Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Juazeiro: carrinheiros do Mercado do Produtor farão nova manifestação nesta quinta-feira

Categoria faz segunda manifestação em menos de um mês (Foto: Reprodução/WhatsApp)

Os carrinheiros e carregadores que atuam no Mercado do Produtor de Juazeiro (BA) farão nesta quinta-feira (18) mais uma manifestação. A categoria cobra melhorias nas condições de trabalho na unidade. A concentração acontece à 2h, no Ceasa.

LEIA TAMBÉM:

Carregadores fazem manifestação em Juazeiro cobrando melhorias no Mercado do Produtor

Por volta de 7h o grupo deve seguir pelas ruas de Juazeiro até o Paço Municipal, para cobrar diálogo com representantes da Prefeitura. Essa é a segunda manifestação da categoria apenas em julho. No último dia 8 eles chegaram a ter uma reunião com membros do Poder Executivo.

Contudo, ao que tudo indica Sindicato dos Trabalhadores na Agricultura Familiar e Empreendedores Rurais do Município de Juazeiro (Sintraf) e Prefeitura não chegaram a um acordo.

Carregadores fazem manifestação em Juazeiro cobrando melhorias no Mercado do Produtor

Carrinheiros cobram melhorias (Foto: Reprodução/WhatsApp)

A segunda-feira (8) em Juazeiro (BA) começa com manifestação dos carrinheiros e carregadores no Mercado do Produtor. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores na Agricultura Familiar e Empreendedores Rurais da cidade (Sintraf), o poder público está sendo omisso com a categoria.

Os carrinheiros saíram do Ceasa no começo da manhã e seguiram pelas ruas de Juazeiro, rumo à Prefeitura. Agora pouco o Blog conseguiu contato com os manifestantes. O grupo já estava pelo Centro, nas proximidades do Paço Municipal.

Entre as demandas dos manifestantes estão a entrada dos carroceiros no Mercado, melhorias na infraestrutura como iluminação pública e sinalização no entreposto e proximidades. Nossa produção ainda não obteve informações se alguém da Prefeitura de Juazeiro se reunirá com os manifestantes.

Juazeiro: funcionários da limpeza urbana mantém paralisação e cobram pagamento salarial

Funcionários estão de braços cruzados desde ontem (Foto: Ascom/PMJ)

A paralisação dos funcionários da varrição de Juazeiro (BA), iniciada na terça-feira (25), segue sem previsão de encerramento. Em conversa com o Blog Waldiney Passos hoje (26), o diretor do Sindicato dos Trabalhadores em Limpeza Pública do Estado da Bahia (Sindilimp), Jamay Damasceno afirmou que os trabalhadores seguem de braços cruzados.

Previsão de pagamento

De acordo com Damasceno, entre 40 e 50 funcionários estão reivindicando o pagamento referente ao mês de maio. “Ainda não fizeram o repasse do mês de maio. A gente entrou em contato com o representante da empresa, que fica em Salvador, ele disse que poderia resolver a situação até hoje“, explicou à nossa produção.

Além de procurar os representantes da empresa MA2, terceirizada pela Prefeitura de Juazeiro para execução da limpeza urbana, o Sindlimp teria se reunido com o prefeito Paulo Bomfim (PCdoB). “O atraso é no repasse da Prefeitura e o prefeito disse que pagava hoje”, destacou o diretor do Sindlimp.

LEIA MAIS

ACONS classifica movimento estudantil de “fábrica de drogados sem compromisso social”

Após as manifestações nacionais da última sexta-feira (14), a Associação Nacional dos Conservadores (ACONS) criticou a forma de protestar de estudantes de Petrolina (PE) e Juazeiro (BA). Os manifestantes quebraram para-brisa, queimaram pneus na ponte Presidente Dutra, que também foi pichada por uma jovem e, segundo a ACONS, levaram “muita droga”.

Ainda de acordo com a associação, o presidente da Associação dos Professores Licenciados do Brasil (APLB) de Juazeiro passou pouco tempo na ponte e logo desceu, “deixando a baderna para os outros”. “O sindicato armou o circo e saiu”, disse.

Outra crítica da ACONS foi dirigida à atuação dos movimentos estudantis na manifestação. “Os movimentos estudantis vão enterrar todos os sonhos que você teve para seu filho. São fábricas de drogados sem compromisso social nenhum, apenas fidelidade a seus pares que cada vez mais se mostram terroristas urbanos”.

