Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Segmento da indústria analisa evolução do novo Plano Diretor de Petrolina

(Foto: ASCOM)

Mobilidade, acessibilidade e ordenamento urbano foram alguns dos temas discutidos nessa semana, em Petrolina (PE) durante avaliação do processo de construção do novo Plano Diretor do município. Convidada pelo conselho empresarial da unidade regional da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (FIEPE), a arquiteta Elka Porciúncla analisou os resultados das escutas e audiências públicas que vem movimentando a cidade desde o último mês de junho.

De acordo com a consultora técnica, o empresariado da indústria é um dos segmentos que mais tem contribuído na elaboração das principais normas urbanísticas que irão valer pelos próximos 10 anos. “A troca de experiências com a equipe técnica responsável pela atualização do documento tem sido muito positiva. E a perspectiva é que podemos avançar muito mais corrigindo alguns obstáculos a um maior desenvolvimento e crescimento econômico de Petrolina”, pontuou.

A FIEPE vai acompanhar a confecção do plano diretor até novembro, quando será colocado para votação na Câmara de Vereadores do município, o diretor regional da Federação, Albânio Nascimento, avaliou positivamente os trabalhos. “O conceito que está guiando a equipe é de organizar uma “cidade mais compacta” através da revisão dos instrumentos urbanísticos, da busca pela valorização de um espaço público como local de convívio e de interação dos cidadãos”, analisou Nascimento, enfatizando ainda que o segmento está à disposição do município no que for necessário para organização do novo desenho da cidade, ordenamento das construções e melhor qualidade do meio ambiente.

Desde o início dos trabalhos para elaboração da legislação urbanística do município, a FIEPE já promoveu vários encontros entre empresários e a empresa contratada pela prefeitura, além de participar de audiências públicas.

Deixe uma resposta