Governo da Bahia deve iniciar negociação com Policiais Militares ainda nesta quinta-feira

Em entrevista ao Blog Waldiney Passos, o Soldado Diego, Coordenador da Associação de Policiais e Bombeiros e de seus familiares do Estado da Bahia (ASPRA) em Juazeiro (BA), anunciou que o Governo do Estado deve iniciar o processo de negociação com a categoria, ainda na tarde desta quinta-feira (10), visando acabar com o movimento grevista iniciado na última terça-feira (8), em todo o estado baiano.

LEIA TAMBÉM:

Juazeiro: cerca de 100 Policiais Militares estão aquartelados e convocam tropa para deliberação definitiva

“O Governo acabou de ligar para o movimento e disse que vai iniciar as negociações às 17h. Em Juazeiro teremos assembleia no Clube de Cabos e Soldados, às 18h, assim como em todas as cidades da Bahia que tem sede da ASPRA. Vamos decidir se acatamos ou não a proposta do governo, e se vão todos aderir ou não ao movimento”, disse Diego.

Ainda de acordo com o Coordenador da ASPRA Juazeiro, Policiais Militares seguem aquartelados no Clube de Cabos e Soldados. A expectativa da Associação Regional é unir o maior número possível de PM’s em assembleia, para acompanhar a negociação.

Juazeiro: cerca de 100 Policiais Militares estão aquartelados e convocam tropa para deliberação definitiva

(Foto: Ilustração)

Na última terça-feira (8), a Associação de Policiais e Bombeiros e de seus familiares do Estado da Bahia (ASPRA) deflagrou greve. Desde ontem, as lideranças do movimento intitulado como “Segurança por Segurança” pedem aos policiais que permaneçam nos quartéis e não saiam para trabalhar.

De acordo com a ASPRA, há três meses a categoria realiza assembleias e não consegue acordo com o Governo do Estado da Bahia. Entre as demandas, a categoria cobra a regulamentação dos direitos dos policiais e bombeiros, além do plano de carreira.

Neste exato momento, cerca de 100 Policiais Militares de Juazeiro estão aquartelados no Clube de Cabos e Soldados, localizado no bairro Alto da Aliança. Em reunião realizada, na tarde de hoje (9), liderada pela ASPRA, a categoria optou pelo aquartelamento dos PM’s, e “convoca toda a tropa para reunião às 19h, quando acontecerá deliberação definitiva em conjunto com todas as cidades da Bahia”, diz informativo divulgado há pouco.

Outro lado

O Comando Geral da PM-BA afirmou que a greve foi “decretada por um deputado estadual” e que trata-se de “um movimento político sem adesão da PM”. O governador da Bahia, Rui Costa (PT) também negou a greve durante uma live.

O Blog Waldiney Passos entrou em contato com o Comando de Policiamento Regional Norte (CPRN), para saber se o movimento grevista afetou o policiamento em Juazeiro, mas até o momento não obtivemos resposta.

Associação dos PMs da Bahia deflagra greve; mobilização em Juazeiro começará hoje

(Foto: Ilustração)

A Associação de Policiais e Bombeiros e de seus familiares do Estado da Bahia (ASPRA) deflagrou greve na terça-feira (8) e as lideranças do movimento pedem aos policiais que fiquem nos quartéis para não trabalhar. De acordo com a ASPRA, há três meses a categoria realiza assembleias e não conseguiu acordo com o Governo da Bahia.

Os PMs intitulam a manifestação como “Segurança por Segurança” e entre as demandas, cobram a regulamentação dos direitos dos policiais e bombeiros, além do plano de carreira. O movimento grevista, contudo, não tem reconhecimento do Comando Geral da Polícia Militar e do Governo da Bahia.

Comando não reconhece

Em nota o Comando afirmou que a greve foi “decretada por um deputado estadual” e que trata-se de “um movimento político sem adesão da PM”. Ainda segundo o Comando Geral, a ASPRA quer “criar clima de insegurança”.

O comandante regional da PM, coronel Anselmo Brandão gravou um vídeo e criticou a ação da ASPRA. Confira:

LEIA MAIS

Professores da UFPE aderem à Greve Geral pela Educação

Nesta quarta-feira (02) e quinta-feira (03), acontecerão em todo o país protestos e paralisações em defesa da educação pública. Os professores da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) vão aderir à paralisação nacional. A decisão foi tomada na última segunda-feria (30/09), em assembleia convocada pela diretoria da Associação dos Docentes da Universidade Federal de Pernambuco (Adufepe).

A mobilização nacional em defesa da educação, ciência e tecnologia vai englobar diversas ações no Congresso Federal e nos demais estados do país. Ex-ministros da Educação e membros do Fórum Nacional Popular de Educação vão se reunir na quarta para apresentar documentos com diagnósticos, propostas políticas e estratégias destinadas ao campo educacional no intuito de reverter as constantes ameaças e restrições aplicadas aos setores. A Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) programou uma Marcha pela Ciência, e a União Nacional dos Estudantes (UNE) fará uma paralisação para chamar a atenção para as questões relacionadas aos alunos.

