Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Projeto que convalida parcelamento de dívida da Prefeitura com a Compesa é aprovado pela bancada governista

Matéria foi analisada individualmente na sessão de hoje (Foto: Blog Waldiney Passos)

Deixada para ser apreciada sozinha, a matéria que convalida o parcelamento de dívida contraída com a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) gerou uma longa discussão na Câmara de Vereadores na sessão dessa terça-feira (14).

Isso porque um anexo com informações sobre os dados financeiros somente foi entregue aos edis momentos antes da votação. Por comum acordo, oposição e situação aceitaram analisar o documento e somente votar quando todas as dúvidas estivessem esclarecidas.

O Projeto de Lei nº 054/2018 do Poder Executivo solicitava autorização dos edis a aprovarem o parcelamento de uma dívida adquirida na gestão passada, cujo montante total é  de R$ 14.681.000,0. Hoje o prefeito Miguel Coelho afirma ter quitado pouco mais de R$ 4 milhões, faltando R$ 9.828.112,55.

Bancadas se dividem, mas matéria é aprovada

Contrário ao pedido, o vereador Gilmar Santos (PT) disse que o projeto é escandaloso e contraditório com a realidade no município. “É um projeto escandaloso. Um dos maiores dramas que nós temos aqui em Petrolina é o problema do saneamento básico nas nossas comunidades, nós temos aqui diversas comunidades sem água tratada, assim como temos diversas comunidades sem coleta de esgoto. É uma vergonha”, criticou Gilmar.

Ronaldo Cancão (PRTB), membro da bancada governista colocou a responsabilidade nas costas do então prefeito Odacy Amorim (PT), que à época era vice de Fernando Bezerra Coelho (MDB). “Fernando [Bezerra Coelho] quebrou o contrato de concessão e eu era vereador de 2002 e o vereador Odacy licenciado, fez um acordo para aditivar o contrato que teria sido quebrado em 2002 pelo prefeito Fernando Bezerra”, relembrou.

Gabriel Menezes critica situação

Gabriel Menezes (PSL) afirmou que o posicionamento da situação deve ser observado pela população, já que os membros somente “balançam a cabeça” para o que manda o grupo e não pensam no que é correto. Ele também questionou a conduta de Fernando Bezerra na prefeitura. “Será que ainda resta alguma dúvida na conduta desse senhor? Ainda quer jogar que nós da bancada da oposição vota contra apenas por votar?”, criticou.

A matéria foi aprovada por 14 votos a 5, com forte apoio da bancada governista. Os membros da oposição votaram contra o pedido, apontando divergências entre o pedido e a realidade do município.

Deixe uma resposta