Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

MEC instala lava jato da educação, diz Bolsonaro

(Foto: Marcelo Casal Jr.)

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) defendeu hoje (15) a chamada lava jato da educação, batizada com este nome pelo ministro da área, Ricardo Vélez Rodríguez, sobre as investigações de medidas adotadas em gestões anteriores. A afirmação ocorre um dia depois da assinatura de um protocolo de intenções para apurar indícios de irregularidades no âmbito do Ministério da Educação.

“Muito além de investir, devemos garantir que investimentos sejam bem aplicados e gerem resultados. Partindo dessa determinação, o ministro professor Ricardo Vélez apurou vários indícios de corrupção no âmbito do MEC em gestões passadas. Daremos início à ‘Lava Jato da Educação’”, disse o presidente na sua conta pessoal no Twitter.

LEIA MAIS

Bolsonaro pede que PF esclareça ataque a faca que sofreu na campanha

Bolsonaro segue internado.

O presidente Jair Bolsonaro cobrou, neste domingo (10), que a Polícia Federal esclareça “nas próximas semanas” quem foi, ou “quem foram”, os mandantes do atentado sofrido por ele no dia 6 de setembro , em Juiz de Fora (MG), durante a campanha eleitoral.

“Espero que a nossa  querida Polícia Federal, polícia que nos orgulha a todos, que tenha uma solução para o nosso caso nas próximas semanas. Esse crime, essa tentativa de homicídio, esse ato terrorista praticado por um ex-integrante do PSOL, não pode ficar impune. E nós queremos, sim, e gostaríamos, que a PF indicasse, obviamente que, com dados concretos, quem foi, ou quem foram os responsáveis por determinar que o Adélio [Bispo de Oliveira] praticasse aquele crime”, disse Bolsonaro no primeiro vídeo gravado por ele no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde está internado.

Postado no Twitter, no vídeo, que tem duração de 1 minuto e 44 segundos, Bolsonaro agradece o tratamento que recebeu da equipe médica em São Paulo Einstein e também na Santa Casa de Juiz de Fora, onde teve o primeiro atendimento após o ataque.

LEIA MAIS

PF pede 90 dias para fechar inquérito sobre atentado contra Bolsonaro

Bolsonaro tomou uma facada enquanto fazia campanha em Juiz de Fora (MG).

A Polícia Federal (PF) pediu nessa quarta-feira (16) à Justiça Federal em Minas Gerais mais 90 dias para encerrar o inquérito que apura quem são os responsáveis pelo financiamento da defesa de Adélio Bispo, autor do ataque contra o presidente Jair Bolsonaro durante a campanha eleitoral do ano passado.

Em dezembro do ano passado, a PF cumpriu mandados de busca e apreensão em dois imóveis relacionados ao advogado Zanone Manuel de Oliveira Júnior, um dos integrantes da defesa de Adélio. Zanone diz que manterá sigilo profissional sobre o contratante.

Bolsonaro tomou uma facada enquanto fazia campanha em Juiz de Fora (MG), no dia 6 de setembro do ano passado. O ataque foi feito por Adélio Bispo de Oliveira, autor confesso da facada, que está preso no presídio federal em Campo Grande (MS). 

LEIA MAIS

Operação da PF combate fraudes na compra de medicamentos em Pernambuco

(Foto: Ilustração)

Na manhã desta quarta-feira (19), a Polícia Federal, com o apoio da Controladoria-Geral da União (CGU) e Receita Federal, deflagrou uma operação para apurar irregularidades na compra e fornecimento de medicamentos, custeados com dinheiro público, em três prefeituras do estado de Pernambuco.

De acordo com a CGU, o inquérito, instaurado a partir dos resultados de fiscalização da CGU em contratos para fornecimento de medicamentos num dos municípios, constatou fraudes em processos licitatórios, superfaturamento, pagamento por medicamentos entregues fora do prazo previsto em contratos e ausência de justificativa para a quantidade de medicamentos contratados entre outras irregularidades.

LEIA MAIS

Polícia cumpre mandados contra envolvidos na morte de Marielle

A vereadora Marielle Franco foi assassinada junto com o motorista Anderson Gomes, na noite de 14 de março deste ano. (Foto: Internet)

Agentes da Divisão de Homicídios da Polícia Civil do Rio de Janeiro cumprem nesta quinta-feira (13) na capital e em outros municípios os primeiros mandados de prisão e apreensão contra suspeitos de envolvimento na morte da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

 O delegado Giniton Lages, responsável pelas investigações, informou à Agência Brasil que a operação se estende a bairros do município do Rio e em Angra dos Reis, Nova Iguaçu, Petrópolis, e fora do estado, na cidade de Juiz de Fora, em Minas Gerais.

