Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Ministro da Educação admite erro ao pedir que escolas filmassem alunos cantando Hino Nacional

(Foto: Reprodução/TV MEC)

Depois da repercussão negativa, o ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez reconheceu hoje (26) que errou ao pedir que as escolas filmassem as crianças cantando o Hino Nacional, sem a autorização dos pais. Na segunda-feira (25) o Ministério da Educação (MEC) enviou um e-mail para as escolas do país pedindo a leitura de uma carta de Vélez orientando que as escolas executassem o Hino Nacional e filmassem as crianças durante o ato.

O pedido foi alvo de críticas de educadores e juristas. A carta é encerrada com as frases “Brasil acima de tudo” e “Deus acima de todos”, que foram o slogan da campanha do presidente Jair Bolsonaro nas eleições. “Eu percebi o erro, tirei essa frase, tirei a parte correspondente a filmar crianças sem a autorização dos pais. Evidentemente, se alguma coisa for publicada, será dentro da lei, com autorização dos pais”, disse o ministro.

LEIA MAIS

MEC instala lava jato da educação, diz Bolsonaro

(Foto: Marcelo Casal Jr.)

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) defendeu hoje (15) a chamada lava jato da educação, batizada com este nome pelo ministro da área, Ricardo Vélez Rodríguez, sobre as investigações de medidas adotadas em gestões anteriores. A afirmação ocorre um dia depois da assinatura de um protocolo de intenções para apurar indícios de irregularidades no âmbito do Ministério da Educação.

“Muito além de investir, devemos garantir que investimentos sejam bem aplicados e gerem resultados. Partindo dessa determinação, o ministro professor Ricardo Vélez apurou vários indícios de corrupção no âmbito do MEC em gestões passadas. Daremos início à ‘Lava Jato da Educação’”, disse o presidente na sua conta pessoal no Twitter.

LEIA MAIS

MEC divulga lista dos aprovados no ProUni

Já está disponível na internet o resultado da primeira chamada do Programa Universidade para Todos (ProUni). A lista dos aprovados no primeiro semestre foi publicada hoje (6) pelo Ministério da Educação, no site do programa.

Os candidatos convocados na primeira chamada devem procurar as universidades nas quais foram selecionados e apresentar os documentos comprovando o cumprimento dos requisitos e garantir a matrícula. O período para a comprovação começa hoje e vai até o dia 14.

A segunda chamada do Prouni será divulgada em 20 de fevereiro e a entrega de documentos dos aprovados deve ser feita entre 20 e 27 de fevereiro. O prazo para os candidatos não selecionados aderirem à lista de espera será nos dias 7 e 8 de março; o resultado da lista de espera será divulgado em 11 de março. Com informações do G1.

Inscrições para ProUni terminam hoje

(Foto: Reprodução)

Logo mais às 23h59, horário de Brasília termina o prazo para os estudantes que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2018 para realizar as inscrições do Programa Universidade para Todos (Prouni) 2019. A adesão pode ser feita exclusivamente via internet.

Além de ter feito Enem 2018, para concorrer às bolsas parciais e integrais em instituições privadas é necessário  ter tirado, no mínimo, 450 pontos na média da prova. Quem zerou a redação está automaticamente eliminado do processo.

Nesta edição foram disponibilizadas 243.888 vagas, o maior número desde o início do programa, em 2005, segundo o Ministério da Educação (MEC). Desse total, 116.813 são bolsas integrais e 127.075 são parciais.

Resultado do Sisu já está disponível na internet

Desde às 12h, horário local, o Ministério da Educação (MEC) disponibilizou o resultado do Sistema de Seleção Unificada (Sisu).

Os candidatos poderão consultar na internet se foram aprovados ou não. Nesse ano foram disponibilizadas 235.461 vagas em 129 instituições públicas do país.

A matrícula dos aprovados nas respectivas universidades começa na quarta-feira (30) e termina na próxima quarta-feira (4).

Quem não entrou de primeira pode se inscrever na lista de espera, a partir de amanhã (29), até terça-feira (5). Caso sejam remanejados, serão convocados pelas próprias instituições de ensino a partir do dia 7 de fevereiro.

MEC lança programa para simular nota no Sisu

(Imagem: Reprodução/Sisu)

O Ministério da Educação (MEC) lançou um simulador que permite os estudantes saberem quanto precisam tirar no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para ingressar no curso que desejam pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu). O simulador está disponível na internet. O programa foi desenvolvido pela equipe de Business Intelligence da Secretaria Executiva do MEC.

Ao entrar na página do simulador, o estudante coloca suas notas das disciplinas de ciências da natureza, ciências humanas, linguagem, matemática e redação de qualquer das edições do Enem que tenha participado. Depois, marca a alternativa ‘ampla concorrência’ ou ‘lei de cotas’ e, se desejar, usa os filtros disponíveis. Caso deseje uma simulação mais específica, pode ainda selecionar algumas das modalidades de concorrência, a região e a unidade da federação de sua preferência, além do curso e turno desejados.

