General Augusto Heleno diz que não vai ser vice de Bolsonaro

General Augusto Heleno. (Foto: Marcello Casal Jr./ABR)

Jair Bolsonaro chegou a afirmar, em evento público no interior paulista na noite de terça-feira (17), que até esta quarta-feira iria anunciar o nome do general da reserva do Exército Augusto Heleno como seu colega de chapa para Presidência da República, segundo relato feito pelo presidente do PSL em São Paulo, o deputado federal Major Olímpio.

Na manhã desta quarta-feira (18), em entrevista à Reuters, Augusto Heleno afirmou que o Partido Republicano Progressista (PRP) barrou a indicação dele para ser o candidato a vice na chapa por Bolsonaro, do PSL.

LEIA MAIS

Segundo CNI/Ibope, Bolsonaro aparece com 17% e Marina com 13% em cenário sem Lula

A pesquisa foi realizada entre os dias 21 e 24 de junho com 2 mil eleitores em 128 municípios. A margem de erro é de 2 pontos percentuais. (Foto: Internet)

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) aparece empatado tecnicamente com Marina Silva (Rede), segundo pesquisa do Ibope realizada em parceria com a CNI e divulgada nesta quinta-feira (28). Vale ressaltar que o cenário não considera a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

O parlamentar tem 17% das intenções de voto e Marina Silva tem 13%, o que configura empate técnico no limite da margem de erro. Ciro Gomes (PDT) aparece com 8% e Geraldo Alckmin (PSDB) tem 6%. Já o índice de brancos e nulos é de 33%.

Em um cenário com Lula, o petista aparece com 33% das intenções de voto, Bolsonaro com 15%, e Marina Silva fica em terceiro lugar, com 7%. Ciro Gomes e Geraldo Alckmin empatam com 4%.

Rejeição

Os pré-candidatos com maior rejeição são justamente os que aprecem na frente, com exceção de Marina Silva. Jair Bolsonaro tem 32% e Lula 31%. Geraldo Alckmin tem 22% de rejeição, enquanto Marina Silva tem 18%.

Ciro Gomes afirma que Bolsonaro representa a “cultura do ódio”

(Foto: Arquivo)

Em entrevista à Rádio Jornal, o pré-candidato à Presidência da República pelo PDT, Ciro Gomes, voltou a criticar a política apresentado pela também pré-candidato Jair Bolsonaro. Além disso, Ciro lamentou a prisão do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva.

“Está caindo na minha frente uma responsabilidade histórica. Bolsonaro representa a cultura do ódio, um risco explosivo que precisa ser combatido”, afirmou.

Posteriormente falou sobre a situação atual e o governo do ex-presidente Lula. “Sofro muito com o que está acontecendo. O menor desemprego foi 2013, 40 milhões de pessoas saíram da miséria e o salário mínimo subiu”.

Com Lula preso, Bolsonaro lidera corrida pela presidência

Sem Lula, Bolsonaro lidera pesquisa eleitoral.

O Instituto Paraná Pesquisas, em parceria com o Jornal do Brasil, realizou uma pesquisa e apurou as intenções de votos dos brasileiros para presidência nas eleições deste ano.

Com o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva preso e fora da disputa, Jair Bolsonaro lidera com 20,5% das intenções de voto, mais de oito pontos à frente da candidata Marina Silva, que aparece em segundo com 12%, atrás dos eleitores que declararam votar em ‘nenhum’ dos candidatos, com 17,5%.

Em um cenário que considera o ex-presidente candidato, Lula lidera absoluto com 27,6%. Bolsonaro aparece em segundo com 19,5%. Os eleitores que votam em ‘nenhum’ candidato representam 9,6% nesse cenário.

LEIA MAIS

Bolsonaro critica procuradora-geral da República durante entrevista em programa de TV

(Foto: Internet)

Pré-candidato à Presidência da República pelo PSL, o deputado Jair Bolsonaro (RJ) criticou a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, em entrevista à TV Bandeirantes.

