Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Pesquisa do Ibope afirma que 73% dos brasileiros são contrários a flexibilização do porte de arma

Decreto de Bolsonaro será analisado nessa semana no Senado (Foto: Blog Waldiney Passos)

O Ibope divulgou uma pesquisa nessa segunda-feira (3) afirmando que 73% dos entrevistados são contrários à flexibilização do porte de arma para cidadãos comuns. O levantamento foi realizado entre 16 e 19 de março, em 143 municípios e foram ouvidas 2.002 pessoas.

26% dos entrevistados são favoráveis e 1% não soube opinar ou não respondeu, segundo o Ibope. O apoio maior segue entre os homens, 34%. Entre as mulheres, cai para 18%. De acordo com a região do País, a aprovação se destaca no Norte/Centro-Oeste: 34%.

Os números vão caindo, respectivamente, nas regiões Sul: 29%, Nordeste: 27% e Sudeste, agora na última posição, com 22%. A pesquisa também questionou a respeito da posse de armas: 61% dos entrevistados são contrários; 37% são favoráveis e 2% não souberam opinar ou não responderam.

O instituto ouviu 2.002 pessoas em 143 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou menos. (Com informações do Diário de Pernambuco).

Enquete: você aprova a liberação da posse de armas?

Nesta terça-feira (15), dia em que o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), assinou o decreto de flexibilização da posse de armas no país, o Blog Waldiney Passos lança a enquete: “Você aprova a liberação da posse de armas?”

De acordo com uma pesquisa feita pelo Instituto Datafolha, 61% da população brasileira é contrária a medida, defendida por Bolsonaro desde o período de campanha. A posse de arma garante ao cidadão o direito de manter uma arma de fogo na residência da pessoa, numa casa de campo ou na empresa em que ela trabalha.

Não fique de fora! O Blog Waldiney Passos quer saber a opinião de seus leitores sobre o assunto. A enquete ficará disponível no nosso site até o fim desta semana.

[poll id=”35″]

De acordo com decreto, pessoas acima de 25 anos podem ter 4 armas de fogo

(Foto: Internet)

Com o decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro nesta terça-feira (15), no Palácio do Planalto, cidadãos brasileiros com mais de 25 anos poderão comprar até quatro armas de fogo para guardar em casa. O texto regulamenta o registro, a posse e a comercialização de armas de fogo e munição no país, uma das principais promessas de campanha de Bolsonaro.

Citando o referendo de 2005 em que a população rejeitou a proibição do comércio de armas de fogo, Bolsonaro argumentou a necessidade do decreto. “O povo decidiu por comprar armas e munições, e nós não podemos negar o que o povo quis naquele momento. Em toda minha andança pelo Brasil, ao longo dos últimos anos, a questão da arma sempre estava na ordem do dia. Não interessa se estava em Roraima, no Acre, Rondônia, Rio Grande do Sul, Santa Catarina ou Rio de Janeiro.”

O decreto entra em vigor após sua publicação no Diário Oficial da União e refere-se exclusivamente à posse de armas. O porte de arma de fogo, ou seja, o direito de andar com a arma na rua ou no carro não foi incluído no texto.

Critérios

Os cidadãos deverão preencher uma série de requisitos, como passar por avaliação psicológica e não ter antecedentes criminais. O que muda com o novo decreto é que não há necessidade de uma justificativa para a posse da arma. Antes esse item era avaliado e ficava a cargo de um delegado da Polícia Federal, que poderia aceitar, ou não, o argumento.

“E o grande problema que tínhamos na lei é comprovação da efetiva necessidade, isso beirava a subjetividade, então, bem costurado, o senhor ministro [da Justiça] Sergio Moro, o senhor ministro, também Fernando, da Defesa, entre outros, chegamos à conclusão de que tínhamos, sim, como não driblar, mas fazer justiça com esse dispositivo previsto na lei, de modo que o cidadão pudesse, então, sem a discricionariedade, obter, observando alguns outros critérios, a posse da sua arma de fogo”, disse Bolsonaro.

LEIA MAIS

Bolsonaro assina decreto que flexibiliza posse de armas

Presidente assinou decreto nessa terça (Foto: Reprodução/NBR)

Uma das principais promessas de campanha do presidente Jair Bolsonaro (PSL) foi concretizada na manhã dessa terça-feira (15) em Brasília. Bolsonaro assinou o decreto que flexibiliza a posse de armas no país, mas ainda não é possível saber o teor das mudança porque o texto não foi publicado no Diário Oficial da União.

Antes de assinar o decreto, Bolsonaro disse que a população, no referendo de 2005, havia decidido soberanamente” sobre a questão. No entanto, uma pesquisa feita pelo Datafolha aponta que 61% da população é contrária a medida defendida pelo presidente.

