Exu: Festival Viva Gonzagão contará com artistas locais

A partir da próxima semana Exu voltará suas atenções para enaltecer o cidadão mais ilustre da cidade. O Festival Viva Gonzagão celebra 17 anos e nessa edição há um momento especial. Em 2019 celebra-se o aniversário do Rei da Baião, 70 anos do primeiro forró e 30 anos sem ele.

A programação será aberta na sexta-feira (13), com uma sanfoneata, uma passeata realizada com dezenas de sanfoneiros. 80 músicos vão sair do centro da cidade em direção ao Parque Aza Branca. A festa segue pelo final de semana, com shows de artistas locais.

Já estão confirmados nomes como Targino Gondim, Joquinha Gonzaga e Flávio Leandro. O Festival termina no domingo (15), com uma missa, às 11h. (Com informações do G1 Petrolina).

Exu: festival mantém vivo legado de Luiz Gonzaga

A Terra do Rei do Baião vai celebrar a memória de Luiz Gonzaga na próxima semana, durante o Festival Pernambuco Nação Cultural 2019, Festa Viva Gonzagão. Entre 11 e 15 de dezembro Exu receberá turistas e fãs do responsável por propagar o Sertão no mundo.

A programação do Festival será dividida entre o Parque Aza Branca e na Praça Luiz Gonzaga, palco dos shows. Um dos momentos mais esperados é a participação do neto de Gonzagão, Daniel Gonzaga, cantor, compositor e produtor musical.

Outra atração já conhecida do público é Joquinha Gonzaga. “Luiz Gonzaga é de uma importância inestimável para Pernambuco e celebrar a sua trajetória musical é uma forma de agradecer tudo o que ele fez pela cultura brasileira, além de incentivar a continuidade da sua arte”, disse. (Com informações do Blog Ney Vital).

Tony Gel lembra três décadas da morte de Luiz Gonzaga

Na véspera da data que marca os 30 anos da morte de Luiz Gonzaga, o deputado Tony Gel (MDB) prestou uma homenagem ao artista pernambucano, a quem classificou como “o maior divulgador da cultura nordestina e um dos nomes mais importantes da MPB”. Na Reunião Plenária desta quinta (1º), o parlamentar usou o Pequeno Expediente para relembrar a trajetória do músico.

Nascido em 13 de dezembro de 1912, em Exu (Sertão do Araripe), Luiz Gonzaga teve a carreira marcada por mostrar ao Brasil os ritmos ainda pouco expressivos na época, como o coco, o baião, o xaxado e o forró. “Aos 8 anos de idade, ele já tocava em festas e, na vida artística, ficou famoso por vários sucessos, como Asa BrancaJuazeiro e Forró de Mané Bito”, destacou. Segundo o deputado, o sanfoneiro traz orgulho também por ter sido um dos pioneiros da música de protesto no País, lembrando que a primeira foi Vozes da Seca.

Tony Gel informou que Pernambuco preparou algumas homenagens ao artista e salientou a realização da 49ª Missa do Vaqueiro, em Serrita, no Sertão. O parlamentar ainda ressaltou o projeto Tengo Lengo Tengo (nome de umas músicas cantadas por Gonzaga), iniciado em 13 de junho, no Museu Cais do Sertão, no Recife. “Várias atividades estão programadas para marcar a data, como mesas-redondas, oficinas, apresentações culturais e leituras dramáticas”, frisou.

30 anos de saudades de Luiz Gonzaga serão lembrados com I Sanfoneata do Sertão

A região do Vale do São Francisco vai assistir a I Sanfoneata, a primeira passeata de Sanfoneiros do Sertão. O objetivo é celebrar a data de morte do Rei do Baião, Luiz Gonzaga, Pernambucano do Século XX e um dos nomes mais citados na música brasileira.

A I Sanfoneata é promovida pelo sanfoneiro Luiz Rosa. A concentração dos sanfoneiros está marcada para acontecer na Praça do Galo, na sexta-feira 2 de agosto, data da morte de Luiz Gonzaga, a partir das 7h30. O evento terá a participação da quadrilha junina ‘Buscapé’, do bairro do Quidé , em Juazeiro. Este ano quadrilha participou dos festivais de Juazeiro e Petrolina onde apresentou a história de amor entre Diadorim e Riobaldo, do clássico da literatura brasileira ‘Grande Sertão Veredas’, de Guimarães Rosa.

