Ronaldo Silva solicita construção de unidades de saúde e escolas no Vivendas e Nova Petrolina

As Indicações 1190/2019 e 1189/2019, que previam as solicitações, foram aprovadas por unanimidade, com 18 votos favoráveis. (Foto: Blog Waldiney Passos)

O vereador Ronaldo Silva solicitou, nessa terça-feira (08), durante sessão ordinária na Câmara Municipal de Petrolina, através de Indicação, a implantação de uma unidade básica de saúde, um Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) e uma escola nos bairros Vivendas e Nova Petrolina.

De acordo com a justificativa do parlamentar, a população das comunidades que o procurou e pediu a construção das unidades. “A população clama pela implantação desses itens para a melhoria no atendimento na região e maior comodidade, já que as famílias se obrigam a deslocar-se para outros bairros quando necessitam de atendimentos”, disse.

Ronaldo Silva faz solicitação para construção de UBS e CMEI no Park São Gonçalo

(Foto: Blog Waldiney Passos)

Durante a sessão ordinária desta quinta-feira (13), na Câmara Municipal de Petrolina, o vereador Ronaldo Silva solicitou, por meio de indicação, a construção de uma Unidade Básica de Saúde (UBS) e um Centros Municipais de Educação Infantil (CMEI) no bairro Park São Gonçalo.

Segundo o parlamentar, a solicitação para implantação e funcionamento da UBS “é para atendimento da população residente na localidade e em suas proximidades, devido às dificuldades dos moradores em buscar atendimento médico na sede da cidade”.

Sobre o CMEI, Ronaldo afirmou que o bairro “necessita da implantação de uma creche, diante da situação econômica financeira, pois muitas mães precisam trabalhar para ajudar no orçamento familiar”.

CMEI do N-5 é arrombada, Prefeitura de Petrolina afirma que implantará sistema de monitoramento na unidade

Criminosos levaram objetos e danificaram unidade (Foto: Reprodução/WhatsApp)

Vândalos invadiram o Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Osório Leonidas Siqueira, localizado no Projeto Senador Nilo Coelho – Núcleo 05, durante o final de semana. Imagens que circulam nas redes sociais mostram o estrago feito na estrutura do prédio e em objetos da unidade.

Em nota a Prefeitura de Petrolina afirmou que a secretaria de Educação está tomando todas as medidas legais sobre o fato. “Na manhã desta segunda-feira (22), a coordenação da unidade procurou a polícia para prestar um boletim de ocorrência”, informou a gestão municipal.

Ainda segundo a pasta, foram levados um liquidificador, facas e merenda dos estudantes. Depois dessa ação criminosa a Educação adiantou que o CMEI do N-5 passará a contar com “sistema de monitoramento de segurança já existente em outras unidades de ensino”.

Confira a seguir a nota da Prefeitura de Petrolina:

LEIA MAIS

Estrutura da entrada de CMEI no N7 preocupa mãe de aluna, SEDU afirma que engenheiro fará vistoria amanhã (7)

(Foto: Arquivo Pessoal)

O Blog recebeu uma denúncia sobre a entrada do CMEI Joaquim Sebastião de Souza, no Projeto Senador Nilo Coelho – Núcleo 07, zona rural de Petrolina.

A mãe de uma estudante enviou fotos sobre a situação da parede onde se localiza o portão da unidade. É possível identificar problemas na estrutura e muitos pais têm ficado receosos, com medo de a parede cair.

Em resposta ao nosso questionamento, a Secretaria de Educação (SEDU) de Petrolina informou que nesta terça-feira (7) um engenheiro será enviado à unidade, para averiguar a situação e executar os danos.

Menor suspeito de roubar CMEI do bairro Antônio Cassimiro é apreendido pela Guarda Municipal

(Foto: Ilustração)

O Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) do bairro Antônio Cassimiro foi alvo de uma ação criminosa na segunda-feira (30), mas agentes da Guarda Civil Municipal (GCM) conseguiram apreender um menor apontado como responsável pela arrombamento.

