Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Caminhoneiro sinalizam paralisação no dia 29 de abril

(Foto: Internet)

O reajuste no preço do diesel deixou os caminhoneiros descontentes e a categoria já estuda uma paralisação ainda em abril. Segundo o representante da categoria, Wanderlei Alves, mais conhecido como Dedéco, a manifestação da classe teria início na madrugada o dia 29.

A maioria dos grupos de caminhoneiros já decidiu pelo dia 29 de abril, tem uns ou outros que acham que é pouco tempo, que devemos esperar ainda, mas a maioria concorda sobre o dia 29 porque chegamos num ponto que não tem mais condições de trabalhar”, disse ao Broadcast Agro, do Estadão.

Em grupos de WhatsApp os caminhoneiros insatisfeitos com pacote de Jair Bolsonaro (PSL) já articularam uma greve. “Os caminhoneiros estão cientes de que, dentro de 14, 15 ou 16 dias vai ter outro aumento do diesel, e esse aumento de R$ 0,10/litro já afetou em R$ 1 mil o lucro mensal, e o frete continua o mesmo”, destacou Dedéco.

Na quarta-feira (17) a Petrobras elevou o preço do diesel em R$ 0,10/litro, o que implica uma variação mínima de 4,518% e máxima de 5,147%, nos seus 35 pontos de venda no Brasil. O aumento começou a vigorar na quinta, véspera de feriado. (Com informações do JC Online).

Estudantes da UNEB fazem manifestação nas ruas de Juazeiro contra sucateamento e privatização das universidades públicas

(Foto: Anna França)

Com cartazes, faixas, apitos e gritos de guerra contra o sucateamento e a privatização das universidades públicas, estudantes dos cursos de Jornalismo, Pedagogia, Direito, Engenharia de Bioprocessos e Agronomia da Universidade do Estado da Bahia (UNEB) Campus III, em Juazeiro (BA), foram às ruas na tarde de quinta-feira (11). Os alunos cobraram do governador Rui Costa (PT) o repasse de mais verbas e investimentos para a instituição. O ato foi encerrado no Paço Municipal da cidade.

Utilizando frases como “Eu Defendo a UNEB”, “Rui Costa exigimos professores”, “Educação não é mercadoria” e “Não à privatização”, os manifestantes chamaram atenção da sociedade juazeirense para a atual situação da instituição. Faltam pinceis nas salas de aula e papel higiênico e sabonetes nos banheiros. Equipamentos básicos como projetor de imagens, caixas de som e laboratórios estão sem manutenção.

“Queremos mostrar os problemas que nós estudantes estamos enfrentando na UNEB. Sem laboratórios eficientes não produzimos conteúdo, consequentemente não colocamos em prática os ensinos de sala. Vários professores estão sem contrato, ou seja, estamos sem aula em algumas disciplinas. Fico triste quando vejo essas lacunas na universidade. Esses problemas estão ameaçando meu futuro”, afirma a estudante Ellen Fiora, do 2º período de Jornalismo.

LEIA MAIS

Juazeiro: estudantes da UNEB realizam protesto contra sucateamento das universidades públicas estaduais

(Foto: Internet)

Estudantes da Universidade do Estado da Bahia (UNEB) Campus III, em Juazeiro, realizam nesta quinta-feira (11), às 16h, na Praça Santiago Maior, área central da cidade, uma manifestação contra o sucateamento das universidades públicas. O protesto também é em apoio aos professores das três estaduais da Bahia (UEFS, UESB e UNEB) que deflagraram greve por tempo indeterminado.

O corte de 55% dos recursos destinados às universidades afeta diretamente os estudantes. De acordo com a organização do ato, os três pilares de sustentação do ensino superior (projeto, pesquisa e extensão) estão ameaçados; equipamentos básicos como datashow, caixas de som, câmeras fotográficas e laboratórios carecem de manutenção e comprometem as aulas.

LEIA MAIS

Manifestação contra a alta no preço dos combustíveis está marcada para esta quinta-feira; o ato começa em Juazeiro e encerra em Petrolina

(Foto: Internet)

Indignados com o preço dos combustíveis em Juazeiro (BA) e Petrolina (PE), motoristas da região resolveram se unir, e nesta quinta-feira (11) realizarão uma manifestação contra a alta dos preços. A concentração está marcada para às 6h30, na Lagoa de Calu em Juazeiro.

De acordo com a coordenação do protesto, aproximadamente 100 motoristas confirmaram participação no ato que pretende chamar a atenção de donos de postos de combustíveis quanto ao preço cobrado, além do poder público para que atue contra o abuso do mercado.