A quadrilha Junina Buscapé, possui 13 anos de atuação e é considerada uma das mais tradicionais. A sede está localizada no bairro Quidé e é composta por adolescentes, jovens e adultos.

“A Sanfoneata, passeata dos sanfoneiros é um grande encontro de amigos e vamos tocar muita música e alegria pelas ruas do Centro de Petrolina”, diz Luiz Rosa. Os sanfoneiros também farão um passeio pelas águas do Rio São Francisco. Além da passeata está programado um passeio de barco ao som da sanfona com a meta de chamar a atenção para os cuidados que se deve ter com a preservação do Rio São Francisco.

Luiz Rosa, já confirmou a presença de mais de 120 sanfoneiros, além de Petrolina, vem tocador de São Raimundo Nonato, Dom Inocêncio,  Piaui, Senhor do Bonfim, Remanso, Jacobina, Recife e Salvador,  além daqueles que residem em Petrolina e Juazeiro. “A gente faz isso para as pessoas se encontrarem e mostrar que música é felicidade e que Luiz Gonzaga não morreu”, finalizou Luiz Rosa.

Redação Blog Foto: Ney Vital

Festival “Viva Gonzagão” celebra 106 anos de Luiz Gonzaga nesta quinta, em Exu

Luiz Gonzaga – O Rei do Baião.

Nesta quinta-feira (13), está sendo celebrada mais uma edição do festival ‘Viva Gonzagão’, em Exu (PE), que lembra o aniversário de Luiz Gonzaga. Mais de 20 atrações são esperadas no evento, que acontece no Parque Aza Branca e na Praça de Eventos Francisco de Miranda Parente.

O encerramento da festa acontece com uma missa em ação de graça e shows musicais, no domingo (16). A programação é totalmente gratuita para a população.

Nesta quinta, haverá shows das bandas Cabaçal de Exu, de Zezinho do Exu, Seguidores do Rei, Danilo Pernambucano, Limão com Mel e Kinho Callou. Na sexta, as atrações serão Forró das Estrelas, Jorge do Acordeon, Santana e Joãozinho do Exu. As apresentações serão na Praça de Eventos Francisco de Miranda Parente.

LEIA MAIS

13 de dezembro: aniversário de 105 anos de Luiz Gonzaga

(Foto: Internet)

Nesta quarta-feira, 13 de dezembro, a cidade de Exu, a 280 km de Petrolina, está em festa. Se estivesse vivo, Luiz Gonzaga, estaria completando 105 anos de idade. Gonzagão nasceu em 13 de dezembro de 1912, em Exu e morreu em 02 de agosto de 1989, aos 77 anos, vítima de parada cardiorrespiratória, no Hospital Santa Joana, em Recife.

Para festejar seu aniversário de nascimento, serão realizados vários shows na terra natal do Eterno Rei do Baião. O evento chamado de “Viva Gonzagão”, acontecerá no Parque “Aza” Branca e na praça de eventos Francisco de Miranda Parente. Toda programação é gratuita. Na programação ainda consta a celebração de uma missa em ação de graças.

Hoje é feriado em Exu, e serão feitas diversas homenagens em vários cantos da cidade, com rodas de sanfoneiros e festa de fãs em homenagem ao ícone maior da cultura nordestina.

Amanhã (14), acontecerá a festa com artistas da terra, a partir das 18h, na praça de eventos Francisco de Miranda Parente, no centro da cidade, com as presenças de Assisão, Ivonete Ferreira, Tony Monteiro, Forrozeiros do Gonzagão, Carlos Araújo, Serginho Gomes, Projeto Asa Branca e Fábio Carneirinho.

Sexta-feira (15), haverá show com Kinho Callou, Cosmo do Acordeon, Zezinho do Exu, Seguidores do Rei Luiz Gonzaga, Danilo Pernambucano, Santana e Joãozinho do Exu.

Na noite de Sábado (16), a partir de 21h,  será o show “Viva Gonzagão 2017” com Joquinha Gonzaga, Flávio Leandro, Targino Gondim, Vel Cely e Alcimar Monteiro.

No domingo (17), a programação começa com a missa, às 11h. Ás 15h30 tem apresentação dos alunos do Ponto de Cultura Alegria Pé de Serra. Às 16h, acontece apresentação de diversos músicos da terra debaixo do Juazeiro no Parque “Aza” Branca.

