Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Hospital Dom Malan/IMIP de Petrolina alerta sobre perigos da Meningite

(Foto: Arquivo)

O Dia Mundial de Combate à Meningite é lembrando anualmente no dia 24 de abril, e o Hospital Dom Malan/IMIP de Petrolina (PE), por meio da direção de atenção à saúde, alerta a população sobre os sinais, sintomas e perigos da doença.

A meningite é uma inflamação das meninges (membranas que envolvem o encéfalo e a medula espinhal), causada, principalmente, por vírus ou bactérias.

A meningite viral é mais leve e os sintomas se assemelham aos da gripe. Já a bacteriana tem como agente etiológico os meningococos, pneumococos ou hemófilos. Esta é altamente contagiosa e (geralmente) grave, podendo levar o paciente a óbito ou evoluir com danos ao cérebro.

LEIA MAIS

Juazeiro: Unidades Básicas de Saúde são abastecidas com vacina contra meningite

(Foto: ASCOM)

Segundo a Secretaria Municipal da Saúde (SESAU), as doses da vacina contra Meningo C começaram a ser distribuídas na manhã desta segunda-feira (03). Ao todo 1.200 doses foram disponibilizadas para Juazeiro (BA). A vacina deve ser aplicada em criança entre três e cinco meses com reforço aos 12 meses

De acordo com a Superintendente de Vigilância em Saúde Tatiane Malta a vacina é a melhor proteção para a criança. “A vacina é a melhor maneira de protegermos nossas crianças. São nos primeiros meses de vida que devemos intensificar os cuidados, pois o organismo da criança está se formando e precisa de imunização. Convidamos os pais e responsáveis a buscar a unidade de saúde mais próxima de sua residência para estar se informando sobre quais as vacinas a criança precisa”, explicou.

A vacina Meningo C é oferecida gratuitamente pelo SUS e previne a doença meningocócica C. As salas de vacina das UBS ficam abertas das 08h às 12h e das 13:30 às 16:30.

Governo quer vacinar adolescentes contra meningite e HPV

(Foto: Divulgação)

Dez milhões de jovens estão sendo convocados a comparecer aos postos de saúde para serem imunizados contra HPV e Meningites. A convocação foi feita nesta terça-feira (13) pelo Ministério da Saúde, que lançou a Campanha de Mobilização e Comunicação para a Vacinação dos Adolescentes.

Devem receber a dose contra o HPV meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos. Já a faixa etária de imunização contra a meningite C foi ampliada e passa a ser de 11 a 14 anos. Até o ano passado, eram imunizados apenas meninos e meninas de 12 e 13 anos.

“A campanha está completamente de acordo com a mudança de foco que estamos implantando no Ministério da Saúde, que é priorizar a prevenção”, avaliou o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

A vacina estará disponível o ano inteiro para adolescentes e não em um período pré-definido. A campanha será de esclarecimento e conscientização para que o público alvo compareça aos pontos de vacinação.

Com o slogan “Não perca a nova temporada de vacinação contra a meningite C e o HPV”, a campanha será veiculada de 13 a 30 de março por meio de filme, jingle para rádios, outdoor, envelopamento em metrô e ônibus, peças digitais e conteúdos para redes sociais, cartazes e folders.

LEIA MAIS

Morte por suspeita de meningite é registrada em Salgueiro

A meningite só será confirmada com o resultado o exame de LCR (Foto: Reprodução)

Durante a madrugada de terça-feira (8) uma mulher de 20 anos, morreu na UTI do Pronto Socorro São Francisco, em Salgueiro. A suspeita é que a morte da jovem tenha sido causada pela meningite.

A vítima Cristiane Nascimento, deu entrada no hospital na última quinta-feira (3) e apresentou febre por cinco dias, dores e convenções e chegou a ficar internada por oito dias na UTI.

A suspeita de meningite só será confirmada com o resultado o exame de LCR. Cristiane foi sepultada na tarde da terça-feira.

Suspeita de H1N1 em estudante que faleceu após viagem é descartada após exames

aluno-facape

A Secretaria de Saúde de Petrolina emitiu uma nota nesta quarta-feira (23) esclarecendo a causa da morte do estudante Lucas de Souza Santos, 26 anos. Segundo a secretaria, após a realização de exames a suspeita de contaminação pelo vírus H1N1 foi descartada. O jovem faleceu por causa de uma meningite meningocócica, causada pela bactéria Neisseria Meningitidis.

Confira a nota: 

A Secretaria de Saúde de Petrolina esclarece, em resposta a ocorrência do óbito de um jovem com suspeita de H1N1 no último dia 16 de novembro, que foi realizada investigação e coleta de exames para ajudar na identificação das causas. Após a analise foi detectada a presença da bactéria Neisseria Meningitidis, através do método PCR em tempo real.

Os contactantes que foram submetidos as coletas de swabs naso e orofaríngeosobtiveram resultado negativo para vírus respiratórios, entre eles, o H1N1, pelo método de Imunoflorescencia Direta. Todas as medidas de prevenção e controle foram realizados pela Secretaria de Saúde, que permanece vigilante para o desenvolvimento de ações preventivas em agravo de importância pública.

Menino de 11 anos morre com suspeita de meningite

hospital recife

Um menino de 11 anos morreu com suspeita de meningite pneumocócica no Recife. A criança estava internada na UTI do Hospital Correia Picanço, no bairro da Tamarineira, Zona Norte da cidade, e teve morte cerebral diagnosticada no final da tarde ontem, falecendo em seguida. O caso foi confirmado pela Secretaria de Saúde do Recife. A Secretaria Estadual de Saúde (SES) acrescentou que o paciente foi encaminhado na segunda-feira passada de um hospital privado, já em estado grave, para a UTI da unidade da rede pública.

A criança morava no bairro da Madalena, Zona Oeste do Recife, e estudava no Colégio Maria Auxiladora. Também segundo a Secretaria de Saúde do Recife, a escola, localizada no bairro das Graças, está com as aulas suspensas nesta quinta-feira apenas para a realização de um trabalho de higienização, e não deverá ser interditada.

O secretário de saúde do Recife, Jailson Correia, garantiu que não há motivo para pânico: “A Vigilância Epedimiológica está acompanhando de perto o caso. Não há nenhuma mudança de padrão. O tipo de bactéria suspeita não tem uma alta taxa de transmissão de  pessoa a pessoa, mas surge geralmente quando uma infecção, como de ouvido, não é tratada corretamente. Não há razão para interdição da escola e uma equipe fará palestras aos pais falando das medidas necessárias”.

LEIA MAIS