Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Bolsonaro pede que PF esclareça ataque a faca que sofreu na campanha

Bolsonaro segue internado.

O presidente Jair Bolsonaro cobrou, neste domingo (10), que a Polícia Federal esclareça “nas próximas semanas” quem foi, ou “quem foram”, os mandantes do atentado sofrido por ele no dia 6 de setembro , em Juiz de Fora (MG), durante a campanha eleitoral.

“Espero que a nossa  querida Polícia Federal, polícia que nos orgulha a todos, que tenha uma solução para o nosso caso nas próximas semanas. Esse crime, essa tentativa de homicídio, esse ato terrorista praticado por um ex-integrante do PSOL, não pode ficar impune. E nós queremos, sim, e gostaríamos, que a PF indicasse, obviamente que, com dados concretos, quem foi, ou quem foram os responsáveis por determinar que o Adélio [Bispo de Oliveira] praticasse aquele crime”, disse Bolsonaro no primeiro vídeo gravado por ele no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde está internado.

Postado no Twitter, no vídeo, que tem duração de 1 minuto e 44 segundos, Bolsonaro agradece o tratamento que recebeu da equipe médica em São Paulo Einstein e também na Santa Casa de Juiz de Fora, onde teve o primeiro atendimento após o ataque.

LEIA MAIS

Operação da PF combate fraudes na compra de medicamentos em Pernambuco

(Foto: Ilustração)

Na manhã desta quarta-feira (19), a Polícia Federal, com o apoio da Controladoria-Geral da União (CGU) e Receita Federal, deflagrou uma operação para apurar irregularidades na compra e fornecimento de medicamentos, custeados com dinheiro público, em três prefeituras do estado de Pernambuco.

De acordo com a CGU, o inquérito, instaurado a partir dos resultados de fiscalização da CGU em contratos para fornecimento de medicamentos num dos municípios, constatou fraudes em processos licitatórios, superfaturamento, pagamento por medicamentos entregues fora do prazo previsto em contratos e ausência de justificativa para a quantidade de medicamentos contratados entre outras irregularidades.

LEIA MAIS

Governador do Rio de Janeiro, Pezão é preso em nova operação contra corrupção da Lava-Jato

PF entra no Palácio Laranjeiras para prender o governador Luiz Fernando Pezão. (Foto: OGlobo)

Agentes da Polícia Federal (PF) e procuradores da República foram às ruas nesta quinta-feira para cumprir ao menos nove mandados de prisão. O principal alvo da operação intitulada “Boca de Lobo” foi o governador do Rio de Janeiro Luiz Fernando Pezão.

O pedido de prisão foi feito pela (PF) do Rio, com aval da Procuradoria Geral da República, a um mês do término do seu mandato. Entre outros alvos da ação estão o secretário de Obras do Rio, José Iran, e operadores financeiros ligados ao governador.

Segundo informações do jornal O Globo, no apartamento do Pezão, no Leblon, a equipe da PF não achou ninguém. Uma equipe também foi à casa da mãe do governador, também no Leblon.

Ex-prefeito de Salgueiro emite nota sobre operação da Polícia Federal

Em nota, Marcones Libório disse que nada tem a temer. (Foto: Divulgação/ASCOM)

Na manhã desta quarta-feira (28), a Polícia Federal (PF) cumpriu oito mandados de buscas e apreensões nos municípios de Salgueiro (PE), Recife (PE) e Olinda (PE). A “Operação Solaris” tem o objetivo de combater supostos desvios de dinheiro público na Secretaria de Saúde de Salgueiro. Dois mandados foram cumpridos na prefeitura da cidade sertaneja.

Segundo a PF, foram cinco meses de investigações, que apontam para um esquema de corrupção e propina envolvendo ex-funcionários da antiga gestão e uma empresa contratada para fornecer hospedagem e alimentação dos pacientes enviados pela Prefeitura de Salgueiro, através do Programa Tratamento Fora do Domicílio (TFD), que é ligado ao Ministério da Saúde.

LEIA TAMBÉM:

PF realiza operação contra esquema de corrupção em Salgueiro

Há pouco, o ex-prefeito de Salgueiro, Marcones Libório de Sá (PSB) publicou uma nota, através de sua assessoria, sobre a realização da Operação Solaris. O ex-prefeito disse que apoia as investigações e que nada tem a temer. “Mantemos uma posição transparente, coerente, firme e austera com a esfera pública como sempre conduzimos nossas administrações. Não tememos nada até porque não existiu por nossa parte nenhum desvio de conduta ética e se alguém cometeu falhas, não houve anuência”, diz um trecho da nota.