Manhã de manifestações têm BRs interditadas em Petrolina e Casa Nova

Integrantes do MST interditaram BR-235 (Foto: Reprodução/WhatsApp)

A sexta-feira (14) é marcada por manifestações em todo país e aqui na região, sindicalistas e estudantes foram às ruas de Petrolina e Juazeiro (BA), protestando contra a reforma da Previdência. O grupo chegou à Ponte Presidente Dutra perto de 11h30 e ateou fogo em pneus.

Trânsito na Ponte chegou a ser interditado

Eles interditaram o fluxo de veículos nos dois sentidos da BR-407, provocando congestionamentos nos dois sentidos. Apesar do transtorno, o trânsito já está liberado no local.

A mesma situação foi vista mais cedo na BR-253, em Casa Nova (BA). Integrantes do Movimento Sem Terra (MST) organizaram o ato e aproveitaram para denunciar o despejo de 600 famílias que estão acampadas em uma propriedade da zona rural.

Manifestantes de Juazeiro e Petrolina se encontram na Ponte Presidente Dutra

Grupo de Petrolina deixou Bambuzinho e vai se encontrar com juazeirenses (Foto: Blog Waldiney Passos)

Conforme o Blog mostrou há pouco, os manifestantes de Juazeiro (BA) e Petrolina já estão subindo a pé pela Ponte Presidente Dutra. Alguns integrantes do grupo que protesta contra a reforma da Previdência e os cortes na educação ateou fogo em pneus para impedir a passagem de veículos, na manhã dessa sexta-feira (14).

LEIA TAMBÉM:

Movimentos sociais encabeçam manifestação contra Reforma da Previdência e cortes na educação em Petrolina

Os grupo de Petrolina saiu da Praça do Bambuzinho em direção à Ponte, enquanto os juazeirenses deixaram o INSS e já estão na Orla da cidade, preparando a subida. Uma equipe do Blog está na cidade baiana acompanhando a mobilização.

O ato dessa sexta-feira é nacional e foi mobilizado pelas centrais sindicais há alguns meses. No Vale, além dos sindicatos há representantes dos estudantes das universidades públicas, professores, bancários e sindicalistas das cidades de Afrânio e Dormentes, em Pernambuco.

Atualizado ao 12h04

Justiça Federal da Bahia determina suspensão de bloqueio anunciado pelo MEC

Entre as instituições afetadas pelo chamado contingenciamento está a Univasf (Foto: Internet)

A Justiça Federal da Bahia determinou na noite de ontem (7) que o Ministério da Educação suspenda o bloqueio de verbas nas universidades federais. A decisão foi tomada pela juíza Renata Almeida de Moura, da 7ª Vara Federal, em Salvador, em resposta a uma ação apresentada pelo Diretório Central dos Estudantes da Universidade de Brasília (UnB).

O governo ainda pode recorrer. Em abril o Ministério da Educação (MEC) anunciou o corte de 30% nos gastos não obrigatórios das instituições de ensino, o chamado contingenciamento. Desde então, ações têm sido apresentadas à Justiça contra a medida.

Em maio estudantes, professores e sindicatos realizaram um ato nacional, em forma de protesto pelo contingenciamento. A juíza de Moura fixou multa de R$ 100 mil por dia, caso o MEC não cumpra a decisão dentro do prazo de 24 horas.

“Em resumo, não se está aqui a defender a irresponsabilidade da gestão orçamentária, uma vez que é dever do administrador público dar cumprimento às metas fiscais estabelecidas em lei, mas apenas assegurando que os limites de empenho, especialmente em áreas sensíveis e fundamentais segundo a própria Constituição Federal, tenham por base critérios amparados em estudos que garantam a efetividade das normas constitucionais”, escreveu a juíza na sentença.

O MEC informou ainda ter sido notificado da decisão e que que a defesa judicial é de competência da Advocacia Geral da União (AGU). (Com informações do G1.

Estudantes vão às ruas de Petrolina em defesa da educação pública

(Foto: Blog Waldiney Passos)

A Praça do Bambuzinho foi mais uma vez, palco para manifestação de estudantes, trabalhadoras e trabalhadores e população em geral que se reuniram na tarde desta quinta-feira (30) em Petrolina (PE), contra o corte na educação e contra a reforma da Previdência Social.

