Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Maior parque fotovoltaico do Brasil será instalado em Pernambuco

(Foto: Divulgação/Solatio)

O maior projeto fotovoltaico do Brasil, será desenvolvido em Pernambuco, segundo o Governo do Estado. Sete usinas com capacidade instalada para gerar 1,1 GW vão compor o parque, que será instalado em São José do Belmonte, a aproximadamente 500 km de Recife. Com um investimento de R$ 3,5 bilhões, a expectativa é de que o projeto entrará em operação comercial no início de 2021.

O acordo para instalar o projeto em Pernambuco foi assinado pelo governador, Paulo Câmara, e o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Bruno Schwambach, com o presidente da empresa hispanobrasileña Solatio Energia, Pedro Vaquer Brunet, e Elvira Damau, membro da companhia, responsável pela parte financeira do complexo.

Segundo o governo de Pernambuco, o conjunto de usinas será distribuído em 2.270 hectares, está em linha com o plano de longo prazo do estado, apresentado em 2013, quando o primeiro leilão de energia solar no Brasil ocorreu. As obras começarão nos dois primeiros meses de 2021, e espera-se que a fase de construção gere cerca de mil empregos diretos.

O governador Paulo Câmara ressalta que esse é um investimento importante em um momento difícil, quando ninguém está investindo. “Solatio chega a Pernambuco, gerando emprego e renda. Estamos sempre em diálogo com empresas e investidores, que têm certeza de que nosso estado os ajudará a avançar em seus projetos”, acrescentou.

“Temos buscado ativamente empresas que queiram investir, seja para participar de leilões ou para implementar projetos voltados para o mercado livre. Além disso, desenvolvemos o Atlas Eólico e Solar, um mapeamento feito especificamente para o investidor, que mostra o potencial de Pernambuco em gerar energia por meio de fontes renováveis. Além disso, o governo estadual tem incentivado a geração distribuída”, disse Bruno Schwambach.

Com informações da PV magazine

Deixe uma resposta