“Esse protesto é pra mostrar a nossa indignação e a falta de respeito dos donos de postos com esses aumentos abusivos nos preços dos combustíveis, por que enquanto os descontos são aplicados pela Petrobras nós não sentimos isso se refletir nas nossas cidades, mas quando é aumento, imediatamente os donos de postos vão lá e fazem a alteração do preço, sem nem sequer ter recebido o combustível com aumento”, disse Rafael Ferreira, um dos organizadores do ato.

LEIA MAIS

Cabrobó: índios Trukás interditam BR-428 em manifestação contra governo Federal

Índios interditaram BR-428 na altura do KM 12 (Foto: Blog Didi Galvão/Reprodução)

A BR-428, no sentido Cabrobó a Petrolina está interditada na manhã dessa quarta-feira (27), em decorrência de uma manifestação realizada por indígenas da região. Trukás de Cabrobó e de Orocó, também no Sertão pernambucano protestam contra o Governo Federal.

Eles são contrários à municipalização da saúde indígena, hoje competência da União. A interdição acontece no km 12 da rodovia federal. O prefeito de Cabrobó, Marcílio Cavalcanti (MDB) está no local apoiando a reivindicação dos indígenas.

Nossa produção entrou em contato com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) para saber o tamanho do congestionamento na rodovia e o número de manifestantes presentes, mas ainda não tivemos retorno da PRF. (Com informações do Blog Didi Galvão).

Caminhoneiros articulam nova paralisação para o dia 30 de março

(Foto: Internet)

Caminhoneiros de todo o país estão se articulando para realizar uma nova paralisação das atividades. A categoria alega que os principais compromissos assumidos pelo governo Michel Temer no ano passado, não estão sendo cumpridos.

O atual governo acompanha atentamente as primeiras movimentações da categoria. Monitoramentos estão sendo feitos pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI), que tem como missão, antecipar os fatos ao governo, na tentativa de evitar possíveis problemas.

As especulações apontam que a articulação teve início por meio de mensagens compartilhadas via WhatsApp, que já indicam uma nova paralisação a ser realizada no dia 30 deste mês. Um dos itens da pauta dos caminhoneiros é o preço do diesel. Eles querem que o governo estabeleça um mecanismo para tabelar o preço do combustível com base no preço do dólar, e que o reajuste seja feito apenas uma vez por mês.

Com informações da Rádio Jornal

Manifestantes se unem contra a Reforma da Previdência, grupo seguirá em marcha por ruas de Petrolina

Grupo seguir[a em marcha por ruas do Centro (Foto: Blog Waldiney Passos)

A sexta-feira (22) é destinada a manifestações populares contrárias a reforma da Previdência. Em Petrolina, a Praça do Bambuzinho, no Centro, foi escolhida como local de concentração dos integrantes de sindicatos, estudantes e servidores estaduais, federais e sociedade no geral.

O ato é nacional, organizado pela Frente Brasil Popular. Segundo o integrante da Frente, Bismarques Augusto o grupo ficará concentrado até às 10h e seguirá em marca por algumas ruas da cidade. “A gente está com o calendário de luta contra a reforma da previdência, esses atos estão acontecendo em todo Brasil. Vamos sair em marcha até o Mercado Turístico”, disse ao Blog Waldiney Passos.

Representando a vereadora Cristina Costa (PT) que está em Brumadinho (MG), Célia Alves afirmou que os trabalhadores devem estar atentos a reforma. “A classe mais afetada será o trabalhador com retirada de direitos, só nós vamos perder com isso”, afirmou.

LEIA MAIS

Movimento contra a reforma da previdência acontece nesta sexta em Petrolina

(Foto: Agência Brasil)

Nesta sexta-feira (22), partidos políticos, movimentos sociais, centrais sindicais e trabalhadores devem se mobilizar pelas ruas do centro de Petrolina (PE) contra a Reforma da Previdência Social.

A concentração para o ato, organizado pela Frente Brasil Popular em Petrolina, acontecerá na praça do Bambuzinho, a partir das 8h30. O objetivo do evento é chamar a atenção da sociedade para o projeto da reforma da previdência.

Segundo a organização do ato, o projeto, que está em tramitação no Congresso Nacional, “traz prejuízos sérios para o povo brasileiro, a exemplo do aumento no tempo de contribuição, entre outros danos a direitos conquistas com as lutas dos trabalhadores”.

