Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Produtores de Petrolina registram prejuízos por problemas internos da Adagro

Na Adagro, o sistema interno permaneceu indisponível durante toda a sexta-feira. (Foto: ASCOM)

Quedas no sistema interno de emissão do PTV (Permissão de Transito de Vegetais) e a burocratização exagerada da Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária do Estado de Pernambuco (Adagro) estão causando transtornos para os produtores de Petrolina. Quem afirma são os próprios fruticultores, que no último final de semana, contabilizaram prejuízos com a paralização da entidade.

As queixas foram registradas pelo Sindicato dos Produtores Rurais do município (SPR), que tem buscado a solução do problema desde março. Naquele mês, o presidente da Adagro, Paulo Lima, esteve na cidade participando de um evento promovido pelo órgão representativo e afirmou que a agência fiscalizadora passaria a emitir o PTV pela Internet, até meados de julho.

A intenção não saiu do papel e, na última sexta-feira (3), o posto da Adagro em Petrolina se deparou com a queda do sistema interno, provocando uma nova paralização dos caminhões de frutas.

“O produtor tem de ter a possibilidade de preencher essas requisições na Internet porque essa burocratização é uma barreira para a produtividade de Petrolina e de Pernambuco”, diz o gerente executivo do SPR, Flávio Diniz. “O que é o PTV? É o documento que acompanha a fruta quando vai para fora do estado. A morosidade na sua virtualização está atrapalhando muito os fruticultores da cidade”.

LEIA MAIS

Auditoria do IGEPREV revela prejuízo de aproximadamente R$ 13 milhões no governo de Júlio Lossio

As irregularidades encontradas foram feitas durante a gestão de Lossio. (Foto: ASCOM)

Uma auditoria realizada pelo Instituto de Gestão Previdenciária do Município de Petrolina (Igeprev) revelou prejuízos de aproximadamente R$ 13 milhões aos cofres do órgão. De acordo com levantamento, as perdas são provenientes de aplicações feitas entre os anos de 2011 e 2013, durante a gestão do ex-prefeito Júlio Lossio.

Uma das irregularidades identificadas foi o direcionamento de recursos para fundos de investimentos não recomendados, como explica o diretor-presidente do Igeprev, Willames Barbosa.

“Fizemos um levantamento minucioso e identificamos uma relação de fundos de investimentos de alto risco que vêm causando sucessivas perdas financeiras para o Igeprev, algumas delas, já provocaram, inclusive, o cancelamento precoce desses investimentos que dificilmente poderão ser recuperados”, explica o diretor.

LEIA MAIS

Produtores de frutas do Vale do São Francisco estimam R$ 570 milhões em prejuízos com a paralisação dos caminhoneiros

Os produtores assinaram um documento, onde reconhecem a legitimidade do movimento dos caminhoneiros. (Foto: ASCOM)

Maior exportador de frutas do país, o Vale do São Francisco já contabiliza um prejuízo de R$ 570 milhões ao final do oitavo dia de paralisação dos caminhoneiros. A conta foi apresentada na tarde desta segunda-feira (28), pelo presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Petrolina (SPR), Jailson Lira.

Segundo o representante do mais importante segmento da economia regional, a paralisação vem atingindo fortemente o setor, que deixou de comercializar nesta semana para os mercados interno e externo 40 mil toneladas de uvas e 60 mil toneladas de mangas, além de mais 200 mil toneladas de outras frutas, a exemplo de acerola, banana, coco e mamão.

“Com todo esse tempo de paralisação, nossas câmaras frias já estão com a ocupação esgotada, não oferecendo mais espaço para o armazenamento das frutas colhidas recentemente. O resultado são pomares e mais pomares com frutas apodrecendo no campo”, lamentou.

LEIA MAIS

Greve dos servidores da Adagro causam prejuízo que ultrapassa US$ 2 milhões; sindicato cobra solução

Greve teve início na última segunda-feira (02)

A greve dos servidores da Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária do estado de Pernambuco (Adagro), que teve início na última segunda-feira (02), já causou um prejuízo de US$ 2,7 milhões aos produtores de frutas de Petrolina e região. A principal reivindicação da categoria é quanto ao acordo de reajuste salarial feito, no ano passado, junto ao Governo do Estado.

