TSE cassa prefeito e vice em Pilão Arcado e determina novas eleições

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu, nesta terça-feira (19), cassar os mandatos do prefeito e do vice-prefeito do município baiano de Pilão Arcado, Afonso (PP) e Daltro Melo (MDB). A corte reverteu o entendimento do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA), que tinha decidido manter os mandatos, mesmo reconhecendo a prática de abuso de poder político e econômico na campanha de 2016.

Na denúncia, o antecessor de Afonso, João Ubiratan, teria contratado 500 servidores temporários às vésperas das eleições para ajudar o então candidato à sucessão. Além da de perda mandato, o TSE determinou, ainda, a realização imediata de novas eleições em Pilão Arcado.

Advogado denunciante Tiago Ayres comemorou a decisão. “O abuso que hoje conseguimos combater foi a única coisa que garantiu a absurda eleição do atual prefeito e vice de Pilão Arcado. Hoje isso chegou ao fim. Basta”, falou.

Com informações do site Bahia Notícias.

Miguel Coelho fecha apoio com PP durante reunião com Eduardo da Fonte

Miguel Coelho em reunião com presidente o PP-PE, Eduardo da Fonte.

Em Brasília nessa quarta-feira (30), o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, conseguiu o apoio do Partido Progressista (PP) para sua gestão e reeleição. O apoio político foi confirmado durante reunião com o deputado federal Eduardo da Fonte, presidente da sigla em Pernambuco.

“Quanto mais partidos e apoios o nosso governo recebe, mas temos a certeza de que trabalhamos corretamente. O apoio de lideranças como Eduardo da Fonte e o PP são um sinal claro de que o governo está fortalecido e aberto a mais contribuições. Nossa base fica ainda mais sólida e temos mais parcerias para Petrolina”, destacou o prefeito.

Atualmente, o PP é, juntamente com o Partido Socialista Brasileiro (PSB), a legenda com maior bancada na Assembleia Legislativa de Pernambuco. Ambos somam 11 parlamentares em atuação na Casa Legislativa.

Novo e PP decidem não declarar apoio no segundo turno das eleições

Partidos ficarão isentos sobre apoio a Haddad e Bolsonaro (Foto: Reprodução)

Diferentemente do PSOL que na segunda-feira (8) oficializou apoio a Fernando Haddad (PT) no segundo turno das eleições, o Novo e o Partido Progressista declararam hoje (9) posição neutra no pleito do dia 28. Os anúncios vieram através de nota oficial enviada à imprensa.

Segundo o Novo, cujo candidato à Presidência no primeiro turno foi João Amoêdo, demonstrou postura contrária ao PT. “O Novo não apoiará nenhum candidato à Presidência, mas somos absolutamente contrários ao PT, que tem ideias práticas opostas às nossas”, disse a nota.

Já o PP deixa na mão do eleitor a decisão final de quem terá o voto: Haddad ou Jair Bolsonaro (PSL). “O eleitor quer tomar sua decisão sem que qualquer outro aspecto, que não os candidatos, sejam levados em consideração como critério de escolha”, afirmou a Executiva Nacional.

Terceiro colocado na votação de domingo (7), Ciro Gomes (PDT) já havia sinalizado apoio a Haddad e nessa semana uma reunião deve fechar a aliança. A Rede Sustentabilidade, de Marina Silva, PSDB (Geraldo Alckmin) e MDB (Henrique Meireles) ainda não oficializaram seus posicionamentos.

Deputado Elmar Nascimento deixa o DEM e vai para base do governador Rui Costa

O deputado federal Elmar Nascimento deverá confirmar essa semana sua saída do DEM.  Ele irá se filiar ao PP e, consequentemente, integrar a base do governador Rui Costa (PT/BA). Outro deputado que deixou o DEM foi Cláudio Cajado, que também segue para o PP, fortalecendo ainda mais a musculatura partido do vice-governador João Leão.
Em março, Elmar havia confirmado que estava “disposto a se filiar” ao partido presidido pelo vice-governador João Leão na Bahia. Na época, Elmar defendeu a “forte” relação com Ciro Nogueira, presidente do PP, e com o deputado Artur Lira (PP-AL).