O Juiz Sanfoneiro, Dr. Ednaldo Fonsêca, rende homenagens ao Rei do Baião

Dr. Ednaldo Fonsêca rende homenagens ao ídolo e conta sobre a emoção de ter tocado para o Rei do Baião. (Foto: ASCOM)

A semana é toda dedicada ao Rei do Baião, que comemoraria 104 anos caso estivesse vivo, no último dia 13/12. Para falar sobre este ícone da música nordestina o Juiz Sanfoneiro, Dr. Ednaldo Fonsêca conta que conheceu Luiz Gonzaga, quando tinha 12 anos, e que o mesmo, após ouvi-lo tocar, o incentivou a seguir em frente com a sanfona. Conselho que o mesmo levou a sério. Hoje o Juiz Sanfoneiro tem como bandeira musical o forró pé de serra, cantada pelo eterno Lua.

Dr. Ednaldo Fonsêca rende homenagens ao ídolo e conta sobre a emoção de ter tocado para o Rei do Baião. “Eu tinha 12 anos. Ele (Luiz Gonzaga) passava por Belém de São Francisco, onde eu morei alguns anos, e fui chamado para tocar pra ele. Fui bastante envergonhado e ele com a voz de bronze, disse: – esse é o sanfoneiro mirim? Toque pra eu lhe ouvir, cabra!”, relembrou.

“Toquei duas músicas. Ainda não cantava. Quando terminei, ele fez o seguinte comentário: Toca direitinho. Mas, tem dois defeitos: toca olhando pros teclados e eu de imediato, respondi: é por que eu tenho vergonha. De imediato ele respondeu: tocar sanfona não faz vergonha a ninguém, não. E o outro defeito é que você deve aprender música, teoria musical, pois eu perdi muito em não fazer isso. Vá em frente, meu filho. Nossa! Pra mim, foi um sonho!”, confessou o Juiz Sanfoneiro.

Importância cultural

Dr. Ednaldo Fonsêca assegurou, que Luiz Gonzaga tem uma grande importância na cultura musical brasileira. Lembrando que o seu trabalho musical popularizou o acordeon e uma instrumentação típica do nordeste (zabumba, triângulo e sanfona) utilizando a música e poesia para contar as alegrias e tristezas da vida do sertanejo. “Sua obra popularizou a maneira nordestina de produzir arte no sul e sudeste, numa época em que a migração foi bastante significativa. Acolhida inicialmente pelos nordestinos que moravam no sul, a música de Luiz Gonzaga conquistou não só essas regiões, mas todo o país. Foi o precursor do Xote, Baião, Xaxado (Forró), popularizado hoje em todo país com o rótulo de forró pé-de-serra”.

LEIA MAIS

Confira entrevista completa com Luiz Gonzaga o aniversariante do dia

Se vivo estivesse Gonzagão completaria 104 anos hoje/Foto: Internet

Hoje é um dia especial parta todos os nordestinos, dia do aniversário de Luiz Gonzaga (1912-1989), nosso eterno “Rei do Baião”. Gonzagão foi o responsável pela valorização dos ritmos nordestinos, levou o baião, o xote e o xaxado, para todo o país. A música “Asa Branca” feita em parceria com Humberto Teixeira, gravada por Luiz Gonzaga no dia 3 de março de 1947, virou hino do nordeste brasileiro.

Luiz Gonzaga nasceu na Fazenda Caiçara, em Exu, sertão de Pernambuco, no dia 13 de dezembro de 1912. Filho de Januário José dos Santos, o mestre Januário, “sanfoneiro de 8 baixos” e Ana Batista de Jesus. O casal teve oito filhos. Luiz Gonzaga desde menino já tocava sanfona. Aos 13 anos, com dinheiro emprestado compra sua primeira sanfona.

Em 1929, por causa de um namoro, proibido pela família da moça, Luiz Gonzaga foge para a cidade de Crato no Ceará. Em 1930 vai para Fortaleza, onde entra para o exército. Com a Revolução de 30 viaja pelo país. Em 1933, servindo em Minas Gerais, é reprovado num concurso de músico para o exército, passa a ser o corneteiro da tropa. Tem aulas de sanfona com o soldado Domingos Ambrósio.

Luiz Gonzaga deixa o exército, depois de nove anos sem dar notícias à família. Foi para o Rio de Janeiro e passou a se apresentar em bares, cabarés e programas de calouros. Em 1940 participa do programa de Calouros da Rádio Tupi e ganha o primeiro lugar, com a música “Vira e Mexe”.

