Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Fernando Bezerra acredita que governo terá de 54 a 60 votos a favor da reforma no Senado

Fernando Bezerra Coelho disse que o Senado está trabalhando com um prazo de 45 dias, a partir da chegada da reforma, para que ela seja votada

O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), declarou nesta terça-feira (16) que espera concluir a votação da proposta de reforma da Previdência (PEC 6/2019) em dois turnos no Senado até o fim de setembro e que confia numa maioria de senadores favorável à aprovação.

— Nós trabalhamos com um prazo de 45 dias a partir da chegada da reforma aqui no Senado. Como ela ficou de ser votada em segundo turno na Câmara dos Deputados até o dia 7 ou 8 de agosto, a nossa expectativa é que a gente possa concluir a votação no Senado Federal até aproximadamente o dia 20 de setembro. Eu acredito que o governo deverá ter aqui entre 54 e 60 votos — disse.

O senador concorda com as alterações no texto a serem apresentadas na chamada PEC paralela, uma segunda proposta apresentada pelos senadores para incluir os servidores públicos estaduais e municipais na reforma da Previdência Social.

— Não dá para aceitar que a gente possa vir a ter 27 sistemas previdenciários distintos. Creio que é adequado viabilizarmos essa reforma previdenciária, que ela possa valer para a União, mas também para os estados e para os municípios brasileiros. São mais de dois mil municípios com regime próprio de previdência. Portanto, o Senado como Casa da Federação brasileira, deverá, sim, incluir os estados e os municípios na reforma da Previdência.

Com aval da bancada Fernando Bezerra topa ser líder de Bolsonaro

O senador pernambucano Fernando Bezerra Coelho (MDB) confirmou que está cotado para assumir a liderança do governo Bolsonaro no Senado

O senador Fernando Bezerra Coelho (MDB) está sendo convidado por integrantes próximos da presidência da República para ser o líder do governo Jair Bolsonaro no Senado. As negociações estariam bastante avançadas e na próxima segunda-feira ele terá uma reunião com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni.

Nos bastidores do governo, Fernando é visto como bom articulador e com capacidade de liderar a base aliada do governo em votações importantes que estão por vir, como, por exemplo, a Reforma da Previdência e o Pacote Anticriminalidade, apresentado pelo ministro da Justiça, Sérgio Moro, no início da semana.

O movimento pró-FBC se trata, ainda, de uma tentativa do governo de aproximação com a bancada do MDB, a maior do Senado, com 13 parlamentares.

O senador petrolinense disse que topa ser líder do governo Jair Bolsonaro na Casa, se o convite for formalizado. “Se houver convite, a gente vai aceitar sim”, afirmou FBC, ressaltando ter o aval da bancada para assumir o posto.

Se confirmado no posto, Fernando ganha a posição de principal interlocutor do estado com o governo federal, o que poderá trazer desdobramentos fortes em 2020 e 2022.

Senador Fernando Bezerra quer assinatura da duplicação de trecho da BR 428 até o final do ano

Durante a inauguração da primeira etapa da duplicação da Avenida Sete de Setembro na última sexta-feira (26), o senador Fernando Bezerra Coelho foi o primeiro a pleitear junto ao ministro dos Transportes Valter Casimiro a duplicação de quatro quilômetros da BR 428, saída para o Recife, no trecho que se estende da rotatória do antigo Trevo até o Posto Umburuçu.

A reivindicação foi reforçada pelo deputado Fernando Filho e por Miguel Coelho. O prefeito chegou a brincar afirmando que seu pai o teria antecipado no pedido.

Fernando Bezerra lembrou que ainda faltam mais de 60 dias do governo Temer e que neste período muita coisa pode ser feita.

Por fim, o ministro Valter Casimiro garantiu que voltará em breve à Petrolina para assinar a Ordem de Serviço para realização dessa obra tão sonhada também pelos petrolinenses.

Veja vídeo da fala de FBC

Senador Fernando Bezerra Coelho diz que tem garantia de R$ 13,6 milhões para Projeto Fulgêncio e Sistema Itaparica

(Foto: Ascom)

O senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) se reuniu nesta terça-feira (10) com o ministro da Integração Nacional, Antônio de Pádua Andrade, e afirma que garantiu a liberação de R$ 13,6 milhões do governo federal a perímetros irrigados de Pernambuco e da Bahia.