A Guarda Municipal chegou até o menor depois de ouvir relato de moradores. O adolescente de 16 anos foi apreendido em sua residência, onde foram encontrados objetos levados no roubo: uma panela de pressão, um ventilador e um pacote de biscoitos.

Ele foi encaminhado à Delegacia de Polícia Civil do bairro Ouro Preto. Segundo uma moradora que entrou em contato com o Blog, a unidade já havia sido arrombada há 15 dias, teria sido alvo de um novo arrombamento no final de semana e na manhã de ontem.

Secretária destaca investimentos na educação infantil de Petrolina

(Foto: Ascom/PMP)

A secretária interina de Educação de Petrolina, Larissa Soeiro participou na manhã dessa terça-feira (15) do programa Super Manhã, da Rádio Jornal. Durante a entrevista, ela falou sobre os investimentos do município na rede municipal de ensino.

De acordo com Larissa, desde o início da gestão de Miguel Coelho a Prefeitura conseguiu destravar R$ 52 milhões em convênios travados no Governo Federal. “Nós encontramos a Prefeitura Municipal de Petrolina com 52 milhões de convênios travados e desses 52 milhões, 41 milhões já foram destravados. Aproximadamente 15 milhões são referentes às novas 10 creches“, destacou a secretária.

Novas unidades de CMEIs

As novas creches seguem o padrão do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), com uso de verba federal e algumas já tiveram obras iniciadas, a exemplo da Vila Eulália e Antônio Cassimiro. Fernando Idalino Bezerra, Henrique Leite, Vila Marcela, Loteamento Padre Cícero e Nova Petrolina também terão novas Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI).

LEIA MAIS

Construção de CMEI na Vila Marcela é iniciada

(Foto: Ascom)

As obras do Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) do bairro Vila Marcela foram iniciadas na noite da quinta-feira (10). O prefeito Miguel Coelho autorizou o início da construção, durante um ato simbólico que reuniu moradores da Vila Marcela e do Loteamento Recife II.

Acompanhado do senador Fernando Bezerra Coelho e do deputado federal Fernando Filho, Miguel destacou os investimentos para a execução da obra. Serão investidos R$ 1,2 milhão e em 10 meses a CMEI deve estar concluída. “Essas novas creches irão ampliar ainda mais a capacidade de atendimento na primeira infância. Saltamos de 14 mil matrículas para 17 mil alunos matriculados no CMEI e Nova Semente em apenas um ano. Isso mostra o compromisso de nosso governo com a formação das crianças de Petrolina”, disse o prefeito.

A CMEI da Vila Marcela se soma as do Antônio Cassimiro, Henrique Leite e Vila Eulália, também já iniciadas. A unidade é de alto padrão e contemplará 250 crianças da Vila Marcela e Loteamento Recife II com seis salas, fraldário, espaço de amamentação, lactários, jardins, horta, área administrativa e sanitários.

Ato simbólico marca início da construção da CMEI da Vila Marcela

(Foto: Divulgação)

O bairro Vila Marcela será a próxima comunidade a ser contemplada com uma creche. O ato simbólico de início da construção da CMEI será realizada na noite desta quinta-feira (10), às 19h, no canteiro de obras, localizado na Rua 14.

Segundo a Prefeitura de Petrolina, além do prefeito Miguel Coelho, estarão presentes na solenidade o deputado federal Fernando Filho, vereadores e a comunidade dos dois bairros.

Na semana passada Miguel Coelho deu início às obras no bairro Vila Eulália. A obra da CMEI na Vila Marcela ficará numa área limítrofe ao bairro Loteamento Recife II.

