Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Em viagem a Brasília, Miguel Coelho solicita a ministro realocação de recursos para que a prefeitura assuma obras da bacia do Dom Avelar

Miguel reunido com ministro. (Foto: ASCOM)

Durante sua viagem Brasília, nesta semana, o prefeito de Petrolina Miguel Coelho esteve com o ministro das Cidades, Alexandre Baldy, para discutir a situação das obras de saneamento que deveriam estar em execução na bacia do Dom Avelar. O gestor municipal solicitou que os recursos em torno de R$ 38 milhões sejam transferidos para a Prefeitura de Petrolina realizar o trabalho que a Compesa decidiu não fazer.

Segundo Miguel, o financiamento federal está liberado desde o início deste ano, mas a companhia estadual optou por deixar o dinheiro parado por questões políticas. Diante da situação de inércia por parte da Compesa, o prefeito decidiu solicitar formalmente ao Ministério das Cidades para realocar os recursos para a prefeitura tocar as obras aguardadas por milhares de moradores que convivem com esgoto a céu aberto.

Miguel garante que existe amparo legal para reivindicar os investimentos e disse estar confiante no posicionamento do ministro Alexandre Baldy. “A gente percebe a inércia da Compesa em resolver o problema do Dom Avelar, do São Jorge, Antonio Cassimiro, Mandacaru dentre tantos outros bairros. Por isso, solicitei pessoalmente ao Governo Federal para que a Prefeitura possa contrair esse empréstimo e não precisemos mais depender da Compesa, e sim, fazer essa obra tão esperada pelos petrolinenses”, explicou o prefeito.

Em nota, Compesa afirma que ação de improbidade contra presidente não foi concluída pelo TCU

Roberto Tavares, presidente da Compesa é um dos citados pelo TCU (Foto: Arquivo)

O presidente da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), Roberto Tavares foi condenado por improbidade administrativa por supostas irregularidades em contrato para a construção do sistema Pirapama, que liga Recife, Jaboatão dos Guararapes e Cabo de Santo Agostinho.

Além de Roberto, o ex-presidente da Compesa, João Bosco de Almeida e a ex-diretoria de Engenharia, Ana Maria Torres também foram condenados pela 35ª Vara Federal de Pernambuco. O juiz Rodrigo Vasconcelos Coelho de Araújo apontou superfaturamento por sobrepreço e improbidade no processo licitatório.

A Compesa se manifestou a respeito da decisão por meio de uma nota oficial, afirmando que o Tribunal de Contas da União (TCU) fez uma auditoria ainda não concluída, não configurando decisão final do TCU sobre “as suspeitas relativas a eventual irregularidade no contrato”.

Na nota, a Companhia afirma ainda que técnicos competentes realizaram as cotações com base nos preços praticados no comércio, sendo os valores “apreciados e validados pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE)”. Confira a seguir a íntegra da nota da Compesa:

LEIA MAIS

Lojas de Atendimento da Compesa não funcionam nesta sexta-feira (12)

(Foto: Arquivo)

Nesta sexta-feira (12), dia do feriado nacional de Nossa Senhora Aparecida, todas as Lojas de Atendimento da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) estarão fechadas em todo o estado de Pernambuco. As unidades retomarão o funcionamento no sábado (13), no período das 8h às 12h, para oferecer serviços como emissão de segunda via da conta de água, solicitação de revisão de consumo, negociação de débitos e atualização de cadastro.

A Compesa ainda informa que apenas a Loja de Atendimento de Barreiros, cidade da Zona da Mata Sul, permanecerá fechada no sábado, em função dos trabalhos de manutenção interna da unidade. Os Expressos Cidadão também terão as atividades suspensas amanhã e retornarão ao funcionamento normal no sábado, no horário das 8h às 14 horas.

Os clientes ainda podem contar com o serviço de teleatendimento (call center) durante 24 horas, por dia. Reclamações sobre extravasamento esgoto e vazamentos serão recebidas pelo telefone 0800 081 0185, enquanto que para os demais serviços e informações os clientes devem ligar para 0800 081 0195.