Ao apresentador José Luiz Datena, ele rebateu o conteúdo de denúncia por racismo apresentada contra ele pela PGR e disse que tem “imunidade total” para se expressar.

A procuradora-geral da República apresentou ao Supremo Tribunal Federal (STF) uma denúncia contra o pré-candidato por racismo praticado contra quilombolas, indígenas, refugiados, mulheres e LGBTs.

De acordo com a denúncia, em uma palestra no Clube Hebraica do Rio de Janeiro, em abril de 2017, Jair Bolsonaro, em pouco mais de uma hora de discurso, “usou expressões de cunho discriminatório, incitando o ódio e atingindo diretamente vários grupos sociais”.

LEIA MAIS

Apoiadores de Bolsonaro fazem carreata em Petrolina e Juazeiro durante o fim de semana

Cerca de 300 pessoas, segundo os organizadores, se reuniram no fim da tarde do último sábado (14), na Associação de Moradores do bairro Areia Branca, em um ato de apoio a pré-candidatura do deputado federal Jair Bolsonaro à presidência da República.

De acordo com o Coronel da reserva do Exército Brasileiro, Helvétius Marques, um dos coordenadores do evento, esse foi um momento para reorganizar a equipe ‘O Vale está com Bolsonaro’, um grupo que realiza ações em apoio ao deputado do PSL.

“O nosso objetivo aqui é reunir as pessoas de bem que sonham com um país melhor, que desejam que esse país volte aos trilhos. O maior objetivo foi alcançado. Conseguimos reunir pessoas de bem, que vão trazer cada vez mais seus amigos para que a gente alcance esse sonho. Uma nação melhor, mais próspera e unida”, disse o Coronel.

O vereador petrolinense, Gabriel Menezes, que é do mesmo partido de Jair Bolsonaro, esteve presente no encontro, mas disse que estava lá apenas como convidado e não como pré-candidato a deputado estadual. Bolsonaro não compareceu e nem enviou representante.

Depois de alguns discursos na sede da Associação, os apoiadores de Bolsonaro saíram em carreata pelas ruas de Petrolina. Passaram pela avenida São Francisco, no bairro Areia Branca, pelo o bairro José e Maria, Orla e atravessaram a ponte Presidente Dutra em direção a Juazeiro.

Na cidade baiana, passaram pela rodovia BR 407, Lagoa de Calu, avenida Adolfo Viana e Orla da cidade. A carreata chamou a atenção de alguns curiosos. Veja o vídeo da carreata em Petrolina.

Procuradora Geral da República denuncia Bolsonaro por crime de racismo durante palestra

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, apresentou na quinta-feira, 12, ao Supremo Tribunal Federal (STF) uma denúncia contra o deputado federal e pré-candidato do PSL à Presidência da República Jair Bolsonaro (RJ) por racismo praticado contra quilombolas, indígenas, refugiados, mulheres e LGBTs. O filho do deputado, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) também foi denunciado, por ameaçar uma jornalista.

De acordo com a denúncia, em uma palestra no Clube Hebraica do Rio de Janeiro, em abril de 2017, o deputado federal, em pouco mais de uma hora de discurso, “usou expressões de cunho discriminatório, incitando o ódio e atingindo diretamente vários grupos sociais”.

Na peça, a procuradora-geral avalia a conduta de Bolsonaro como ilícita, inaceitável e severamente reprovável. “A conduta do denunciado atingiu bem jurídico constitucionalmente protegido e que transcende a violação dos direitos constitucionais específicos dos grupos diretamente atingidos com a suas manifestações de incitação ao ódio e à discriminação para revelar violação a interesse difuso de toda sociedade, constitucionalmente protegido”, escreve Raquel.

No documento, Raquel ressalta que a Constituição Federal garante a dignidade da pessoa, a igualdade de todos e veda expressamente qualquer forma de discriminação. Se condenado, Bolsonaro poderá cumprir pena de reclusão de 1 a 3 anos. A procuradora-geral pede ainda o pagamento mínimo de R$ 400 mil por danos morais coletivos. No caso de seu filho, a pena prevista – de um a seis meses de detenção – pode ser convertida em medidas alternativas, desde que sejam preenchidos os requisitos legais.