“De qualquer forma, é com a tranquilidade e serenidade de sempre, que tendo como principal marca do nosso tempo no governo a transparência e credibilidade, esperamos que tudo seja esclarecido, e no caso de irregularidades os envolvidos sejam punidos”, finalizou Libório.

Polícia apreende mais de duas toneladas de cocaína em Petrolina

A droga estava escondida dentro de uma parde falsa em um galpão, localizado no bairro Jardim Amazonas em Petrolina. (Foto:Divulgação/PM)

Menos de 24 horas após as Polícias Militar e Federal apreenderem em Juazeiro (BA) 1,5 tonelada de pasta-base de cocaína em Juazeiro avaliada em R$ 30 milhões, uma nova operação, desta vez em Petrolina (PE), resultou na apreensão de mais de duas toneladas da droga.

LEIA TAMBÉM:

Operação apreende droga que vinha de São Paulo a Juazeiro

A droga foi localizada dentro do depósito de um galpão, no bairro Jardim Amazonas, na madrugada de sábado (24). A operação em conjunto contou com homens da Polícia Federal (PF), Núcleo Integrado de Segurança (NIS-2) e do 2º Batalhão Integrado Especializado de Policiamento (BIEsp) da Polícia Militar de Pernambuco (PMPE).

O Tenente Coronel, Bantim, comandante do Segundo Biesp de Petrolina afirmou que a operação aprendeu 2.678 quilos da droga. “Foi uma pancada forte no tráfico de drogas na região”. Até o momento ninguém foi preso, o caso está sendo investigado pela PF de Juazeiro.

Com informações do Jornal do Commercio

PM e PF erradicam 24 mil pés de maconha em fase de colheita em Orocó

(Foto: Reprodução/G1)

Nesta sexta-feira (02), policiais militares e federais realizaram a erradicação de um plantio de maconha em uma ilhota no Rio São Francisco, na Zona Rural de Orocó (PE). De acordo com a 2ª Companhia Independente de Polícia Militar (2ª CIPM) foram localizados 24 mil pés da erva em fase de colheitas distribuídas em seis mil covas.

Segundo a polícia, também foi apreendido no plantio aproximadamente 20 quilos de maconha pronta para o consumo e aproximadamente dois quilos de sementes da erva.

Toda a droga foi erradicada e incinerada no local do plantio e uma amostra encaminhada a Delegacia de Polícia Federal de Salgueiro (PE) para serem tomadas as providências cabíveis.

Com informações do G1

Polícia Federal atualiza informações sobre o roubo a aeronave, em Salgueiro

Metralhadora apreendida durante a operação. (Foto: Divulgação/PF)

Na manhã desta quarta-feira (26) uma operação da Polícia Federal em conjunto com a Polícia Militar impediu um assalto no Aeroporto de Salgueiro (PE), quando diversos indivíduos fortemente armados tentaram roubar valores que estavam sendo transportados em um avião de empresa de segurança, que iria abastecer um banco da cidade.

Segundo a PF, no momento da aterrissagem, os assaltantes invadiram a pista do aeroporto e abordaram os vigilantes dos carros-fortes que transportariam o dinheiro. Eles também dispararam contra o avião, ferindo o piloto e obrigando-o a parar.

LEIA TAMBÉM:

Mega-operação da Polícia Federal e Militar impede roubo a aeronave em Salgueiro

Durante a abordagem houve intenso confronto entre os assaltantes e os policiais, resultando na morte de seis bandidos e no ferimento de outro, que foi levado para um hospital local. Além desses, já foram presos mais quatro integrantes da quadrilha.

Com os assaltantes foram apreendidos seis fuzis e uma metralhadora ponto 50, que estava instalada em um dos veículos utilizados. Os assaltantes que estavam em outro veículo, conseguiram fugir do local. Estão sendo realizadas buscas na região, com o apoio da Polícia Militar, para localização e prisão desses assaltantes.

LEIA MAIS

Nova etapa da Zelotes investiga 8 suspeitos de desviar R$ 900 milhões

(Foto: Mateus Coutinho/ O GLOBO)

Oito pessoas e duas empresas são alvo da décima etapa da Operação Zelotes nesta quinta-feira (26). Segundo o MPF (Ministério Público Federal), são apuradas irregularidades junto ao Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais) que causaram prejuízos de cerca de R$ 900 milhões.