Manifestação contra a Reforma da Previdência está marcada para a próxima sexta-feira em Petrolina

(Cartaz/Divulgação)

Partidos políticos, movimentos sociais, centrais sindicais, trabalhadores e trabalhadoras farão na próxima sexta-feira (22), uma manifestação pelas ruas do Centro de Petrolina (PE) contra a Reforma da Previdência Social. Segundo a Frente Brasil Popular, organizadora do protesto, o projeto do Governo Federal que está em tramitação no Congresso Nacional, trará prejuízos para os brasileiros e brasileiras.

Para justificar tal afirmativa, a organização do ato apresenta como um dos principais prejuízos, o aumento no tempo de contribuição, passando a idade mínima de 65 anos para aposentadoria de homem e mulher, idade mínima de 60 anos para trabalhador rural e professor. Além do limite de acúmulo de pensão e aposentadoria com desconto progressivo, e pensão por morte prevista com cota familiar de 50% mais 10% por dependente.

O ato público terá concentração na Praça do Bambuzinho, na Avenida Souza Filho, ás 8h30, e faz parte do Dia Nacional de Luta contra a Reforma da Previdência, na data, os protestos devem acontecer em todo o Brasil. A organização do evento pretende chamar a atenção da sociedade para a reforma da previdência, como forma de cobrar dos parlamentares federais da região, uma posição contra o projeto.

Governo de Pernambuco emite nota sobre pagamento de salários dos terceirizados de escolas estaduais

Gerência Regional de Educação de Petrolina (Foto: Amanda Franco/ G1)

Na manhã desta segunda-feira (18) a equipe de reportagem do Blog Waldiney Passos acompanhou a manifestação de funcionários terceirizados de escolas estaduais, em Petrolina (PE). Durante o protesto, porteiros, merendeiras e auxiliares de serviços gerias cobraram urgência na regularização do pagamentos de salários, que segundo eles, atrasa todo mês.

LEIA TAMBÉM:

Terceirizados de escolas estaduais fazem manifestação na GRE de Petrolina e cobram pagamento de salários

A manifestação que denunciou a prática irregular de empresas contratadas pelo Governo de Pernambuco, foi realizada em frente ao prédio da Gerência Regional de Educação (GRE). De acordo com os profissionais, o salário de fevereiro está atrasado, e as empresas não informam quando será feito o pagamento.

Em nota enviada ao Blog, o governo do estado, por meio da Secretaria de Educação e Esportes  informou “que já está tomando todas as providências necessárias e que a situação dos porteiros, merendeiras e auxiliares de serviços gerais das unidades de ensino do município de Petrolina será regularizada até o fim desta semana”. Ainda de acordo com a nota, as escolas estão funcionando normalmente.

Terceirizados de escolas estaduais fazem manifestação na GRE de Petrolina e cobram pagamento de salários

Categorias se uniram para cobrar direitos (Foto: Blog Waldiney Passos)

O prédio da Gerência Regional de Educação (GRE) de Petrolina amanheceu nessa segunda-feira (18) com uma movimentação diferente. Funcionários de empresas terceirizadas que trabalham nas escolas estaduais da cidade e região do Sertão pernambucano estão reunidos para cobrar o pagamento dos salários em atraso.

Porteiros, merendeiras e auxiliares de serviços gerais denunciam que as empresas contratadas pelo Governo de Pernambuco desrespeitam o quinto dia útil, além de atrasar o pagamento de vale alimentação e transporte. O presidente do Sindicato Intermunicipal dos Empregados em Empresas de Asseio, Conservação, Limpeza Urbana e Condomínios do Sertão Pernambucano (Siemaco), João Soares, as terceirizadas sempre atrasam o pagamento.

“Todo mês essas empresas elas só pagam o salário no último dia do mês e às vezes passam para o dia seguinte. A gente quer que eles cumpram a norma da CLT. O Estado não se preocupa em colocar empresas que possa cumprir com as obrigações, que possa se produzir melhor as atividades. Não dão vale transporte, não pagam salário e isso é um desrespeito ao trabalhador”, disse ao Blog Waldiney Passos.

Segundo João, o salário de fevereiro está atrasado e ainda não há previsão de pagamento por parte da Unika (porteiros), Soluções (serviços gerais) e Premium (merendeiras). O grupo está na GRE tentando uma reunião com representantes do Estado.

