Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Preço da gasolina sobe e acumula alta de 3,5% em um mês

(Foto: Arquivo)

O preço médio do litro da gasolina comercializada em postos de combustível de todo o país fechou esta semana a R$ 4,319. Essa foi a quarta alta semanal do produto, que acumula um aumento de preço de 3,5% em um mês, já que, na semana de 17 a 23 de fevereiro, o litro era vendido a R$ 4,172.

Os dados são do levantamento semanal da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). O óleo diesel, comercializado em média a R$ 3,54 por litro, registrou nesta semana sua quinta alta consecutiva e acumulou, no período, aumento de preços de 2,8%.

LEIA MAIS

Pesquisa da Facape aponta aumento de 27% no preço do feijão em Juazeiro 

(Foto: Internet)

A pesquisa do custo da Cesta Básica realizada pelo colegiado do curso de Economia da Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina (Facape), apresentou, na comparação do mês de dezembro de 2018 e janeiro de 2019, deflação de -2,22% em Juazeiro (BA), e de -2,06% em Petrolina (PE). Considerando as informações das duas cidades, a deflação geral no período foi de -2,14%.

O maior aumento na pesquisa está no preço do feijão, que desde dezembro de 2018 já vinha apresentando elevação de preços e no mês de janeiro encerrou com forte alta de aproximadamente 19% em Petrolina. Em Juazeiro, este valor superou os 27%. A menor oferta e a redução da área plantada levaram a esta situação.

Os resultados da pesquisa apontam o custo da cesta básica no mês de janeiro de 2019 em R$ 309,08 para Juazeiro e R$ 297,04 em Petrolina. Isso indica que um trabalhador do Vale do São Francisco que recebe um salário mínimo de R$ 998,00 gastou 30,4% da renda com a compra de produtos da cesta básica. Sendo assim, restaram R$ 694,94 para gastar com as demais despesas relacionadas a moradia, transporte, vestuário, saúde e higiene.

Confira os preços dos produtos comercializados nesta quinta-feira no Mercado do Produtor de Juazeiro

(Foto: Ascom)

Nesta quinta-feira (7) o consumidor que passar pelo Mercado do Produtor de Juazeiro (BA) vai encontrar o quilo da cebola pera por R$ 2,45; a batata doce por R$1,14 o quilo; já a caixa com 20 kg do chuchu está sendo vendida por R$ 30,00 e o quilo da beterraba custa em média R$ 2,25.

Clique aqui e confira a cotação completa do preço dos produtos comercializados no Mercado do Produtor. As cotações são monitoradas diariamente pelo setor de estatística do entreposto instalado em Juazeiro.

Petrobras reduz preço da gasolina em 1,38% nas refinarias

O preço do diesel foi mantido em R$ 1,8545, o mesmo valor desde 1º de janeiro.

A Petrobras anunciou nessa terça-feira (08) uma redução de 1,38% no preço da gasolina vendida em suas refinarias. O litro do combustível passará a ser comercializado a R$ 1,4337 a partir desta quarta-feira (09), dois centavos a menos do que o preço praticado ontem (R$ 1,4537).

Essa é a terceira queda consecutiva do preço do combustível, que começou o ano sendo vendido a R$ 1,5087 por litro. Desde o dia 1º, a gasolina acumula queda de 4,97% no preço nas refinarias da estatal.

Petrobras reduz pelo 2º dia seguido preço da gasolina nas refinarias

Pelo segundo dia seguido, a Petrobras reduz o preço da gasolina vendida nas refinarias. Nesta sexta-feira (4), a empresa está negociando o litro do combustível a R$ 1,4537. Ontem (3) a estatal já havia reduzido o preço de R$ 1,5087 para R$ 1,4675.

De acordo com a Petrobras, a política de preços da empresa para a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras “tem como base o preço de paridade de importação, formado pelas cotações internacionais destes produtos mais os custos que importadores teriam, como transporte e taxas portuárias, por exemplo”.