Deste total, R$ 3,6 milhões serão repassados à superintendência da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) em Petrolina (PE) para o pagamento de despesas com energia elétrica no Projeto Fulgêncio, em Santa Maria da Boa Vista (PE). E R$ 10 milhões serão destinados à manutenção do Sistema Itaparica de Irrigação, que abriga dez perímetros localizados nestes dois estados.

LEIA MAIS

Antônio Coelho, filho de Fernando Bezerra, deve disputar mandato de deputado estadual

Como já previsto o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB) deve mesmo apresentar dois nomes para disputar vagas à Assembléia Legislativa de Pernambuco (ALEPE): um deve ser o da vereadora Maria Elena, que deixou recentemente a pasta da Cultura, Turismo e Esporte para viabilizar sua pré-candidatura, o outro nome deve ser do filho Antonio Coelho, jovem de 22 anos, que entra na política seguindo os passos do irmão e atual prefeito de Petrolina Miguel Coelho, que foi eleito deputado estadual em 2014.

Se eleito, Antônio Coelho, graduado em Economia e Ciências Políticas pela Universidade de Nova York  (NYU), nos Estados Unidos, será o terceiro filho de Fernando Bezerra a entrar na vida pública.

Odacy Amorim e Fernando Bezerra lamentam morte de Armando Monteiro Filho

(Foto: Ilustração)

O senador Fernando Bezerra Coelho e o deputado estadual Odacy Amorim lamentaram por meio de nota o falecimento de Armando Monteiro Filho. Segundo o senador, “Armando Monteiro Filho foi um homem que mereceu todo nosso respeito e admiração. Um homem público absolutamente comprometido com as melhores causas, lutou uma vida inteira pela democracia e pelo Brasil. Deputado estadual e federal, foi ministro da Agricultura do ex-presidente João Goulart e candidato ao Senado na chapa de Miguel Arraes em 1994”.

Fernando ai falou sobre a importância de Armando para o estado. “Pai de família exemplar, jamais deixou de estar ao lado da esposa, dos filhos e dos parentes, mesmo com tantos afazeres na vida pública e empresarial. Seu legado não será apagado. Armando é parte fundamental da a história de Pernambuco. Minha solidariedade aos familiares e amigos, que possam encontrar conforto nesse momento de pesar”.

Odacy também lamentou a perda, “é com grande tristeza que recebo a notícia do falecimento de Armando Monteiro Filho, pai do senador Armando Monteiro Neto. Tratava-se de um homem admirável, empreendedor, e que fez muito pelo nosso estado. Como Ministro da Agricultura e Deputado Federal, Armando demonstrou todo o seu potencial e disposição ao contribuir para o desenvolvimento de Pernambuco. Apresento meus sinceros sentimentos a toda família e amigos. Que Deus conforte a todos”.

Fernando comemora decisão do Governo Federal que estende por mais um ano os benefícios do “Programa do Milho”

O Senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB) comemorou a decisão do Ministério da Agricultura em prorrogar até 31 de dezembro de 2018, o benefício concedido aos pequenos agricultores do Nordeste, no chamado “Programa do Milho”.

A resolução, publicada nesta sexta-feira (29), no Diário Oficial da União, amplia em um ano a venda de milho no balcão, o que na prática reduz pela metade o preço da saca para os produtores.

A medida é fruto de uma solicitação de Fernando Bezerra ao ministro da Agricultura Blairo Maggi, para sustentar o preço do grão mais barato, garantindo que os produtores possam continuar mantendo os rebanhos.

O “Programa do Milho” foi idealizado por Fernando em 2013, quando ele era ministro da Integração Nacional. Em 2016 Fernando Bezerra retomou os debates sobre o tema com o Governo Federal, iniciando uma série de reuniões com os ministérios da Agricultura, Fazenda e Planejamento.

Em fevereiro deste ano a implantação do programa foi anunciada em cerimônia no Palácio do Planalto.

“Esta decisão ajuda muito os pequenos produtores do Nordeste, que perderam a maior parte das suas criações após seis anos de seca e não tinham mais recursos para comprar as rações. Com o subsídio estendido, eles vão permanecer todo o ano de 2018 trabalhando, produzindo e gerando empregos. Esta é a nossa luta”, afirmou Fernando.

