,2% em relação ao mesmo período do ano anterior.

De acordo com os economistas da Serasa Experian, o aumento de novas empresas é resultado do maior número de novos microempreendedores individuais, que cresceram em razão da perda de postos formais no mercado de trabalho. Segundo eles, a recessão econômica impulsionou trabalhadores desempregados a buscarem, de forma autônoma, meios alternativos de geração de renda.

O setor de serviços segue como o mais procurado pelos empreendedores, com a abertura de 104.493 novas empresas em fevereiro, o equivalente a 63,3% do total de companhias criadas no mês. Em seguida, 46.448 empresas de comércio (28,1% do total) surgiram no segundo mês do ano e, no setor industrial, foram abertas 13.674 empresas (8,3% do total). Na comparação entre fevereiro e igual mês do ano passado, todos os setores cresceram: serviços tiveram aumento de 17,4%; comércio, 7,4%; e indústria, 16,6%.

LEIA MAIS

Novos servidores municipais são empossados em Serra Talhada  

Novos servidores atuarão em vários setores da administração municipal/Foto: divulgação Prefeitura

Novos servidores atuarão em vários setores da administração municipal/Foto: divulgação Prefeitura

A Câmara de Vereadores de Serra Talhada, sertão central, foi palco para a cerimônia de posse de 55 novos servidores públicos, que atuarão em vários setores dos municípios, a exemplo da Educação, Saúde e Administração. Estas pessoas foram aprovadas em concurso público realizado em 2013.

“Hoje batemos a marca de 614 convocados, com a marca da competência e da lisura”, destacou o secretário de Administração do município, Renato Godoy.

Primeiro a assinar o termo de posse, aprovado para o cargo de biomédico, Rickson Anderson, falou sobre a felicidade do momento. “Um prazer, uma satisfação, um momento de felicidade. Esperamos contribuir da melhor forma possível para com o município”, disse o novo servidor.

Com informações da Assessoria

Pernambuco tem terceira pior queda de empregos

Pernambuco está entre os três estados com pior queda: são 11.383 empregos a menos/Imagem ilustrativa

Pernambuco está entre os três estados com pior queda: são 11.383 empregos a menos/Imagem ilustrativa

O que os brasileiros vêm passando há meses, agora, está expresso em números. O Cadastro-Geral de Empregados e Desempregados (Caged) apontou uma redução, no mês passado, de mais de 118 mil empregos com carteira assinada no País. Foi o pior resultado, para este mês, desde o início da série histórica do governo, em 1995.

A variação entre abril e mar­ço foi de -0,30% e o saldo negativo foi em relação ao número de admitidos (1.374.485) e desligados (1.493.261).

E, como se não bastasse, Pernambuco está entre os três estados com pior queda: são 11.383 empregos a menos (-0,88%). E o Nordeste é a segunda pior região (menos 46.269 postos de emprego, correspondendo a uma variação de -0,71%), atrás somente do Sudeste (-58 mil ou -0,28%).

Para o secretário de Políticas Públicas de Emprego do Ministério do Trabalho e Previdência, Márcio Alves Borges, o que aconteceu com Pernambuco foi por questões sazonais no setor sucroalcooleiro e outros fatores conjunturais. Entre os segmentos que registraram queda estão indústria de transformação, com menos 4.634 postos de emprego; agropecuária, com -2.590; comércio, com -2.126 e construção civil, com -208. Somente o setor de serviço industrial de utilidade pública que obteve um saldo positivo de 21 empregos.

No Brasil, o setor de administração pública se salvou e teve desempenho positivo de 4.335 postos de emprego e variação de 0,48%. No entanto, a área de mecânica teve perda de 6.501 (-1,15%); metalúrgica perdeu 5.960 (-0,91%); indústria química, 2.545 (-0,28%) e serviços, 18.654 (-0,11%).

Da Folha de Pernambuco

 

Governo do Estado abre seleção para contratar 200 assistentes de ressocialização

governo

As secretarias de Administração e de Ressocialização do Estado de Pernambuco abriram, nesta quarta-feira (20), uma seleção pública simplificada para a contratação temporária de 200 profissionais de nível médio para atuarem como assistente de ressocialização.

As inscrições seguem até o dia 13 de maio. A divulgação do resultado final será no dia 6 de junho.

O salário inicial é de R$ 1.320,00 para uma jornada de trabalho no regime de plantão, numa escala de 12 horas de serviço por 36 horas de descanso, diurno ou noturno, obedecendo a escala funcional elaborada e fornecida exclusivamente pela SERES/SJDH.

As vagas são para atuação na Região Metropolitana (170), Zona da Mata (10), Agreste (10) e Sertão (10).

Os selecionados deverão atuar, sobretudo, em atividades como o apoio administrativo e operacional das unidades de ressocialização, subsidiando no atendimento ao público interno e externo.

Segundo o Estado, os critérios para avaliação serão a análise da experiência profissional e de títulos. Para participar da seleção é preciso ter certificado, devidamente registrado, de conclusão de curso de nível médio, fornecido por instituição de ensino reconhecida pelo órgão competente e Carteira Nacional de Habilitação, no mínimo, da categoria “B”.

Do total de vagas, nove serão reservadas para pessoas com deficiência.

A seleção terá validade de 24 meses, podendo ser prorrogado por igual período.

O candidato deve acessar o site da organizadora (www.institutodarwin.org), fazer seu cadastro e anexar os documentos digitalizados. Não serão aceitas inscrições via fax, via correio eletrônico (e-mail) ou via postal. A taxa de inscrição para a participação na seleção custará R$ 40.

 

 

 

 

 

 

 

171819