Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Parque Municipal Josepha Coelho recebe exposição “Museu da Evolução” neste domingo

(Foto: Internet)

O “Museu da Evolução”, é uma iniciativa de estudantes e professores do Colegiado de Ciências Biológicas da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), e irá proporcionar conhecimento através da exposição de materiais vivos e conservados. A exposição será aberta neste domingo (18), na área 2 do Parque Municipal Josepha Coelho, em Petrolina (PE). A programação iniciará às 16h. O evento é gratuito e para toda a comunidade.

A exposição foi organizada a partir das atividades das disciplinas “Protistas Fotossintetizantes e Vegetais Basais” e “Protistas Heterótrofos e Metazoários Basais”, e conta com o apoio do Colegiado de Ciências Biológicas e do Núcleo de Ecologia e Monitoramento Ambiental (Nema) da Univasf. O Museu da Evolução irá apresentar aos visitantes a evolução dos grupos vegetais e animais ao longo do desenvolvimento do planeta.

Para que os visitantes entendam melhor o processo evolutivo da vida na Terra, estarão expostos no museu algas, lâminas, microscópios, vídeos e fotografias, acompanhados por textos autoexplicativos. Alguns dos materiais que estarão expostos foram coletados em viagens de campo realizadas durante as atividades das disciplinas. A professora do Colegiado de Ciências Biológicas, Carol Tonizza, que faz parte da organização do evento, explica a finalidade da exposição. “Esse museu irá mostrar que a evolução é um processo lento e gradual, fundamental para que as espécies possam se adaptar às mudanças climáticas a que o planeta Terra está submetido”, diz.

Ela destaca ainda que a exposição é uma oportunidade para expandir e tornar acessível o conhecimento sobre a Ciência. “Disseminar o conhecimento e a ciência, desmistificar que é algo inacessível e também aproximar comunidade e Universidade, incentivando outras pessoas a cursar a universidade, uma vez que ações como esta despertam o interesse da comunidade”, finaliza a professora.

Deixe uma resposta