Conta de água em Pernambuco deve ficar mais cara até o final do ano

Utilizando uma cobrança provisória de 2,78% nas contas de água desde maio, os pernambucanos devem se preparar para um aumento. A Agência de Regulação de Pernambuco (Arpe) aguarda um posicionamento da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) sobre o estudo de gastos, para revisar a previsão tarifária de 2018.

A Compesa havia solicitado o adiamento da revisão, mas deve apresentar até terça-feira (9) um estudo à Arpe sobre os valores. Em seguida uma audiência pública será convocada até o fim do ano, para enfim definir o reajuste. No entanto, a Agência já prevê que a conta fique mais cara.

Em maio, a companhia implantou a taxa provisória para corrigir a inflação medida pelo IPCA de 2017 (2,95%), mas tem imposto reajustes acima de 7%. Em 2015 o valor chegou a 12,24% e no ano passado, a 7,88%.

Compesa realiza obras de esgotamento sanitário em Petrolina

Ao todo, a empresa aplicou R$ 400 mil de recursos próprios nos serviços.

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) tem investido na ampliação do esgotamento sanitário de Petrolina (PE). No momento, duas obras para implantação de rede coletora e tratamento estão sendo realizadas na cidade.

Os bairros beneficiados são o Cidade Universitária, localizado na zona leste, onde vivem cerca de 700 pessoas, de acordo com a companhia, e o Alto do Cocar 2, situado na zona oeste. Ao todo, a empresa aplicou R$ 400 mil de recursos próprios nos serviços.

Segundo a Compesa, foram implantados quatro mil metros de rede coletora e condominial para atender a localidade. A expectativa é que até o fim deste mês de outubro o novo sistema de coleta e tratamento de esgoto esteja funcionando plenamente.

A obra do bairro Alto do Cocar II irá beneficiar cerca de 900 pessoas com serviços de coleta e tratamento de esgoto. Serão implantados quase quatro mil metros de redes coletoras e redes condominiais na localidade. “Continuamos investindo para que Petrolina atinja a meta de 100% de saneamento”, destaca o Gerente de Unidade de Negócios, João Raphael.

Investimentos em Petrolina

De acordo com o ranking divulgado pelo Instituto Trata Brasil, Petrolina foi a cidade brasileira que mais avançou na ampliação do serviço de esgotamento sanitário nos últimos anos, estando entre os 15 municípios brasileiros com melhores índices de cobertura de esgoto.

Compesa intensifica fiscalização contra ligações clandestinas na Adutora Maria Tereza

(Foto: Ascom)

Uma ação iniciada pela Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) na última quarta-feira (26) na Adutora Maria Tereza busca fiscalizar e coibir ações clandestinas no abastecimento de água. Segundo a Compesa, mais de 30 mil pessoas são beneficiadas em 180 km de extensão da adutora, em Afrânio e Dormentes, além de distritos da zona rural de Petrolina.

Nos últimos 30 dias dias, a Adutora Maria Tereza foi alvo de uma série de vandalismos, de acordo com a Compesa, o que provocou o aumento da ocorrência de vazamentos no sistema. Em consequência dessas ações, os distritos começaram a ficar sem água.

“Identificamos uma perda de 50% da vazão de água destinada ao abastecimento de Dormentes. É um grande volume de água que não está chegando na cidade, isso significa de alguma forma está sendo desviado. Por isso planejamos essa ação de fiscalização para vistoriar a adutora, identificar as ligações clandestinas e combater essas irregularidades que acabam prejudicando a população”, disse o gerente da unidade em Petrolina, João Raphael Queiroz.

Não há prazo para a conclusão do serviço, mas todo o percurso da Adutora será fiscalizado e reparado, afirma a Compesa. “Só iremos encerrar a ação quando vistoriarmos o último quilômetro da adutora. Não é justo a população ter o abastecimento de água prejudicado em função de ações de vândalos”, disse João Raphael.

