Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Requerimento sobre CPI dos Cargos Comissionados apresentado por Gabriel Menezes é rejeitado na Casa Plínio Amorim

Vereador solicitou informações sobre funcionários fantasmas dos últimos 20 anos (Foto: Blog Waldiney Passos)

Um dos pedidos apresentados na sessão dessa terça-feira (11) foi o Requerimento nº 065/2018 do vereador Gabriel Menezes (PSL), cuja cobrança é a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as nomeações de cargos comissionados na Prefeitura de Petrolina.

A solicitação do edil da oposição inclui nomeações durante os governos de Guilherme Coelho, Fernando Bezerra Coelho, Odacy Amorim, Júlio Lóssio e a atual gestão, de Miguel Coelho. No Requerimento, Gabriel busca investigar nomeações fantasmas e também saber o valor gasto com esses funcionários.

“Eu tava aguardando o momento certo. Não vou pedir as assinaturas como prevê o Regimento, estou propondo enfim e corajosamente, essa Comissão para investigar a farra dos cargos comissionados nos últimos 20 anos”, disse o vereador. Ainda segundo Gabriel, o pedido deu entrada em abril, mas ficou engavetado a seu pedido.

Líder da situação, o vereador Aero Cruz (PSB) pediu destaque a respeito do Requerimento. Enquanto isso, o líder da oposição, Paulo Valgueiro (MDB) endossou a reivindicação de Gabriel e disse votar a favor, pois “prestação de contas não é favor, é obrigação”.

Bate-boca durante votação

Depois de votadas as demais Indicações e Requerimentos e aprovadas por 15 votos a zero, foi posto em discussão a cobrança de Gabriel Menezes. Ele e Aero trocaram acusações durante o debate, pois Aero disse ser uma cobrança de “palanque político”. Valgueiro disse ser “mimimi” dos governistas rejeitarem o pedido “por medo”.

Outra a apoiar o pedido do companheiro de oposição foi Gilmar Santos (PT), afirmando ser necessário pedir transparência na gestão e estendeu a cobrança à Câmara Municipal. Seguindo a recomendação do líder, os membros da bancada governista acataram a recusa e derrubaram o pedido por 14 votos a 4.

Deixe uma resposta