Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Polícia Federal prende dupla com oito quilos de cocaína no Aeroporto de Recife

Malas apreendidas com a droga. (Foto: Divulgação/PF)

Na noite dessa terça-feira (18), duas pessoas foram presas no Aeroporto Internacional do Recife acusadas de tráfico internacional de drogas. Segundo a Polícia Federal (PF), os suspeitos estavam com oito quilos da droga, que seria levada para Lisboa, em Portugal.

Após notarem a semelhança entre as malas da dupla, os policiais chamaram Chaiane Vieira Galvão, de 25 anos, e o servidor público Daniel Josias dos Santos, de 34 anos, para serem interrogados na sala da PF.

Durante a conversa, os acusados não souberam explicar o que iriam fazer em Lisboa, nem o valor das passagens aéreas e a companhia pela qual viajariam. Quando os policiais submeteram as malas ao raio-x, identificaram seis pacotes de cocaína.

Além das drogas, foram apreendidos os cartões de embarque dos suspeito, dois celulares, além da quantia de 2.270 euros, que hoje vale mais de R$ 11 mil.

No interrogatório, Chaiane decidiu não falar nada, já Daniel afirmou que aceitou o serviço por estar passando por dificuldades financeiras. O suspeito informou que receberia entre R$ 20 mil e R$ 40 mil pelo transporte da droga para a Europa.

12 toneladas de maconha são apreendidas em operação no Sertão baiano

(Foto: Polícia Militar/Divulgação)

Uma operação realizada pelas Polícias Civil, Militar e Federal, com apoio do Corpo de Bombeiros e Forças Armadas terminou com 12 toneladas de maconha apreendidas no Sertão baiano. A droga foi localizada na quinta-feira (13) nos municípios de Juazeiro, Curaçá, Campo Formoso, João Dourado e Xique-Xique e eram cultivadas nas margens do Rio São Francisco.

A maior parte da droga, segundo a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) estava plantada em propriedades no interior das cidades, totalizando 25 mil pés de maconha, pesando 11 toneladas da droga. Outros 615 kg já estavam colhidos. Mais mil mudas, meio quilo em sementes e 6,2 mil covas também foram localizadas.

A Operação Macambira III contou ainda com equipes da Polícia Militar do Distrito Federal e do Departamentos de Polícia Técnica (DPT) de Pernambuco e de Brasília. A droga foi incinerada e apenas uma quantia foi preservada para registro da ocorrência.

Desocupação de imóveis em terra indígena é alvo de críticas na Câmara de Vereadores de Petrolina

Moradores ocupavam terras indígenas (Foto: Polícia Federal/Divulgação)

Na quinta-feira (13) a Polícia Federal realizou a Operação Pankararu, desocupando terras indígenas ocupadas por não indígenas no município de Petrolândia. Apesar de a PF ter classificado a ação como pacífica, moradores relataram agressões e o caso repercutiu no estado.

O vereador de Petrolina, Ronaldo Silva (PSDB) que tem raízes na região usou a Tribuna Livre para condenar a ação. “Eu não poderia me calar diante da injustiça que está acontecendo na nossa região. A Polícia Federal e a Polícia Militar estão retirando famílias que moram lá há anos. O povo está pedindo socorro”, disse.

Ronaldo citou a utilização de spray de pimenta e balas de borracha contra crianças e mulheres, classificando a ação como absurda. Segundo a PF, 100 homens foram utilizados na ação e a ação foi autorizada pela Justiça de Serra Talhada.

Polícia Militar e PF erradicam plantação de maconha no Sertão de Pernambuco

(Foto: Polícia Militar/Divulgação)

Uma ação conjunta da Polícia Militar de Cabrobó (PE) e a Polícia Federal resultou na erradicação de um plantio de maconha no Sertão pernambucano. De acordo com a 2ª CIPM, o plantio era cultivado em Carnaubeira da Penha, onde no local as polícias encontraram 3.046 covas.

No total, foram destruídos 9.138 pés da erva cannabis sativa, já em fase de colheita. Outros 3 kg da erva pronta para consumo também foram destruídos.

