Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Dom Frei Luís Cappio será homenageado nesta segunda-feira em Petrolina 

(Foto: Divulgação)

Conhecido pela luta em defesa do Rio São Francisco, Dom Frei Luís Cappio, conquistou o Prêmio da Paz, em 2008; o Troféu João Canuto, em 2009, e o Prêmio Kant de Cidadão do Mundo, também em 2009. Bispo católico da Diocese da cidade da Barra (BA), será homenageado nesta segunda-feira (27) em Petrolina (PE).

Promovida pelo Centro de Referência para Recuperação de Áreas Degradadas (Crad) da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), a homenagem terá uma vasta programação, começa às 9h e vai contar com visitas aos experimentos de revitalização das Caatingas desenvolvidos pelo Crad, no Campus Ciências Agrárias (CCA).  O evento será finalizado com uma palestra ministrada por Dom Frei Luís Cappio, a partir das 19h, no Auditório da Biblioteca do Campus Sede da Univasf, no Centro da cidade. O evento é aberto à comunidade e o ingresso será 1 kg de alimento não perecível.

Para o diretor do Crad, José Alves Siqueira, “o evento é um momento para refletir sobre a vida do Velho Chico e os deveres que a população deve ter para preservá-lo”.  Ainda segundo Siqueira, Dom Cappio é símbolo de inspiração. “A sua luta pelo Rio São Francisco, por sua vida e conservação é inspiradora. Nós precisamos destes elementos de inspiração para a sociedade, considerando os tempos difíceis em que vivemos.”, finalizou.

Dom Frei Luís Flávio Cappio estudou teologia no Seminário Franciscano de Petrópolis (RJ). Desde 1974, Dom Cappio vive no semiárido nordestino. Símbolo de amor e devoção ao Rio São Francisco, ficou conhecido mundialmente na década de 1990, após percorrer a pé os 2.830 quilômetros de extensão do Velho Chico. O religioso realizou trabalho de conscientização das comunidades ribeirinhas sobre a importância da preservação do Rio, fazendo mobilizações de educação ambiental com os movimentos populares. A trajetória de Dom Cappio, também é marcada por duas greves de fome em protesto ao projeto de transposição do Rio São Francisco, nos anos de 2005 e 2007.

Deixe uma resposta