Segundo o delegado, a operação deriva de inquéritos policiais paralelos às investigações do caso Marielle e Anderson.

Desde que começaram as investigações, que apuram a autoria dos crimes, a Delegacia de Homicídios vem realizando várias operações policiais para a checagem de informações anônimas.

LEIA MAIS

Caso Beatriz: Após três anos, primeiro grande passo é dado

(Foto: Blog Waldiney Passos)

Dois dias após completar três anos, o caso Beatriz deu seu primeiro grande passo em busca da elucidação do crime que chocou a população de Petrolina (PE), Juazeiro (BA) e região em dezembro de 2015.

A decisão do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJ-PE), nesta quarta-feira (12), que decretou a prisão do primeiro suspeito a ter envolvimento com o crime, Alisson Henrique de Carvalho, ex-funcionário do Colégio Maria Auxiliadora, dá um norte ao caso que por muito tempo esteve na escuridão. Alisson é suspeito de ter apagado imagens das câmeras de segurança do dia do crime.

Pais de Beatriz.

Além disso, a decisão reforça as palavras de Lúcia Mota, mãe de Beatriz, que questionou, em entrevista a este blog, o “porquê de o Colégio atrapalhar as investigações”, e coloca o Colégio Nossa Senhora Maria Auxiliadora em situação delicada, já que a escola sempre negou ter atrapalhado investigações.

Para Lucinha, a prisão de Alisson é o “fio do novelo”. “Ele vai ter que se explicar o porquê que ele fez isso. Essa é a ponta do novelo para solucionar o caso, é o norte da investigação. Daí que a gente pode realmente começar a solucionar o caso de minha filha”.

Segundo Sandro Romilton, pai de Beatriz, durante a manifestação em frente ao TJ-PE, nesta quarta, as imagens foram apagadas 20 dias depois do crime, após a polícia pedir para que as imagens das câmeras fossem entregues. “Quem deu essa ordem para que esse funcionário voltasse à cena do crime?”, questionou.

LEIA TAMBÉM

Caso Beatriz: TJPE aceita recurso e decreta prisão preventiva de suspeito de apagar imagens

Caso Beatriz: segundo TJPE, prisão de Alisson deve ser cumprida até esta quinta

Caso Beatriz: Colégio Maria Auxiliadora nega ter atrapalhado investigações

Até a decisão do TJ-PE o que a polícia tinha de material para dar seguimento à elucidação do crime era um retrato falado do suspeito de ter assassinado Beatriz e algumas imagens de câmeras de segurança do lado externo da escola que mostram uma movimentação estranha de um indivíduo, considerado um dos suspeitos de ter cometido o crime.

Relembre o caso

Beatriz Mota tinha 7 anos quando foi brutalmente assassinada. Seu corpo foi encontrado em 10 de dezembro de 2015, com marcas de mais de quarenta facadas.

A garota sumiu durante festa na instituição de ensino em que estudava, o Colégio Nossa Senhora Maria Auxiliadora, em Petrolina.

75ª CIPM realiza diligência para identificar autoria de homicídio em Juazeiro

(Foto: Blog Waldiney Passos)

Na manhã de hoje (23), foi encontrado o corpo de um homem, identificado apenas como “Bruno”, na Rua Canaã da Glória, bairro Sol Nascente em Juazeiro (BA). A vítima morava no Residencial Brisa da Serra.

De acordo com as informações da PM, após diagnóstico feito pela equipe do Departamento de Polícia Técnica (DPT) no local do crime, foi verificado uma lesão grave na nuca, provavelmente de arma branca.

Uma guarnição da 75ª CIPM esteve no local e providenciou a realização do isolamento e preservação da área do crime, além de diligências operacionais no intuito de desvendar a autoria do sinistro.

A 75ªCIPM pede a população que colabore, orientando para qualquer informação que leva a localização do (s) criminoso (s). As denúncias podem ser feitas, através do telefone (74) 999447687, ou pelo WhatsApp (74) 988456528.