Comunidade do N5, em Petrolina, ganha Centro de Educação Infantil

(Foto: ASCOM)

A comunidade do Núcleo 05 do perímetro irrigado Senador Nilo Coelho, zona rural de Petrolina (PE), recebeu nesta segunda-feira (9) um novo Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI). A unidade Osório Leônidas de Siqueira, tem capacidade para atender até 300 alunos do berçário II ao maternal II de forma integral, e pré I e II de forma parcial,  totalizando 12 turmas.

Ao total, são 19 ambientes: salas de aula, sala de leitura,  pátio, refeitório, banheiros, salas administrativas, cozinha, dispensa, área de banho e depósitos.

Na noite desta segunda-feira (9), durante a inauguração, que contou com a presença do prefeito Miguel Coelho e outras autoridades, foi feita a entrega dos kits pedagógicos para educação infantil da Rede municipal.

Com  investimento na ordem de R$ 1,6 milhão,  mais de 23 mil crianças serão beneficiadas com o kit que conta com livro, agenda, cd, livro da familia, cartazes e mochila. As autoras dos livros, Daniela Macambira e Gilvanira Freitas, da editora Aprender, participaram do evento.

Petrolina: moradores da Agrovila Massangano buscam apoio do Conselho Municipal de Educação para abertura de uma creche na comunidade

Reunião do conselho municipal de educação. (Foto: ASCOM)

Representantes da Agrovila Massangano, zona rural de Petrolina (PE) participaram de uma reunião nesta quarta-feira (28) do Conselho Municipal de Educação e pediram apoio para que o órgão construa um parecer favorável e encaminhe à Secretaria Municipal de Educação pedindo a mudança de CMEI para Nova Semente da Comunidade Rural.

De acordo com informações repassadas ao conselho, a creche deveria funcionar num prédio público que foi reformado pela comunidade com autorização do secretário de educação do Governo Júlio Lossio. Chegou a ser inaugurada pelo prefeito Miguel Coelho como CMEI, mas fechou em dezembro de 2017.

As nove professoras assumiram as dívidas da reforma e pagavam com parte dos salários, mas foram demitidas. 48 crianças estão sem creche. “Só nós sabemos o que elas passaram. Não é justo elas ficarem sem trabalho”, disse Hertizina Apolinário, líder comunitária.

A vereadora Cristina Costa (PT), que tem assento no conselho pela Câmara de Vereadores pediu à secretaria de educação cópia do novo convênio do Programa Nova Semente para entender as implicações do descredenciamento do CMEI para o credenciamento como Nova Semente.

“Como fica a estrutura financeira com essa mudança? É preciso avaliar a situação para assegurar que as crianças e nem a comunidade tenham prejuízos. Depois disse a gente tem base para construir o parecer do Conselho”. Explicou a vereadora

Além dos representantes do poder executivo na reunião, que garantiram que não há prejuízo pedagógico com a mudança de CMEI para Nova Semente, um dos membros pediu mais informações da comunidade sobre o processo de reforma do prédio e mobilização das famílias que defendem a mudança para Nova Semente.

“É preciso mais corpo. A comunidade deve trazer um abaixo assinado com uma representação documental da comunidade”. Declarou Claudemiro Vilaça que é representante da Gerencia Regional de Ensino.

Na próxima segunda-feira, dia 02 de abril, nova reunião está marcada para que o Conselho possa votar a construção do parecer favorável ou não à mudança de CMEI para Nova Semente.

Secretaria de Educação de Petrolina rebate denúncia sobre falta de merenda em CMEI do Bairro Areia Branca

(Foto: Internet)

A mãe de uma criança atendida pelo o Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI), Washington Barros, que fica no Bairro Areia Branca, em Petrolina (PE), enviou denúncia ao blog afirmando que no último dia 26 de fevereiro, não teria acontecido aula, naquela unidade, por falta de merenda.

Ainda segundo a denunciante, após reclamação dos pais, no dia seguinte teria chegado o lanche para as crianças, mas ainda de acordo com a mãe, a alimentação só daria para uma semana.