Tocando como sanfoneiro da dupla Genésio Arruda e Januário, é descoberto e levado pela gravadora RCA Vitor, a gravar seu primeiro disco. O sucesso foi rápido, vários outro discos foram gravados, mas só em 11 de abril de 1945 grava seu primeiro disco como sanfoneiro e cantor, com a música “Dança Mariquinha”. Em 23 de setembro nasce seu filho Gonzaguinha, fruto do relacionamento com a cantora Odaléia Guedes. Nesse mesmo ano conhece o parceiro Humberto Teixeira.

Depois de 16 anos Luiz volta para sua terra natal. Vai ao Recife e se apresenta em vários programas de rádio. Em 1947 grava “Asa Branca”, feita em parceria com Humberto Teixeira. Em 1948 casa-se com a cantora Helena Cavalcanti. Em 1949 leva sua família para morar no Rio de Janeiro. As parcerias com Humberto Teixeira e com Zédantas rendeu muitas músicas. Gonzaga e seu conjunto se apresentam em várias partes do país.

Em 1980, Luiz Gonzaga canta para o Papa Paulo II, em Fortaleza. Canta em París a convite da cantora amazonense Nazaré Pereira. Recebe o prêmio Nipper de ouro e dois discos de ouro pelo disco “Sanfoneiro Macho”. Em 1988 se separa de Helena e assume o relacionamento com Edelzita Rabelo.

Luiz Gonzaga é internado no Recife, no Hospital Santa Joana, no dia 21 de junho de 1989, e no dia 2 de agosto falece.

Para celebrar a data do aniversário de Luiz Gonzaga o Blog Waldiney Passos posta três vídeos, produzidos pelo programa Conexão Nacional da extinta TV Manchete, retratando a simplicidade e a vida de um grande homem.



Exu-PE: fãs celebram missa em ação de graças em homenagem ao Rei do Baião

Missa em ação de graças à sombra do pé de juazeiro

O município de Exu-PE está em festa, celebrando mais uma vez o seu filho mais ilustre, Luiz Gonzaga, com o evento batizado de “Viva Gonzagão”, em alusão à data de nascimento de Luiz. O músico é conhecido nacionalmente por diversos sucessos que influenciam os sanfoneiros desde os anos de 1940, como Asa Branca, Juazeiro e Qui Nem Jiló. Luiz Gonzaga completaria 104 anos no próximo dia 13.

Neste domingo, centenas de fãs acompanharam,às 11:00 horas da manhã, a missa em ação de graças à sombra do pé de juazeiro, no Parque Aza Branca, em Exu-PE.

O ‘Viva Gonzagão’ começou em 1982 e foi organizado pelo próprio cantor que reuniu amigos e músicos para sua festa de aniversário.

Memorial Luiz Gonzaga comemora o aniversário do Rei do Baião

arb_0010_30072014_foto_andrearegobarros

Para participar os interessados devem entrar em contato com o Memorial. (Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR)

Será comemorado, no próximo dia 13 de dezembro, o 104ª aniversário do Mestre Luiz Gonzaga. Para celebrar a data, o Memorial Luiz Gonzaga, equipamento da Prefeitura do Recife ligado à  Fundação de Cultura Cidade do Recife, preparou uma ótima programação.

Nos dias 12 e 13 acontecerão visitas guiadas, exibição de  filmes e audição de músicas nas gravações originais feitas pelo “Véio Lula”, na sede do Memorial que fica na casa 35 do Pátio de São Pedro.

A partir do dia 14, o espaço oferecerá oficinas de Sanfona e Baião. Para participar os interessados devem entrar em contato com o Memorial, através do email: [email protected] informando o nome completo e o telefone.  As oficinas são gratuitas.

Oficinas

O Fole Roncou – Noções Básicas de Acordeom – oficina de apreciação musical, tendo o acordeom (sanfona de 120 baixos), como o instrumento de estudo. Será uma mostra do conteúdo introdutório sobre a sanfona, buscando aproximar e estimular os admiradores e curiosos da sanfona, instrumento que marca a identidade sonora do Nordeste.

LEIA MAIS

Segundo Targino Gondim, cachês do aniversário de Luiz Gonzaga de 2015 não foram pagos pelo Governo Estadual

(Foto: Elói Corrêa/GOVBA)

Segundo Targino, Pernambuco deve muito ao Rei do Baião e nunca deveria menosprezar o trabalho exercido por ele. (Foto: Elói Corrêa/GOVBA)

O cantor e compositor Targino Gondim afirmou, em entrevista ao programa “Super Manhã”, com Waldiney Passos, na Rádio Jornal, nesta quarta-feira (7), que não recebeu nenhum valor do Governo de Pernambuco referente às apresentações no aniversário de Luiz Gonzaga no ano de 2015 e pediu uma maior cuidado com Luiz Gonzaga.