Os nomes dos alvos desta etapa não foram divulgados pelos investigadores. De acordo com o jornal “Folha de S.Paulo”, um dos alvos da ação é o economista Roberto Giannetti da Fonseca, ligado ao pré-candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin. Ele é suspeito de receber pagamentos para ajudar a siderúrgica Paranapanema a se livrar de débitos de R$ 900 milhões, aplicados pelo Fisco, no Carf, em 2014, segundo o jornal.

LEIA MAIS

Determinação de Moro prevê escolta da PF para depoimento de Lula

(Foto: Internet)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva já tem encontro marcado com o juiz federal Sérgio Moro. Ele será interrogado novamente pelo magistrado no dia 11 de setembro. Em ofício expedido nessa quarta-feira (27), Moro determinou que a Polícia Federal tome as providências necessárias para escoltar Lula até a sede da Justiça Federal no Paraná.

Se continuar preso até o interrogatório, será a primeira vez que o ex-presidente deixará a cela da Superintendência da PF, em Curitiba, desde sua prisão, em 7 de abril. Lula cumpre pena de 12 anos e um mês pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no caso do apartamento triplex em Guarujá (SP).

A prisão do petista foi determinada por Moro, que ordenou a execução provisória da pena após a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que autorizou prisões após o fim dos recursos na segunda instância da Justiça.

Sindicato da PF pede transferência de ex-presidente Lula

A Polícia Federal informou que é responsabilidade da Justiça decidir sobre transferência de um preso.

O Sindicato dos Delegados de Polícia Federal do Paraná (SinDPF/PR) enviou nessa quarta-feira (11) um ofício à Superintendência do órgão no estado pedindo que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva – que cumpre pena em sala especial no prédio da PF em Curitiba – seja transferido. O sindicato argumenta que a grande movimentação no local, com manifestações, em decorrência da prisão do ex-presidente tem provocado transtornos aos moradores da região e prejudicado atividades de trabalho dos policiais.

Em nota à imprensa, o sindicato diz que solicitou no pedido “a transferência imediata do ex-presidente para uma unidade das Forças Armadas, que possua efetivo e estrutura à altura dos riscos envolvidos”. Conforme nota do sindicato, “em razão da invasão da região próxima deste prédio de centenas de pessoas ligadas a movimentos sociais e outras facções, por questões de segurança, foi determinado o bloqueio de acessos e demais medidas assecuratórias, causando graves inconvenientes e atrasos nos atendimentos e ações policiais.”

O SinDPF/PR diz na nota que o bloqueio de acessos está “causando graves inconvenientes e atrasos nos atendimentos e ações policiais” e que por conta disto os policiais federais envolvidos nesta operação de segurança estariam “sem poder desenvolver suas atividades policiais normalmente”.

De acordo com o ofício enviado à direção da PF paranaense, a presença do ex-presidente na superintendência poderia resultar em “transtornos e riscos à população e aos funcionários da Polícia Federal”, bem como à rotina do órgão, em especial no que se refere à prestação de serviços como emissão de passaportes e questões relacionadas a produtos químicos, segurança privada, armas e emissão de certidões de antecedentes criminais.

Para evitar que as manifestações ocorram na proximidade do prédio, o acesso ao local foi bloqueado para não moradores da região. “Há comprovados riscos à população que reside no entorno do prédio da PF, aos policiais federais e demais integrantes do sistema de segurança pública que moram nas imediações da sede da Polícia Federal, ao passo que alguns invasores, que já se instalaram com barracas, já estão promovendo ações no sentido de intimidar estas pessoas”, diz a nota.

“Outrossim, outros policiais federais e moradores estão informando, extraoficialmente, que temem pela segurança de suas famílias em face das ameaças e presença de tais manifestantes”, completou a nota do SinDPF/PR.

Fonte Agência Brasil

Lula diz a jornalista que não vai se entregar

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse ao jornalista Ricardo Kotscho, da Folha de S. Paulo, que não pretende ir a Curitiba se entregar à Polícia Federal.

O juiz federal Sérgio Moro determinou a prisão de Lula nesta quinta-feira (5) e deu até as 17h desta sexta (6) para que o presidente se apresente à Superintendência da PF na capital do Paraná.

O ex-presidente passou a noite ao lado de aliados, parentes e amigos no Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo (SP) e deve acompanhar o ato de apoio convocado pelo Partido dos Trabalhadores e centrais sindicais.

Por telefone, Lula teria dito a Kotscho que estava “tranquilo, bem disposto, e que já tinha feito seus exercícios matinais como faz todos os dias”.

Raul Jungmann abrirá concurso para a PF e PRF

O orçamento da pasta será anunciado pelo presidente Michel Temer.

