Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Projetos aprovados pelo ‘Usina Cultural’ são realizados na sede e no interior de Juazeiro

(Cartaz de Divulgação)

Dois projetos aprovados pelo Programa Usina Cultural da Prefeitura Municipal de Juazeiro (BA) realizado, através da Secretaria de Cultura, Turismo e Esportes, estão na pauta de apresentações culturais do mês de Janeiro. O projeto Lona do Saber e Fazer, voltado para crianças do Bairro Quidé, acontece desde o final de dezembro e continua no mês de janeiro; o Circulando no Buzu acontece nos dias 11, 12 e 13 sempre às 19h30, nas comunidades de Lagoa da Pedra, Campos e Mandacaru II, respectivamente.

O Projeto Lona do Saber e Fazer é voltado para crianças e adolescentes de 07 a 14 anos moradores do Bairro Quidé, com realização de oficinas de artes circenses. O realizador do projeto é o Circo Benjamin Chaves, com apoio do Núcleo de Arte Educação Nego D’água (Naenda). De acordo com a Assessoria de Comunicação do Naenda, “o projeto levará o aprendizado de forma gratuita para crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social, oportunizando um espaço lúdico e encantado do mundo circense, oferecendo conhecimento da linguagem artística a ser trabalhada e outros conhecimentos como a autoestima, disciplina corporal e cognitiva, coordenação motora, respeito às diferenças individuais e coletivas, respeito ao espaço do outro, entre outros conhecimentos educacionais”.

De acordo com o Gerente de Cultura Ramon Raniere, o Projeto Circulando no Buzu realizado pelo Circo Benjamin Chaves com apoio do NAENDA, leva espetáculo circense para o interior da cidade. “Como os organizadores explicam, o espetáculo ‘Cenas Cotidianas’ propõe entretenimento educativo para o público de todas as idades. O objetivo deles é proporcionar lazer gratuito para locais desassistidos, além de reduzir a ociosidade do período de férias. Os dois projetos recebem incentivo do Usina, porque foram aprovados pelo edital. Nós nos sentimos extremamente felizes e orgulhosos por estarmos à frente de um programa que fomenta a cultura de forma tão bonita”, disse Ramon.

Deixe uma resposta