A convocação para a paralisação foi feita pela UNE e pela Associação Nacional de Pós-graduandos (ANPG). Dentro das atividades programadas, ex-ministros visitarão os parlamentares para defender a pauta de oposição à desconstrução do Programa Nacional de Educação (PNE) e contra o não cumprimento da lei com as metas para os setores até 2022. Eles vão apresentar documentos tratando sobre o programa Future-se, o novo Fundeb, o Sistema Nacional de Educação e a Formação de Professores.

Médicos do Hospital Regional de Juazeiro paralisam atividades e cobram pagamento salarial

Os médicos do Hospital Regional de Juazeiro paralisaram as atividades nessa quarta-feira (18). Os profissionais de saúde cobram pagamento do salário referente ao mês de agosto desse ano. Aproximadamente 50 médicos aderiram à parada, que não tem previsão de encerramento.

Nossa produção procurou o Hospital Regional, hoje administrado pela Associação de Proteção à Maternidade e à Infância Castro Alves (APMICA). Também buscamos a secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), mas nenhuma das instituições respondeu.

O Regional atende a 55 municípios através da Rede PEBA e é uma das referências no Norte da Bahia. Contudo, os profissionais de saúde e da equipe administrativa constantemente denunciam atrasos em salários.

Funcionários dos Correios suspendem greve em Pernambuco

(Foto: Arquivo)

Os funcionários dos Correios em Pernambuco decidiram, em assembleia, nesta terça-feira (17), suspender a greve iniciada no dia 10 de setembro. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores da Empresa de Correios e Telégrafos em Pernambuco (Sintect-PE), a categoria deveria voltar ao trabalho a partir das 22h de ontem (17).

Desde o início da paralisação parcial, os Correios colocaram em prática um plano de continuidade de negócios, estabelecendo ações de contingência para amenizar eventuais impactos à população.
Entre as medidas estão o deslocamento de empregados administrativos para auxiliar na operação e a realização de mutirões nos fins de semana. As ações contingenciais continuarão a ser adotadas até que as entregas sejam normalizadas.

Dos 3.200 funcionários da empresa em Pernambuco, segundo o Sintect-PE, 2.792 participaram do movimento, resultando na paralisação de 80% das atividades no Estado.

Greve dos Correios

Os funcionários dos Correios decidiram aderir à greve nacional de servidores da estatal no dia 10 de setembro. Segundo a categoria, a greve queria impedir a redução dos salários e de benefícios, além de ser contra a privatização dos Correios, proposta defendida pelo Governo Federal, que incluiu a empresa no Programa Nacional de Desestatização em agosto. Em Pernambuco, com a greve, apenas 30% dos serviços funcionaram, afetando assim a entrega de correspondências e mercadorias. Ao todo, funcionários de 200 agências dos Correios no Estado cruzaram os braços.

Contrários à privatização, funcionários dos Correios entram em greve

(Foto: Internet)

Os funcionários dos Correios de todo país decretaram estado de greve após uma assembleia realizada na noite de ontem (10). Em Pernambuco, cerca de 300 trabalhadores estiveram em Recife e votaram pelo sim à parada.

O grupo é contra a proposta de privatização por parte do Governo Federal, aumento de 0,8% em cima do salário, a redução do adicional noturno para 20% e o fim do vale-cultura e também o não pagamento de ticket durante as férias.

Além do Recife, aderiram ao estado de greve os funcionários de Caruaru e Petrolina. Eles farão uma nova reunião na tarde de hoje (11), para saber como ficará o trabalho da categoria. (Com informações do JC Online).

Correios rejeitam mediação feita pelo TST e categoria ameaça entrar em greve

(Foto: Arquivo)

Os Correios rejeitaram uma mediação feita pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST) com funcionários. É a primeira vez que uma empresa fecha as portas, de forma unilateral, em negociação capitaneada pela corte.

Com a decisão, sindicalistas ameaçam deflagrar greve a partir de terça-feira (10). A Vice-Presidência do TST é responsável por arbitrar impasses envolvendo categorias de empresas com abrangência nacional.

LEIA MAIS

Motoristas de caminhão devem paralisar rodovias federais na quarta-feira

Grupo diverge sobre ideia de paralisar (Foto: Luciney Araújo/ TV Gazeta)

Uma nova paralisação dos motoristas de caminhão pode acontecer nessa semana. O grupo pretende paralisar as estradas federais na madrugada de quarta-feira (4), para pressionar o Governo. Isso porque o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli suspendeu o julgamento sobre a constitucionalidade da tabela dos fretes.

De acordo com a categoria, o protesto não tem nem data nem hora para conclusão. Nos dias anteriores, a partir de domingo (1), haverá panfletagem junto condutores da classe. O STF ainda não tem previsão para uma nova data de julgamento.

A tabela dos fretes já havia mobilizado o grupo, que até chegou a fazer uma movimentação pequena no país. Contudo, naquela época a reivindicação foi atendida e a paralisação foi encerrada. Segundo o Diário de Pernambuco, o início de uma greve não é pauta unânime na categoria, que diverge sobre como proceder.

