Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Orla Nossa: Prefeitura avança com ações de revitalização do Velho Chico em Petrolina

As baronesas retiradas passarão pelo processo de compostagem, transformando-se em adubo.

O projeto “Orla Nossa”, em Petrolina (PE) – que teve início em 2017 com o desenvolvimento de diversas ações das obras de revitalização do trecho urbano do Rio São Francisco – segue em mais uma etapa com a fiscalização dos pontos de despejo de esgoto in natura. Além disso, algumas baronesas estão sendo retiradas na Orla 1.

Técnicos observaram nas últimas semanas, em um trecho da Orla I, o extravasamento de ligações clandestinas de esgoto que tinham como destino o São Francisco. As equipes da prefeitura, através da Agência Municipal do Meio (AMMA) estão investigando a origem desse esgoto para, assim, autuar os responsáveis.

“Nesse momento, estamos promovendo uma manutenção do ‘Orla Nossa’. A proposta é manter a circulação da água para garantir a navegabilidade e uso pessoal. Logo em seguida retomaremos o processo de oxigenação da água. Não podemos esquecer que essa situação é resultado de anos de descaso com o Velho Chico”, afirma o Diretor-presidente da AMMA, Geraldo Miranda.

Ações

As ações do ‘Orla Nossa’ já removeram mais de 3.500 toneladas de sedimentos das águas do Rio São Francisco e aumentou mais 500% a oxigenação da água. As baronesas retiradas passarão pelo processo de compostagem, transformando-se em adubo. O projeto é resultado da parceria entre a AMMA, Secretaria de Infraestrutura, Mobilidade e Serviços Públicos (SEINFRA), Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (SEDURBS) e Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano (IF Sertão-PE).

Em Petrolina, AMMA faz alerta a população sobre desprendimento de baronesas no Rio São Francisco

(Foto: Divulgação)

Nesta sexta-feira (08), alguns blocos da planta baronesa, presentes no Rio São Francisco, se desprenderam e estão descendo rio abaixo.  O deslocamento da vegetação ocorreu pela mudança de direção e velocidade dos ventos, além da queda da vazão da barragem de Sobradinho, que chega a marca de 550m³/s.

“Esse é um evento natural, que foi potencializado pela diminuição da vazão, Sobradinho nunca esteve numa vazão tão baixa. Por isso, deve-se redobrar a atenção, principalmente com a navegação, para que não ocorra nenhum acidente”, esclarece o diretor de Projetos da Agência Municipal do Meio Ambiente (AMMA), Victor Flores.

O diretor-presidente da pasta, Rafael Oliveira, explica que estão sendo tomadas todas as medidas possíveis para evitar algum incidente.  “Estamos monitorando os deslocamentos das baronesas através de barco e equipe de campo. Serão tomadas as medidas necessárias, para que se mantenha a segurança e para reforçar é necessário que a população que faz uso do rio tenha uma maior cautela nos próximos dias”, alerta.

Trabalhadores encontram corpo enquanto retiravam baronesas do rio

(Foto: ASCOM)

Durante a tarde desta quarta-feira (29), a equipe da Agência Municipal do Meio Ambiente (AMMA) encontrou o corpo de uma mulher submerso enquanto trabalhava na retirada das baronesas, no Rio São Francisco. O cadáver foi encontrado nas proximidades da Ponte Presidente Dutra.

Imediatamente, foi acionada a Guarda Civil Municipal (CGM), que realizou o isolamento até a chegada da Polícia Militar (PM) e do Instituto de Criminalística (IC). A Polícia irá investigar o caso.

Árvores de Petrolina recebem fertilizante produzido com as baronesas retiradas do rio São Francisco

Ao todo, 3,3 toneladas de composto foram utilizadas para adubar 550 árvores. (Foto: ASCOM)

As árvores da Avenida Monsenhor Ângelo Sampaio, uma das maiores de Petrolina, no sertão de Pernambuco, receberam, nesta sexta-feira (01), uma ajuda importante para voltarem a melhor forma.

Carente de nutrientes, devido ao solo pobre em matéria orgânica, a vegetação foi adubada pelas equipes de manutenção de praças e jardins da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (SEDURBS) com um composto orgânico produzido pela Agência Municipal do Meio Ambiente (AMMA) a partir das baronesas que foram retiradas através da ação do projeto de revitalização do rio São Francisco ‘Orla Nossa’, uma das bandeiras da gestão do prefeito Miguel Coelho.

O diretor de Projetos Ambientais da AMMA, Victor Flores, explica que além do composto orgânico, foi aplicada uma cobertura vegetal produzida do resto de poda das árvores da cidade. “Além de fertilizar, a aplicação do composto aliado a cobertura vegetal ajuda a reter a umidade na raiz das plantas, resolvendo um problema causado pelo clima seco do sertão. Dessa forma, até as árvores que já estavam quase morrendo vão conseguir se recuperar”, destaca Flores.

Melhor e mais barato

Em comparação com os compostos tradicionais, o utilizado pela Prefeitura de Petrolina é melhor e mais barato. O produto, rico em nutrientes, possui uma excelente relação entre carbono e nitrogênio, dentro dos parâmetros do Ministério da Agricultura.

LEIA MAIS

Em Petrolina, baronesas retiradas do São Francisco viram composto orgânico para praças e jardins da cidade

(Foto: ASCOM)

A partir desta sexta-feira (01), o trabalho de manutenção de praças e jardins realizado pela Prefeitura de Petrolina, no sertão pernambucano, vai ganhar um importante reforço. É que com uma técnica inovadora, a Agência Municipal do Meio Ambiente (AMMA) está transformando as baronesas que ficavam acumuladas nas margens do rio São Francisco em composto orgânico.

