Maria Elena critica barulho durante as sessões: “Demonstra um manicômio”

(Foto: Blog Waldiney Passos)

A falta de respeito dos vereadores e seus assessores durante as sessões na Casa Plínio Amorim são assuntos recorrentes durante a fala dos edis e voltou à tona na sessão de terça-feira (23). Maria Elena (PRTB) uma das principais críticas pelo incessante barulho pediu mais rigidez à Mesa Diretora para controlar a presença dos funcionários.

LEIA TAMBÉM:

Requerimento da oposição provoca discussão, mas é aprovado por unanimidade na Casa Plínio Amorim

Isso porque funcionários da casa utilizam o espaço onde são servidos o café dos edis para conversar e interferem no andamento da sessão devido ao burburinho criado no plenário. “Queria pedir mais rigidez à Mesa, isso denota muito mal a essa Casa. Esse espaço [destinado aos vereadores tomarem café] é de circulação do pessoal que trabalha para servir ao pessoal da Casa. Quando quiserem conversar teriam que se dirigir a outro ambiente, perturba e visualmente demonstra um manicômio”, destacou Elena.

Enquanto a vereadora discursava sobre o barulho flagrou duas de suas assessoras e deu uma bronca pública. “Quando vocês circularem por ali, circulem caladas. Ai não é o espaço, denota muito mal para essa Casa”, afirmou a edil.

Antes de Maria Elena, Ronaldo Cancão (PTB), Gilmar Santos (PT) e Ruy Wanderley (PSC) já haviam criticado o desrespeito dos colegas de câmara, especialmente quando há uso da Tribuna Livre. Durante a discussão do Requerimento nº 208/2018 apresentado por Paulo Valgueiro (MDB), o presidente da Casa Plínio Amorim, Osório Siqueira (PSB) precisou intervir e pedir silêncio aos presentes no plenário.

Deixe uma resposta