Compesa diz que multa milionária aplicada pela prefeitura é infundada

Compesa afirmou que quantidade de bombas atende às necessidades durante o período dos serviços de manutenção. (Foto: ASCOM)

Após ser multada pela prefeitura de Petrolina em mais de R$ 2 milhões por apresentar irregularidades em estações de esgoto na cidade, a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) se manifestou e chamou de “infundada” a decisão da prefeitura.

De acordo com a companhia, todas as estações elevatórias de esgoto estavam em pleno funcionamento, com a coleta e tratamento dos dejetos sendo feitos da maneira adequada.

LEIA TAMBÉM

Compesa é multada em mais de R$ 2 milhões por irregularidades em estações de esgoto em Petrolina

Ainda segundo a Compesa, todos os esclarecimentos foram prestados durante a visita dos representantes da Agência Reguladora de Serviços Públicos do Município de Petrolina (ARMUP) às unidades operacionais de esgoto, acompanhados pelos técnicos da Compesa.

Além disso, a empresa garante que “a quantidade de bombas reservas existentes nas 30 estações que compõe o sistema de esgotamento sanitário de Petrolina são suficientes para atender as necessidades durante o período dos serviços de manutenção em algum equipamento”.

A Compesa afirmou ainda que, por considerar absurda a penalidade, irá recorrer judicialmente contra a prefeitura.

Compesa é multada em mais de R$ 2 milhões por irregularidades em estações de esgoto em Petrolina

Falta de bombas reservar causa poluição do meio ambiente, segundo diretor da ARMUP. (Foto: ASCOM)

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) foi multada em mais de R$ 2 milhões pela Prefeitura de Petrolina por irregularidades em estações de esgoto da cidade. Após inspeções, a Agência Reguladora de Serviços Públicos do Município de Petrolina (ARMUP) constatou que 13 estações de tratamento de esgoto estavam sem bombas reservas.

De acordo com Rubem Franca, diretor-presidente da ARMUP, a Companhia já havia sido notificada em junho deste ano para que se adequasse às normas estabelecidas e disponibilizasse bombas reservas para recolher esgotos brutos até as estações de tratamento. Ainda segundo o diretor, a ausência dos equipamentos resulta em poluição ambiental.

LEIA TAMBÉM

Prefeitura de Petrolina multa Compesa em quase R$ 800 mil por lançar esgoto em afluente do Rio São Francisco

Após multa milionária da AMMA, Compesa afirma que não despeja esgoto no rio São Francisco

“Esses equipamentos são importantíssimos para a segurança do sistema e para a preservação do meio ambiente, pois, como o próprio nome diz, entram em funcionamento quando a bomba principal sofre uma avaria ou é retirada para manutenção preventiva ou de rotina. Quando não há bombas reservas instaladas nas estações, os esgotos são lançados, via de regra, em um riacho mais próximo, afluente do Rio São Francisco ocasionando sérios danos ambientais”, disse.

Estações com irregularidades

De acordo com as fiscalizações, as irregularidades foram encontradas nas seguintes estações: Estação Elevatória da Vila Marcela, Jardim Amazonas, Ouro Preto, Jardim São Paulo, São Gonçalo, Colina do Rio, Dom Avelar Final, Dom Avelar III, Residencial Nova Vida I, João de Deus, Monsenhor Bernardinho, Rajada I e Rajada II, totalizando multa no valor de R$ 2.046.928,00.

LEIA MAIS

Compesa é notificada pela prefeitura para recuperar pavimento de duas vias de Petrolina

Rua José H. Gomes (Foto: ASCOM)

A Prefeitura de Petrolina (PE) notificou a Compesa nesta segunda-feira (24) para que a companhia realize a recuperação asfáltica de duas ruas da cidade: a Rua do Bambu, na Areia Branca, e a Rua José H. Gomes, no José e Maria, as quais receberam intervenções na rede de esgoto, mas não tiveram o pavimento recuperado pela empresa.