“Na minha conta não chegou nada ainda. Até o momento eu não vi. O cachê é referente às apresentações do ano passado [2015]. Agora dia 11 de dezembro, se não me engano, faz exatamente um ano que a gente trabalhou e não recebeu. Eu não sei qual é problema, não sei se essa demora toda, esse chá de espera, é falta de respeito com o artista, ou alguma coisa a mais. Acho que deveria haver um cuidado melhor e maior com Luiz Gonzaga, pernambucano do século e, para muitos, o maior artista de todos os tempos do Brasil”.

Segundo Targino, Pernambuco deve muito ao Rei do Baião e nunca deveria menosprezar o trabalho exercido por ele de levar o nome do Nordeste para todo o Brasil. Targino afirmou que Pernambuco deveria estar ajudando pelo prazer em zelar o nome de Gonzagão e que essa é uma obrigação do Estado.

“Eu acho que Pernambuco e o Nordeste inteiro deve muito a Luiz Gonzaga, pois ele, com sua obra, levou para o Brasil, um Brasil que eles não conheciam. O Brasil tornou-se genuinamente brasileiro, tratando-se de arte e principalmente de música, quando Luiz Gonzaga levou a história do nosso povo par ao sudeste. Foi a partir daí que tudo começou a mudar. Pernambuco é quem tinha a obrigação e o prazer de estar ajudando. Se o problema é político, administrativo, chama para conversar, mas nunca dizer não e menosprezar o trabalho de Luiz Gonzaga”.

ronaldoO vereador Ronaldo Silva, que também participou do programa, aproveitou para expressar sua opinião e elogiar o esforço de Targino e outros artista em não deixar a festa do Parque Asa Branca acabar e criticou o valor que o Governo prometeu para a festa.

“A lealdade, a paixão, não é para todo mundo. Hoje quando vocês precisam de apoio, o muito [apoio] que tinha, desapareceu. Eu fico feliz quando vejo pessoas leais aos amigos, assim como você, que é um dos amigos de Luiz Gonzaga. Você mostra o esforço que está sendo realizado para nunca deixar acabar essa festa no parque Asa Branca, o que é um exemplo para todos. O Governo do Estado queria dar R$ 50 mil para essa festa, esse valor não dá para comprar nem um som, e devem mais de R$ 150 mil do ano passado”.

Targino no Araripe

Targino Gondim realiza na cidade de Exu (PE), no povoado do Araripe, a festa “Targino no Araripe”, que acontece antes dos grandes shows no Parque Asa Branca e que traz uma tarde de muito forró para as pessoas que participam do evento. O cantor convidou a todos para participar do momento.

“Existe uma festa que eu faço lá em Exu (PE), no povoado do Araripe, que eu iniciei essa festa no centenário de Luiz Gonzaga. Chama-se “Targino no Araripe”. Eu e vários amigos se junta, monta um som, e as pessoas podem se deliciar com as músicas de Luiz Gonzaga a tarde inteira, começa no sábado agora dia 10 às 16h e vai até às 21h ou 22h, que é quando as pessoas saem de lá e vão para o parque Asa Branca acompanhar os grandes shows. Convido todas as pessoas para o “Targino no Araripe”, onde nasceu o forró e o baião”.

Associação Luiz Gonzaga de Forrozeiros do Brasil critica Estado de Pernambuco por não receber cachê do aniversário de Luiz Gonzaga de 2015

(Foto: Reprodução / Facebook)

O cantor Targino Gondim publicou o vídeo na sua página do Facebook, criticou a atuação do governo do Estado. (Foto: Reprodução / Facebook)

A Associação Luiz Gonzaga de Forrozeiros do Brasil criticou, por meio de um vídeo postado nas redes sociais, o governo do Estado de Pernambuco pela falta de pagamento do cachê referente à festa de aniversário de Luiz Gonzaga realizada em 2015.

No vídeo vários cantores de forró, como Flávio Leandro e Joquinha Gonzaga, sobrinho de Luiz Gonzaga, aparecem cantando os parabéns para o mestre do baião, Luiz Gonzaga, e aproveitam para ironizar o descaso do governo do Estado com os músicos. É possível perceber ainda um texto no vídeo com os dizeres: “Governo de Pernambuco é contra Gonzagão!!!”