A posse de arma permite ao cidadão guardar o armamento em sua residência. Passar por exames psicológicos, ter formação em academia de tiro e ser maior de 25 anos foram algumas das exigências impostas pelo Governo Federal.

Com informações do UOL

Petrolina e Juazeiro devem fazer parte de cidades que posse de arma será liberada

Municípios fazem parte da lista de cidades mais violentas do país, segundo Atlas da Violência.

Após o governador de São Paulo, João Dória, afirmar que, em conversa com Jair Bolsonaro, nessa quinta-feira (10), o presidente falou sobre a possibilidade de publicar ainda nessa sexta-feira (11) – ou já na próxima semana – o decreto que libera a posse de arma para cidades com mais de 10 homicídios por 100 mil habitantes.

No último “Atlas da Violência 2018 – Retrato dos Municípios”, divulgado em junho do ano passado, Petrolina (PE) e Juazeiro (BA) apareciam entre as cidades mais violentas do país. No levantamento, Juazeiro apresentou uma taxa de 48,1 homicídios a cada 100 mil habitantes, enquanto Petrolina apareceu com uma taxa de 40,9, ambas acima da média de 30 homicídios.

LEIA TAMBÉM

Decreto sobre o posse de armas deve ser assinado nesta sexta

Com esses números, as duas cidades entram no requisito necessário para liberação da posse de arma. No entanto, outros requisitos são necessários para que o cidadão tenha acesso à arma, como idade acima de 25 anos, não possuir antecedentes criminais, fazer exame psicológico e realizar curso em clube de tiro.

Pelas regras atuais, podem ser adquiridos revólveres calibres 22, 36 e 38; espingardas calibre 20, 28, 36, 32 e 12; rifles calibre 22; carabinas calibre 38; e pistolas calibres 32, 22 e 380. Além dos armamentos, também é possível comprar munições e carregadores.

Versão preliminar de decreto prevê posse de até duas armas por pessoa

(Foto: Internet)

Uma das promessas de campanha do presidente Jair Bolsonaro (PSL) está perto de se concretizar ainda no primeiro mês de mandato. A versão preliminar do decreto sobre a posse de arma, exibida no SBT Brasil de quarta-feira (9) prevê até duas armas de fogo por pessoa.

Há possibilidade de o limite ser ampliado, caso o proprietário comprove necessidade. O texto menciona ainda a necessidade de justificar a posse e, em residências com crianças, deve-se instalar um cofre. O governo estipula publicar o decreto na próxima semana, revendo assim um outro decreto assinado por Luiz Inácio Lula da Silva em 2004.

O decreto

Poderão ter mais de duas armas agentes públicos de segurança e de administração penitenciária; agentes públicos envolvidos no exercício de atividades de poder de polícia administrativa ou de correição em caráter permanente; residentes em área rural; residentes em áreas urbanas com elevados índices de violência, assim consideradas aquelas localizadas em municípios ou unidades da federação com índices anuais de mais de dez homicídios por 100 mil habitantes; titulares ou responsáveis legais de estabelecimentos comerciais; colecionadores, atiradores e caçadores, devidamente registrados no Comando do Exército

Segundo a versão preliminar, a solicitação pode vir a ser negada caso a declaração de “efetiva necessidade contenha afirmações falsas”. É necessário ter 25 anos ou mais, não possuir antecedentes criminais e ser submetido a um exame psicológico, além de realizar um curso em clube de tiro.

Hoje um cidadão comum precisa solicitar à Polícia Federal (PF) mediante uma declaração, justificando os motivos para possuir a arma. O delegado julgará o motivo e pode ou não autorizar.

Com informações do UOL

Posse de arma será liberada por decreto, afirma Bolsonaro

(Foto: Marcelo Camargo/Arquivo/Agência Brasil)

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) anunciou nesse final de semana que flexibilizará a posse de arma por decreto. Essa foi uma das suas principais bandeiras durante a eleição de outubro e segundo Bolsonaro, poderão ter arma pessoas sem antecedentes criminais.

Atualmente a posse de arma – guardar arma em casa ou local de trabalho – é liberada apenas para pessoas que comprovem a necessidade profissional ou ameaça à integridade física. No entanto o novo presidente não deu mais detalhes sobre qual será a diferença desta mudança para a atual legislação, que já permite a posse de armas de fogo.

Um dos filhos do presidente, Eduardo Bolsonaro que é deputado federal elogiou a ação do pai e voltou a criticar o governo dos petistas que aprovaram o Estatuto do Desarmamento. “Os mensaleiros aprovaram o estatuto do desarmamento em 2003 a mando de Lula. Desde 2005 o povo pediu via referendo mudanças. Só em 2019, a custa de muito sangue inocente – em torno de 50 a 60.000 assassinatos/ano – foi eleito um presidente que vai ouvir os clamores do povo”, disse.

Com informações do JC Online