O Sindicato dos Produtores Rurais de Petrolina (SPR) apresentou a conta na tarde desta quarta-feira (4) após contabilizar a suspensão, por três dias, dos serviços de Permissão do Trânsito Vegetal (PTV) para, no mínimo, 1.100 toneladas de uvas que são comercializadas a um valor de US$ 2.50 o quilo.

LEIA TAMBÉM

Fiscais agropecuários da Adagro, em Pernambuco, paralisam as atividades por tempo indeterminado

O gerente executivo do SPR, Flávio Diniz, afirmou que com a greve dos servidores da Adagro a fruticultura também foi afetada com a suspensão do monitoramento diário da praga das moscas das frutas.

“Estamos mobilizando o Governo do Estado para a solução desse impasse o mais breve possível. Nosso presidente, Jailson Lira, esteve ontem em Recife e juntamente com o presidente da FAEPE, Pio Guerra, foram ao gabinete do secretário de Agricultura e Reforma Agrária, Wellington Batista, em defesa dos interesses dos produtores de Petrolina e região. Na ocasião, foi solicitado o envio de fiscais para atender na emissão dos PTVs em Petrolina”, adiantou.

LEIA MAIS

Paralisação dos médicos deixa quase 2 mil pessoas sem atendimento em Petrolina

(Foto: Montagem)

Cerca de 2 mil pacientes que estavam com consultas agendadas para esta terça-feira (25) ficaram sem atendimento. O motivo é que os médicos da Rede Municipal de Saúde iniciaram uma paralisação que segue até a próxima quinta-feira (27). Essas consultas serão reagendadas de acordo com a disponibilidade de vagas das unidades.

Nas Unidades Básicas de Saúde, 58 médicos paralisaram as atividades. Já na atenção especializada, que corresponde, por exemplo, aos Centros de Atenção Psicossocial e AME Policlínica, foram 5 especialistas. De acordo com a Secretaria de Saúde, apenas o atendimento médicos foi suspenso, os outros serviços estão funcionando normalmente.

A categoria não aceitou o reajuste salarial concedido pela Prefeitura Municipal de 6.29% para todos os servidores.

“Nós lamentamos essa paralisação dos médicos, prejudicando um serviço tão essencial para a população. A proposta inicial, levando em consideração que esses servidores foram penalizados nos anos anteriores, seria de um reajuste de 5%, em cima do salário base, custeado com recursos próprios. Após várias rodadas de negociações, o prefeito Miguel Coelho autorizou, mesmo em um cenário de dificuldade econômica, alterar o reajuste para 6.29%. A gestão municipal resolveu assumir os custos do reajuste, a fim de que todos os servidores fossem contemplados”, explicou a secretária de saúde, Magnilde Albuquerque.

De acordo com a secretária, os médicos do município foram os únicos que não aceitaram a proposta do reajuste salarial.

Polícia Federal: Fraudes em empréstimos do BNDES geraram prejuízo de R$ 1,2 bi

(Foto: Internet)

A Polícia Federal deflagrou hoje (12) uma operação para investigar fraudes e irregularidades em aportes concedidos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES), por meio da subsidiária BNDESPar, a uma grande empresa do ramo de proteína animal.

Os aportes, realizados a partir de junho de 2017, tinham por objetivo a aquisição de empresas também do ramo de frigoríficos, no valor de R$ 8,1 bilhões.

Realizada após contratação de empresas de consultoria ligada a um parlamentar na época, as transações de desembolso dos recursos públicos tiveram tramitações recordes, sem exigências de garantias, gerando prejuízo de R$ 1,2 bilhão.

Estão sendo cumpridos 37 mandatos de condução coercitiva, sendo 30 no Rio e sete em São Paulo, além 20 mandados de busca e apreensão (14 no Rio e seis em São Paulo). Os envolvidos tiveram os bens bloqueados e estão impedidos de saíram do país, além de fazer mudança societária na empresa investigada.

Fonte Agência Brasil

Brasil perdeu R$ 466 bi com retração do PIB em dois anos, diz ministro do TCU

(Foto: Ilustração)

A retração do Produto Interno Bruto (PIB) por dois anos sucessivos causou prejuízo de R$ 466 bilhões à economia brasileira. O cálculo foi feito pelo ministro Augusto Nardes, do Tribunal de Contas da União (TCU), a partir dos dados de 2015 e 2016, quando o conjunto dos bens e riquezas produzidas no país encolheram 3,8% e 3,6%, respectivamente.