Deputado Rodrigo Novaes é contra parceria do Governo Federal e a iniciativa público-privada em obras de transposição do Rio São Francisco

(Foto: Arquivo)

Durante sessão na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), desta quinta-feira (22) o Deputado Rodrigo Novaes (PSD) fez um apelo contra a possibilidade de o Governo Federal criar uma parceria público-privada (PPP) nas obras da transposição do Rio São Francisco.

O parlamentar deseja a realização de um debate com todos os agentes envolvidos no assunto, na Casa Joaquim Nabuco. Durante o pronunciamento, ele pediu o apoio de outros parlamentares, em especial, ao deputado Odacy Amorim (PT) que é coordenador da Frente Parlamentar do Rio São Francisco.

“Não é possível que uma decisão com um impacto social tão forte seja discutida nos gabinetes de Brasília com o executivo, o mercado financeiro, os empresários e o BNDES. Não aceitamos isso. É necessário ouvir os pequenos produtores rurais que passaram a vida toda sofrendo. Com a conclusão da obra, não podemos frustrar o sonho desse povo – de poder irrigar, plantar e dar sustento a criação – de viver com dignidade”, ressaltou.

“Se a PPP foi instalada, os grandes empresários vão comprar todas as terras, vão fazer grandes plantios e o povo da gente vai virar empregado. Se hoje existe pobreza, amanhã vai existir miséria. E vamos ter frustrada nossa expectativa de desenvolvimento social e econômico com equilíbrio”, destacou Novaes. E acrescentou: O dinheiro das obras veio do dinheiro público e não do BNDES. Portanto é o povo que tem que ser beneficiado”, concluiu.

Esposa de Odacy Amorim de desfilia ao PP

Os encontros comandados por Odacy e o Partido dos Trabalhadores, deverão agregar outras legendas, a exemplo do PC do B/Foto:arquivo

Desfiliação deve por fim aos boatos de desistência de Odacy /Foto:arquivo

A professora e esposa do pré-candidato Odacy Amorim (PT), Dulcicleide Amorim, protocolou nesta sexta-feira (22), sua desfiliação do Partido Progressista (PP) na justiça eleitoral de Petrolina. Com isso, Dulcicleide não poderá ser candidata a nenhum cargo nesta eleição.
 
A desfiliação também deverá por fim aos rumores sobre a desistência da pré-candidatura do deputado Odacy Amorim a prefeito de Petrolina, sertão de Pernambuco. O deputado vem sendo um dos líderes nas pesquisas de opinião feita por institutos diversos para saber a preferência do eleitorado petrolinense neste período de pré-campanha.
 
“Essa é mais uma prova que nossa pré-candidatura está cada dia mais firme e consolidada. A partir de agora, esperamos que os comentários sobre Dulcicleide ser vice de alguém, deixem de existir”, concluiu Odacy.

Miguel rebate declarações de Odacy, o qual afirmou que PP fez “leilão em troca de apoio”

Miguel Coelho 02

“Primeiro ele tem que ser homem”, disse Miguel. (Foto: Arquivo)

Após Odacy afirmar que o Partido Progressista (PP) teria desistido de subir no seu palanque porque teria feito um leilão em troca do apoio a Miguel Coelho, pré-candidato a prefeito pelo PSB, recebendo o valor de R$ 600 mil, o deputado estadual e pré-candidato a prefeito de Petrolina (PE), Miguel Coelho, disse que o petista terá que responder pelas declarações na justiça.

“Primeiro ele tem que ser homem pra poder dizer e identificar, e não ficar se escondendo atrás querendo se vitimizar. Esse tipo de política não cabe mais em Petrolina. E outra coisa, se ele diz que o PP se vendeu, o mesmo diz que o deputado Eduardo da Fonte não participou disso, só uma pessoa pode responder pelo PP, que é o próprio Eduardo da Fonte”, alfineta.