Na manhã desta segunda-feira (05), a Secretaria de Educação enviou nota rebatendo as informações fornecidas pela a mãe da criança.

Segue a nota:

“A Secretaria de Educação de Petrolina esclarece que a informação veiculada sobre a falta de merenda escolar no Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Washington Barros, do bairro Areia Branca, não procede. 

Em relação à quantidade de alimentos, a Diretoria de Logística e Merenda informa que a unidade recebe o quantitativo necessário para suprir a semana de atividades, pois, neste ano, os CMEIs receberão os mantimentos da merenda semanalmente para  evitar problemas com alimentos vencidos e estoque ocioso”.

Mãe denuncia falta de merenda em CMEI de Petrolina

(Foto: Internet)

A mãe de uma criança que é atendida pelo o Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI), Washington Barros, localizado por traz da Escola Otacílio Nunes, que fica no bairro Areia Branca,  em Petrolina (PE), entrou em contato com o blog para denunciar a falta de merenda na unidade.

Segundo ela, no último dia 26 de fevereiro, não houve aula por falta de merenda. Após reclamações dos pais, no dia seguinte teria chegado o lanche para as crianças, mais ainda de acordo com a mãe só daria para uma semana.

Revoltada a mãe enviou e-mail a nossa redação dizendo:

Como mãe não vou me calar pois uma criança para ter um bom desenvolvimento na escola deve estar sempre bem alimenta dada. Não basta a instituição esta precisando de uma reforma que todos os gestores que passaram não fizeram e o prefeito ao invés de verificar e visitar as instituição que precisão de reforma não, vai é construir mais 10 novas unidades de creche e as outras que se vire ao caia por cima de quem trabalha lá. Espero que o meu desabafo surta efeito resolva os problemas da Creche  citada a cima”, concluiu.

Reunião entre Secretaria de Educação e professoras da Agrovila Massangano termina sem acordo

(Foto: Blog Waldiney Passos)

Um grupo de professoras da Agrovila Massangano se reuniu com a secretária de Educação (SEDU), Larissa Soeiro, nessa sexta-feira (2), para discutir a situação do Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) da comunidade.

Segundo informações repassadas pela assessoria de comunicação da SEDU ao nosso Blog no final dessa tarde, a reunião terminou sem acordo entre as partes. Desde a segunda-feira (26), moradores e antigas professores do CMEI deram início a um protesto e proibiram a entrada das novas professoras no prédio.

LEIA TAMBÉM:

Vereadores saem em defesa de ex-professoras do CMEI da Agrovila Massangano

Moradores da Agrovila Massangano, em Petrolina, continuam protestando contra troca de professores

Na sessão da quinta-feira (1º), as professoras estiveram na Casa Plínio Amorim, para solicitar apoio dos vereadores nas negociações com o município. As docentes alegam que foram estimuladas pela antiga gestão, a reformar o prédio do CMEI com dinheiro próprio e hoje, estão endividadas e sem a garantia de lecionar na creche.

Vereadores saem em defesa de ex-professoras do CMEI da Agrovila Massangano

Ex-professoras do CMEI da Agrovila Massangano. (Foto: Blog Waldiney Passos)

As professoras que trabalhavam no Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI), da Agrovila Massangano, em Petrolina (PE), estiveram no plenário da Casa Plínio Amorim, na Sessão desta quinta-feira (1) e pediram que os vereadores intercedam junto ao prefeito Miguel Coelho, para resolver o problema pelo o qual elas estão passando.

Desde segunda-feira (26), as professoras que tiveram seus contratos temporários encerrados e moradores da comunidade realizam manifestações, pedindo que o município assuma uma dívida no valor de pouco mais de 14 mil reais que elas contraíram quando trabalhavam na creche, porque realizaram uma reforma no prédio, incentivadas pela a gestão anterior.