Decasp investiga 7 deputados pernambucanos por desvio de verba pública

A delegada Patrícia Domingos será removida da Delegacia de Crimes contra a Administração e Serviços Públicos (Decasp), para o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). (Foto: Bobby Fabisak/JC)

A decisão judicial que determinou que a Delegacia de Crimes contra a Administração e Serviços Públicos (Decasp) permaneça por mais 45 dias investigando os crimes de corrupção não pegou de surpresa apenas o Governo de Pernambuco. Em pleno feriadão, muitos deputados estaduais que votaram a favor da extinção da delegacia receberam a notícia com preocupação, pois sabem que estão na mira da equipe da delegada Patrícia Domingos.

LEIA TAMBÉM:

Liminar suspende temporariamente extinção da Decasp

Um levantamento feito pelo Jornal do Commercio revela que sete deputados estaduais são suspeitos de praticar crime de desvios de verba pública por meio de emendas parlamentares. Sob protestos, seis deles votaram a favor do fim da Decasp. O outro também foi favorável na primeira sessão, mas mudou o voto na segunda. Após a aprovação da lei que extinguiu a delegacia, os inquéritos foram paralisados, mas agora poderão ser retomados graças à decisão judicial. Os nomes dos deputados estaduais não serão divulgados porque as investigações ainda estão sob sigilo.

LEIA MAIS

STJ manda soltar Joesley e executivos da J&F presos na Operação Capitu

(Foto: Felipe Frazão/AE)

O ministro Nefi Cordeiro, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), mandou soltar o empresário Joesley Batista, um dos donos da empresa J&F, bem como três ex-executivos da empresa: Ricardo Saud, Demilton Antonio de Castro e Florisvaldo Caetano de Oliveira. Eles haviam sido presos em 9 de novembro na Operação Capitu, que apura o suposto esquema de pagamento de mais de R$ 30 milhões em propina, entre 2014 e 2015, a parlamentares do MDB em troca de favorecimentos no Ministério da Agricultura..

Em decisão assinada ontem (11), Cordeiro havia determinado a soltura do ex-ministro da Agricultura Neri Gueller e do ex-secretário de Defesa Agropecuária, Rodrigo Figueiredo. Nesta segunda, o ministro estendeu os efeitos da ordem de soltura a todos os 19 investigados na operação.

Também foram libertados o vice-governador de Minas Gerais Antonio Andrade e o empresário do ramo de supermercados Walter Santana Arantes. O ex-deputado Eduardo Cunha também teve um habeas corpus concedido, mas continuará preso no âmbito da Operação Lava Jato.

LEIA MAIS

Detran-BA exonera envolvidos em fraudes na Ciretran de Juazeiro e auxilia nas investigações

(Foto: Internet)

Uma sindicância da Corregedoria Geral do Departamento Estadual de Trânsito da Bahia (Detran-BA) auxiliou a Polícia Civil na operação que desmontou, neste mês, um esquema de fraudes na 8ª Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran) em Juazeiro (BA). As investigações apontaram a falsificação de documentos e liberação irregular de veículos.

O coordenador da Ciretran, Ítalo José dos Santos Souza, e o supervisor de inspeção da unidade, Jair dos Santos Santana, suspeitos de participação nos crimes, foram exonerados pelo Detran-BA. Eles foram presos preventivamente e denunciados pelo Ministério Público (MP) por organização criminosa e corrupção passiva.

LEIA TAMBÉM:

Coordenador da 8ª CIRETRAN de Juazeiro é preso acusado de fraude

De acordo com o diretor geral do Detran, Lúcio Gomes, A Corregedoria do departamento colabora com o MP no caso e reforçou a fiscalização na atuação dos servidores em 37 Ciretrans espalhadas pelo interior. “Estamos vigilantes a qualquer tipo de desvio de conduta, que será amplamente investigado e punido rigorosamente, na esfera administrativa, com o respectivo encaminhamento às autoridades policiais”, afirmou Lúcio Gomes.

Com informações da ASCOM Detran-BA

TSE abre investigação sobre disparos de mensagens pelo WhatsApp

(Foto: Pixabay/Fonte padrão)

O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Jorge Mussi abriu na noite de sexta-feira (19) uma ação para investigar o esquema de disparos de notícias falsas no WhatsApp que favorecem o candidato à presidência da República Jair Bolsonaro (PSL).

Mussi acatou o pedido feito pela campanha de Fernando Haddad (PT), adversário de Bolsonaro no segundo turno das eleições. No entanto, o ministro não aceitou a solicitação dos petistas para quebrar o sigilo bancário, telefônico e realizar prisões dos envolvidos.

