Em nota Câmara esclarece que participação de autoridades nas sessões está dentro do Regimento Interno

A celeuma provocada pelo protesto de Lúcia Mota, mãe da menina Beatriz Angélica, que questionou a participação do Dr. Wank Medrado, advogado de defesa de Alisson Henrique, acusado de deletar imagens do sistema de videomonitoramento do Colégio Maria Auxiliadora, da sessão desta terça-feira (8), fez com que a Câmara Municipal de Petrolina, através de sua assessoria de comunicação, prestasse o seguinte esclarecimento:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Devido ao protesto realizado na manhã desta terça-feira (8), em frente à Câmara Municipal de Petrolina, por Lúcia Mota, mãe da menina Beatriz Angélica e o grupo “Somos todos Beatriz”, esclarecemos que a Casa Plínio Amorim sempre foi solidária a dor da família e com a mesma expectativa de todos, aguarda o desfecho da investigação por parte da justiça para que possa elucidar o caso e punir na forma da lei os culpados.

Assim como o uso da Tribuna Livre, previsto no Regimento Interno, foi cedido aos pais de Beatriz: Lúcia Mota e Sandro Romilton, por duas vezes, esta Casa não poderia cercear o direito ao Dr. Wank Remy de Sena Medrado, que solicitou o espaço através de ofício, para prestar os devidos esclarecimentos sobre a decisão do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), do último dia 05 de setembro de 2019, que deu provimento a REVOGAÇÂO da prisão de Allinson Henrique de Carvalho Cunha, acusado de ter apagado as imagens do sistema de videomonitoramento do Colégio Maria Auxiliadora, onde o crime ocorreu.

De pose do ofício, foi verificada a legalidade da solicitação do advogado, uma vez que o próprio TJPE revogou por 7 x 3 o pedido de prisão do acusado.

A Câmara Municipal apenas cumpriu com o Regimento Interno da Casa, que prevê em seu Art. 102, Parágrafo Único, que o Grande Expediente será dividido em duas partes: a primeira para uso da tribuna pelos Vereadores, antecedendo a Ordem do Dia; a outra parte para uso da tribuna livre por autoridades e personalidades diversas.

Assim sendo, em nenhum momento a Câmara Municipal de Petrolina cerceou o direito de Lúcia Mota de participar da Tribuna Livre. Muito pelo contrário, além de ter recebido por duas vezes os pais de Beatriz, a Câmara ainda autorizou o uso do espaço do plenário para que eles concedessem uma entrevista coletiva à imprensa, no dia 09 de março de 2016.

Por fim, reiteramos que a participação do advogado Wank Medrado, na sessão desta terça (8), foi em cumprimento ao que estabelece o Regimento Interno desta Casa.

ASCOM/CMP

Deixe uma resposta