O acordo, segundo as professoras, era que elas reformassem a creche, pagassem com o dinheiro do próprio salário e com dinheiro arrecadado em eventos organizados pela comunidade, e em contrapartida, o contrato de trabalho seria renovado. O valor total da reforma foi pouco mais que 19 mil reais.

Mas após a conclusão do serviço, as professoras, com a ajuda dos moradores, pagaram cerca de 4 mil e 500 reais. Só que, o candidato do ex-prefeito Júlio Lossio foi derrotado na eleição para prefeito e a gestão do Novo Tempo, encerrou os contratos dos professores temporários no fim de 2017. Agora, as ex-professoras da Agrovila Massangano, que não foram aprovadas no novo processo seletivo, estão sem emprego e com mais de 14 mil para pagar.

Uma professora, que preferiu ocultar seu nome, disse que a principal reivindicação é o pagamento da dívida pelo o município.

“Já que a secretaria já tem suas professoras, que foram aprovadas na seleção e nós ficamos apenas classificadas, e pelo o jeito eles não vão nos contratar, o prefeito precisa assumir essa dívida. Porque o acordo feito, foi para que a gente pagasse trabalhando. Mas como é que vamos pagar agora, desempregadas?”, questionou a professora.

O vereador Ronaldo Silva (PSDB), se comprometeu em levar a situação ao prefeito Miguel Coelho, para juntos, encontrar uma solução.

“Eu, o vereador Gaturiano Cigano e Aero, ajudamos vocês a construir aquela unidade. E estamos juntos com vocês desde o primeiro grito de socorro. Eu e Gaturiano estivemos segunda-feira lá na agrovila, até quase meia noite ouvindo vocês e vou procurar o prefeito Miguel Coelho. Não se preocupem que o que der pra vocês, dar pra nós também”, garantiu o Ronaldo Silva.

Já o vereador Aero Cruz (PSB), disse que marcou uma reunião com a Secretária de Educação, para ser realizada na manhã desta sexta-feira (2), para tentar resolver o problema.

“Se precisar iremos até o prefeito Miguel Coelho. Vamos juntos procurar a melhor maneira possível para que a gente resolva essa situação”, disse o vereador Aero.

Os vereadores da oposição Gilmar Santos e Gabriel Menezes informaram que também vão participar da reunião com a Secretária de Educação.

Impasse entre pais da Agrovila Massangano e Secretaria de Educação de Petrolina persiste e as crianças continuam sem aula

(Foto: Blog Waldiney Passos)

A Secretaria de Educação de Petrolina (PE) e os pais da Agrovila Massangano não chegam a um acordo em relação ao funcionamento da Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) e as crianças continuam sem aula.

Desde segunda-feira (26), que os moradores daquela localidade realizam protestos contra a demissão das antigas professoras da comunidade, que tiveram seus contratos temporários encerrados. Os manifestantes colocaram um cadeado no portão do prédio onde devem acontecer as aulas e ninguém consegue entrar.

Hoje (28), eles fizeram nova manifestação, mas não apareceu ninguém da Secretaria de Educação para conversar.

Entre 2015 e 2016, as professoras que trabalhavam na época, motivadas pela a antiga gestão municipal, realizaram uma reforma no prédio e gastaram aproximadamente 19 mil reais, que seriam pagos com seus próprios recursos à medida que fossem recebendo seus pagamentos.

Com a ajuda da comunidade, chegaram a pagar ainda 5 mil reais, mas ainda resta cerca de 14 mil reais. O problema é que seus contratos, que eram temporários, não foram mais renovados pela nova gestão e elas não foram aprovadas no novo processo de seleção. Agora, elas dizem que não têm como pagar a dívida porque estão desempregadas.

A comunidade quer que o município assuma a dívida ou mantenha as antigas professoras nos cargos, para que elas continuem trabalhando para honrar o compromisso.

Entramos em contato com a Secretaria de Educação, mas até agora não tivemos uma posição sobre o assunto.

12