O simulador faz um comparativo com todas as edições passadas do Enem, desde 2010, quando o Sisu foi implantado pela primeira vez, até 2018, mostrando a menor nota que ingressou em determinada graduação, por universidade e edição do Sisu.

LEIA MAIS

Resultado do Enem já está disponível na internet

(Foto: Reprodução/Agência Brasil)

O Ministério da Educação (MEC) antecipou a divulgação do resultado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018. Desde 7h30 as notas foram liberadas na internet e podem ser consultadas na Página do Participante e no aplicativo do Enem 2018.

A prioridade na consulta é dos alunos que tentam vagas em instituições de ensino superior, os chamados “treineiros” somente verão a nota daqui a dois meses, em 18 de março. Basta fornecer o número do CPF e a senha cadastrada na Página do Participante.

Com a nota o aluno pode pleitear uma vaga em instituições públicas, mas também utilizar o resultado obtido para ter descontos em faculdades particulares. As inscrições no Sistema Unificado de Seleção (Sisu) começam no dia 22 e seguem até 25 de janeiro.

Confira a seguir o cronograma completo do Sisu, ProUni e Fies:

LEIA MAIS

MEC autoriza implantação de curso de Medicina em Araripina e Arcoverde

(Foto: Internet)

A Portaria nº 924/2018, publicada no Diário Oficial da União em 27 de dezembro autorizou a implantação de três cursos de Medicina em Pernambuco. Araripina, no Sertão do Estado poderá ofertar o curso com 50 vagas, cuja mantenedora é a Faculdade Paraíso do Ceará.

De acordo com a Portaria há um prazo de implantação de até 18 meses, pois há necessidade de construção de um campus. Além de Araripina, o Ministério da Educação (MEC) liberou o curso em outro município sertanejo. Em Arcoverde o tempo deverá ser menor, tendo em vista que já existe um campus da Universidade de Pernambuco (UPE) no município.

O curso será ofertado pela Faculdade Leopoldo Mandic, como explica a prefeita Madalena Brito. “A UPE possui uma estrutura grande e poderia ser feita essa parceria. Também estive em reunião com os investidores do Shopping de Arcoverde, que tiveram interesse em abrigar a instituição. O mais importante é que a faculdade de medicina é uma grande conquista e que mudará o perfil da cidade”, disse.

Outra cidade a ser contemplada pelo MEC é Goiana, cuja mantenedora do curso será a Faculdade Tiradentes. As instituições selecionadas têm um prazo de 21 de janeiro até 8 de fevereiro para entregarem ao órgão federal a Garantia de Execução dos termos previsto no edital e a assinatura do Termo de Compromisso.

Com informações da Folha de Pernambuco

MEC vai propor nova estrutura para cursos de pedagogia

(Foto: Ilustração)

O Ministério da Educação (MEC) vai encaminhar ao Conselho Nacional de Educação (CNE), nesta semana, uma proposta de modificação dos cursos de pedagogia, segundo a secretária de Educação Básica, Kátia Smole. A proposta é que os estudantes possam escolher formações específicas ainda durante a graduação.

Na última quinta-feira (13), a secretária fez uma apresentação para jornalistas do esboço da proposta para o curso de pedagogia. A ideia é que nos dois primeiros anos, os estudantes recebam uma formação comum em todas as instituições públicas e particulares de ensino superior.

Durante esse período, terão aulas sobre políticas públicas, didáticas, conhecimentos sobre contexto e aprendizagem. Terão também aulas sobre a Base Nacional Comum Curricular, que estabelece o que todas as crianças e jovens devem aprender em todas as escolas brasileiras.

LEIA MAIS

Carmen Lúcia suspende decisões da justiça que permitem acesso de policiais em universidades

(Foto: Reprodução/Twitter)

A ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal, concedeu neste sábado (27) decisão para suspender os efeitos judiciais e administrativos que determinaram o ingresso de agentes da Justiça eleitoral e de policiais em universidades públicas e privadas.

Na decisão da ministra também ficam suspensos o recolhimento de documentos, de depoimentos e a interrupção de aulas, debates ou manifestações de alunos e professores. Lúcia fez coro às críticas de instituições como a Procuradoria Geral da República (PGR) que condenou os atos classificados como censura.

“Toda forma de autoritarismo é iníqua”, disse a ministra em sua decisão. Durante a semana a imprensa nacional repercutiu as ações de policiais e fiscais eleitorais em universidades de todo o país.

Políticos, ministros do Supremo Tribunal Federal, integrantes do Ministério Público, da comunidade acadêmica e organizações da sociedade civil criticaram a ação. Apesar da repercussão o Ministério da Educação (MEC) ficou omisso e não se manifestou sobre o tema durante a semana, afirmando que as universidades são autônomas e respondem por si.