Em relação a Eduardo Bolsonaro, a PGR afirma que, por meio do aplicativo Telegram, o deputado enviou várias mensagens à jornalista Patrícia de Oliveira Souza Lélis dizendo que iria acabar com a vida dela e que ela iria se arrepender de ter nascido.

O parlamentar escreveu ainda diversas palavras de baixo calão com o intuito de macular a imagem da companheira de partido: “otária”, “abusada”, “vai para o inferno”, “puta” e “vagabunda”. A discussão ocorreu depois que Eduardo Bolsonaro postou no Facebook que estaria namorando Patrícia Lélis, que nega a relação. Além de prints das conversas que comprovam a ameaça, a vítima prestou depoimento relatando o crime.

A pena mínima estabelecida a Eduardo é de um ano de detenção, ele pode ser beneficiado pela Lei de Transação Penal, desde que não tenha condenações anteriores, nem processos criminais em andamento.

Se cumprir as exigências legais, a proposta de transação penal é para que Eduardo Bolsonaro indenize a vítima, pague 25% do subsídio parlamentar mensal à uma instituição de atendimento a famílias e autores de violência doméstica por um ano, além de prestação de 120 horas de serviço à comunidade. De acordo com a PGR, o relator do caso no STF é o ministro Roberto Barroso.

Defesa

O deputado se defendeu dizendo que não quis ofender ninguém. “Se faz brincadeira hoje em dia, tudo é ódio, tudo é preconceito. Se eu chamo você de quatro olhos, de gordo, não tô ofendendo os gordos do Brasil. Eles querem fazer o que na Alemanha já existe: tipificar o crime de ódio. Pra mim pode ser, e pra você pode não ser”, disse o parlamentar. “Tanta coisa importante pro Brasil, pro Judiciário se debruçar e vai ficar em cima de uma brincadeira dessa. É a pessoa que eu fiz a brincadeira que tem de tomar as providências. A vida segue”, comentou o deputado.

Fonte: NMB

Bolsonaro grava vídeo convidando petrolinenses para evento em Petrolina

O pré-candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) fez um vídeo ao lado de Sílvio Nascimento, vice-presidente do PSL em Pernambuco e pré-candidato ao governo do estado, convidando os petrolinenses para o evento “encontro com os amigos de Bolsonaro” neste sábado (14), às 15h30.

No vídeo, Bolsonaro afirma que não poderá comparecer ao encontro, mas diz que será “um evento inesquecível”. Sílvio Nascimento reforçou o convite ao lado do presidenciável. “Você é nosso convidado. Forme uma caravana e todo mundo em Petrolina”, disse.

Mudança de local

Após ameaças por meio das redes sociais, os organizadores do evento decidiram mudar o local do encontro, já que crianças e idosos também estarão presentes. Previsto para acontecer na Orla, o evento será realizado na Associação de Moradores da Areia Branca, em frente ao Bodódromo.

Encontro

As despesas do evento serão cobertas com valores doados voluntariamente pelos participantes do grupo, assim como a organização do evento. Segundo os organizadores, esse tipo de apoio tem sido registrado em todo o país. Alguns pré-candidatos ao Congresso Nacional devem comparecer ao evento, além de algumas surpresas que só serão reveladas no dia 14.

Carreata “Lula na Cadeia” reuniu centenas de pessoas em Petrolina

Na noite da última terça-feira (03), simpatizantes do pré-candidato à presidência da República, Jair Bolsonaro, realizaram a carreata “Lula na Cadeia” em Petrolina (PE). Diferente do que foi noticiado, não se tratava de uma mobilização pró-Bolsonaro.

Centenas de pessoas participaram da carreata que percorreu várias ruas da cidade. Um vídeo gravado por um dos participantes da mobilização mostra diversos carros promovendo um “buzinaço”.

