Operação do MP interdita todas as unidades da Aspra na Bahia

Ninguém da Aspra em Juazeiro se manifestou sobre ação (Foto: Reprodução/Google Maps)

A queda de braço entre a Polícia Militar da Bahia e a Associação dos Policiais e Bombeiros Militares (Aspra) ganhou mais um capítulo nessa quarta-feira (16). O Ministério Público do Estado determinou o fechamento de todas as unidades da Aspra, da capital ao interior.

LEIA TAMBÉM:

Juazeiro: CPRN classifica como “fake news” boato sofre aquartelamento de policiais

Juazeiro: cerca de 100 Policiais Militares estão aquartelados e convocam tropa para deliberação definitiva

Associação dos PMs da Bahia deflagra greve; mobilização em Juazeiro começará hoje

A decisão, segundo o MP-BA, faz parte de uma operação deflagrada hoje e tem respaldo da Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA). Estão sendo cumpridos mandados de busca e apreensão nas unidades. Também foi determinado o bloqueio das contas da Aspra.

LEIA MAIS

Associação dos PMs da Bahia deflagra greve; mobilização em Juazeiro começará hoje

(Foto: Ilustração)

A Associação de Policiais e Bombeiros e de seus familiares do Estado da Bahia (ASPRA) deflagrou greve na terça-feira (8) e as lideranças do movimento pedem aos policiais que fiquem nos quartéis para não trabalhar. De acordo com a ASPRA, há três meses a categoria realiza assembleias e não conseguiu acordo com o Governo da Bahia.

Os PMs intitulam a manifestação como “Segurança por Segurança” e entre as demandas, cobram a regulamentação dos direitos dos policiais e bombeiros, além do plano de carreira. O movimento grevista, contudo, não tem reconhecimento do Comando Geral da Polícia Militar e do Governo da Bahia.

Comando não reconhece

Em nota o Comando afirmou que a greve foi “decretada por um deputado estadual” e que trata-se de “um movimento político sem adesão da PM”. Ainda segundo o Comando Geral, a ASPRA quer “criar clima de insegurança”.

O comandante regional da PM, coronel Anselmo Brandão gravou um vídeo e criticou a ação da ASPRA. Confira:

LEIA MAIS

Juazeiro: ASPRA divulga pauta de reivindicações e convoca policiais militares para Assembleia

(Foto: Reprodução/Facebook)

Como publicado nas redes sociais, nesta segunda-feira (2), em alguns pontos do Centro de Juazeiro, a Associação de Policiais e Bombeiros e de seus familiares do Estado da Bahia (ASPRA Regional – Juazeiro) realizou a divulgação de demandas dos policiais e bombeiros militares da Bahia, e dificuldades enfrentadas pela categoria.

“Não pagamento de Pensões a família dos Policiais mortos em serviço, mais de 18 anos aguardando o pagamento previsto em lei da periculosidade, sucateamento do Plano de Saúde dos servidores, Sistema RH que vem retirando salários dos servidores todos os meses, falta do cumprimento do acordo assinado pelo atual governo, são só algumas das situações enfrentadas pelo militares todos os dias”, diz a postagem feita pelo perfil da Associação no Facebook.

De acordo com a ASPRA, a pauta de reivindicações foi entregue mês passado ao Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA) com um pedido de audiência de conciliação. No próximo dia 11, os policiais se reunirão em assembleia, em Salvador (BA).

“Haverá uma assembleia dia 11 de setembro, pacífica e constitucionalmente permitida, esperamos que o governo abra a porta do diálogo fechada há cinco anos. Teremos um ônibus saindo de Juazeiro às 6h30 e passando por Senhor do Bonfim e Capim Grosso, todos, associado da Aspra ou não, do Soldado ao Coronel estão convidados”, disse o Soldado Diego, coordenador da Aspra em Juazeiro.

Diante da manifestação, o Blog Waldiney Passos procurou a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSPBA) para saber o posicionamento do Governo do Estado sobre as reivindicações da categoria, até o momento o órgão não se pronunciou sobre o assunto.

Diretório Central dos Estudantes da Univasf emite nota em resposta à ASPRA

(Foto: Arquivo)

Na terça-feira (23) o nosso blog publicou uma matéria sobre uma nota da Associação de Policiais e Bombeiros e de seus familiares do Estado da Bahia (ASPRA) que repudiava o cartaz de um evento promovido pelo Diretório Central dos Estudantes da Univasf (DCE) e União Nacional dos Estudantes (UNE).

No cartaz, a organização do evento mostra a imagem de uma pessoa vestida com as cores da bandeira do Brasil caída no chão algemada e um policial fardado com uma arma em punho, como se tivesse acabado de realizar um disparo.

De acordo com a nota da ASPRA regional de Juazeiro (BA), a comunidade policial foi surpreendida com perplexidade ao se deparar com a imagem, que segundo a instituição pode ser considerada “altamente preconceituosa contra a classe de trabalhadores que mais sofre violência no Brasil”.

LEIA TAMBÉM:

Associação de Policiais da Bahia repudia cartaz de DCE da Univasf e UNE

Por meio de nota, enviada ao nosso blog no início da tarde desta quarta-feira (24), o Diretório Central dos Estudantes da Univasf (DCE) manifesta publicamente suas convicções. Segundo o documento, a imagem se trata de uma charge criada por Latuff, conhecido internacionalmente por obras que denunciam situações de opressão.