LEIA MAIS

Cotação: Uauá tem o menor preço do quilo de carne de caprino e ovino

O preço mais alto do quilo da carne de caprino/ovino está em Juazeiro: R$17,00. (Foto: ASCOM)

De 04 a 10 de dezembro o abatedouro Campo do Gado (antigo Abatal) em Juazeiro (BA) abateu 50 caprinos e 250 ovinos. Para o abate, o custo é de R$ 35,00 por animal, já para o transporte, de Juazeiro à Petrolina (PE), o produtor vai pagar R$ 5,00 por animal abatido levado do abatedouro ao estabelecimento comercial.

Sobra a comercialização, em Juazeiro o consumidor vai se deparar com o preço mais alto, o quilo da carne de caprino/ovino está custando R$ 17,00. O segundo preço mais alto está em Curaçá e Casa Nova, nestas duas cidades baianas o preço do quilo da carne de caprino/ovino é de R$15,00.

Já em Remanso (BA), o consumidor vai encontrar no comércio o quilo da carne de caprino/ovino por R$14,00. O preço mais barato da “carne de bode”, o consumidor vai encontrar em Uauá (BA), por lá o quilo da carne está custando R$ 13,00.

A cotação de preços da carne de capino/ovino é feita pelo Programa Bioma Caatinga, desenvolvido pelo SEBRAE. Ainda de acordo com a cotação, em média, o preço do quilo da carne está custando R$ 14,80.

Prodecon cobra repasse de desconto no preço de combustíveis em Petrolina

(Foto: Arquivo)

O Programa Municipal de Defesa do Consumidor (Prodecon) está acompanhando de perto se o desconto concedido pelas distribuidoras de combustíveis está sendo repassado aos consumidores de Petrolina (PE). Durante workshop realizado pelo Sindcombustíveis de Pernambuco na última semana, o diretor presidente do Prodecon, Dhiego Serra, falou aos empresários do ramo e questionou aos mesmos sobre os repasses ao consumidor final.

De acordo com Serra, o encontro foi proveitoso e o consumidor petrolinense já pode verificar uma redução de preços nas bombas dos postos da cidade. “Não é papel do Prodecon regular os preços dos combustíveis, essa é uma competência da Agência Nacional do Petróleo (ANP), o que cabe aos órgãos fiscalizadores é acompanhar se este desconto está sendo repassado aos consumidores como estamos fazendo. Aqui em Petrolina, houve bom senso dos empresários que já estão repassando o desconto aos consumidores”, disse.

Serra  também passou esclarecimentos sobre o Código de Defesa do Consumidor e a Lei 13.455/2017  que obriga o fornecedor a informar, em local visível ao consumidor, os descontos oferecidos em função do meio e do prazo de pagamento. A proposta não obriga a diferenciação de preços, somente oferece essa possibilidade ao comércio.

O repasse dos reajustes da Petrobras nas refinarias aos consumidores depende dos distribuidores – ou seja, fica a cargo dos postos repassar ou não a baixa do preço da gasolina ao consumidor final. Apesar disso, em Petrolina, o litro da gasolina que antes custava em média R$  5,06 agora pode ser encontrado a por R$ 4,92.

Petrobras reajusta preço de botijão nas refinarias em 8,5%

(Foto: Heudes Régis/ JC Imagem)

A Petrobras revisou o preço do GLP para consumo residencial em suas refinarias para R$ 25,07, o reajuste de 8,5%, significa um aumento de R$ 1,97 por botijão. No ano, a alta acumulada é de 2,8%.

Desde janeiro desse ano, a estatal reajusta o botijão de gás trimestralmente. Em janeiro e abril, os valores foram reduzidos e em julho, elevado. A empresa ainda argumenta que a metodologia de reajuste trimestral tem o objetivo de suavizar os impactos da transferência da volatilidade externa para os preços domésticos.

“A desvalorização do real frente ao dólar e as elevações nas cotações internacionais do GLP foram os principais fatores para a alta. A referência continua a ser a média dos preços do propano e butano comercializados no mercado europeu, acrescida da margem de 5%”, informa a Petrobras, no comunicado.