Uma pequena amostra foi entregue à PF de Salgueiro, onde também foi registrada da ocorrência. Não havia ninguém no sítio quando as duas polícias realizaram a ação.

Polícia Federal conduzirá investigações de incêndio no Museu Nacional

Incêndio começou na noite de domingo e só foi controlado de madrugada (Foto: Tânia Rego/Agência Brasil)

Agentes da Polícia Federal (PF) serão os responsáveis por investigar as causa do incêndio que destruiu o Museu Nacional do Rio de Janeiro na noite de domingo (2). Nessa manhã, equipes da Defesa Civil entraram no prédio para avaliar o risco de queda e bombeiros começaram a retirar os materiais do local.

O trabalho de perícia e investigação sobre o incêndio fica a cargo da PF, através da Delegacia de Repressão a Crimes Contra o Patrimônio. As chamas começaram por volta de 19h30 de ontem e só foram controlados na madrugada de hoje (3).

Os bombeiros tiveram dificuldades em controlar o fogo porque os hidrantes não funcionaram. Foi necessário recorrer à companhia de águas e saneamento do Rio e ainda buscar água no lago do parque nacional onde está o museu.

Buscas da PF na prefeitura de Casa Nova miram atos de 2013

Atos foram praticados durante gestão do ex-prefeito Wilson Cota.

Como forma de atender a um mandado de segurança executado pela Polícia Federal (PF), o prefeito de Casa Nova, Wilker Torres, colabora, desde as primeiras horas desta terça-feira (21) com as buscas feitas pela PF nas dependências da prefeitura. O alvo são documentos datados de 2013 – primeiro ano da gestão do então prefeito Wilson Cota – relativos ao serviço de transporte escolar.

A investigação apura supostas fraudes na licitação para operar as mais de 90 linhas que atendem os estudantes da rede municipal de ensino de Casa Nova e que eram controladas por uma única empresa à época. O suposto esquema também levou a apreensão de documentos em outras cidades do norte da Bahia.

Como forma de colaborar com o trabalho de investigação, o prefeito Wilker Torres determinou aos seus assessores das áreas de administração e finanças que disponibilizem todos os documentos que forem solicitados pela Polícia Federal.

O prefeito explica ainda que, atualmente, as linhas do transporte escolar, além de licitadas, são descentralizadas. Isso permite que pequenas empresas e até mesmo moradores dos distritos e localidades realizem, desde que comprovem as condições, o deslocamento dos estudantes, gerando renda e garantindo a lisura dos processos de contratação.

Em nota, atual prefeito de Casa Nova afirma que operação da PF investiga desvios em gestões passadas

Atual prefeito, Wilker Torres acompanhou policiais voluntariamente durante operação na Prefeitura (Foto: Ascom)

Na manhã dessa terça-feira (21) a Polícia Federal (PF) na Bahia deflagrou uma operação de combate a desvio de verbas, corrupção ativa e passiva e outros crimes contra o erário público. Uma das cidades onde aconteceu a ação foi Casa Nova.

LEIA TAMBÉM:

PF realiza operação em Salvador e municípios do interior da Bahia

Através de notas, a Prefeitura Municipal informou que os policiais estiveram na sede do Poder Executivo realizando buscas por documentos da gestão anterior, de Wilson Cota (MDB). De acordo com Wilker Torres (PSB), atual prefeito, “nenhum ato praticado durante esta gestão está sob investigação, seja de qual órgão for”.

Confira a seguir a nota:

LEIA MAIS

PF realiza operação em Salvador e municípios do interior da Bahia

(Foto: A Tarde/Reprodução)

A Polícia Federal (PF) deflagrou uma operação na manhã dessa terça-feira (21) em Salvador e alguns municípios do interior do estado. 19 mandados de busca e apreensão, um de prisão preventiva e dois de afastamento do cargo de prefeito foram cumpridos.