“A desgovernança causou um enorme prejuízo para o Brasil, que perdeu R$ 466 bilhões devido à perda de confiança e, consequentemente, de investimentos na nação”, afirmou o ministro, associando a falta de crescimento ao descumprimento da legislação.

LEIA MAIS

Prejuízo: quase 7 milhões de trabalhadores têm depósitos de FGTS atrasados

(Foto: Internet)

Cerca de 7 milhões de trabalhadores não tiveram depósitos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), incluindo contas ativas e inativas, feitos corretamente pelos seus empregadores. São 198.700 empresas devedoras de depósitos do fundo, segundo informações da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN), órgão vinculado ao Ministério da Fazenda.

Com isso, muitos trabalhadores que quiserem sacar o saldo do FGTS de uma conta inativa podem ter problemas. Só em São Paulo são 52.800 empresas devendo depósitos no FGTS de seus empregados e ex-empregados, em um total de 8,69 bilhões de reais em débitos. No Rio de Janeiro as dívidas chegam a 4,1 bilhões de reais, distribuídos entre 27.700 empresas inadimplentes.

LEIA MAIS

Prejuízo do comércio com portas fechadas pode ultrapassar R$ 300 milhões no ES

(Foto: Fernando Madeira/ A Gazeta)

A crise na segurança pública no Espírito Santo trouxe prejuízos que podem passar dos R$ 300 milhões aos lojistas nesses dias de portas fechadas. A estimativa é da Federação do Comércio e Bens, Serviços e Turismo do Espírito Santo (Fecomércio-ES).

O valor não inclui as depredações e os assaltos: pelo menos 300 lojas foram saqueadas e depredadas e o prejuízo calculado nesses casos gira em torno de R$ 30 milhões. Só na capital capixaba, 200 lojas sofreram ataques desde o último dia 4. As lojas mais visadas são as que vendem eletrodomésticos, joias e roupas.

Com a paralisação da Polícia Militar e o clima de insegurança nas ruas, estima-se prejuízo no comércio do estado em torno de R$ 45 milhões por dia com as lojas fechadas. O levantamento, realizado pela Fecomércio, considera o PIB do comércio do Espírito Santo diário como o valor máximo que poderia ser perdido em um dia parado e a quantidade de dias úteis perdidos.

Além do comércio, outros setores tiveram perdas, como serviços e turismo. Segundo a Fecomércio, no caso do turismo, houve cancelamento de reservas de hotéis e de eventos importantes, como o da 43ª Feira Internacional do Mármore e Granito que tinha expectativa de receber 25 mil visitantes.

Com informações do EBC

Após fortes ventos, torre de telefonia cai e atinge casas, em Petrolina

Ventos fortes derrubaram antena. (Foto: WhatsApp)

Após os fortes ventos na tarde desta segunda-feira (26), uma torre de telefonia caiu no Residencial Nova Vida 1, que fica próximo ao bairro João de Deus, em Petrolina (PE). Na queda o equipamento atingiu três casas. Em duas das residências o telhado ficou comprometido e alguns eletrodomésticos foram danificados.

No momento da queda não haviam moradores no interior das casas. Ninguém ficou ferido. O responsável pela empresa que cuida da antena disse que o equipamento possui registro do Conselho de Engenharia e Agronomia de Pernambuco. Ainda segundo ele, a empresa vai ressarcir o prejuízo, que pode chegar a R$200 mil.

“Mulheres são as principais vítimas da Reforma da Previdência”, diz Humberto Costa

(Foto: Internet)

O líder do PT no Senado, Humberto Costa, disse nesta segunda-feira (12) que as mulheres serão as principais “vítimas” pela Reforma da Previdência proposta pelo governo de Michel Temer (PMDB). Pela nova regra, as mulheres vão perder o direito de se aposentar mais cedo e terão que trabalhar 49 anos para garantir a aposentadoria integral.

Atualmente, as mulheres podem se aposentar com 30 anos de contribuição ou ao completar a idade mínima de 60 anos, enquanto que os homens precisam contribuir 35 anos ou ter 65 anos.

“Este é um governo que tem como sua marca o machismo. É uma gestão que tem regredido em todo o tipo de política pública que assegure o direito das mulheres e a justiça social. Basta dizer que estamos falando de um presidente que não nomeou uma mulher sequer para o seu ministério, que extinguiu a Secretaria Especial da Mulher”, afirmou.