LEIA MAIS

Lava Jato: manifestantes fazem ato contra decisão do STF

Foto:: José Lucena/Futura Press/Estadão Conteúdo)

Uma faixa chamando o Supremo Tribunal Federal (STF) de “vergonha” é um dos exemplos dos protestos que aconteceram pelo país na manhã deste domingo (17). Os protestos são contra a decisão do tribunal, na semana passada, que ordenou que todas as investigações da Lava Jato e outras operações que mencionassem dinheiro para campanhas eleitorais fossem enviadas a tribunais eleitorais em vez da justiça comum.

Hoje, a Lava Jato completa cinco anos de deflagração. A operação denunciou 426 pessoas em cinco anos. Fechou 183 colaborações premiadas com investigados. Mas viu algumas delas darem problemas e falta de condenações.

O Movimento Brasil Livre anunciou que haveria protestos hoje em mais de 40 cidades. Em Brasília, uma faixa diz: “STF, quem mandou matar a Lava Jato?”.

LEIA MAIS

Petrolina: manifestação para cobrar normalização dos serviços ofertados pela APAMI acontece neste sábado

Hospital Dom Tomás/ APAMI. (Foto: Blog Waldiney Passos)

No início deste mês um impasse entre o Governo do Estado de Pernambuco e a Associação Petrolinense de Amparo à Maternidade e à Infância (APAMI), responsável pelo funcionamento do Hospital Dom Tomás em Petrolina (PE) revelou as causas do problema que vem afetando diretamente a vida dos pacientes vítimas de câncer que são atendidos no hospital.

O Blog Waldiney Passos publicou diversas matérias sobre o assunto que vem abalando diversas famílias da região do vale do São Francisco, desde a suspensão de serviços como quimioterapias e fornecimentos de medicações, aos posicionamentos da APAMI e do Governo do Estado sobre a situação.

LEIA TAMBÉM:

Pacientes denunciam falta de medicamentos no Hospital Dom Tomás

Segundo APAMI, Governo do Estado não fez repasse de recursos liberados em 2016

Falta de documentação da APAMI impediu repasses, afirma Governo de Pernambuco

Há uma semana, questionada sobre a atual situação da Unidade de saúde que atende gratuitamente centenas de pacientes dos estados de Pernambuco e Bahia, a APAMI informou que o Governo do Estado não fez o repasse de recursos liberados em 2016, que ajudam no custeio dos serviços.

LEIA MAIS

Com paciência esgotada, moradores do Terras do Sul não descartam novas manifestações na Câmara de Vereadores

Comunitários cobraram mais atenção das autoridades (Foto: Blog Waldiney Passos)

Durante as sessões os vereadores de Petrolina afirmam em suas falas que a Câmara é a casa do povo, por ser no plenário da Casa Plínio Amorim o local onde acontecem as discussões sobre as melhorias no município. E um grupo de moradores do bairro Terras do Sul se fez presente no espaço, para ser ouvido.

Aproximadamente 15 pessoas foram à sessão de terça-feira (26) com cartazes, apitos e batuques cobrar atenção do poder público. Com vários itens em pauta, a comunidade afirmou que essa é apenas a primeira de muitas manifestações.

LEIA TAMBÉM:

Na Casa do Povo, moradores cobram melhorias para o bairro Terras do Sul

“Essa é a primeira de outras mobilizações [porque] no passar do tempo vai esgotando o limite. Nós passamos dificuldade, falta d’água, de limpeza e você chega na Casa do Povo e eles fiquem com picuinha pessoal. A questão maior hoje é em questão das áreas públicas que foi doado mais da metade para a Diocese e tem mais de 15 anos que tá lá parado”, disse o líder comunitário, Pedro Elias.

LEIA MAIS

Juazeiro: movimentos sociais realizam ato em apoio a vítimas de Brumadinho

(Foto: MAB Bahia/Reprodução)

Hoje (25) o rompimento da Barragem da Mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG) completa um mês e em todo país instituições fazem atos públicos em solidariedade aos atingidos pela lama de rejeitos. Em Juazeiro, um grupo percorre as ruas do Centro até chegar na Orla II.

Os manifestantes saíram da Praça Dedé Caxias chamando atenção de juazeirenses e petrolinenses sobre o iminente risco de o rio São Francisco ser atingido pelos rejeitos. Nesse momento o grupo se dirige ao Vaporzinho onde um ato inter-religioso será realizado em memória às vítimas.

Além do Movimento dos Atingidos por Barragem (MAB), o Ato em solidariedade às vítimas de Brumadinho e em defesa do Rio São Francisco conta com organização do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Comissão Pastoral da Terra (CPT), CPP e a Articulação do Semiárido Brasileiro (ASA).

123