LEIA MAIS

Petrobras anuncia redução do preço do combustível em 2% nas refinarias; preço em Petrolina deve permanecer

A diminuição representa uma queda de 8,33% no preço. (Foto: Ilustração)

Nessa segunda-feira (22), a Petrobras anunciou uma redução de 2% no preço da gasolina comercializada em suas refinarias. De acordo com a estatal, a partir desta terça-feira (23), o litro do combustível passará a ser negociado a R$ 2,0639.

No entanto, embora essa seja a sétima queda consecutiva do preço desde 22 de setembro, quando custava R$ 2,2514 por litro, o preço do combustível não deve alterar nas bombas dos postos de gasolina em Petrolina (PE).

Petrolina: preço da carne teve redução no mês de setembro, segundo Índice de Cesta Básica

É a segunda redução consecutiva no preço das carnes. (Foto: Internet)

A cesta básica de alimentação apresentou, na comparação do mês de agosto com julho de 2018, deflação de -0,54%, em Petrolina (PE). Nos últimos doze meses, a cidade apresentou inflação de 5,04%, como mostra o boletim da cesta básica de setembro.

No ano de 2018, porém, apresenta deflação de -1,28%. A pesquisa do custo da Cesta Básica do Colegiado de Economia da FACAPE estimou o custo no mês de maio em R$ 289,95, em Petrolina.

O preço do leite em Petrolina continua subindo, porém em menor ritmo. O motivo é a entressafra, que reduz a oferta de leite no campo. O Pão Francês teve um pequeno reajuste pelo segundo mês consecutivo devido aos aumentos dos custos de produção, tanto da farinha de trigo quanto da energia elétrica, segundo o DIEESE.

No caso da Farinha de Mandioca, existe baixa oferta da matéria prima. Contudo, a tendência é de que este pequeno aumento seja pontual e que os preços reduzam nos próximos meses. No caso das carnes, é a segunda redução consecutiva, pois o aumento da oferta diminui seu preço.

Petrobras anuncia redução no preço da gasolina a partir desta terça-feira (09)

(Foto: Arquivo)

Nesta segunda-feira (08), a Petrobras informou que vai diminuir o preço médio do litro da gasolina a partir de amanhã (09) em 1,23% nas refinarias, de R$ 2,2159 para R$ 2,1889. Desde 28 de setembro, o preço vinha se mantendo estável.

O ritmo menor de reajustes tem como base a política de hedge adotada pela petroleira há pouco mais de um mês. Em setembro, a Petrobras anunciou um mecanismo de proteção financeira (conhecido como hedge) que permite aumentar os intervalos de reajustes nos preços da gasolina nas refinarias em até 15 dias.

O objetivo da medida é dar mais flexibilidade à sua política de preços, já que a empresa adotava reajustes quase diários no valor do combustível, com base sobretudo no mercado internacional e no câmbio.

Já o preço do litro do diesel segue estável em R$ 2,3606. A última alta ocorreu em 30 de setembro diante da atualização do valor referencial prevista no programa de subvenção do governo.

LEIA MAIS

Petrolina tem a gasolina mais cara de Pernambuco, diz ANP

(Foto: Arquivo)

Nesta segunda-feira (17), a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) divulgou o levantamento semanal com o preço dos combustíveis em todo o Brasil, no qual apresentou aumento em 25 estados. Segundo os dados coletados pela agência, entre os dias 9 e 15 de setembro, o preço médio da gasolina nas bombas de todo o Brasil estava em R$ 4,628, com máxima de R$ 6,290, em Tocantins, e mínimo de R$ 3,899, em São Paulo.

Em Pernambuco, segundo a pesquisa, o preço médio está em R$ 4,441, com o combustível mais caro sendo comercializado em Petrolina (PE). Por aqui o litro da gasolina chega a custar R$ 5,139. Já o preço mais barato foi conferido na capital pernambucana, com o litro comercializado por R$ 4,099, podendo chegar a R$ 4,690.