Docentes da UNEB e Univasf aderem à greve nacional e paralisam atividades nesta terça-feira 

(Foto: Aduneb)

Mais um movimento de paralisação da educação acontece nesta terça-feira (13) em todo o Brasil. Professores e estudantes devem paralisar as atividades nas instituições de ensino, em defesa da educação pública.

Em assembleias sindicais, os docentes da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) representados pelo Sindunivasf, e da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), através da ADUNEB, decidiram aderir à paralisação.

LEIA MAIS

Funcionários dos correios entram em greve nesta quarta

(Foto: Arquivo)

Os trabalhadores dos Correios anunciaram que devem entrar em greve nesta quarta-feira (31). A categoria protesta contra o baixo reajuste salarial e contra a retirada de direitos históricos da classe, segundo a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect).

A greve foi anunciada ao presidente dos Correios, Floriano Peixoto, na última segunda-feira (29). Apesar do indicativo de paralisação, os trabalhadores não descartam novas negociações. “Ainda que tenha uma data marcada para greve, o comando continua à disposição de negociar. Entendemos o momento da empresa, mas é necessário também ver o lado do trabalhador”, afirma Fischer Moreira, secretário de imprensa da Fentect.

Os Correios estão em meio a uma possibilidade de privatização, defendida pelo presidente Jair Bolsonaro. Os planos do governo, por enquanto, são de investir esforços na reforma da Previdência, enquanto as privatizações ficariam para um segundo momento.

Funcionários dos Correios devem entrar em greve a partir desta quarta-feira

(Foto: Breno Fortes)

Os funcionários dos Correios anunciaram que entrarão em greve a partir da noite desta quarta-feira (31). Segundo a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect), a categoria realizou na manhã desta terça-feira, 30, a última reunião prevista no calendário de negociação com os Correios, em Brasília.

LEIA MAIS

Movimentos sociais encabeçam manifestação contra Reforma da Previdência e cortes na educação em Petrolina

Grupo se reuniu no Bambuzinho (Foto: Blog Waldiney Passos)

A manhã dessa sexta-feira (14) é marcada por atos em diversas cidades do país. Em Petrolina, como de costume, a Praça do Bambuzinho foi escolhida como ponto de encontro de sindicalistas e estudantes que encabeçam a mobilização contra a Reforma da Previdência e os cortes na educação anunciados pelo Governo Federal.

Entre as entidades presentes etão a Fetaepe, Fetape, Sindsemp, CTB, Frente Brasil Popular, STTAR, Movimento dos Atingidos por Barragem (MAB), CUT, SindFisco, Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Afrânio (Sintea), Sinpaf, Sintelag, além de movimentos de estudantes e professores da Univasf, UPE e IF-Sertão.

Bancários querem fim dos privilégios dos mais ricos

Representando o Sindicato dos Bancários de Petrolina e Região (Seeb), o diretor Augusto Ribeiro fez um discurso contrário à proposta do Governo de Jair Bolsonaro (PSL). “Qual foi o privilégio que foi tirado até agora nessa elaboração da Reforma da Previdência? É uma falácia. Tem que cobrar a grande dívida aos grandes devedores“, disse.

LEIA MAIS

Sindicato dos bancários  de Juazeiro adere à greve geral nesta sexta-feira 

(Foto: Internet)

O Sindicato dos Bancários de Juazeiro e Região aderiu à greve geral convocada por centrais sindicais. Diversos serviços podem ser afetados pela paralisação que acontecerá em todo o país nesta sexta-feira (14), já que professores, bancários e servidores públicos confirmaram que vão aderir ao ato. Amanhã, o horário das agências bancárias de Juazeiro será alterado, os bancos abrirão mais tarde, após a realização da manifestação.

Em Juazeiro (BA), o ato público terá concentração em frente ao INSS de Juazeiro, a partir das 8h30. A principal pauta dos manifestantes é contra a reforma da Previdência, a favor da aposentadoria, da educação e da geração de empregos.

O Presidente do Sindicato dos Bancários de Juazeiro e Região, Maribaldes da Purificação, afirma que a adesão da categoria à greve geral é também contrária à privatização dos bancos públicos e à proposta de capitalização do governo Bolsonaro. “Na nossa região, a maioria dos bancários são contra a reforma da Previdência. Vamos a luta em busca do nosso direito. Não podemos aceitar esse regresso nos direitos trabalhistas”, disse.

Greve das universidades estaduais na Bahia chega ao fim após dois meses

(Foto: ASCOM)

Depois meses após a aprovação em assembleia geral realizada em Salvador, a greve das universidades estaduais chegou ao fim na tarde de ontem (12). Docentes da Universidade Estadual da Bahia (Uneb) decidiram encerrá-la após uma nova reunião.

197 professores votaram a favor do fim, enquanto 73 foram contra e 11 se abstiveram. Entre as propostas aprovadas pelos ex-grevistas, estava a de manter a mesa de negociação permanente em até 72 horas e o estado de mobilização ficará mantido.

O retorno das aulas, no entanto, será definido “após a discussão e construção do novo calendário acadêmico junto à Reitoria”. Segundo o jornal A Tarde, a categoria aprovou como indicativo de início das aulas a próxima segunda-feira (17).

123