Denominada de Offerus, o objetivo da operação é desarticular um esquema criminoso de fraude em licitações, superfaturamento, desvio de recursos públicos, corrupção ativa e passiva, além de lavagem de dinheiro envolvendo a contratação de serviços de transporte escolar.

Segundo a PF, 90 policiais e 21 auditores da Controladoria Geral da União (CGU) participam da operação. Além de Salvador, a ação está sendo realizada em Alagoinhas, Casa Nova, Conde, Ipirá, Jequié e Pilão Arcado.

LEIA MAIS

Rompimento de canal de transposição é investigado pela Polícia Federal

(Foto: Reprodução)

A Polícia Federal (PF) está investigando o rompimento no canal de tranposição, que aconteceu nesse sábado, entre os municípios de Terra Nova e Salgueiro, ambos em Pernambuco. O vazamento foi contido por uma equipe de técnicos do Ministério de Integração.

LEIA TAMBÉM

Parte de canal de transposição rompe próximo a Salgueiro

Rompimento de canal da transposição pode ter sido criminoso

Segundo a PF, uma perícia será realizada no local e ainda é cedo para afirmar se o rompimento foi criminoso. Serão formalizadas nesta segunda-feira (13) as declarações do engenheiro técnico e também dos responsáveis pela obra do Ministério da Integração.

Os técnicos ainda estão analisando se a comunidade, próxima ao trecho, sofreu algum dano.

Irmão de Eduardo Campos afirma que queda de avião foi “sabotagem”

Antônio Campos, irmão do ex-governador, disse nessa segunda-feira (6) que a queda do avião que matou o candidato à Presidência da República em 2014 foi sabotagem.

“Como advogado parecerista e expert em acidentes aéreos venho acompanhando o caso a quatro anos. Tenho uma forte convicção de que o acidente de Eduardo foi previamente provocado. Houve sabotagem no avião”, disse.

LEIA TAMBÉM:

PF afirma que desorientação espacial do piloto provocou queda de avião com Eduardo Campos

Segundo Antônio, já foi impetrada pela família uma ação para que novas provas sejam produzidas. “Eu, minha mãe Ana Arraes e outros familiares das vítimas entramos, perante a 4ª Vara Federal de Santos, uma ação de produção de provas que está em curso, interrompendo, inclusive, prescrição quanto a possíveis ações e na qual haverá a participação de peritos”, afirmou.

Mais cedo, a Polícia Federal (PF) apresentou um relatório apontando a provável causa do acidente. PF e Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) divergem sobre o que teria provocado a queda no dia 13 de agosto de 2014, na cidade de Santos.

PF afirma falha mecânica provocou queda de avião ocupado por Eduardo Campos

(Foto: Internet)

A Polícia Federal (PF) apresentou nessa segunda-feira (6) o relatório apontando as prováveis causas da queda do avião que matou o ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos e mais seis pessoas. O fato completará quatro anos nesse mês.

De acordo com a PF, a causa mais provável para o acidente foi uma falha mecânica, divergindo do motivo apontado pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), em janeiro. O Cenipa creditou a uma falha humana o acidente.

No entanto, a PF analisou 10 prováveis causas e uma falha mecânica do profundor do compensador (objeto localizado na cauda da aeronave) foi a mais forte, entre as analisadas. O documento foi apresentado aos familiares do ex-governador, de forma privada.

O acidente

Eduardo Campos estava em campanha para a Presidência da República quando morreu em agosto de 2014, aos 49 anos. Ele estava em uma aeronave que seguia do Rio de Janeiro até o Guarujá, litoral paulista. O avião particular caiu na cidade de Santos, na manhã do dia 13 de agosto.

Além do ex-governador estavam no avião os assessores Pedro Valadares e Carlos Percol, o fotógrafo Alexandre Severo, o cinegrafista Marcelo Lira e mais dois pilotos.

Lava Jato recupera um terço do rombo máximo estimado na Petrobras

O montante recuperado pela Lava Jato já chega a cerca de um terço do valor máximo desviado na estatal. (Foto: Arquivo)

Quatro anos depois de iniciada a operação Lava Jato, conhecida por ser a maior operação de combate à corrupção no país, as cifras previstas nos 194 acordos de colaboração premiada firmados pelo Ministério Público em Curitiba, Rio e Brasília chegam a R$ 2,6 bilhões.