FBC diz que Jarbas fez seu discurso de despedida do PMDB

O senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB) respondeu às duras críticas feitas a ele e ao senador Romero Jucá, presidente nacional do PMDB, pelo deputado federal Jarbas Vasconcelos (PMDB). Para FBC, as declarações de Jarbas podem indicar a saída dele da legenda. “Pelo tom parece discurso de despedida, pois com as palavras usadas, a acidez e agressões, ele está inviabilizando sua permanência no partido”, afirmou em entrevista ao JC, nesta terça-feira (19).

Em um discurso na tribuna da Câmara, nesta terça-feira (19), no qual tentou defender a história e a força do partido em Pernambuco, Jarbas chegou a chamar Jucá de ‘crápula’. O posicionamento aconteceu logo após Romero Jucá aprovar, durante convenção nacional do partido, que o PMDB de Pernambuco deve sofrer intervenções. Através dessas mudanças, o comando da legenda no Estado passa das mãos de Raul Henry e Jarbas para o, agora peemedebista, Fernando Bezerra Coelho

“Quem é Romero Jucá para ameaçar o PMDB de Pernambuco? O PMDB de Pernambuco é um partido forte e atuante. Foi a secção estadual que mais cresceu nas últimas eleições municipais […] Não é a figura medíocre, desqualificada, mesquinha e desonrada desse senador Romero Jucá que vai nos amedrontar nesse momento”, discursou Jarbas Vasconcelos.

Com informações do NE10.

Fernando dialoga com lideranças do MST e anuncia liberação de recursos para adutora e estradas

Integrantes do MST recebem Fernando. (Foto: ASCOM)

O senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB) visitou neste final de semana os colonos do assentamento José Almeida, em Petrolina (PE). Ele dialogou com lideranças do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) sobre ações para fortalecimento do Programa Nacional de Agricultura Familiar (Pronaf).

Fernando anunciou a liberação de R$ 1 milhão para investimento em adutora de água e implantação de estradas na zona rural do município. Os recursos são frutos de emendas parlamentares do senador e vão beneficiar mais de cem famílias de Petrolina.

“Tive a oportunidade de ser secretário de Agricultura de Miguel Arraes e sei que é fundamental que possamos ter um olhar especial em relação aos pequenos agricultores. Temos que garantir as condições para que eles possam produzir e prosperar, gerando renda e também empregos”, disse.

Jarbas não deixará barato eventual dissolução do PMDB

O senador Romero Jucá deve preparar o lombo para levar pancada do deputado Jarbas Vasconcelos, caso consume o seu intento de dissolver o diretório do Pernambuco a fim de entregar o seu controle ao senador Fernando Bezerra Coelho. Este último já teve oportunidade de dizer que, “politicamente”, a questão está resolvida.

Isto é, ainda que perca a briga jurídica que está sendo travada numa Vara do Recife e em outra de Brasília, a executiva nacional do partido deverá sacramentar no próximo dia 17 o fim do seu “Conselho Político”, que é quem teria competência para intervir nos diretórios estaduais, embora nunca tenha se reunido para este fim.

Sendo assim, o que a executiva nacional decidir, estará decidido. E a maioria dos seus membros já teria tomado a decisão de afastar o vice-governador Raul Henry do comando do partido para entregá-lo ao senador petrolinense. A senadora Kátia Abreu (TO), expulsa do PMDB pelo Conselho de Ética (?) do partido na última quarta-feira, chamou Jucá de “canalha”, “crápula” e “ave de rapina”.

Mas como tem coro grosso e está acostumado a levar pancada, silenciou diante das críticas. É o que deverá fazer também se porventura for atacado por Jarbas e Raul Henry após a provável dissolução do diretório pernambucano.

Com informações da coluna Fogo Cruzado, do jornalista Inaldo Sampaio, Jornal Folha de Pernambuco.

“O que me uniu ao grupo de Fernando Bezerra foi o Projeto Pontal”, disse Guilherme Coelho

(Foto: Blog Waldiney Passos)

Durante o evento para anúncio de investimentos do Governo Federal no Projeto Pontal de Irrigação, nesta quinta-feira (30), o ex-deputado federal e suplente Guilherme Coelho (PSDB) afirmou que o motivo de ter se unido ao grupo do senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB) foi a continuidade do Pontal.