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, informou, ao anunciar ontem (28) a equipe do novo ministério, que foi autorizado a abrir concurso para as polícias Federal e Rodoviária Federal, e que o Ministério do Planejamento não contingenciará as verbas do órgão.

O orçamento da pasta será anunciado pelo presidente Michel Temer. Jungmann anunciou que vai marcar um encontro dos ministros de Segurança de todos os países da América do Sul para discutir a situação das fronteiras, e defendeu que uma autoridade do continente coordene a discussão do tema.

Ele também revelou os nomes que formarão a equipe da pasta. O general Carlos Alberto Santos Cruz acumulará a Secretaria-Executiva e a Secretaria Nacional de Segurança Pública; o diplomata Alessandro Candeas será o chefe de gabinete; o delegado Rogério Galloro será o diretor da Polícia Federal; Renato Borges Dias fica na direção da Polícia Rodoviária Federal, e Carlos Felipe de Alencastro, como diretor do Departamento Penitenciário Nacional. O Ministério foi criado por Medida Provisória na terça-feira (27) pelo presidente Michel Temer.

O ministro informou que o presidente Michel Temer vai se reunir nesta quinta-feira (1) com governadores para discutir ações de segurança pública. Ele disse que não adiantaria os números sobre o orçamento da pasta, para que sejam divulgados pelo presidente. Mas adiantou que o Ministério do Planejamento não contingenciará as verbas do órgão. Anunciou ainda que foi autorizada a abertura de concurso para as polícias Federal e Rodoviária Federal.

Fonte FolhaPE

Polícia Federal cumpre mandados de prisão por fraudes no INSS em Pernambuco e mais dois estados

(Foto: Internet)

A Polícia Federal (PF) cumpriu na manhã desta terça-feira, nove mandados de prisão, sendo 7 na cidades de Mogeiro e Campina Grande, na Paraíba; 1 em Jaboatão dos Guararapes, em Pernambuco e mais 1 Curitiba, no Paraná (1).

Os alvos são pessoas que foram condenadas em primeira instância pela Justiça Federal de Campina Grande por fraudes em centenas de benefícios previdenciários e empréstimos consignados, entre 2013 e 2015.

Os mandados de prisão foram expedidos pela Justiça Federal após pedido do Ministério Público Federal para que os condenados em segunda instância passem a cumprir pena provisoriamente.

O coordenador da operação e delegado da Polícia Federal, Raone Aguiar, explicou que a Operação Fanes foi deflagrada no dia 9 de setembro de 2015.

Ao todo, 31 pessoas foram indiciadas, 27 foram condenadas e 4 absolvidas. Os processos judiciais foram divididos em cinco e em dezembro houve o julgamento de um processo com 9 pessoas.

Segundo o coordenador, foram condenados uma mulher em Curitiba, um homem em Jaboatão e 6 pessoas em Campina Grande, uma mulher e cinco homens, nos quais dois estão foragidos. A menor pena foi de 7 anos e 5 meses de regime semiaberto e a maior foi a um servidor de INSS de 24 anos e 8 meses.

Setor Público deve realizar concursos para 162 mil vagas em todo Brasil, em 2018

(Foto: Internet)

Depois que o governo federal anunciou que destinará R$ 600 milhões do orçamento para concursos públicos em 2018, aumentaram as expectativas de quem sonha em ocupar uma vaga no serviço público.

Espera-se a abertura de 162 mil vagas na administração pública, quase o dobro das 85 mil oportunidades oferecidas em 2017. Um número recorde de editais e vagas. Há cargos em todo o país, no Legislativo, Executivo e Judiciário, e a remuneração pode ultrapassar os R$ 20 mil.

Os mais esperados pelos candidatos são o do Ministério Público da União (MPU), da Polícia Rodoviária Federal (PRF), da Polícia Federal (PF) e Receita Federal.

Estados e municípios também contam com oferta de vagas. Em Pernambuco o Superior Tribunal Militar (STM) está com inscrições abertas para um concurso que vai preencher 42 vagas. Algumas delas são para Recife. O salário pode chegar a R$ 11 mil.

A aeronáutica abre inscrições para seleção de 3º sargento a partir do dia 8 de janeiro. Também está oferecendo vagas para o estado de Pernambuco. O salário inicial é de R$ 3.584,00.

Em 2018, pelo menos mais dez instituições públicas de Pernambuco já sinalizaram que irão realizar concursos. Fique atento e comece a estudar agora mesmo.