O deputado disse ainda que, após o PP criticar publicamente as declarações de Odacy Amorim, o PP e PSB podem até caminhar juntos.

“Se o PP caminhar conosco, será bem-vindo, agora essas acusações, Odacy vai ter que responder na justiça sobre isso”, finaliza Miguel Coelho.

Odacy rebate nota divulgada pelo PP

Os encontros comandados por Odacy e o Partido dos Trabalhadores, deverão agregar outras legendas, a exemplo do PC do B/Foto:arquivo

Polêmica entre PP e Odacy continua. (Foto: Arquivo)

Após o Partido Progressista (PP) emitir uma nota falando sobre discursos feito por Odacy a respeito de valores recebidos pelo partido para apoiar Miguel Coelho, foi a vez do deputado rebater as críticas feitas pelo PP. Para Odacy a nota está totalmente equivocada.

O pré-candidato a prefeito de Petrolina lembra que já tinha programado a saída do PP, de sua esposa, a professora Dulcicleide Amorim, para comandar outra legenda no município. Contudo, a sinalização do PP, dizendo que não o deixaria na mão da noite para o dia como ocorreu no pleito de 2012, fez com que o deputado desistisse da ideia.

No acordo firmado, a construção da aliança com o PP e o PT para as eleições municipais foi coroada em ato programado em comum acordo com o presidente do partido no estado, deputado federal Eduardo da Fonte e algumas das principais lideranças do PP em Pernambuco. A homologação ocorreu num encontro com a presença da imprensa em Petrolina, correligionários e amigos do deputado Odacy Amorim e o deputado federal Fernando Monteiro.

LEIA MAIS

PP chama declarações de Odacy Amorim de ‘irresponsáveis’

(Foto: ALEPE)

Odacy falou sobre a desistência do PP em subir no seu palanque. (Foto: ALEPE)

Os executivos estaduais do Partido Progressista (PP) rebateram as declarações do deputado Odacy Amorim sobre o partido. Na ocasião Odacy disse que o PP teria desistido de subir no seu palanque porque teria feito um leilão em troca do apoio a Miguel Coelho, pré-candidato a prefeito pelo PSB, recebendo o valor de R$ 600 mil.

O PP não ficou calado e disse que as declarações do deputado eram desequilibradas, irresponsáveis e inverídicas. Afirmou, ainda, que o PP não apoia o candidato pois este está com a ficha suja  no TSE e TRE/PE. Confira a íntegra da nota:

LEIA MAIS

Lava Jato: empresário pernambucano é considerado foragido pela PF

A polícia recebeu a informação de que o empresário está em viagem ao exterior e já sabe o exato paradeiro do homem/Foto:divulgação PF

A polícia recebeu a informação de que o empresário está em viagem ao exterior e já sabe o exato paradeiro do homem/Foto:divulgação PF

O empresário Humberto do Amaral Carrilho, do segmento de postos de combustíveis, é considerado foragido pela Polícia Federal em Pernambuco. O homem é investigado na 29° fase daOperação Lava Jato e não foi encontrado durante visita da PF à apartamento do Edifício Pinheiro, no bairro de Apipucos, Zona Norte do Recife, nesta segunda-feira (23).

Humberto teria participado do esquema de corrupção na empresa Petrobras e procurado Paulo Roberto Costa, na época diretor de abastecimento da estatal, com o objetivo de firmar um contrato de construção de um terminal de distribuição no Rio Amazonas.

A polícia recebeu a informação de que o empresário está em viagem ao exterior e já sabe o exato paradeiro do homem. O delegado Luciano de Flores aguarda um contato do advogado do alvo para tratar da apresentação do empresário.

A 29º fase da Operação Lava Jato, denominada Repescagem, tem como principal alvo o ex-tesoureiro do Partido Progressista (PP), que já foi réu do Mensalão.

Com informações do JC Online

“Não tem renúncia”, diz Waldir Maranhão sobre deixar a presidência da Câmara

Waldir Maranhão

Segundo o deputado, as pressões pela renúncia já tiveram mais fortes, mas a tendência é que, com o tempo, vão diminuindo.

