Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Jacobina: chuva alaga Centro e vários bairros da cidade, Defesa Civil analisa danos

(Foto: Reprodução/Augusto Urgente)

Jacobina (BA) amanheceu debaixo d’água nessa quinta-feira (14). O município registrou uma forte chuva no começo da manhã, que deixou vários bairros alagados. Há relatos de deslizamentos de terra e desabamento de teto de alguns imóveis.

As escolas municipais ficaram fechadas em consequência da chuva. Segundo a Defesa Civil uma mulher foi arrastada pela água, mas foi socorrida e liberada. Ela não teve ferimentos e sua identidade não foi relevada.

A Defesa Civil informou à população que está monitorando a situação e avaliando os prejuízos estruturais. “Orientamos a todos, que cuidados básicos são necessários, sobre tudo evitar lixo próximo a esgotos e bocas de lobo. Estamos trabalhando com o apoio da Guarda Civil Municipal de Jacobina, atendendo por meio do 153”, informa a nota publicada pela Prefeitura. Com informações do G1 Bahia e Bahia Notícias.

Chuva em Pernambuco deve continuar pelas próximas semanas, segundo Apac

Petrolina também registrou chuva na quarta-feira (Foto: Blog Waldiney Passos)

A previsão é de mais chuva no Estado de Pernambuco até a próxima semana. A previsão da Agência Pernambucana de Águas de Clima (Apac) é que o fenômeno responsável por essa precipitação está longe de se dissipar e trará mais chuva para as cidades.

O chefe de meteorologia da Apac, Patrice Oliveira explicou que as fortes precipitações que vêm acontecendo no fim das noites e início das manhãs é resultado de um aquecimento do oceano Atlântico Sul. “As águas do Oceano Atlântico Sul estão com aquecimento acima de sua média. Com isso há maior evaporação, formam-se mais nuvens e os ventos transportam essa nebulosidade do oceano para o continente. É normal continuar essa chuva”, disse Oliveira.

Chuva acumulada

Os dados colhidos pela Apac apontaram os municípios com maior índice de precipitação acumulada. No Sertão, Orocó teve 91,30 mm de chuva, já Floresta 83,21 mm até a quarta-feira (6). Na Região Metropolitana, Olinda somou 81,83 mm e no Recife, entre as 21h de terça (5) e às 9h de quarta, choveu 74,4 mm o esperado para 15 dias. Com informações da Folha de Pernambuco.

Morador do Portal da Cidade fica na bronca com a Celpe

Moradores criticam problemas no fornecimento de energia (Foto: Reprodução)

Que a chuva é bem-vinda no Sertão isso é fato. Contudo, na última semana em consequência dela os petrolinenses passaram por alguns problemas no pós-chuva. Alguns bairros ficaram sem luz sem explicação aparente e um morador do bairro Portal da Cidade está na bronca com a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe).

Segundo Lairton Augusto, comunitário do bairro o problema é constante: basta chover para cair a energia na comunidade e o poder de reação da Celpe é lento. “É uma repetição do que sempre ocorre quando acontece chuvas, por mais leve que seja. Imploramos à Celpe que adote providências no sentido de rever a rede para não cair sempre que ocorre precipitações”, contou à produção do Blog.

Falta luz

Ainda de acordo com o comunitário, os moradores registraram o problema na chuva de segunda-feira (28) e de sábado (2) e nos dois casos a situação somente foi normalizada por volta das 14h. Nossa equipe também apurou que o problema se repete nos bairros Jardim Maravilha, Jardim Guararapes, Distrito Industrial e parte do Gercino Coelho.

Em contato com a Celpe desde ontem nossa equipe ouviu por telefone um representante da companhia que disse estar analisando os bairros citados, para assim identificar o que está ocasionando as quedas e buscar soluções.

Após chuvas, moradores do Maria Auxiliadora chamam atenção para árvore que está prestes a cair

Foram apenas dois dias com chuva na região, mas os estragos causados pela ventania de segunda-feira passada (28) e sábado (2) ainda podem ser vistos pelas ruas de Petrolina. Árvores tombaram e outras estão prestes a tombar, como é o caso de um eucalipto no bairro Maria Auxiliadora.