LEIA TAMBÉM

URGENTE: Moro decreta prisão de Lula que deve se apresentar à PF nesta sexta

Segundo organizadores da carreata, o manifesto foi projetado de última hora e, diante da pouca divulgação, surpreendeu pela quantidade de participantes. Além disso, o movimento foi uma forma dos simpatizantes de Bolsonaro se conhecerem para o movimento organizado para o próximo dia 14 deste mês.

O advogado juazeirense Wank Medrado pode se filiar ao PSL de Bolsonaro e sair candidato a governador da Bahia

(Foto: Redes Sociais)

O advogado e professor universitário Wank Remi Medrado que já foi candidato a prefeito de Juazeiro (BA) pelo o PRP, candidato a deputado estadual pelo o PV e candidato a vice-prefeito pelo MDB, agora pode mudar de sigla mais uma vez.

Corre a boca pequena nas vielas da política juazeirense que o advogado está com um pé no PSL, partido no qual, o deputado federal Jair Bolsonaro se filiou recentemente e lançou a pré-candidatura a presidência da República.

Com a definição do nome de ACM Neto (DEM) a pré-candidato ao governo da Bahia, várias agremiações resolveram também começar a se definir.

Há quem diga que Antônio Vasconcelos, o Toninho, deixou o PROS e está de volta ao PSL, que poderá ter candidatura própria ao governo do estado da Bahia e um dos nomes mais cotados para encabeçar a chapa é do juazeirense Wank Medrado.

Filho de Jair Bolsonaro convoca petrolinenses para evento em apoio ao seu pai na Orla

Os eleitores de Jair Bolsonaro, deputado Federal e pré-candidato à Presidência da República no Brasil, têm se mobilizado em vários lugares do país para mostrar o seu apoio ao parlamentar. Após patrocinar outdoor’s em Petrolina – demonstrando apoio ao pré-candidato, os eleitores de Bolsonaro da região planejam realizar um encontro na Orla da cidade.

O deputado Federal Eduardo Bolsonaro, filho de Jair Bolsonaro, enviou um vídeo à página do Facebook “Petrolina apoia Bolsonaro”, que conta com mais de mil seguidores, convocando os apoiadores do seu pai para o encontro, intitulado “encontro com os amigos de Bolsonaro”, que está marcado para acontecer no dia 14 de abril, às 16h. “Está aqui a nossa felicitação, os nossos votos de sucesso para o grupo ‘Petrolina apoia Bolsonaro'”, disse Eduardo.

As despesas do evento serão cobertas com valores doados voluntariamente pelos participantes do grupo, assim como a organização do evento. Segundo os organizadores, esse tipo de apoio tem sido registrado em todo o país. Alguns pré-candidatos ao Congresso Nacional devem comparecer ao evento, além de algumas surpresas que só serão reveladas no dia 14.

Como o encontro não é uma forma de campanha política fora de época, ninguém da família Bolsonaro vai comparecer no evento, já que isso poderia atrapalhar a candidatura de Jair Bolsonaro.

Em Brasília, Gabriel Menezes confirma candidatura a Deputado Estadual e apoio a Bolsonaro

Gabriel confirmou apoio a Bolsonaro para presidente.

O vereador Gabriel Menezes (PSL) confirmou com exclusividade ao nosso blog que será candidato a Deputado Estadual em Pernambuco. O parlamentar esteve em Brasília na noite dessa quarta-feira (07) a convite do Deputado Federal Luciano Bivar (PSL), que foi candidato à presidência da República pelo Partido Social Liberal (PSL) nas eleições de 2006.

Gabriel participou da cerimônia de filiação do pré-candidato à presidência da República Jair Bolsonaro e garantiu que irá apoia-lo. Segundo o vereador, que aproveitou para conhecer a Câmara dos Deputados e o Senado Federal, essa viagem para Brasília foi justamente para confirmar essas definições.

Bolsonaro lidera corrida eleitoral em cenário sem Lula, afirma Datafolha

Uma semana após ter condenação por corrupção passiva e lavagem de dinheiro confirmada por unanimidade na segunda instância no caso envolvendo um apartamento tríplex no Guarujá (SP), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva mantém liderança na corrida eleitoral, com intenções de voto inalteradas. Conforme mostra pesquisa Datafolha, divulgada na manhã desta quarta-feira (31), o líder petista tem entre 34% e 37% da preferência do eleitorado, dependendo do cenário considerado.