O presidente em exercício da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão (PP-MA), disse hoje (13) que não pretende renunciar ao cargo que ocupa desde que o então presidente Eduardo Cunha (PMDB-RJ) foi afastado pelo Supremo Tribunal Federal. “Sem renúncia. Não tem renúncia. Vamos administrar o país”, disse ele rapidamente ao chegar à Câmara dos Deputados.

A especulação sobre uma possível renúncia de Maranhão teve início quando ele tentou, por meio de um ato, anular a sessão que encaminhou ao Senado a análise sobre o impeachment da presidenta Dilma Rousseff. Posteriormente, integrantes de partidos e da Mesa pediram sua renúncia.

Um dos deputados com quem Maranhão tem conversado sobre a forma como conduzirá os trabalhos da Casa é o primeiro-secretário da Mesa Diretora da Câmara, Beto Mansur (PRB-SP). Ele também diz não ver motivos para a renúncia de Maranhão.

LEIA MAIS

PP e PRB anunciam apoio ao impeachment de Dilma

Deputados do PP

Dois partidos anunciaram nesta-terça-feira (12) apoio ao impeachment da presidente Dilma Rousseff, PP e PRB. Os deputados que compõem a bancada do PP na Câmara anunciaram o desembarque do partido da base aliada do governo federal. O anúncio foi feito menos de 24 horas depois da aprovação de parecer a favor da abertura do processo de afastamento da presidente.

A maioria dos deputados decidiu que o PP vai orientar seus integrantes para que votem pelo impedimento no plenário da Casa, com a ressalva de que irá respeitar quem optar por se posicionar contra o impeachment. No encontro de hoje, 34 deputados votaram a favor do afastamento de Dilma, 9 contra e 4 ficaram indecisos.

Após a saída do PMDB do governo de Dilma Rousseff, o PP se tornou o aliado com a maior bancada na Câmara, com 47 representantes, a quarta maior da Casa. O partido vinha sendo cortejado por Dilma com a oferta de mais espaço no governo em troca de apoio contra o afastamento da presidente.

O governo chegou a oferecer ao PP o Ministério da Saúde, que tem o maior orçamento da União, e a presidência da Caixa Econômica Federal, em uma tentativa de garantir votos contra o impedimento na votação no plenário da Câmara do pedido de abertura do processo.

Apesar da investida do governo, o PP se mostrou dividido na votação na comissão especial do impeachment: três membros –Paulo Maluf (SP), Júlio Lopes (RJ) e Jerônimo Goergen– votaram a favor do afastamento e dois –Aguinaldo Ribeiro e Roberto Britto (BA)– foram contrários.

Já o presidente do PRB, Marcos Pereira, informou que a decisão de apoiar o impeachment foi tomada após analisar em detalhes o processo, tanto o relatório do deputado Jovair Arantes (PTB-GO), quanto a defesa feita pelo Advogado Geral da União, José Eduardo Cardozo. Também pesou na decisão os planos do partido para as eleições municipais deste ano. O partido terá candidatos em oito capitais, entre elas São Paulo, com Celso Russomanno, e Rio de Janeiro, com Marcelo Crivella.

Presidente do PP fortalece candidatura do Padre Paulo Sérgio em Santa Cruz da Venerada

Padre Paulo Sérgio

A pré-candidatura do Padre Paulo Sérgio na cidade de Santa Cruz da Venerada, sertão de Pernambuco, ganhou um importante reforço neste final de semana.

De passagem pela região do Araripe o Deputado Federal Fernando Monteiro (PP/PE)  manteve uma importante conversa com o grupo de oposição.

Para Monteiro, o motivo de Paulo Sérgio está em outro partido não impedirá o (PP) de apoiar sua pré-candidatura. “Se o padre for o melhor para Santa Cruz e o grupo estiver unido, não importa o partido, por isso esse grupo vai ter nosso apoio e vamos disputar a eleição”, Salientou.

O Deputado destacou ainda a união do grupo e a necessidade de mudança através de pessoas que queiram o bem da população.