Lideradas pela União Nacional dos Estudantes (UNE), apoiadas pela Frente Brasil Popular, as manifestações acontecem em todo o país, desde a manhã de hoje. “A ideia é mobilizar cada vez mais pessoas, toda a sociedade, em defesa dessa grande pauta que é a educação pública e também em defesa da previdência social pública, por que o que a gente tem aí como proposta de Paulo Guedes é a capitalização da previdência”, disse Bismarques Augusto, representante da Frente Brasil Popular/Petrolina.

Bruna Barbosa é estudante do curso de Medicina Veterinária na Univasf, e veio do interior de São Paulo para cursar o nível superior no Vale do São Francisco. Ela faz parte da UNE, através da União dos Estudantes de Pernambuco Cândido Pinto, e falou sobre a atual situação vivenciada pelos estudantes.

“Hoje nós estamos vivendo um cenário de desmonte da universidade pública. Na Univasf essa conta está sendo diretamente para o aluno. Já foram cortadas diversas bolsas de assistência estudantil, do total de 2 mil bolsas ofertadas no último processo seletivo, agora nós temos 500 bolsas. […] Nós estamos em extrema vulnerabilidade, a evasão na universidade só cresce e cada vez mais o filho do pobre, do trabalhador, não tem mais condições”, contou a estudante.

LEIA MAIS

Petrolina: estudantes realizam manifestação em defesa da educação nesta quinta-feira

(Cartaz/Divulgação)

Mais uma vez, estudantes, professores, trabalhadoras e trabalhadores e população em geral irão às ruas de Petrolina (PE) em defesa da educação pública e da Previdência social. As manifestações ocorrerão nesta quinta-feira (30), a partir das 15h, na Praça do Bambuzinho e principais avenidas da cidade.

Em nota, a Frente Brasil Popular/Petrolina, composta por entidades sindicais, associações e movimentos sociais, declarou apoio ao movimento dos estudantes, considerando a ação como parte da luta em defesa dos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras do Brasil.

LEIA MAIS

Bancada de oposição: vereadores de Petrolina participam de ato em defesa da educação e contra a Reforma da Previdência

Bancada de oposição. (Foto: Ascom)

Esta quarta-feira (15) será marcada por mobilizações em todo o Brasil. Intitulado como Greve Geral, o movimento contra os cortes na educação realizados pelo governo federal e contra a reforma da previdência também acontecerá em Petrolina. De acordo com a coordenação do ato, a concentração está marcada para ás 8h30, na Praça do Bambuzinho.

Juntamente com a população, movimentos sociais e diversos segmentos da sociedade civil, os vereadores de Oposição de Petrolina, Cristina Costa (PT), Domingos de Cristália (PSL), Elismar Gonçalves (MDB), Gabriel Menezes (PSL), Gilmar Santos (PT) e Paulo Valgueiro (MDB), estarão presentes e convocam todos, inclusive as entidades do setor, para a paralisação nacional.

LEIA MAIS

Casa Nova: Prefeito Wilker Torres defende universidades públicas e apoia manifestações

O Prefeito Wilker Torres defendeu nas redes sociais, a unidade de luta contra os cortes propostos pelo governo federal e a participação da população nos atos previstos para esta quarta-feira (15), em todo o País.

“Casa Nova tem o dever de se posicionar contra estes cortes e contra o sucateamento dos Institutos Federais. Nosso município se tornou um polo de educação superior, com universidades públicas e privadas, com um IF (Instituto Federal), a ser inaugurado. Abrimos perspectivas de formação, capacitação e inserção no mercado de trabalho para nossos jovens. O fechamento destas instituições é um retrocesso e um atentado ao desenvolvimento de Casa Nova. Todos na rua para defender a educação”, conclama.

“Casa Nova mais uma vez é chamada e não fugirá à luta”, diz um trecho do post do gestor, convidando a população casanovense a participar do ato, que terá concentração em frente ao INSS de Juazeiro, a partir das 8h30, nesta quarta-feira (15).