Início do horário de verão é adiado, para não coincidir com aplicação do Enem

(Foto: Internet)

O Governo Federal adiou o início do horário de verão, de 4 para 18 de novembro. O motivo da alteração foi um pedido feito pelo Ministério da Educação (MEC), já que a primeira data coincidia com a aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Michel Temer (MDB) se reuniu com o ministro de Minas e Energias, Moreira Franco nessa semana e atendeu ao pedido do MEC. A decisão ainda será publicada no Diário Oficial, mas com a mudança, o horário de verão começará em 18 de novembro e terminará em 16 de fevereiro de 2019.

O horário de verão geralmente tem início em outubro, mas a data foi postergada para não atrapalhar a apuração dos votos nos estados. O programa foi instituído pela primeira vez no Brasil no verão de 1931/1932 e vem sendo adotado continuadamente desde 1985.

MEC pede mudança no início do horário de verão, para evitar choque com data do Enem

(Foto: Reprodução/Internet)

O horário de verão em 2018 terá início apenas em novembro, para não atrapalhar a apuração durante a eleição de outubro. No entanto, a data anunciada pelo Governo Federal coincidirá com a aplicação das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), no dia 4 de novembro.

Entretanto, o Ministério da Educação (MEC) já acionou o presidente Michel Temer (MDB) para alterar a data. Segundo o MEC, há uma preocupação de que a mudança nos relógios possa confundir os candidatos nos diferentes estados.

Se não houver modificação, o horário de verão começará à meia-noite do dia 4 de novembro e terminará em 16 de fevereiro de 2019. O pedido deve ser encaminhado à Casa Civil, comandada pelo ministro Eliseu Padilha e a mudança depende de alteração em decreto presidencial.

O horário de verão é aderido nos estados do Sul, Sudeste e Centro Oeste, além do Distrito Federal e desde 2008 um decreto presidencial estabelece as datas para início e fim do programado, utilizado de forma continua desde 1985, com a função de diminuir o consumo de energia.

Inscrições para estudantes do Fies são prorrogadas devido a erro

Após uma falha que impediu a inscrição de estudantes o Fies (Financiamento Estudantil) do segundo semestre, o Ministério da Educação (MEC) ampliou o prazo para o grupo afetado pelo erro.

Agora, os estudantes têm até o dia 17 deste mês para garantir uma vaga na universidade pelo programa federal. O prazo vencia nesta sexta-feira (10).

Para não perder o financiamento, os estudantes precisam atualizar os cadastros na página do Fies na internet, fase em que eles não conseguiram concluir no prazo estipulado pela pasta da educação do governo federal devido á falha.

Fies: inscrições são prorrogadas até amanhã (24)

(Foto: Internet/Ilustração)

Uma falha no sistema fez o Ministério da Educação (MEC) prorrogar as inscrições para o Financiamento Estudantil (Fies) do segundo semestre de 2018 foram prorrogadas até as 23h59 desta terça-feira (24). 155 mil vagas estão disponíveis, das quais 50 mil têm juros zero.

O MEC informou ainda que o cronograma não foi alterado e o resultado será divulgado na sexta-feira (27), na internet. Podem participar do Fies quem fez o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir de 2010, sem ter zerado a redação e ter nota acima igual ou superior a 450.

“Para aqueles que não refizeram, o sistema automaticamente cancelou a inscrição e o MEC os comunicou, também via e-mail e SMS. Ainda, para não prejudicar os alunos, o MEC decidiu prorrogar o prazo de inscrição do processo por mais dois dias”, diz o ministério em nota.

Para concorrer pela modalidade de financiamento do Fies, é preciso ter renda familiar mensal bruta per capita de até três salários mínimos. Já na modalidade P-Fies (quando o agente financeiro é o banco), a renda familiar mensal bruta per capita deve ser de de três a cinco salários mínimos.

MEC divulga hoje resultado da primeira chamada do ProUni

(Foto: Divulgação)

O Ministério da Educação (MEC) divulga hoje (2) o resultado do Programa Universidade para Todos (ProUni). A lista dos candidatos pré-selecionados na primeira chamada estará disponível na página do programa.

De acordo com o MEC, a pré-seleção assegura ao candidato apenas a expectativa de direito à bolsa. Aquele que estiver na lista deverá comparecer à instituição de ensino para a qual foi selecionado e apresentar os documentos que comprovem as informações prestadas na ficha de inscrição.

O candidato deve verificar, na instituição, os horários e o local de comparecimento para a aferição das informações. A perda do prazo ou a não comprovação das informações implicará, automaticamente, a reprovação do candidato.

O prazo para que isso seja feito começa hoje e vai até o dia 10 de julho. A lista com a documentação necessária pode ser consultada na página do ProUni. 

LEIA MAIS
123