De acordo com a notificação, a Compesa tem 10 dias úteis, a contar desta terça-feira (25), para realizar a recuperação das vias. Caso não o faça, a companhia estará sujeita à multa e ainda a arcar com os custos dos serviços de manutenção que, neste caso, vão ser realizados pela Secretaria de Infraestrutura, Mobilidade e Serviços Públicos (SEINFRA).

O Diretor de Saneamento da SEINFRA, Igor Falcão, lembra que a notificação serve para garantir um direito do município. “Se a via estava inteira antes do serviço, é assim que ela deve ficar após qualquer intervenção, seja da Compesa, seja de qualquer ente particular. Por isso estamos atentos a esse tipo de situação para garantir que a prefeitura não pague a conta que é de responsabilidade de outros”, destaca Falcão.

Moradores do bairro Terra do Sul reclamam de vazamento de água, em Petrolina

Moradores do bairro Terra do Sul entraram em contato com o nosso blog para denunciar um vazamento de água que está incomodando a comunidade há dois dias.Segundo eles, um cano estourou, e logo que perceberam o vazamento informaram a Compesa, mas até o momento nada foi feito para solucionar o problema.

O cano está localizado na rua 10 do bairro, em frente à Igreja Assembleia de Deus, na Avenida que divide os bairros São Joaquim e Terra do Sul. Preocupados com o desperdício, os moradores esperam que a empresa responsável resolva a situação o mais rápido possível.

Em nota a Compesa informou que a localidade foi inserida no cronograma de serviços e que uma equipe técnica será enviada para realizar o conserto. A previsão é de que o vazamento seja solucionado em até 24 horas.

Compesa afirma que abastecimento em Rajada segue normalmente

Já são mais de 15 dias sem água nas torneiras das residências e os moradores do Distrito de Rajada continuam cobrando a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) sobre a falta d’água na região. O problema foi mostrado em nosso Blog na sexta-feira (14) e segundo leitores, nada mudou.

LEIA TAMBÉM:

Moradores de Rajada afirmam estar sem água há mais de 15 dias

Hoje (17) a Compesa informou através de nota que o abastecimento no local segue normalmente e que durante o final de semana. Ainda nessa segunda-feira todas as regiões de Rajada devem ser abastecidas, conforme o calendário para zona rural.

Confira a seguir a resposta da Compesa:

LEIA MAIS

Pela terceira vez, Compesa é campeã na premiação da Revista IstoÉ Dinheiro

Roberto Tavares recebendo o prêmio. (Foto: ASCOM)

Depois de Pernambuco ter sido destaque no Ranking de Eficiência dos Estados pela Folha de São Paulo, agora foi a vez da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) ser eleita, pela terceira vez, a melhor empresa do setor na premiação “As Melhores da Dinheiro”, da Revista IstoÉ Dinheiro, uma das revistas mais importantes do mundo dos negócios e economia no Brasil.

Na noite da última quinta-feira (13), o presidente da Compesa, Roberto Tavares, acompanhado de gestores da Companhia, recebeu o prêmio, durante a cerimônia realizada em São Paulo, em evento que homenageou as empresas com as melhores práticas de gestão no país. Na edição 2018 do prêmio, a Compesa também se posicionou como a melhor nos critérios de Governança Corporativa e Responsabilidade Social e, em segundo lugar, nos quesitos Sustentabilidade Financeira e Inovação.

“É com muito orgulho que recebemos mais um prêmio. É muito gratificante o sentimento do compromisso com a coisa pública e alcançar patamares nunca imaginados na Compesa. Todas essas conquistas foram possíveis graças ao apoio incondicional do Governador Paulo Câmara e a dedicação do corpo funcional da empresa, que lutam diariamente para prestar serviços de qualidade a 7 milhões de clientes”, afirmou Tavares.

O reconhecimento nacional e os resultados positivos se devem, principalmente, à continuidade da filosofia de gestão adotada pela companhia, pela decisão do governador Paulo Câmara em priorizar as políticas públicas de saneamento, com foco no longo prazo, voltadas para o avanço dos serviços em Pernambuco. A Compesa já tinha sido a vencedora nas edições 2015 e 2017 do prêmio.