O ex-presidente vem seguido pelo deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ), com taxa entre 16% e 18%. Logo atrás, aparece um bloco de candidatos encabeçado pela ex-senadora Marina Silva (Rede), com a preferência de algo entre 8% e 10% dos eleitores, acompanhada pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), com 6% ou 7% dos votos. Ciro Gomes (PDT), tem 7% dos votos em todas as situações com Lula em que sua candidatura é considerada, e, juntamente com o tucano, está tecnicamente empatado com nomes como o do senador Álvaro Dias (Podemos), com 3% ou 4%, Joaquim Barbosa (sem partido), com 5% no único em que o ex-ministro do STF é avaliado, e o apresentador de televisão Luciano Huck, com 6% — também considerado apenas em um dos cenários com Lula na disputa.

A pesquisa indica que Lula mantém força eleitoral mesmo com os episódios negativos recentes. Nas situações de segundo turno em que seu nome é considerado, o líder  petista continua vencendo todos os adversários: o governador Geraldo Alckmin, por 49% a 30%; a ex-senadora Marina Silva, por 47% a 32%; e o deputado Jair Bolsonaro, por 49% a 32%. Em todos os casos, a oscilação da pontuação de Lula não superou a margem de erro de dois pontos percentuais para cima ou para baixo.

Em um cenário sem Lula na corrida presidencial, quem herda a liderança é o deputado Jair Bolsonaro, o que já vinha sendo indicado nas últimas pesquisas. O ex-capitão aparece em primeiro lugar no principal cenário sem o ex-presidente, com 18% das intenções de voto, superando Marina Silva (Rede), com 13%, Ciro Gomes (PDT), com 10%, Geraldo Alckmin (PSDB) e Luciano Huck (sem partido). O ex-governador e o apresentador de televisão aparecem tecnicamente empatados com 8% das intenções de voto cada, o que reforça a sombra de Huck sobre o tucano, mesmo com as reiteradas negativas do apresentador em participar da disputa.

Apesar de liderar em eventual corrida sem Lula, o deputado federal parou de crescer, oscilando negativamente em todos os quadros apresentados na pesquisa, em comparação com levantamento feito em novembro. Tal movimento também se registra nos cenários de segundo em que Bolsonaro é considerado candidato. Ele seria derrotado tanto por Lula (49% a 32%), quanto pela ex-senadora Marina Silva (42% a 32%). O Datafolha fez 2.826 entrevistas em 174 municípios entre os dias 29 e 30 de janeiro. A margem de erro máxima prevista é de dois pontos para mais ou menos, considerando um intervalo de confiança de 95%. Isso significa que, se a pesquisa fosse repetida sob as mesmas condições, a chance de os resultados estarem dentro da margem de erro prevista seria de 95%. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral com o número BR 05351/2018.

Lula lidera em Pernambuco com 63%. Bolsonaro é o segundo, diz pesquisa

(Foto: Ilustração)

Pesquisa divulgada nesta sexta-feira (26), pelo Instituto Múltipla de Pesquisa, conferindo intenções de voto para as eleições nacionais de 2018, aponta que o ex-presidente Lula venceria as eleições com folga em Pernambuco.

A pesquisa foi registrada no TSE sob o número BR 06041/2018 e no TRE com o número PE 08043/2018.

No estado, Lula tem a preferência de 63% dos eleitores. Jair Bolsonaro aparece com 11,8% em segundo. Marina Silva (REDE) tem 5,5%. Ciro Gomes e Geraldo Alckmin (PSDB),2,3% cada. Álvaro Dias tem 1,2%. A comunista Manuela Dávila, 0,3%. Brancos, Nulos e Nenhum somam 8%. Não souberam/Não opinaram: 2,6%.