“Se vocês me perguntassem o que me uniu politicamente ao grupo do senador Fernando Bezerra, foi o Projeto Pontal. Em conversa com o senador eu disse: senador todo mundo vai perder uma guerra na vida, que é a morte. Mas meu pai perdeu duas, a morte e o sonho dele do Pontal. E graças a Deus com o esforço do senador nós estamos anunciando obras importantes, dinheiro em caixa para que a irrigação volte para a nossa região”, disse.

Sobre as eleições de 2018, Guilherme afirmou que seu lugar é em Brasília. “Eu reflito onde devo estar no próximo ano e eu quero em Brasília fazer com que as pessoas tenham dias melhores, eu penso que lá é o meu lugar para eu continuar um grande serviço a todos”.

Após declaração de FBC, Raul Henry dispara “ele não pode falar pelo PMDB de Pernambuco”

Confusão tem dividido partido em Pernambuco. (Foto: Arquivo)

Após a difícil filiação do senador Fernando Bezerra Coelho ao PMDB e sua declaração sobre ser candidato ao Governo de Pernambuco pelo partido, além do processo de destituição da direção atual para que possa assumir o comando do grupo continua judicializado, o atual presidente da legenda, Raul Henry, vice-governador do estado, afirmou que “ele não pode falar pelo PMDB de Pernambuco”.

“Hoje deu para perceber que, além das marcas que ele já acumulou ao longo da carreira, de oportunista e traidor, está somando mais uma, que é a do cinismo. É uma falta de respeito dele desconsiderar a existência do diretório de Pernambuco”, disparou Raul

Atualmente o PMDB é o principal aliado do governador Paulo Câmara (PSB), já que a aliança garantiria maior tempo de televisão ao Chefe do Executivo Estadual. Contudo, Fernando deseja fazer com que o PMDB seja oposição ao governador.

A frente de oposição seria encabeçada por Fernando, Armando Monteiro, Bruno Araújo e Mendonça Filho. Em dezembro, o grupo se reunirá para falar sobre segurança, o grande problema da gestão socialista.

Absolvição de Aécio: Fernando a favor, Humberto contra

Dos três senadores de Pernambuco, um votou a favor de Aécio Neves – o peemedebista Fernando Bezerra Coelho – outro, Humberto Costa (PT), votou e trabalhou contra o tucano e o terceiro, Armando Monteiro Neto (PTB), não participou da votação por se encontrar em viagem oficial aos Emirados Árabes representando o Senado juntamente com o senador Cristovam Buarque (PPS-DF). Dos 81 senadores que integram a Casa, nove não compareceram à sessão e dois não votaram – Eunício Oliveira (PMDB-CE), na condição de presidente, e Aécio Neves (PSDB-MG), afastado.

Mendonça Filho e Bezerra Coelho reaparecem juntos em Petrolina, nesta sexta

Após um hiato de eventos em conjunto, dois dos principais nomes da oposição ao PSB, o ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM), e o senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB) estarão juntos em Petrolina. Nesta sexta os dois seguem juntos para a cidade de Santa Maria da Boa Vista, Sertão, onde participam às 10 horas da inauguração do Instituto Federal do Sertão Pernambucano. Nos bastidores, havia especulação sobre um afastamento entre Mendonça com Bezerra Coelho, que depois de sinalizar que poderia trocar o PSB pelo DEM se filiou ao PMDB. Mendonça não foi ao ato de filiação.

Será a primeira agenda pública dos dois desde o dia 28, quando pela primeira vez toda a oposição ao PSB dividiu o palanque em Caruaru – Mendonça, a família Coelho, de Petrolina, a família Lyra, de Caruaru, o senador Armando Monteiro (PTB) e o ministro das Cidades, Bruno Araújo (PSDB).

Em 5 de setembro, Bezerra Coelho confirmou a saída do PSB para o PMDB, após meses sinalizando o possível ingresso no DEM de Mendonça Filho e do presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia – que ficou irritado com a investida do presidente Michel Temer para levar a família Coelho para a sigla peemedebista. Maia chegou a participar de diversos atos públicos com a família Coelho em Petrolina, incluindo o ministro de Minas e Energia, Fernando Filho, que formalmente ainda está no PSB.

Ontem, Mendonça e Bezerra Coelho viajaram no mesmo avião para Petrolina. Ou seja: não vai faltou tempo para conversar.

123