O senador ainda lembrou dados do IBGE que, em pesquisa divulgada esse ano, revela que as mulheres trabalham, em média, cinco horas a mais por dia, quando se soma a ocupação remunerada e o que é feito dentro de casa.

LEIA MAIS

Custo com abstenções do Enem chega a R$ 236 milhões, diz ministro da Educação

(Foto: Agência Brasil)

Mendonça afirmou que o percentual de abstenções, de 30,4%, foi acima da média de anos anteriores. (Foto: Agência Brasil)

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano registrou um índice de abstenções maior do que o de outras edições. A cada dez candidatos inscritos, três não compareceram às provas, cuja segunda aplicação ocorreu neste fim de semana. O Enem foi aplicado para a maioria dos estudantes em novembro, mas, por causa das ocupações nas escolas, 270 mil pessoas fizeram o exame neste fim de semana.

O ministro da Educação, Mendonça Filho, apresentou uma conta com base no custo médio de cada prova, de R$ 90 reais. “Significa que o governo federal gastou praticamente R$ 236 milhões que não foram, digamos assim, aproveitados. Além do esforço técnico, profissional e de segurança que poderia, dentro do MEC, ser aplicado para outras áreas”, afirmou.

Mendonça afirmou que o percentual de abstenções, de 30,4%, foi acima da média de anos anteriores. Em 2015, segundo ele, cerca de 28% dos inscritos não compareceram. Ao todo, 6 milhões e cinco mil candidatos inscritos compareceram.

LEIA MAIS

Seca causa prejuízo de R$ 103,5 bilhões no Nordeste em três anos

(Foto: Internet)

A seca atinge o semiárido brasileiro desde 2012 (Foto: Internet)

A seca severa que atinge o Nordeste causou um prejuízo de R$ 103,5 bilhões entre os anos de 2013 e 2015. O levantamento foi feito pela CNM (Confederação Nacional dos Municípios), que usou os dados do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres – criado em dezembro de 2012 e coordenado pela Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil.

Graças ao sistema, pela primeira vez foi possível mensurar os danos materiais causados pelos eventos naturais no país. A seca atinge o semiárido brasileiro desde 2012, com 33,4 milhões de pessoas afetadas.

O levantamento aponta que todos os desastres naturais do país, entre 2013 e 2015, causaram prejuízo de R$ 173,5 bilhões. Ou seja, 60% do prejuízo no Brasil com todos os eventos extremos se concentraram pela falta de chuva no Nordeste.

LEIA MAIS

Candidata descobre na urna que fez campanha com número errado

Mesmo se houver prisão ou detenção em flagrante, o candidato deve ser levado imediatamente a um juiz, para que o magistrado avalie no mesmo momento a legalidade do ato. (Foto: Reprodução/Internet)

Mesmo se houver prisão ou detenção em flagrante, o candidato deve ser levado imediatamente a um juiz, para que o magistrado avalie no mesmo momento a legalidade do ato. (Foto: Reprodução/Internet)

Uma candidata a vereadora em Guajará-Mirim, Rondônia, descobriu, na última hora, que fez toda a sua campanha com o número errado. A postulante digitou seu número de campanha na urna e verificou que era inexistente.

O cartório eleitoral de Guajará-Mirim informou que o número da campanha da candidata era diferente do número registrado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE). A candidata, que fez toda a sua campanha com um número errado, não conseguirá receber nem o próprio voto.

O Dia

Falta de estrutura causa prejuízo de 150 bilhões por ano ao Brasil

Nas últimas duas décadas, o Brasil investiu em média 2,2% do PIB em infraestrutura, enquanto a média mundial foi de 3,8%.

A cada ano que o Brasil deixa de investir o mínimo necessário para manter a infraestrutura existente, a economia perde R$ 151 bilhões – valor próximo ao déficit primário calculado para o País em 2016.

O resultado dessa conta, feita pela consultoria GO Associados, é perverso: além de manter um transporte de má qualidade e uma oferta restrita de serviços públicos, o baixo investimento no setor representa menos emprego e renda para a população e menos dinheiro nos cofres do governo.

Importante aliado para turbinar o crescimento econômico em qualquer lugar do mundo, o investimento em infraestrutura sempre esteve entre as prioridades anunciadas pelos governos Lula e Dilma. Mas, apesar da criação do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), os montantes aplicados de 2003 para cá nunca passaram dos 3% do Produto Interno Bruto (PIB) – parâmetro mundial que indica o investimento necessário para manter a estrutura existente.

LEIA MAIS