“Nós somos a Associação Luiz Gonzaga de Forrozeiros do Brasil. Exu, Pernambuco, estamos comemorando, evidentemente, o Gonzagão 2016 e um ano sem receber do governo do Estado de Pernambuco. Parabéns!”, disse o forrozeiro e presidente da associação, Donizete Batista.

O cantor Targino Gondim publicou o vídeo na sua página do Facebook, criticou a atuação do governo do Estado e afirmou que vai participar do aniversário de Luiz Gonzaga “por amor”.

“Parabéns para o Governo de Pernambuco, por desprezar o Pernambucano do Século! Estou todo ano em Exú, no aniversário de Luiz Gonzaga por amor! Esse ano irei de novo, apesar de não receber(junto com a nossa Associação dos Forrozeiros) o cachê de dezembro de 2015. Viva Luiz! Sempre!!!! Vou pro Araripe! Vou pro Parque Asa Branca!!”, disse o cantor.

Confira o vídeo

Parabéns para o Governo de Pernambuco, por desprezar o Pernambucano do Século!Estou todo ano em Exú, no aniversário de Luiz Gonzaga por amor! Esse ano irei de novo, apesar de não receber(junto com a nossa Associação dos Forrozeiros) o cachê de dezembro de 2015.Viva Luiz! Sempre!!!!Vou pro Araripe! Vou pro Parque Asa Branca!!

Posted by Targino Gondim on Saturday, December 3, 2016

Parque Aza Branca pode fechar as portas

Ong que administra o parque tem enfrentado dificuldades./ Foto: internet

Ong que administra o parque tem enfrentado dificuldades./ Foto: internet

Localizado na cidade de Exu, em Pernambuco, o Museu Aza Branca, onde se encontra o maior acervo do trabalho e da vida de Luiz Gonzaga pode fechar as portas por causa da falta de recursos para cobrir as despesas com os funcionários e a manutenção do espaço.

A instituição é administrada desde 1999 por uma organização não governamental (ONG). Segundo o presidente do Parque Aza Branca, Júnior Parente, a ONG tem 10 funcionários de carteira assinada, que dá uma folha de pagamento de R$ 12 mil por mês, mas com outras despesas o valor chega a R$ 20 mil de despesas fixas mensais. Uma reserva dos tempos em que o número de visitas era maior, é que está mantendo o museu.

LEIA MAIS

Jornalista Ney Vital é eleito para o Conselho de Cultura do Parque Asa Branca em Exu

Ney Exu13

O jornalista Ney Vital é o mais novo membro do Conselho de Cultura da ONG-Parque Aza Branca, Exu, Pernambuco. O Parque Aza Branca é um patrimônio cultural do povo brasileiro e nele está o Museu de Luiz Gonzaga.

O dia da posse ainda não foi divulgado. Na justificativa, o nome de Ney Vital foi proposto pelos relevantes serviços prestados a cultura. Ney Vital já foi secretário de comunicação da prefeitura de Petrolina, Pernambuco,  ex-secretário de cultura de Areia, Paraiba, cidade Patrimônio Nacional da Cultura e assessor de imprensa do Incra Submédio São Franscisco.

LEIA MAIS

Lucas Ramos protocola PL para incluir “Festa da Saudade do Gonzagão” no calendário estadual

lucas ramos

Segundo o parlamentar, o evento reúne artistas influenciados pelo Rei do Baião e atrai anualmente ao município apreciadores da música tradicional nordestina./ Foto: Alepe

Celebrada todo mês de agosto em Exu, Sertão do Araripe, em memória do cantor e compositor Luiz Gonzaga, a “Festa da Saudade do Gonzagão” foi mencionada no discurso do deputado Lucas Ramos (PSB) na Reunião Plenária desta terça (09). Segundo o parlamentar, o evento reúne artistas influenciados pelo Rei do Baião e atrai anualmente ao município apreciadores da música tradicional nordestina, “para nos lembrar que Gonzaga ainda vive”.

Durante o pronunciamento, Ramos comunicou ter protocolado na Assembleia Legislativa o Projeto de Lei nº 925/2016, que pretende incluir a comemoração no Calendário Oficial de Eventos de Pernambuco. “Uma singela, porém representativa contribuição”, considerou. “É uma forma de garantir maior visibilidade, divulgação, facilidade para captação de recursos e, consequentemente, perpetuar a realização da festa.”

12