CSTT  intensifica fiscalização contra o transporte clandestino em Juazeiro

(Foto: Ascom/PMJ)

Em 2018, a Companhia de Segurança, Trânsito e Transporte (CSTT) realizou 52 blitzes e apreendeu 74 motocicletas por transporte irregular de passageiros. E nesse primeiro mês de 2019, a fiscalização continua intensa. Já foram realizadas cinco blitzes e oito motocicletas já foram apreendidas. E mais uma blitz ocorreu nesta terça-feira (22) quando fiscais de trânsito e transporte percorreram diversos bairros da cidade.

A intensa fiscalização que vem sendo realizada tem agradado a muitos mototáxis legalizados. É o caso de Gerson da Silva Leite, cadastrado há sete anos. “Essa fiscalização é muito importante para nós, os legalizados, e principalmente para a população. A gente espera que continue ocorrendo semanalmente”.

LEIA TAMBÉM:

Manifestação de mototaxistas de Juazeiro paralisa trânsito na Ponte Presidente Dutra

Cadastrado há três anos, Edmilson Alves Cardoso destaca que a fiscalização é importante tanto para os mototáxis quanto a população. “Com a fiscalização nós temos uma melhor condição de trabalho. Sem contar o risco que eles oferecem para os clientes”, destaca.

Além da fiscalização, a CSTT realiza um trabalho educativo para orientar a população como identificar o mototáxi legalizado. “Existem 700 mototaxistas cadastrados na CSTT. Esse número é suficiente para atender a população, que também dispõe de outros serviços de transporte público. Não há necessidade das pessoas utilizarem o transporte irregular. Estão apenas colocando a própria vida em risco”, destaca o gerente de transportes, Francisco Paulo.

Saiba como identificar um mototáxi legalizado

1-A motocicleta e o capacete precisam ser na cor amarela;

2-A placa da motocicleta tem que ser na cor vermelha;

3-Camisa de manga comprida e na cor amarela;

4-O uso do colete é obrigatório;

5-Número do alvará, logomarca da CSTT e brasão do município expostos na camisa e na motocicleta.

6-O usuário pode exigir que o mototaxista apresente o alvará de licenciamento emitido pela CSTT, que é de porte obrigatório.

Deixe uma resposta