A suposta divulgação de matérias falsas contra Haddad foi revelada pelo jornal Folha de São Paulo nessa quinta-feira (18), onde a investigação aponta a participação de empresas bancadas por empresários ligados a Bolsonaro para a divulgação dos boatos. Em sua decisão Mussi concedeu prazo para que a campanha de Bolsonaro possa apresentar defesa prévia.

Segunda turma do STF arquiva inquérito contra FBC

(Foto: Internet)

Nesta terça-feira (11), a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu pelo arquivamento do inquérito que tramitava na Corte e investigava o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) pelo suposto recebimento de recursos não contabilizados em 2010. Na ação, a Procuradoria-Geral da República (PGR) acusava o senador de ter recebido R$ 200 mil, valor que não teria sido declarado à Justiça Eleitoral.

Ex-diretores da empreiteira Odebrecht foram os autores das acusações após assinarem acordos de delação premiada nas investigações da Operação Lava Jato.

O colegiado seguiu o ministro Gilmar Mendes, relator do processo, e entendeu, por unanimidade, que não existem motivos para que as investigações continuem. Para Gilmar, não foram obtidas, até o momento, provas para confirmar as declarações dos delatores. Os ministros Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Edson Fachin acompanharam o relator. Celso de Mello não participou da sessão.

Defesa

De acordo com a defesa de FBC, além da falta de provas, o inquérito deveria ser arquivado porque Bezerra entrou para o Senado somente nas eleições de 2014.

Buscas da PF na prefeitura de Casa Nova miram atos de 2013

Atos foram praticados durante gestão do ex-prefeito Wilson Cota.

Como forma de atender a um mandado de segurança executado pela Polícia Federal (PF), o prefeito de Casa Nova, Wilker Torres, colabora, desde as primeiras horas desta terça-feira (21) com as buscas feitas pela PF nas dependências da prefeitura. O alvo são documentos datados de 2013 – primeiro ano da gestão do então prefeito Wilson Cota – relativos ao serviço de transporte escolar.

A investigação apura supostas fraudes na licitação para operar as mais de 90 linhas que atendem os estudantes da rede municipal de ensino de Casa Nova e que eram controladas por uma única empresa à época. O suposto esquema também levou a apreensão de documentos em outras cidades do norte da Bahia.

Como forma de colaborar com o trabalho de investigação, o prefeito Wilker Torres determinou aos seus assessores das áreas de administração e finanças que disponibilizem todos os documentos que forem solicitados pela Polícia Federal.

O prefeito explica ainda que, atualmente, as linhas do transporte escolar, além de licitadas, são descentralizadas. Isso permite que pequenas empresas e até mesmo moradores dos distritos e localidades realizem, desde que comprovem as condições, o deslocamento dos estudantes, gerando renda e garantindo a lisura dos processos de contratação.

Rompimento de canal de transposição é investigado pela Polícia Federal

(Foto: Reprodução)

A Polícia Federal (PF) está investigando o rompimento no canal de tranposição, que aconteceu nesse sábado, entre os municípios de Terra Nova e Salgueiro, ambos em Pernambuco. O vazamento foi contido por uma equipe de técnicos do Ministério de Integração.

LEIA TAMBÉM

Parte de canal de transposição rompe próximo a Salgueiro

Rompimento de canal da transposição pode ter sido criminoso

Segundo a PF, uma perícia será realizada no local e ainda é cedo para afirmar se o rompimento foi criminoso. Serão formalizadas nesta segunda-feira (13) as declarações do engenheiro técnico e também dos responsáveis pela obra do Ministério da Integração.

Os técnicos ainda estão analisando se a comunidade, próxima ao trecho, sofreu algum dano.

Polícia prende traficante em Petrolina após investigações

Grande quantidade de maconha fi apreendida. Foto: Divulgação)

No final da tarde dessa terça-feira (07), equipe da  12ª DPRN, em conjunto com o Malhas da Lei, sob o comando do Delegado Dark Blacker, diante de informações obtidas através de investigação pertinente ao tráfico de entorpecentes, prenderam um jovem, de 21 anos, no Dom Avelar, em Petrolina (PE).

Com o suspeito foram apreendidos aproximadamente 6 kg de maconha. Dessa forma, o acusado foi preso em flagrante e sua conduta inserta no Artigo 33 da Lei 11.343/06.

O indiciado será apresentado na Audiência de Custódia na cidade de Petrolina.

123