Compesa é multada em mais de R$ 2 milhões por irregularidades em estações de esgoto em Petrolina

Falta de bombas reservar causa poluição do meio ambiente, segundo diretor da ARMUP. (Foto: ASCOM)

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) foi multada em mais de R$ 2 milhões pela Prefeitura de Petrolina por irregularidades em estações de esgoto da cidade. Após inspeções, a Agência Reguladora de Serviços Públicos do Município de Petrolina (ARMUP) constatou que 13 estações de tratamento de esgoto estavam sem bombas reservas.

De acordo com Rubem Franca, diretor-presidente da ARMUP, a Companhia já havia sido notificada em junho deste ano para que se adequasse às normas estabelecidas e disponibilizasse bombas reservas para recolher esgotos brutos até as estações de tratamento. Ainda segundo o diretor, a ausência dos equipamentos resulta em poluição ambiental.

LEIA TAMBÉM

Prefeitura de Petrolina multa Compesa em quase R$ 800 mil por lançar esgoto em afluente do Rio São Francisco

Após multa milionária da AMMA, Compesa afirma que não despeja esgoto no rio São Francisco

“Esses equipamentos são importantíssimos para a segurança do sistema e para a preservação do meio ambiente, pois, como o próprio nome diz, entram em funcionamento quando a bomba principal sofre uma avaria ou é retirada para manutenção preventiva ou de rotina. Quando não há bombas reservas instaladas nas estações, os esgotos são lançados, via de regra, em um riacho mais próximo, afluente do Rio São Francisco ocasionando sérios danos ambientais”, disse.

Estações com irregularidades

De acordo com as fiscalizações, as irregularidades foram encontradas nas seguintes estações: Estação Elevatória da Vila Marcela, Jardim Amazonas, Ouro Preto, Jardim São Paulo, São Gonçalo, Colina do Rio, Dom Avelar Final, Dom Avelar III, Residencial Nova Vida I, João de Deus, Monsenhor Bernardinho, Rajada I e Rajada II, totalizando multa no valor de R$ 2.046.928,00.

LEIA MAIS

Globo terá de pagar R$ 4 milhões para família de Domingos Montagner

Ator faleceu durante as filmagens da novela “Velho Chico”/Foto: Divulgação TV Globo

No mês de setembro de 2016, o ator Domingos Montagner morreu durante as gravações da novela “Velho Chico” após desaparecer no Rio São Francisco, entre Sergipe e Alagoas. Por conta do acidente, a família dele será indenizada pela TV Globo.

Segundo informações do site “Rondônia Ao Vivo”, o valor que a emissora terá de pagar para a viúva e os três filhos do artista será de R$ 4 milhões, quitados em parcelas que podem variar de R$ 70 mil a R$ 100 mil por mês. Já a prefeitura de Canindé de São Francisco, cidade onde tudo ocorreu, ainda não se manifestou sobre uma possível indenização, já que no local onde o famoso mergulhou não havia placas de sinalização para informar sobre os perigos da correnteza do lugar.

Procurada pelo site “Pure People”, a TV Globo não confirmou o pagamento da quantia citada para a família do ator Domingos Montagner, que foi homenageado no mês passado por alguns atores no troféu “Melhores do Ano” – premiação que acontece anualmente no programa “Domingão do Faustão”.

Justiça bloqueia R$ 38 mi do Facebook por descumprir ordem sobre WhatsApp

(Foto: Internet)

O valor bloqueado corresponde à soma de multas individuais de R$ 1 milhão. (Foto: Internet)

A Justiça Federal decidiu bloquear R$ 38 milhões do Facebook Brasil por descumprimento de decisão judicial que obrigava a rede social a fornecer dados de cadastros e quebrar o sigilo de mensagens trocadas pelo aplicativo WhatsApp para fins de investigação. A decisão foi tomada em primeira instância, e a multinacional pode recorrer.

O valor bloqueado corresponde à soma de multas individuais de R$ 1 milhão estipuladas para cada dia de descumprimento da decisão judicial. A ação, que corre em segredo de Justiça, foi movida pelo MPF/AM (Ministério Público Federal no Amazonas). 

LEIA MAIS