A ideia é que o material seja utilizado na fertilização do solo das praças e jardins do município. Por estarem bem carentes de nutrientes, as árvores localizadas na Avenida Monsenhor Ângelo Sampaio, no centro da cidade, vão ser as primeiras a receber o novo adubo.

Desde que foi lançado, em março deste ano como uma das principais bandeiras da gestão do prefeito Miguel Coelho, o programa de revitalização do rio São Francisco ‘Orla Nossa’, já retirou cerca de 2 mil toneladas de baronesas que estavam amontoadas nas margens do Velho Chico, em Petrolina.

Esse número, representa quase 60% do total estimado que era de 3,5 mil toneladas. Em vez de simplesmente jogar todo o material fora, a AMMA estabeleceu uma parceria com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano (IF Sertão-PE) e com a CTR-PE, responsável pelo aterro sanitário da cidade, para a produção do composto orgânico a partir das baronesas. Inicialmente, 5m³ de adubo foram feitos com sucesso.

LEIA MAIS

Parceria entre prefeitura de Petrolina e Exército pela revitalização do Rio São Francisco será formalizada hoje

Desde o dia 20 de março, a Prefeitura de Petrolina realiza o projeto Orla Nossa. A proposta é revitalizar e preservar o ecossistema do Rio São Francisco

Conforme já divulgado por este Blog, a prefeitura de Petrolina vai formalizar às 9 horas da manhã desta terça-feira (2), uma parceria com o Exercito Brasileiro para a revitalização do Rio São Francisco. O ato ocorre na sede do Círculo Militar, na Avenida Cardoso de Sá.

A parceria prevê a integração de soldados do 72º Batalhão de Infantaria Motorizado para ajudar na remoção das baronesas presentes na margem fluvial da cidade. Com uma oferta maior de mão de obra qualificada e equipamentos adequados, os serviços devem ser executados com maior agilidade e eficiência. A ideia é que o trabalho seja realizado até a conclusão da atividade inserida no Programa de Recuperação de Área Degradada (PRAD) de responsabilidade da Agência Municipal do Meio Ambiente (AMMA).

Projeto de revitalização da Orla de Petrolina conta com o apoio do 72º Batalhão de Infantaria Motorizado do Exército Brasileiro

(Foto: Divulgação)

O projeto Orla Nossa, contará a partir do dia 02 de maio, com soldados do 72º Batalhão de Infantaria Motorizado do Exército Brasileiro na remoção das baronesas presentes na margem fluvial da cidade.

O apoio do Exército Brasileiro ao projeto Orla Nossa foi definido em reunião realizada na última terça-feira (25) na sede da Secretaria de Infraestrutura, Habitação e Mobilidade de Petrolina, parceira do programa. Participaram do encontro o secretário Heitor Leite, o diretor-presidente da AMMA, Rafael Manoel de Oliveira Neto e o representante do 72º BIMtz, Capitão Queiroz.

A ideia é que o trabalho seja realizado até a conclusão da atividade inserida no Programa de Recuperação de Área Degradada (PRAD) de responsabilidade da Agência Municipal do Meio Ambiente (AMMA).

Petrolina: estudos técnicos são iniciados para retirada de baronesas do rio São Francisco

(Foto: ASCOM)

A Agência Municipal do Meio Ambiente (AMMA) de Petrolina (PE), em parceria com o  Instituto Federal do Sertão Pernambucano (IF Sertão-PE), iniciou nesta terça-feira (17) à primeira fase do projeto que vai resultar na retirada das plantas aquáticas conhecidas como “baronesas”, que tomam de conta das margens do rio São Francisco.

A primeira etapa contará com a ajuda de um barco para realizar o zoneamento das áreas com infestação de baronesas, além do georreferenciamento de uma área com 4km de extensão, entre o Iate Clube e o Porto da cidade. Dentro desse perímetro será realizada a coleta da vegetação e da água que serão analisadas nos laboratórios do IF Sertão-PE.

Todo o material recolhido nesta etapa servirá de base para o trabalho de retirada das plantas do rio. O processo de remoção deve ser iniciado em fevereiro. O estudo visa amenizar o impacto ambiental da retirada das baronesas. Para isso, estão projetando a contenção física e o controle biológico das plantas para que elas não voltem a se proliferar nas margens do Rio São Francisco.

Esgotos

Além do estudo ambiental, outra ação que busca a diminuição da poluição e da proliferação das baronesas será a eliminação do esgoto que é despejado no rio São Francisco. O diretor-presidente interino da AMMA, Manoel Rafael de Oliveira Neto, explica que um trabalho de fiscalização paralelo a uma parceria com a Compesa também será realizado para acabar com os pontos de despejo de esgoto no Velho Chico. 

LEIA MAIS

Chuvas aumentam nível do rio São Francisco e baronesas são arrastadas pela correnteza

Com elevados volumes de chuva de até 200 milímetros registrados nos últimos dias na metade centro-sul de Minas Gerais, incluindo a região da Serra da Canastra, o nível do rio São Francisco voltou a subir em vários municípios mineiros nas últimas horas.
Segundo informações do professor e meteorologista da UNIVASF Mário Miranda, a vazão do Rio São Francisco vai mais do que dobrar nos próximos 35 dias. A grande notícia é que a vazão do rio em Minas Gerais é de mais de 3500 m3/segundo, enquanto na Bahia está passando 1500 m3/segundo. Isso é resultado das fortes chuvas que estão ocorrendo na bacia do Rio São Francisco. Portanto, o volume de água que vai entrar na região de Sobradinho vai dobrar em relação à que passa hoje, que é de 1440 m3/segundo.

Nossa reportagem foi conferir de perto na localidade de Pedrinhas o aumento do nível do rio e constatou também que a correnteza está levando muitas baronesas. Confira o vídeo: