Familiares de Alisson discutem com Lucinha Mota durante protesto

Alguns familiares do suspeito de apagar as imagens do dia do homicídio da garota Beatriz Angélica, Alisson Henrique, discutiram com Lucinha Mota, mãe da garota, nessa terça-feira (08), em frente à Câmara de Vereadores de Petrolina.

Um homem e uma mulher chamaram, inclusive, Lucinha de “idiota” e “imbecil”, por protestar contra a presença do advogado de Alisson na Casa Legislativa. Em vídeo publicado pelo radialista Cláudio Farias, é possível ver o momento da confusão.

“Allinson não vai se entregar porque ele é culpado, quando a pessoa é culpada ela foge, igual um rato”, diz Lucinha Mota

Lucinha Mota, mãe de Betariz Angélica Mota. (Foto: Arquivo da família)

Após a defesa de Allinson Henrique Carvalho Cunha, acusado de apagar as imagens das câmeras de segurança do Caso Beatriz, divulgar uma nota imputando o sumiço das gravações à Polícia Civil, Lucinha Mota, mãe de Beatriz, afirmou que essa atitude “só confirma que ele é culpado”.

Em entrevista ao programa Super Manhã, na rádio Jornal, com Waldiney Passos, Lucinha levantou questionamentos sobre as alegações da defesa Allinson. De acordo com os advogados, o fugitivo não teria se entregado por medo da polícia usar de “mecanismos ilegais e arbitrários a confessar crime que não cometeu”.

LEIA TAMBÉM

Perito afirma que imagens apagadas do Caso Beatriz foi erro da Polícia Civil

No entanto, Lucinha afirmou que o próprio Ministério Público já ofereceu proteção ao suspeito. “O crime que está sendo direcionado a ele é obstrução de justiça e falso testemunho. Ninguém está dizendo que foi Allinson que tirou a vida de minha princesa não. Eu que sou mãe de Beatriz tenho essa consciência. O Ministério Público pode dar proteção a ele. Por que ele não vai? Porque é culpado”, disse.

Lucinha afirmou ainda que os depoimentos de Allinson, Lorailde e Carlos André – que supostamente teriam apagado as imagens das câmeras – são controversos.  “Por tudo que eu já vi e o que foi dito pela própria desembargadora em Recife, quem apagou as imagens foi Allinson, Lorailde e Carlos André. A verdade é uma só, quando você fala a verdade sempre mantém o discurso e não é isso que acontece com esses três”.

A mãe de Beatriz disse pensar que todas as atitudes que se desdobraram do caso foram planejadas. “A imagem que não foi dada à polícia no dia, esse gravador que foi manipulado, esse pedido de dinheiro ao Colégio para mandar um HD para outro estado. Agora eu vou mais além, será que é só isso mesmo que eles querem esconder?”, questionou.

PM prende três em ponto de vendas de maconha no bairro Maria Auxiliadora

(Foto: Polícia Militar/Divulgação)

Uma equipe do GATI, do 5º BPM de Petrolina apreendeu uma boa quantidade de maconha no bairro Maria Auxiliadora, na tarde de quinta-feira (27). Segundo a Polícia Militar o NIS-4 informou que na Rua Tupinambás havia um ponto de venda de drogas e ao chegar no local a PM constatou o fato.

Um homem foi abordado pelos policiais e com ele foi encontrada uma peteca de maconha. Dando continuidade às buscas, os agentes foram até o suposto local de comercialização da droga e se deparou com mais duas pessoas embalando pacotes com maconha.

Um dos suspeitos estava armado com um revólver calibre .32. No total foram apreendidos, além da arma, cinco munições intactas para .32, 20 petecas de maconha, dois pacotes de maconha e um relógio. Os suspeitos foram presos e encaminhados à Delegacia de Polícia Civil.

Caso Beatriz: advogado atribui à polícia responsabilidade por deletar imagens de HDs

Advogado do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora, Clailson Ribeiro

O advogado Clailson Ribeiro, que representa o Colégio Nossa Senhora Auxiliadora, em Petrolina, eximiu, em entrevista à TV Grande Rio, a responsabilidade da instituição de ter deletado as imagens dos HDs e atribuiu a falha ao manuseio da polícia civil.

“Nós tratamos de prontamente entregar todos os HDs que estavam gravando as imagens do colégio da época do fato”, ressaltou o advogado ao apresentar ofício em que o então delegado Marceone Ferreira, responsável pela investigação do assassinato da menina Beatriz Angélica, ocorrido no dia 10 de dezembro de 2015, solicitou as imagens gravadas nos HDs.

De acordo com Dr. Clailson Ribeiro, o acusado de ter apagado as imagens, Alisson Henrique Carvalho, entrou na sala no dia 04 de janeiro de 2016 justamente para cumprir a solicitação da polícia.

“Um ato rápido, seria apenas de retirar os HDs. Os Hds foram postos dentro de uma caixa e no dia seguinte foram encaminhados para a polícia que acusou o recebimento dos três HDs, recebeu esses três HDs, e até então estava tudo certo”, afirmou.

O advogado mencionou que somente um ano depois da primeira solicitação formal, em 13 de dezembro de 2016, é que a polícia informou o colégio sobre a formatação automática das imagens de um dos HDs e solicitou que a instituição pagasse pela formatação das imagens que possivelmente seriam do suspeito de matar Beatriz.

LEIA MAIS

Família de Petrolina procura por adolescente que desapareceu nesta quarta-feira (25)

Uma família que mora no bairro Maria Auxiliadora, em Petrolina (PE), está a procura de um adolescente que saiu de casa nesta quarta-feira (25) para ir à escola e não voltou. Gustavo Calebe, esse que aparece na foto, tem 14 anos de idade.

O jovem saiu de casa nessa quarta-feira, por volta de 12h30, para ir à escola municipal Eliete Araújo de Souza, que fica próxima ao parque Josepha Coelho, onde ele estuda e não voltou para casa. A irmã de Gustavo, informou ao blog que o jovem havia sido suspenso das aulas desde segunda-feira (23), mas a direção da escola só comunicou à família ontem (25), depois do desaparecimento do adolescente.

Ele saiu de casa usando uma calça jeans, a camisa da farda da escola e um mochila com caderno e livros. Quem souber de alguma informação sobre Gustavo Calebe, favor ligar para (87)9 8859-5468 (Andressa) ou (87)9 8825-9778 (João Paulo).

Camerata 21 de Setembro se apresenta nesta quinta-feira na Feirinha de Páscoa em Petrolina; também haverá exposição de artesanato

O lazer da família Petrolinense de hoje (22) já tem horário e local definidos. A partir das 19h, todos podem ir a Praça Maria Auxiliadora, que fica atrás da Catedral de Petrolina (PE), visitar a Feirinha de Páscoa da cidade.

No local, 32 artistas da Oficina do Artesão Mestre Quincas irão expor as peças produzidas por eles. Os visitantes podem encontrar obras em couro, tecido, madeira, bordados e em materiais reciclados. Além disso, será um momento para apreciar a boa música. A Camerata 21 de Setembro irá abrir do temporada de concertos do ano com um belíssimo show gratuito.

Para o secretário de Cultura, Turismo e Esportes (SECULTE), Emício Junior, esta é uma oportunidade de apreciar a boa música e valorizar artistas da terra. “A Camerata 21 de Setembro preparou um repertório especial para a data, com músicas regionais e também religiosas. Quem for visitar a feira, além de apreciar o espetáculo que é realizado pela orquestra, ainda pode prestigiar o artesanato local, produzido por nossos artesãos”, destaca.

A Feira de Páscoa é um evento particular com apoio da Prefeitura de Petrolina, através da SECULTE. Na programação, além da Camerata 21 de Setembro, haverá também apresentação musical com voz e violão.

Caso Beatriz: Mãe escreve carta ao papa em busca de apoio

(Foto: Blog Waldiney Passos)

A mãe da garota Beatriz Angélica Mota da Silva, que foi brutalmente assassinada em dezembro de 2015 no colégio onde estudava, em Petrolina (PE), divulgou uma carta endereçada ao Papa Francisco. Lúcia Mota relata no texto sobre o sofrimento causado pela não descoberto do autor do crime. No texto, ela afirma, ainda, que a direção da escola não tem colaborado com as investigações.

“Vossa venerável pessoa (…) exerce um papel profético capaz de atingir as consciências e intervir no auxílio ou mesmo no sentido de sensibilizar as autoridades policiais, Ministério Público e Governador do Estado de Pernambuco, como também os administradores do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora de Petrolina, a cooperarem com a elucidação desse hediondo crime”, afirma Lúcia.

As fotos do suposto criminoso foram divulgadas em março deste ano pela delegada Gleide Ângelo. Para Lúcia, “o Vaticano também pode ajudar dando “publicidade às imagens do assassino recentemente reveladas pela Polícia Civil”.

A mensagem ao Papa é mais uma tentativa da família de Beatriz de buscar ajuda das autoridades. Os pais da menina já fizeram, pelo menos, três protestos no Recife e tiveram encontro com o governador Paulo Câmara, que assegurou esforços feitos para solucionar o caso.

Leia a carta na íntegra

Sua Santidade, Papa Francisco, Bispo de Roma e Pastor Supremo da Igreja, Estado da Cidade do Vaticano, Roma

Santo Padre,

Com profundo respeito, fé e esperança, entrego em vossas mãos esta carta que relata uma tragédia familiar e a dor de uma mãe em busca de justiça.

Todo povo brasileiro compartilha da preocupação de Vossa Santidade em se solidarizar com as mazelas sociais que afetam profundamente nossas famílias.

Quero compartilhar com Vossa Santidade um acontecimento que destruiu completamente minha família.

No dia 10 de dezembro de 2015, num evento festivo que acontecia numa escola católica administrada pelas freiras “Filhas de Maria” – o Colégio Nossa Senhora Auxiliadora de Petrolina-Pernambuco, que pertence a Rede Salesiana de Escolas – a minha filha, Beatriz Angélica Mota F. da Silva (7), foi brutal e covardemente assassinada a facadas dentro daquelas dependências.

Esse crime ainda não foi solucionado. QUERO RESPOSTAS. PRECISO DE JUSTIÇA.

Santo Padre,

O Evangelho é a grande mensagem da Vida, plenamente revelada na pessoa e na palavra de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Eu deposito minha fé na crença de que DEUS AMA A JUSTIÇA.

Não consigo continuar vivendo esse sentimento de injustiça. As autoridades policiais não possuem estrutura para atender nosso clamor. A instituição (Escola Católica) NÃO nos ajuda, omite informações, e ainda age como se estivéssemos na idade das trevas. A administração dessa entidade se utiliza de subterfúgios procurando esconder importantes evidências, obstruindo as investigações e procurando descredenciar os trabalhos já realizados pelos investigadores do caso, mesmo porque, alguns de seus funcionários são os principais suspeitos na facilitação dessa atrocidade. E isso contradiz radicalmente o ideal evangélico apoiado pelas instituições religiosas de nosso país.

Existe uma mancha indelével na nossa sociedade e esse estranho comportamento dessa escola católica afasta as famílias do Vale do São Francisco da nossa Santa Igreja.

Papa Francisco,

Vossa venerável pessoa, na qualidade de Pastor Supremo da Igreja, sendo internacionalmente reconhecido como grande líder moral da humanidade exerce um papel profético capaz de atingir as consciências e intervir no auxílio ou mesmo no sentido de sensibilizar as autoridades policiais, Ministério Público e Governador do estado de Pernambuco, como também os administradores do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora de Petrolina a cooperarem com a elucidação desse hediondo crime. E principalmente dar publicidade às imagens do assassino recentemente reveladas pela Polícia Civil de Pernambuco.

Enquanto não forem esclarecidos todos os fatos e os seus reais culpados não forem punidos existirá uma dúvida em nossa comunidade de que algumas instituições católicas trabalham para esconder práticas condenáveis de alguns de seus membros.

Querido Irmão Maior, OUÇA O MEU CLAMOR e venha em meu socorro com sua palavra de ânimo e com seus gestos divinos, capazes de expressar o Evangelho como a grande Mensagem da Alegria, da Esperança, da solidariedade e da compaixão para com todos.

Maria Lúcia Mota da Silva, Mãe de Beatriz Angélica Mota F. da Silva.

Juazeiro, Bahia.

Brasil, 10 de Julho de 2017

Homem é assassinado na Avenida Monsenhor Ângelo Sampaio, em Petrolina

(Foto: Arquivo)

Um homem, de idade não revelada, foi assassinado na avenida Monsenhor Ângelo Sampaio, no bairro Maria Auxiliadora, em Petrolina.

Segundo informações, a vítima foi atingida por disparos com arma de fogo, por volta das 16h20, e morreu no local do crime. Não há informações sobre o assassino ou a motivação para o crime. Em breve novas informações.

Família de Beatriz faz protesto em Recife e afirma que Colégio apagou imagens

(Foto: Alfeu Tavares/Folha de Pernambuco)

A família da garota Beatriz Mota esteve em Recife, na tarde desta quarta-feira (24), para realizar um protesto em frente ao Ministério Público de Pernambuco.

Os familiares pediram as prisões imediatas dos envolvidos no crime e contesta as informações divulgadas pelo órgão e pela Polícia Civil. Segundo Sandro, pai de Beatriz, o MPPE tem posse de imagens que denunciariam a identidade de cúmplices no crime.

Além disso, Sandro afirma que o Colégio Maria Auxiliadora tem atrapalhado o processo de investigação da morte da filha. De acordo com ele, o colégio teria apagado as imagens das câmeras internas. “Eu quero pedir a prisão dessa pessoa que apagou as imagens e também quero denunciar que a escola escondeu e apagou essas provas”, comentou o pai da menina.

De acordo com Lucinha Mota, mãe da criança, as imagens divulgadas em março foram recuperadas pela polícia depois de serem apagadas utilizando uma senha de administrador, que deveria estar em posse apenas de funcionários da escola.

Caso Beatriz: quarto card questiona reforma de sala de Ballet do colégio dias após o crime

15284177_668698619978944_2071031132053729838_nO quarto card divulgado pela família da garota Beatriz Mota faz um questionamento sobre um assunto que não havia sido divulgado: a reforma da sala de Ballet do Colégio Maria Auxiliadora.

Segundo a postagem feita no grupo do Facebook, “Beatriz clama por justiça”, o local exato da execução do crime ainda não foi encontrado pela perícia. Contudo, dias após o crime, a sala de Ballet, que fica próximo ao bebedouro, passou por uma reforma que, aparentemente, não era necessária.

 

Durante o dia: jovem de 19 anos é atacada nas proximidades da Univasf em Petrolina por homem em um carro

Violence victim

Foto: ilutração

Na tarde desta quinta-feira (16), uma jovem de 19 anos foi parada por um homem, de aparentemente 28 anos, em um carro verde, nas proximidades da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), para “pedir informações”. Entretanto, ele a agarrou a garota pelo braço e tentou forçá-la a entrar dentro do veículo.

Segundo informações da vítima, ela estava a caminho do shopping da cidade, quando foi abordada por um homem branco, de cabelo bem cortado e usa que aparelho, que parou o carro, baixou o vidro como quem queria pedir informações.

“Ele mandou eu ir para o lado do passageiro, para não correr o risco de algum carro me atropelar. Aí ele me deu boa tarde, perguntou meu nome, minha idade e disse que já tinha impressão de me conhecer ” contou a vítima.

LEIA MAIS

Caso Beatriz: em defesa do Colégio Maria Auxiliadora Dr. Augusto Coelho questiona foco das manifestações

Carta Augusto Coelho

“O colégio é a segunda maior vitima, depois de Beatriz, e não são justas as críticas e imprecações contra uma instituição que só merece gratidão, solidariedade e reconhecimento”, afirma Dr. Augiusto

Em carta aberta a sociedade de Petrolina o médico e ex-prefeito, Augusto de Souza Coelho, comenta pela primeira vez o caso do crime da menina Beatriz Angélica, assassinada no dia 10 de dezembro do ano passado. Dr. Augusto afirma, nas entrelinhas, que o Colégio Maria Auxiliadora, local onde ocorreu o crime, está sendo vítima de uma campanha insidiosa e injusta, e questiona por que a manifestação vai para a frente do Colégio, e não para a frente da Delegacia de Polícia?

Confira a íntegra do texto:

Causa-me indignação a campanha insidiosa e injusta contra o Colégio Maria Auxiliadora e a tentativa de desviar o eixo das buscas. Não se fala do facínora e cobra-se dos “suspeitos” a prova da inocência, quando se deviam apresentar as provas da culpa.

Enquanto isso, teima-se em perturbar a vida da comunidade regional interrompendo a ponte. E a polícia, o que tem feito? Por que a manifestação vai para a frente do Colégio, e não para a frente da Delegacia de Polícia?

O colégio é a segunda maior vitima, depois de Beatriz, e não são justas as críticas e imprecações contra uma instituição que só merece gratidão, solidariedade e reconhecimento.

Vamos fazer um esforço para restabelecer o bom senso, serenar as paixões e buscar apenas a verdade.