Moradores de um condomínio entraram em contato com o Blog Waldiney Passos para fazer um clamor. A árvore deveria ter sido removida há alguns anos, mas apesar de haver autorização da Agência Municipal de Meio Ambiente (AMMA), a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) não compareceu para desligar a energia, de acordo com a comunidade.

O problema ganhou outras proporções e hoje pela manhã alguns galhos caíram nos veículos estacionados no condomínio. Por sorte ninguém estava no estacionamento na hora. “Já tivemos muitos acidentes com essa árvore e agora está em iminência de desabar. Só vão olhar quando acontecer uma tragédia?”, questionou uma moradora.

Outro lado

Nossa produção entrou em contato com a Prefeitura de Petrolina. De acordo com o município a remoção de árvores no período de chuva está sendo realizada pela Defesa Civil em conjunto com a Secretaria-executiva de Serviços Públicos.

“O cidadão deve registar a demanda na Central de Operações da Guarda Civil para que a Defesa Civil possa ir ao local vistoriar”, informou a Prefeitura. Caso seja identificado o risco, a SEINFRA é autorizada a remover a árvore. A solicitação pode ser feita por telefone ou pessoalmente.

Chuva e ventos fortes: teto de posto de combustível desaba no distrito de Ibó, em Abaré

Teto de posto de combustível desaba no distrito de Ibó em Abaré (Foto: Reprodução/ WhatsApp)

A chuva e os fortes ventos que surpreenderam a população de Petrolina (PE) e Juazeiro (BA), no início da tarde desta segunda-feira (28), atingiram também a cidade de Abaré (BA). No distrito de Ibó, zona rural do município, o teto de um posto de combustível desabou.

Uma foto está circulando nas redes sociais como sendo de um posto de gasolina de Juazeiro ou de Petrolina. Porém, a produção do Blog Waldiney Passos entrou em contato com o estabelecimento e apurou que o fato aconteceu no distrito de Ibó.

A gerência do posto disse que não estava autorizada a passar maiores detalhes do ocorrido. Ainda não se sabe se alguém ficou ferido, nem o o valor do prejuízo.

Apac emite alerta de chuva forte para o Sertão

(Foto: Blog Waldiney Passos)

Assim como o Laboratório de Meteorologia da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) já vinha prevendo chuvas no Natal em Petrolina e região, a Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) emitiu hoje (24) um alerta de chuva forte no Sertão.

LEIA TAMBÉM:

Pode chover no Natal, segundo previsões do Laboratório de Meteorologia da Univasf 

De acordo com a Apac a véspera de Natal pode ser marcada por chuvas moderadas a fortes no Sertão do Araripe, Central e do São Francisco. Regiões como Ipubi registraram em 24 horas 87 milímetros, 116% acima da média esperada para dezembro.

Segundo o meteorologista da Apac Fabiano Prestrelo, essas chuvas são causadas por um vórtice ciclônico de altos níveis. “[Esse fenômeno] tem formato de ciclone e fica na parte mais alta da atmosfera. Está bem deslocado para o oeste do Estado e a borda é que provoca mais chuva e está sobre o Sertão”, destacou.

Com informações da Folha de Pernambuco

Bodocó: principal desvio que dá acesso à PE-545 será interditado nesta terça devido ao volume de chuvas

O alto volume de chuva nos últimos quatro dias em Bodocó (PE) fez com que o desvio às margens da Ponte Sobre o Rio Pequi, principal acesso da PE-545, fosse comprometido.

Com o objetivo de avaliar a situação e definir ações a serem tomadas, representantes de órgãos e esferas competentes se reuniram na tarde dessa segunda-feira (10) na sede da Promotoria de Justiça de Bodocó. Em comum acordo foi definido que o desvio sobre a ponte fosse interditado a partir das 7h da manhã desta terça-feira (11).

A medida foi adotada como forma de prevenção para evitar possíveis acidentes no local devido aos riscos, uma vez que foram registrados sinais de bastante insegurança aos motoristas e pedestres que trafegaram pelo local.

LEIA MAIS

Após chuvas, lamaçal atrapalha locomoção de moradores em Izacolândia 

As chuvas dos últimos dias têm trazido alento aos sertanejos, mas também agravaram alguns problemas antigos especialmente na zona rural de Petrolina. No Distrito de Izacolândia as estradas se transformaram em um lamaçal, dificultando a mobilidade dos moradores.