Rejeição: Jair Bolsonaro é o mais rejeitado, com 48,3% que não votariam nele de jeito nenhum. Geraldo Alckimin foi citado por 46%. Já 40,7% disseram que não votariam em Ciro Gomes de jeito nenhum.

Quando perguntada, a população também indicou rejeição alta a Álvaro Dias (39,5%), Marina Silva (36,8%) e Manuela Dávila (33,5%). Lula é rejeitado por 16,8% do eleitorado.

Transferência de Lula: O Múltipla perguntou caso Lula não seja candidato, se o eleitor votaria em um nome apoiado por ele. Para 40,2% a resposta foi de que votaria com certeza. 22,7% disseram que sim, “dependendo do candidato”. E 36% não votariam em um candidato apoiado por Lula de jeito nenhum.

Os números são similares quando é perguntado se o eleitor votaria em um candidato a governador apoiado por Lula: Para 40,5% a resposta foi de que votaria com certeza. 23,2% disseram que sim, “dependendo do candidato”. E 35,5% não votariam em um candidato apoiado por Lula de jeito nenhum.

Temer: já o presidente Michel Temer não é um bom cabo eleitoral para nenhum candidato. Ao todo, 93% disseram não votar em um candidato de Temer de jeito nenhum. Acreditem 1,8 disseram que votariam com certeza no candidato do peemedebista e 4,5% votariam talvez, dependendo do candidato.

Foram ouvidas 600 pessoas entre 18 e 22 de janeiro. Utilizou-se o método de amostragem estratificada proporcional de conglomerados selecionados com probabilidade proporcional ao tamanho (PPT) em 03 estágios.

A amostra foi composta por 600 entrevistas aplicadas na população que tenha título de eleitor, more e vote no Estado de Pernambuco e distribuída da seguinte forma: Região Metropolitana 42,2%, Zona da Mata 14,6%, Agreste 25,2 e Sertão 18,0%.

Em vídeo nas redes sociais, Bolsonaro sugere que Lula pedirá asilo à Etiópia caso seja condenado dia 24 de janeiro

Um dos principais adversários do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na disputa de outubro, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC) usou as redes sociais para dizer que o petista estaria planejando morar na Etiópia para se livrar de uma eventual punição, caso seja condenado em segunda instância pelo caso do Triplex no Guarujá.

Em um vídeo divulgado em suas páginas, o presidenciável afirma que uma autorização para assessores de Lula viajarem para o país africano foi publicada no Diário Oficial da União de segunda-feira (16).

“Lula despacha assessores para a Etiópia a partir do dia 23 de janeiro, como expõe publicação do Diário Oficial da União de (15.01.2018) Pediria asilo numa possível condenação?”, questiona. o parlamentar explica que os ex-presidentes têm direito a assessores e seguranças.

“O Lula não precisa de autorização para sair do Brasil, é um cidadão como outro qualquer. Agora o curioso: o julgamento do mesmo ocorrerá dia 24. Estaria Lula preparando uma saída estratégica temendo uma condenação via TRF4?”, questiona Bolsonaro. Veja o vídeo.

Viagem com retorno marcado

Em seu site, o ex-presidente Lula confirmou a viagem, mas informou que ela estava marcada desde outubro do ano passado e tem data de retorno. Segundo a nota, Lula foi convidado pela União Africana para um evento em sua sede em Adis Abeba, junto com outros dois ex-presidentes: John Kufuor, de Gana, e Olasegun Obasanjo, da Nigéria.

O debate será sobre combate à fome na áfrica e tem como objetivo promover políticas públicas para acabar com o problema no continente até 2025. “A viagem já tinha sido divulgada para a imprensa no ano passado, já é de conhecimento público faz tempo. O evento é no dia 27 de janeiro e no dia seguinte o ex-presidente retorna ao Brasil”, informa o Instituto Lula.

Lula será julgado pelo Tribunal Regional Federal (TRF4) no próximo dia 24 pelo suposto recebimento de propina da OAS por meio de um apartamento Triplex no Guarujá. O petista sustenta que o imóvel não é dele.

123