Ninguém tem o direito de ignorar o sofrimento da família, mas não se pode estimular sentimentos distorcidos pelo sofrimento, propiciando atitudes injustas e improprias para uma situação como essa.

Deus permita que os fatos se esclareçam e os ânimos arrefeçam.

Outra pergunta que não quer calar: depois de seis meses, a quadra esportiva do colégio permanece interditada, prejudicando as atividades da instituição. Para nada. E até quando?

Augusto de Souza Coelho/Médico e ex-prefeito de Petrolina

Caso Beatriz: em cometário a este Blog leitor teme que psicopata volte a atacar

Um comentário postado neste Blog nos chamou a atenção. Trata-se do leitor Edvaldo Alves, pai de alunos do Colégio Maria Auxiliadora. No texto ele chama a atenção para o risco que todos correm com um psicopata solto por aí, já que a assassino da pequena Beatriz ainda não identificado.

¨Sua aparente normalidade sua ¨máscara de sanidade ¨, torna-o mais difícil de ser reconhecido e, logicamente, mais perigoso “. – Vicente Garrido.

Bem, esta frase se baseia na personalidade de um psicopata, ora se estamos com um perigoso e inteligente psicopata, pois todos são muitos avessos a sentimentos e são adoráveis conquistadores quando querem ser.

Então se estão procurando um doente mental ou um ou mais loucos ensandecidos pelas ruas de Petrolina, percam suas esperanças, pois acredito que estamos diante de assassino inteligente, calculista e que tem a capacidade de entrar e sair de qualquer lugar sem chamar sua atenção.
Então eu sou um pai de 03 alunos nesta escola e eles adoram a escola assim como a Bia e seus pais, mais hoje e enquanto durar esta buscar, a dor, a cicatriz continuará a se abrir…

Quem foi? Eu, tu, ele, nos, vos e eles… a verdade é que estamos colocando centenas de novas vítimas a disposição deste psicopata, pois o local do crime continua aberto a ele ou a qualquer outro, que quiser aparecer, pois o simples fato da não solução do crime, até o momento perfeito, poderá incitar novos psicopatas.

Ora pode ser um aluno? Um pai de aluno? Um parente de aluno? Um funcionário? Um ex-funcionário? Um ex-aluno? Um drogado? Um ex-operário da última reforma?

Eu, vc, podemos falar qualquer besteira ou asneiras que estaremos falando a verdade, aquela máxima do criminoso voltar ao local do crime, com um psicopata esta realidade é mais viva do que se pensa, pois ele não está preocupado em ser pego e sim em saciar as suas macabras ações.

Deixemos de hipocrisia, estamos falando de vidas e tenho certeza que ninguém quer, que aconteça de novo…mais e se acontecer a quem vamos responsabilizar, a escola por continuar funcionando, a polícia por não interditar a mesma, a procuradoria publica por não buscar a segurança máxima da vida?

Por pior e mais absurdo que possa ser esta minha opinião, ela está bem fundada em pesquisas de sociopatas, pois os meus filhos, os seus filhos, seus netos, seus sobrinhos estão todos os dias cercados por um psicopata fantasma e pronto para fazer de novo, esperando apenas um pouco de esquecimento e de falsa segurança…

Será que vale apenas arriscar? Há! Mais qual é a chance de este psicopata voltar? É bem maior do que se imagina.

Por quer eu não tiro meus filhos da escola? É que infelizmente um juiz me disse que a mãe, ficar com a guarda dos filhos é cultural, quando eu o questionei sobre os critérios de escolha, mesmo tendo uma queixa contra a mesma no conselho tutelar. Este é o motivo, chama-se pátrio poder.

Podemos defender a nossa família, pois prefiro pecar por excesso do quer pela falta, ou ficar com esta falta do nosso lado para sempre. Prefiro que me chamem de idiota, ou qualquer outro nome, mais jamais gostaria de passar pela dor da perda de um filho, principalmente deste modo.

Edvaldo Alves

 

Leitora denuncia lixão no bairro Maria Auxiliadora

Maria Auxiliadora Lixo

A leitora atenta deste Blog, Letícia Lins, que reside na rua Camilo de Sá, bairro Maria Auxiliadora, em Petrolina-PE, não suporta mais conviver com tanto lixo.

Maria Auxiliadora Lixo 03

A falta de educação e consciência ambiental das pessoas é impressionante, associada a deficiência na coleta do lixo contribuem para uma cidade cada vez mais suja.

Maria Auxiliadora Lixo 02

12