“Depois das chuvas os moradores estão sofrendo com as ruas cheias de lama, principalmente na Rua Vila Maria e Vila São Pedro, dificultando a ida e vinda do moradores nas ruas citadas. Esse descaso é muito recorrente”, disse Antônio Paulo, que é morador do distrito.

Nossa produção entrou em contato com a Prefeitura de Petrolina, mas até o momento não tivemos retorno a respeito da demanda apresentada pelo leitor. O espaço do Blog continua aberto aos esclarecimentos.

Alto volume de chuva traz prejuízo para produtores de uva do Vale do São Francisco

Em seis dias de precipitação, produtores calculam prejuízos que já chegam a R$ 7 milhões. (Foto: ASCOM)

A tão esperada chuva chegou, mas o volume de água foi acima do esperado. Na zona rural de Petrolina (PE), produtores de uva calculam os prejuízos, que, em seis dias de precipitação, já chegam a R$ 7 milhões e uma perda de 650 toneladas da fruta. Os pomares estão molhados, trabalhadores parados e os produtos perecendo.

Segundo cálculos do Sindicato dos Produtores Rurais do município (SPR), feitos a partir dos relatos dos fruticultores, há a estimativa de que 35% da produção de uva que estava pronta para colheita tenha sido comprometida com a chuva, que registrou uma média de 90 milímetros nas regiões de fazendas. “A maioria das variedades de uva não suporta tanta água”, comenta o gerente executivo da entidade, Flávio Diniz.

Flávio explica que os prejuízos dos últimos seis dias se concentram nas frutas que seriam colhidas para o consumo interno durante o Natal. Mas as consequências podem se estender para o próximo ano. “Os produtores já vêm se preparando há algum tempo para a safra 2019.1, só que a uva tem um ciclo, ela obedece a tratos culturais. E por conta da chuva poderá existir uma redução de produtividade”.

LEIA MAIS

Meteorologista da APAC alerta para ocorrência de chuvas neste fim de semana em Petrolina e região

(Foto: Internet)

Desde ontem (06), o Sol voltou a aparecer em Petrolina (PE). Porém, as previsões indicam mais chuva pelo menos até o fim de semana para a cidade e região. Só no último domingo (02), em 24h choveu 33, 3 milímetros em Petrolina, mais da metade do esperado para todo o mês de dezembro.

No Programa “Super Manhã” da Rádio Jornal, o meteorologista da Agência Pernambucana de Águas e Clima (APAC), Romilson Ferreira, explicou o motivo dessa variação climática: “O sistema continua atuando, nós temos um vórtice ciclônico de ar superior e a atuação da zona de convergência do Atlântico Sul, as duas estão combinando e causando muita instabilidade na região, “disse.

LEIA MAIS

Chuva dá trégua e prefeitura retoma obras de pavimentação em Petrolina

(Foto: ASCOM)

Aos poucos, as equipes da Prefeitura de Petrolina (PE) estão retomando as obras de pavimentação por todo o município. O serviço só pode ser realizado quando não chove e por isso os últimos dois dias mais secos, depois de fortes chuvas registradas, serviram para o retorno das atividades que integram o programa ‘Petrolina CRESCE’.

Os trabalhadores da Secretaria de Infraestrutura, Mobilidade e Serviços Públicos (SEINFRA) retomaram as obras de pavimentação nas Rua João Calvino, no bairro São José, onde o serviço está na fase de implantação do sistema de drenagem, na Avenida dos Tapuios, que divide os bairros São Gonçalo e Rio Corrente e que já recebe as primeiras camadas de pavimento, o que também ocorre em cinco ruas do Sítio São João, na zona rural de Petrolina. Com o tempo firme, também foi possível concluir a pavimentação asfáltica da Rua Formosa, no bairro Gercino Coelho.

De acordo com o secretário-executivo de Infraestrutura, Anderson Freire, a Prefeitura de Petrolina está comprometida em entregar as obras de pavimentação o mais rápido possível. “Cada dia a mais de serviço deve ser aproveitado considerando a grande expectativa que a população tem em torno do maior programa de pavimentação da história de Petrolina que o prefeito Miguel Coelho está realizando. A chuva é sempre muito bem vinda aqui no sertão, não podemos reclamar, por isso temos que aproveitar cada dia de estiagem para acelerar o ritmo das nossas obras”, destaca Freire.