PF deflagra operação no das Princesas e na Vice-Governadoria

A Polícia Federal deflagra desde as primeiras horas desta quinta-feira uma megaoperação para desarticular um esquema criminoso de desvio de recursos públicos, fraudes em licitações e corrupção de servidores públicos vinculados à Secretaria da Casa Militar do Estado de Pernambuco. Ao todo, 260 policiais federais de 10 estados da federação e 25 servidores da Controladoria-Geral da União participam da ação que teve como alvos o Palácio Campo das Princesas (sede do governo do estado), o prédio da Vice-Governadoria, no bairro de Santo Amaro, além de imóveis nos bairros da Torre, Graças e Beberibe – todos do Recife – e de Casa Caiada, em Olinda.

São 70 mandados judiciais nas mãos dos policiais federais em Pernambuco – sendo 15 de prisões temporárias, 19 de conduções coercitivas e 36 de busca e apreensão. Completa a operação um mandado de condução no estado do Pará. Até agora há confirmação de dois nomes envolvidos: O ex-comandante da Polícia Militar de Pernambuco, Coronel Carlos D’Albuquerque e o empresário e advogado Ricardo Padilha, que foi levado à sede da PF ao lado da esposa. Ricardo foi foi preso anteriormente por suspeita de envolvimento em desvios de verbas da merenda escolar na cidade de Lagoa do Carro, na Zona da Mata Norte de Pernambuco. Não há a informação se os dois têm mandados de prisão temporária ou condução coercitiva.

A origem da operação

A operação Torrentes tem como base fortes indícios de superfaturamento em alguns contratos recentemente firmados pela Secretaria da Casa Militar com recursos públicos federais na “Operação Prontidão”, que tinha por objetivo a reestruturação dos municípios da mata sul pernambucana atingidos pelas chuvas torrenciais ocorridas em maio de 2017. Os prejuízos aos cofres públicos ainda estão sendo contabilizados porque a Casa Militar à despeito de várias solicitações feitas pela Controladoria-Geral da União, não havia encaminhado os comprovantes de despesas que são essenciais para efetuar o respectivo levantamento.

Resposta

O governo do estado se pronunciou sobre o caso por meio de uma nota oficial publicada por volta das 10h30.

Confira o texto na íntegra:

Com relação à operação da Polícia Federal e da Controladoria Geral da União realizada hoje (09.11) em prédios da Secretaria da Casa Militar do Estado, o Governo de Pernambuco reafirma a disposição de prestar todos os esclarecimentos necessários, como sempre tem feito quando solicitado por órgãos de controle e fiscalização. A Operação Reconstrução, ocorrida a partir de julho de 2010, envolveu recursos advindos do Estado de Pernambuco e da União, dirigidos ao atendimento emergencial às 120 mil pessoas da Zona da Mata Sul atingidas pela enchente, bem como o trabalho de reconstrução das cidades. As prestações de contas respectivas foram apresentadas a tempo e modo às autoridades competentes, estaduais e federais. Não foi descumprido nenhum prazo ou foi negada nenhuma informação por parte do Governo de Pernambuco.

Com relação à Operação Prontidão, realizada após a enchente deste ano de 2017, os prazos de prestação de conta ainda estão em curso. A Operação Reconstrução construiu a Barragem de Serro Azul e cinco hospitais, o Hospital Regional de Palmares, os hospitais municipais de Água Preta, Cortês, Barreiros e de Jaqueira.  A Operação Reconstrução também entregou 12.131 mil casas; recuperou ou reconstruiu 71 pontes, recuperou 185 vias urbanas e 28 muros de arrimo em diversos municípios atingidos.

A Operação Reconstrução recuperou, ainda, 63,13 quilômetros de rodovias e 203 quilômetros de estradas vicinais; reconstruiu 29 escolas atingidas, revitalizou a orla de Palmares; recuperou e reconstruiu 123 bueiros e 11 passagens molhadas, promoveu a dragagem do Rio Una e criou a Rede de Monitoramento Hidrometeorológico. É absolutamente lastimável o processo de espetacularização negativa das atividades de controle da atuação pública. O que assistimos hoje é exemplo da grave prática de buscar criminalizar toda a atuação dos agentes públicos e políticos. Os trabalhos da Operação Reconstrução envolveram grande número de servidores públicos, que realizaram um esforço extraordinário na missão de minimizar o sofrimento que as enchentes causaram à população pernambucana.

É lamentável a operação desproporcional realizada no Gabinete do chefe da Casa Militar, no Palácio do Campo das Princesas. O acesso a todos os documentos e equipamentos ali localizados, assim como a qualquer outro documento público, poderia ter sido solicitado sem a necessidade de qualquer ordem judicial. Logo que disponha de mais informações, o Governo de Pernambuco voltará a se pronunciar publicamente.

123