Sobre a responsabilidade social da empresa, só no ano passado, a Compesa efetuou o plantio de 238.000 mudas florestais em diversas regiões do Estado, além de contribuir para a conscientização sobre o uso racional da água por meio de palestras e ações socioeducativas envolvendo as comunidades nas regiões mais castigadas pela seca e nas periferias dos centros urbanos. Além disso, em 2017, 15 unidades da companhia receberam a Certificação ISO 14.001/ 2015. A Compesa foi a primeira empresa de saneamento do Brasil a receber a certificação ISO 14.001 na versão 2015, selo que atesta à organização que o seu sistema de gestão ambiental está adequado e que é eficaz.

LEIA MAIS

Moradores de Rajada afirmam estar sem água há mais de 15 dias

(Foto: Reprodução)

Moradores do Distrito de Rajada estão há 15 dias sem água nas torneiras de suas residências e segundo os leitores que procuraram o Blog nessa sexta-feira (14), até o momento a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) não informou o motivo e nem deu um prazo para solucionar o problema.

A situação mais crítica vem sendo registrada nas ruas Antônio Vaz Filgueira e Rua Gabriel Moreira. “Tá terrível a situação aqui, aproveito o espaço do Blog para pedir essa ajuda”, disse uma leitora que preferiu não se identificar.

Procurada por nossa equipe, a Compesa informou estar ciente do problema e prestaria os esclarecimentos aos moradores de Rajada. No entanto, até o momento a companhia não nos retornou com as informações por nossa Redação.

Saneamento: Prefeitura de Petrolina planeja lançamento de edital para contratação de nova concessionária

(Foto: Ascom)

Petrolina deverá ganhar em breve uma nova concessionária para operar os serviços de água e esgoto na cidade. Pelo menos é o que espera a Prefeitura, que vem dialogando com empresas e elaborando um edital ainda sem prazo de divulgação.

De acordo com a gestão municipal, o edital será lançado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e os estudos contam com a participação de três empresas, incluindo. O diretor presidente da Agência Reguladora de Serviços Públicos do Município de Petrolina (ARMUP), Rubem Franca destaca a relevância desses estudos.

“Importante lembrar que a prefeitura está buscando formas de garantir o serviço de qualidade, por isso, a importância destes estudos para que a nova concessionária possa fazer os devidos saneamentos e expandir o abastecimento de água na nossa cidade”, disse.

Além dos representantes da Fundação Getúlio Vargas e da Prefeitura, a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) também visitaram as Estações de Tratamento de Água do Centro; Vitória e a  Estação de Tratamento de Esgoto do Jatobá e debateram a respeito dos serviços na cidade.

Peças arqueológicas são encontradas pela Compesa em obras no Sítio Histórico de Olinda

Peça encontrada durante a obra. (Foto: ASCOM)

Em pouco mais de dois meses de execução da obra de melhoria do abastecimento de água no Sítio Histórico de Olinda, vários vestígios arqueológicos já foram encontrados. As escavações revelaram achados como ornatos arquitetônicos, louças, azulejos e moedas do século 19.

Por se tratar de uma obra realizada dentro do perímetro de um sítio histórico, a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) realiza com muito cuidado um acompanhamento das atividades, com uma equipe de arqueólogos, seguindo a orientação técnica do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

“Precisamos acompanhar as áreas de intervenção da obra para verificar a existência de vestígios materiais, todos os dias, sempre que houver abertura de valas”, explica a arqueóloga Gleyce Lopes, informando que um dos requisitos para se executar a obra foi a elaboração do Projeto de Avaliação de Impacto ao Patrimônio Arqueológico.

Todos os materiais encontrados e coletados durante a obra do Olinda+Água no Sítio Histórico de Olinda pertencem à União – conforme disposto legal Art.175 da Constituição Federal – e ficarão sob guarda da Secretaria de Patrimônio, Turismo e Cultura de Olinda (Sepac).

123