Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Ibope: Bolsonaro amplia vantagem e vai a 41% dos votos válidos; Haddad tem 25% e Ciro, 13%

A última pesquisa Ibope antes das eleições confirmou o candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, à frente da disputa. O capitão da reserva subiu de 38% para 41% das intenções de votos válidos, sem contar nulos e brancos. Fernando Haddad (PT) perdeu três pontos em relação à última sondagem, e agora tem 25%. Mais próximo dos dois líderes, Ciro Gomes (PDT) oscilou de 12% para 13%. Ele é seguido por Geraldo Alckmin (PSDB), que manteve os 8%, e Marina Silva (Rede), cujos votos válidos caíram de 4% para 3%.

O resultado mostra um aumento da vantagem de Bolsonaro sobre Haddad. No levantamento anterior, divulgado na quarta-feira, a diferença entre os dois era de dez pontos. Agora, chega a 16.

Para ser eleito em primeiro turno, um candidato deve conseguir 50% dos votos válidos mais um voto. Se os números da pesquisa se confirmarem nas urnas, portanto, haverá segundo turno entre Jair Bolsonaro e Fernando Haddad.

Segundo o Ibope, nesse cenário os dois estariam tecnicamente no limite da margem de erro, que é de dois pontos para mais ou para menos. Bolsonaro teria 45% dos votos totais, contra 41% de Haddad. A simulação de um confronto entre Ciro e Bolsonaro também resulta em um empate técnico. Nesse caso, a vantagem numérica seria para o pedetista, 45% a 41%.

A sondagem capta a percepção dos eleitores após o último debate do primeiro turno, transmitido pela TV Globo na quinta-feira. O encontro contou com a participação de sete presidenciáveis. Jair Bolsonaro não foi, após avaliação médica. No mesmo dia, o candidato concedeu entrevista à Record TV . Apesar da ausência, o deputado foi um dos principais alvos dos oponentes .

O Ibope também avaliou a taxa de rejeição dos candidatos. Bolsonaro e Haddad mantiveram marcas praticamente estáveis em relação à divulgação anterior. A do candidato do PSL oscilou de 42% para 43%. Já a do petista passou de 37% para 36%. Marina tem a terceira maior taxa de rejeição, 22%.

No último dia de campanha, Bolsonaro usou as redes sociais para fazer campanha. Em uma postagem no Twitter, disse enxergar o potencial do Brasil tem para se tornar uma país grande e próspero, e afirmou não estar envolvido em corrupção.

Já Haddad aproveitou as últimas horas para apostar no Nordeste, uma estratégia para evitar o crescimento do rival em redutos lulistas. Em Feira de Santana, na Bahia, o candidato disse que o Nordeste viveu “anos de ouro” durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Em busca de se afirmar com uma terceira via, capaz de vencer Bolsonaro no segundo turno, Ciro fez carreata em Fortaleza. O pedetista também usou as redes sociais, no início da tarde deste sábado, para rivalizar com Bolsonaro e dizer que o candidato do PSL, líder nas pesquisas de intenção de voto, carece de valores humanos.

Deixe uma resposta