Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

SINDJUD PE emite nota sobre veículo contratado que teria atrapalhado protesto do Caso Beatriz

Na quinta-feira (2) houve mais um manifesto do Caso Beatriz organizado pela família da menina assassinada em 2015 no Colégio Nossa Senhora Maria Auxiliadora. Durante o ato um carro de som interferiu no protesto e gerou revolta do grupo.

Ontem o Blog Waldiney Passos mostrou a revolta de Lucinha Mota, mãe de Beatriz Angélica. Nessa sexta-feira (3) nossa equipe recebeu uma nota do Sindicato dos Servidores de Justiça de Pernambuco (SINDJUD PE) esclarecendo os fatos presenciados na manhã de ontem.

LEIA TAMBÉM:

Carro de som é contratado para atrapalhar protesto a favor da garota Beatriz, segundo Lucinha

Em ato público, familiares e população cobram Judiciário por decisão no Caso Beatriz

De acordo com o SINDJUDE, a entidade representativa dos servidores não estava ciente do protesto e afirma ter afixado faixas avisando sobre a paralisação do Poder Judiciário no Estado. No entanto, antes do protesto nossa equipe não conseguiu identificar essas sinalizações.

A nota afirma ainda que o Sindicato se solidariza e apoia o protesto organizado na manhã de ontem, que contou com a participação dos grupos Somos Todos Beatriz e Beatriz Clama por Justiça.

Confira a seguir a nota do SINDJUD PE:

O SINDJU PE, Entidade representativa dos Servidores do Poder judiciário do Estado de Pernambuco, no uso de suas atribuições vem a público esclarecer o que ocorreu na manhã da última quinta-feira 02 de agosto em frente ao Fórum de Petrolina, assim como as causas pelas quais houve a contratação de serviço de carro de som nos arredores do prédio. Na ocasião ocorria paralelamente um protesto acerca do caso da garota Beatriz, brutalmente assassinada numa festa escolar em dezembro de 2015 em Petrolina.

O SINDJUD PE esclarece que o funcionário recém-contratado para prestar serviço de divulgação/ mobilização das lutas da categoria alegou, por equívoco humano passível de acontecer com qualquer indivíduo, ao ser abordado pelo fato estar atrapalhando o andamento do protesto, que estava sendo contratado pelo Poder Judiciário, quando na verdade se referia ao Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário que por sua vez não estava ciente do protesto em favor do caso da menina Beatriz, caso esse que muito apoiamos e nos sensibilizamos.

Nosso protesto foi comunicado oficialmente ao Tribunal e em vários fóruns do Estado foram afixadas faixas com antecedência informando a população da nossa paralisação em prol reposição das perdas salariais acumuladas em 28,86% e por estarmos há 3 anos sem reposição do IPCA e por este motivo o carro de som estava lá para reforçar o aviso à população da suspensão das atividades nos dias 31/07 e 02/08.

No mais, crentes na elucidação dos fatos assim como no papel imparcial da mídia, o corpo diretor da Entidade se coloca a disposição para maiores esclarecimentos.

SINDJUD PE, Com respeito e transparência.

Deixe uma resposta