Petrolina: previsão é de mais chuva para os próximos dias

(Foto: Blog Waldiney Passos)

Desde o início deste mês, a população de Petrolina (PE) tem sido surpreendida com a ocorrência de chuva na cidade, bem como com o volume de água. Só no último domingo (02), o Laboratório de Meteorologia da Univasf (LabMet) registou 33, 3 milímetros, mais da metade do esperado para todo o mês de dezembro.

De acordo com informações do Instituto Climatempo, para os próximos dias, a previsão é de mais chuva na cidade. Nesta quinta-feira (06) as temperaturas variam entre a mínima de 22° e a máxima de 33°, a manhã deve ser de Sol e aumento de nuvens, com pancadas de chuva à tarde e à noite. O volume de chuva pode atingir a marca dos 10 milímetros.

Na sexta-feira (07) o dia em Petrolina, também deve ser de Sol e aumento de nuvens, com previsão de pancadas de chuva à tarde e à noite. As temperaturas variam entre a mínima de 23° e a máxima de 35°. Segundo o Climatempo, o volume de chuva deve ser de 6 milímetros.

Laboratório de Meteorologia da Univasf explica alto índice de chuva na região

(Foto: Blog Waldiney Passos)

Desde ontem (02), a população de Petrolina (PE) está sendo surpreendida com o volume de chuva registrado na cidade. No domingo (02), em 24h, o Laboratório de Meteorologia da Univasf (LabMet) apontou 33,3 milímetros de água na cidade. Até o próximo dia 10 de dezembro, a previsão é de chuva para Petrolina e região.

De acordo com o LabMet, a chuva de domingo superou a metade do que estava previsto para todo o mês de dezembro, que é de 60 milímetros. Ainda segundo o laboratório, o ano de 2018 tem se mostrado dentro da climatologia, mas a expectativa é que no último mês do ano a incidência de chuva na cidade sertaneja, seja um pouco acima da média.

Sobre o período chuvoso da região, o laboratório da Univasf informa que as chuvas de primavera e verão costumam ter início a partir do mês de novembro. Entretanto, a ocorrência destas chuvas em Petrolina e Juazeiro (BA), atrasou um pouco, sendo computadas agora no início de dezembro. 

LEIA MAIS

Serra Talhada: chuva acima do esperado provoca prejuízos

(Foto: Reprodução/WhatsApp)

A forte chuva de segunda-feira (26) em Serra Talhada, Sertão pernambucano provocou uma série de prejuízos aos moradores e comerciantes. Isso porque entre ontem e hoje (27) choveu 131% mais do que o esperado para todo o mês de novembro.

De acordo com a Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac), a chuva de ontem foi de 64 mm, quando em novembro a agência esperava 27,7 mm. Com a força das águas ruas e calçadas ficaram destruídas, como no bairro Cohab.

Previsão do tempo

Na internet é possível encontrar vídeos de moradores registrando a forte chuva de ontem. Ruas ficaram alagadas e algumas pessoas estão desabrigadas. Para hoje a previsão do tempo, segundo o Climatempo, é de chuva a qualquer hora do dia, com ventos que podem chegar a 47 km/h.

Defesa Civil

A Prefeitura de Serra Talhada divulgou dois canais de comunicação para que os moradores entrem em contato com a Defesa Civil e busquem apoio durante o período de chuvas. A população pode acionar o poder público pelos seguintes números: (87) 99626-2505 (Ouvidoria) ou (87) 99608-3139 (Defesa Civil).

Com informações do Leia Já e G1/PE

Famílias do João de Deus prejudicadas com as chuvas recebem atendimento da prefeitura de Petrolina

Famílias se encontram em situação de risco após chuvas. (Foto: ASCOM)

Famílias que vivem em áreas de invasão no João de Deus, em Petrolina (PE), foram visitadas por equipes da prefeitura municipal na manhã dessa quarta-feira (17). A chuva que caiu nesses dias deixou algumas famílias em situação de risco.

Após o levantamento das necessidades e conversa com os líderes comunitários da área, medidas emergenciais para auxiliar as famílias que moram no local serão tomadas, a exemplo da doação de lonas e limpeza do canal que passa por trás da invasão.

O cadastramento dessas famílias no programa “Minha Casa, Minha Vida” também está sendo feito pela equipe de Habitação da Sedurbs e pelo Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) do João de Deus.

LEIA MAIS
123