A nota do DCE ainda especifica o tipo de policial representado na imagem, para justificar a utilização da imagem. “Há policiais que trabalham diuturnamente dentro dos marcos constitucionais, sem brutalidade, conforme a formação recebida nas Academias. E há aqueles que extrapolam, fazendo de sua autoridade um instrumento para abusos e brutalidades. É sobre este segundo grupo de que a charge trata. É esta segunda conduta que repudiamos. ”

LEIA MAIS

Associação de Policiais da Bahia repudia cartaz de DCE da Univasf e UNE

Cartaz causou polêmica.

A Associação de Policiais e Bombeiros e de seus familiares do Estado da Bahia (ASPRA) emitiu uma nota, nesta terça-feira (23), em repúdio ao cartaz de um evento promovido pelo Diretório Central dos Estudantes da Univasf (DCE), União Nacional dos Estudantes (UNE) e a organização Tempo de Mudar.

A imagem, que foi divulgada em redes sociais do DCE da Univasf, faz publicidade sobre uma roda de conversa com o título: “Democracia na berlinda: A ofensiva fascista no Brasil” e mostra uma pessoa vestida com as cores da bandeira do Brasil caída no chão algemada e um policial fardado com uma arma em punho, como se acabasse de realizar um disparo.

Segundo a nota de repúdio da ASPRA regional de Juazeiro, a comunidade policial foi surpreendida com perplexidade ao cartaz do evento. “O cartaz traz uma imagem altamente preconceituosa contra a classe de trabalhadores que mais sofre violência no Brasil”, diz a nota.

Além disso, a associação afirma que a categoria “é que garante também o cumprimento das ordens judicias e por isso, em última instância, todos os direitos fundamentais da nossa Constituição, como também, a segurança dos participantes do evento citado”.

Providências Jurídicas

A ASPRA disse ainda, no documento, que o corpo jurídico da instituição foi acionado “para tomar as medidas judiciais cabíveis, como também, para notificar os organizadores sobre as ilegalidades”.

Nosso blog entrou em contato com o DCE da Univasf e a UNE e aguarda resposta.

Confira a nota na íntegra

NOTA DE REPÚDIO AO CARTAZ DO EVENTO DEMOCRACIA NA BERLINDA: A OFENSIVA FASCISTA DO BRASIL

Com perplexidade que a comunidade policial foi surpreendida hoje com um cartaz de evento promovido pelo Diretório Central dos Estudantes da Univasf – DCE, União Nacional dos Estudantes – UNE e uma organização intitulada Tempo de Mudar.

LEIA MAIS

Associação de Policiais e Bombeiros da Bahia realiza 1ª corrida de 5 Km em Juazeiro

(Foto: Arquivo)

A Associação de Policiais e Bombeiros e de seus familiares do Estado da Bahia (ASPRA), realiza no próximo no dia 22 deste mês de julho uma corrida de 5 Km pelas ruas de Juazeiro (BA). A saída dos atletas está marcada para às 8h, da rua do Paraíso, próximo a sede da ASPRA.

Os corredores podem fazer a inscrição na sede da ASPRA regional Juazeiro, na rua Dr. José Araújo de Souza, 57, Santo Antônio, Juazeiro, até o dia 16 de julho, das 8h às 17h. Policiais, Bombeiros e dependentes de associado pagam R$ 25,00. Os demais atletas pagam R$ 30,00.

Serão premiados com dinheiro os três primeiros colocados na categorias feminino e masculino. Os Kits com camisa, numeração e boné serão entregues na sede da ASPRA entre os dias 17 e 20 de julho. O regulamento está disponível na sede e pode ser solicitado por e-mail.
Contato: (74) 3612-4750 / 98101-1750 / e-mail: [email protected]

Com ameaça de greve da PM, Governo convoca Força Nacional para ocupar as ruas

O Governo do Estado já traçou a estratégia caso a greve seja deflagrada na próxima quarta (27).  Paulo Câmara já teria solicitado apoio da Força Nacional/Imagem ilustrativa

O Governo do Estado já traçou a estratégia caso a greve seja deflagrada na próxima quarta (27). Paulo Câmara já teria solicitado apoio da Força Nacional/Imagem ilustrativa

 

Em reunião na Secretaria de Defesa Social (SDS), nesta segunda-feira (25), comandantes dos batalhões da Polícia Militar foram informados que o Governo do Estado já traçou a estratégia caso a greve seja deflagrada na próxima quarta (27). O governador Paulo Câmara já teria solicitado apoio da Força Nacional – repetindo medida adotada pelo ex-governador João Lyra Neto, na greve de maio de 2014. Apesar da pressão por conta do aumento da violência, o Governo não deve ceder ao pleito dos militares, que pedem reajuste salarial de 16,5%.

De acordo com o presidente da Associação de Praças, Policiais e Bombeiros Militares de Pernambuco (Aspra), José Roberto Vieira, há dois anos a categoria não tem reajuste salarial. Por isso, com base na inflação dos anos de 2014 e de 2015, foi solicitada a correção de 18,5% nos salários. “Também estamos pedindo ao Governo que forneça equipamentos de qualidade para que o policial possa trabalhar com segurança”, afirmou.

Na quarta-feira à tarde, acontece mais uma rodada de negociações entre representantes das associações de militares e com o Governo do Estado.

Com informações do JC online