De acordo com o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Pernambuco (Sindicombustíveis-PE), Alfredo Ramos Pinheiro, o preço mais alto em Petrolina está associado ao valor do frete e à pouca concorrência. “O frete para Petrolina é mais caro e deixa o combustível em média R$0,30 mais caro do que na capital. No Recife, embora o valor do combustível tenha aumentado após a última alta nas refinarias, assim como a própria ANP atestou, tem uma da gasolina mais barata do País, devido à concorrência”, comentou o sindicalista. (Com informações da Folha de Pernambuco)

Preço do leite integral continua subindo, em Petrolina

(Foto: Internet)

Em comparação com o mês de  julho, a cesta básica de alimentação, em Petrolina (PE) apresentou deflação de -1,09% no mês de agosto. Já em Juazeiro (BA), o preço da cesta básica caiu -2,61%. No acumulado dos últimos doze meses, Juazeiro/BA apresenta deflação de -5,18% e Petrolina/PE uma inflação de 2,55%.

Em Petrolina, o vilão nas compras das famílias é o leite integral, o preço do produto continua subindo em ritmo desacelerado. O motivo é a entressafra, que reduz a oferta de leite no campo. O Pão Francês fica em segunda posição, o queridinho das famílias brasileiras teve um pequeno reajuste pelo segundo mês consecutivo devido os aumentos dos custos de produção, tanto da farinha de trigo quanto da energia elétrica, segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE).

No caso da Farinha de Mandioca, existe baixa oferta da matéria prima. Contudo, a tendência é de que este pequeno aumento seja pontual e que os preços reduzam nos próximos meses. No caso das carnes, é a segunda redução consecutiva. O aumento da oferta interna pressiona o preço para baixo.

A pesquisa do custo da Cesta Básica do Colegiado de Economia da FACAPE estimou o custo no mês de agosto em R$ 291,54, no município pernambucano.

Aumento no preço da gasolina provoca indignação nos motoristas

Posto Dona Rosa, no bairro Tabuleiro, em Juazeiro (BA). (Foto: Blog Waldiney Passos)

Motoristas do Vale do São Francisco estão indignados com o aumento no preço da gasolina, nas cidades de Juazeiro (BA) e Petrolina (PE).  Segundo pesquisa da Agência Nacional do Petróleo (ANP), na cidade baiana, antes do reajuste, a gasolina estava custando R$ 4,60, em média. Agora já tem posto cobrando mais de R$ 5,00.

Em Petrolina, a situação não é diferente, segundo a ANP a gasolina custava em média R$ 4,67. Após o reajuste, o litro da gasolina passou a custar em média R$ 4,89. E tem posto cobrando R$ 5,15 pelo litro da gasolina.

O reajuste começou a ser repassado para os motoristas no último sábado (01), após os preços de referência do diesel serem atualizados no país pela ANP, na noite de quinta-feira (30/08) . Segundo os donos dos postos, o aumento no preço dos combustíveis não tem nenhuma ligação com a informação de uma possível paralisação dos caminhoneiros que circulou nos últimos dias.

Gasolina vendida nas refinarias está mais cara a partir desta quinta

Preço vai aumentar a partir desta quinta. (Foto: Beto Novaes/EM/D.A Press)

O preço do litro da gasolina vendida nas refinarias aumenta nesta quinta-feira (30) de R$ 2,0829 para R$ 2,1079. Já o preço do diesel permanece estável em R$ 2,0316. O aumento obedece à política de preços da Petrobras para a gasolina e o diesel comercializados com as distribuidoras e que “tem como base o preço de paridade, formado pelas cotações internacionais”.

De acordo com a empresa, a paridade é necessária porque o mercado brasileiro de combustíveis é aberto à livre concorrência, dando às distribuidoras a alternativa de importar os produtos. A Petrobras informa ainda que a gasolina e o diesel comercializados com as distribuidoras diferem dos produtos no posto de combustíveis.

LEIA MAIS
1234