Estudantes da UNEB fazem manifestação nas ruas de Juazeiro contra sucateamento e privatização das universidades públicas

(Foto: Anna França)

Com cartazes, faixas, apitos e gritos de guerra contra o sucateamento e a privatização das universidades públicas, estudantes dos cursos de Jornalismo, Pedagogia, Direito, Engenharia de Bioprocessos e Agronomia da Universidade do Estado da Bahia (UNEB) Campus III, em Juazeiro (BA), foram às ruas na tarde de quinta-feira (11). Os alunos cobraram do governador Rui Costa (PT) o repasse de mais verbas e investimentos para a instituição. O ato foi encerrado no Paço Municipal da cidade.

Utilizando frases como “Eu Defendo a UNEB”, “Rui Costa exigimos professores”, “Educação não é mercadoria” e “Não à privatização”, os manifestantes chamaram atenção da sociedade juazeirense para a atual situação da instituição. Faltam pinceis nas salas de aula e papel higiênico e sabonetes nos banheiros. Equipamentos básicos como projetor de imagens, caixas de som e laboratórios estão sem manutenção.

“Queremos mostrar os problemas que nós estudantes estamos enfrentando na UNEB. Sem laboratórios eficientes não produzimos conteúdo, consequentemente não colocamos em prática os ensinos de sala. Vários professores estão sem contrato, ou seja, estamos sem aula em algumas disciplinas. Fico triste quando vejo essas lacunas na universidade. Esses problemas estão ameaçando meu futuro”, afirma a estudante Ellen Fiora, do 2º período de Jornalismo.

LEIA MAIS

Juazeiro: estudantes da UNEB realizam protesto contra sucateamento das universidades públicas estaduais

(Foto: Internet)

Estudantes da Universidade do Estado da Bahia (UNEB) Campus III, em Juazeiro, realizam nesta quinta-feira (11), às 16h, na Praça Santiago Maior, área central da cidade, uma manifestação contra o sucateamento das universidades públicas. O protesto também é em apoio aos professores das três estaduais da Bahia (UEFS, UESB e UNEB) que deflagraram greve por tempo indeterminado.

O corte de 55% dos recursos destinados às universidades afeta diretamente os estudantes. De acordo com a organização do ato, os três pilares de sustentação do ensino superior (projeto, pesquisa e extensão) estão ameaçados; equipamentos básicos como datashow, caixas de som, câmeras fotográficas e laboratórios carecem de manutenção e comprometem as aulas.

LEIA MAIS

Manifestação contra a alta no preço dos combustíveis está marcada para esta quinta-feira; o ato começa em Juazeiro e encerra em Petrolina

(Foto: Internet)

Indignados com o preço dos combustíveis em Juazeiro (BA) e Petrolina (PE), motoristas da região resolveram se unir, e nesta quinta-feira (11) realizarão uma manifestação contra a alta dos preços. A concentração está marcada para às 6h30, na Lagoa de Calu em Juazeiro.

De acordo com a coordenação do protesto, aproximadamente 100 motoristas confirmaram participação no ato que pretende chamar a atenção de donos de postos de combustíveis quanto ao preço cobrado, além do poder público para que atue contra o abuso do mercado.

“Esse protesto é pra mostrar a nossa indignação e a falta de respeito dos donos de postos com esses aumentos abusivos nos preços dos combustíveis, por que enquanto os descontos são aplicados pela Petrobras nós não sentimos isso se refletir nas nossas cidades, mas quando é aumento, imediatamente os donos de postos vão lá e fazem a alteração do preço, sem nem sequer ter recebido o combustível com aumento”, disse Rafael Ferreira, um dos organizadores do ato.

LEIA MAIS

Cabrobó: índios Trukás interditam BR-428 em manifestação contra governo Federal

Índios interditaram BR-428 na altura do KM 12 (Foto: Blog Didi Galvão/Reprodução)

A BR-428, no sentido Cabrobó a Petrolina está interditada na manhã dessa quarta-feira (27), em decorrência de uma manifestação realizada por indígenas da região. Trukás de Cabrobó e de Orocó, também no Sertão pernambucano protestam contra o Governo Federal.

Eles são contrários à municipalização da saúde indígena, hoje competência da União. A interdição acontece no km 12 da rodovia federal. O prefeito de Cabrobó, Marcílio Cavalcanti (MDB) está no local apoiando a reivindicação dos indígenas.

Nossa produção entrou em contato com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) para saber o tamanho do congestionamento na rodovia e o número de manifestantes presentes, mas ainda não tivemos retorno da PRF. (Com informações do Blog Didi Galvão).

123