Somados os valores previstos nos acordos de leniência (R$ 10,8 bilhões), o total a ser recuperado pela operação atinge a marca de R$ 13,4 bilhões. No entanto, ainda não é certo o montante desviado pela corrupção na Petrobras. Procuradores da força-tarefa já estimaram o rombo em R$ 20 bilhões.

Em laudo de 2015, no entanto, peritos da Polícia Federal estipularam que os desvios estão na faixa de R$ 6,4 bilhões a R$ 42,8 bilhões, trabalhando com uma margem de 3% a 20% para a majoração excessiva das margens de lucros das contratantes.

LEIA MAIS

Polícia Federal procura condenados da Lava Jato no exterior

(Foto: Internet)

Um pequeno grupo de empresários e doleiros lançou um desafio à força-tarefa da Operação Calicute (versão da Lava-Jato no Rio): prenda-me se for capaz. São 17 investigados que desapareceram de cena, passando à condição de foragidos desde que o juiz Marcelo Bretas, titular da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, assinou os seus pedidos de prisão.

Da relação, só há certeza sobre o paradeiro de três deles: Arthur Soares, o Rei Arthur, empresário que o governo americano reconheceu estar em seu território, e Felipe Paiva e José Carlos Lavouras, ambos refugiados em Portugal por terem cidadania lusitana. Paiva e Lavouras, inclusive, são pivôs de uma crise entre as autoridades brasileiras e portuguesas porque, até o momento, o país europeu não tomou providências contra eles com base nas provas remetidas pela força-tarefa.

No esforço de levar o grupo para trás das grades, a Lava-Jato incluiu os 17 nomes na difusão vermelha da Interpol (alerta internacional para fins de extradição) e busca acordos de cooperação internacional. Os casos mais frustrantes são justamente os que envolvem foragidos com paradeiro conhecido, mas que seguem a vida sem incômodos. Os procuradores da República no Rio cobram dos colegas portugueses o cumprimento da Convenção de Palermo (IT) sobre o crime organizado transnacional, que estabelece como dever dos estados colaborar amplamente, em especial sobre extradições, ou, não sendo possível, a deflagração da investigação no país onde a pessoa está refugiada.

Armando Monteiro visita ex-presidente Lula em Curitiba

(Foto: Instituto Lula/Divulgação)

O senador Armando Monteiro (PTB) visitou, nesta terça-feira (17), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na sede da Polícia Federal em Curitiba, no Paraná. O petebista integrou uma comissão suprapartidária formada por senadores que fazem parte da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal. O objetivo da comitiva foi verificar as condições de todos os presos e a situação da carceragem da PF.

Além de Armando Monteiro, que foi ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior de Dilma Rousseff, também estiveram com o ex-presidente Lula os senadores Roberto Requião (MDB-PR), Renan Calheiros (MDB-AL), Edison Lobão (MDB-MA) e Jorge Viana (PT-AC) – autor do requerimento para realização da visita. Lula está preso na carceragem da Polícia Federal há mais de 100 dias.

LEIA MAIS

Floresta: ação conjunta da PM e PF termina com mais de 60 kg de maconha apreendidos

Uma ação rotineira da Operação Saturação no município de Floresta (PE) terminou com a prisão de três homens e a apreensão de mais de 60 kg de maconha. Segundo a Polícia Militar, equipes do NIS 2 e Malhas da Lei foram informados de que um veículo saiu do Recife para Floresta com o intuito de transportar a droga.

Foi então iniciada uma operação que envolveu todas as equipes da 1ª CIPM e a Polícia Federal de Salgueiro. Bloqueios foram montados nas PE-190 e PE-160, sentido Serra Talhada e Ibimirim. Por volta de 1h de quarta-feira (11) dois veículos furaram essas barreiras.

LEIA MAIS
123