Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Presos já são 287 no Ceará, que registrou mais ataques nesta quinta

Criminosos atearam fogo em diversos ônibus.

O número de suspeitos presos ou apreendidos em razão da onda de ataques no Ceará chegou a 287. A atualização foi divulgada nessa quinta-feira (10) pela Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social.

As ações de facções criminosas tiveram início na semana passada e deixaram em alerta todo o estado. Prédios públicos, viadutos, estradas, ônibus e locais com veículos foram incendiados ou atingidos de alguma forma pelos grupos. A administração estadual não divulga balanço oficial dos incidentes.

A prefeitura de Fortaleza informou que dois ônibus foram incendiados e dois centros de assistência social, invadidos nos bairros de Palmeiras e João Paulo II. Em razão dos episódios, as duas unidades ficaram sem atendimento.

Um viaduto foi incendiado, no bairro de Parangaba, também na capital. Esse episódio prejudicou a circulação do metrô da cidade, que atrasou cerca de uma hora e meia no início do dia.

Justiça condena Estado do Maranhão a indenizar em R$ 100 mil famílias de presos mortos

Em 2015, Pedrinhas, no Maranhão, foi considerada uma das cinco piores prisões do país em condições para os presos. (Foto: Ilustração)

Cada família, dos 64 presos mortos nos presídios do Maranhão, de janeiro de 2013 a janeiro de 2014, vai receber R$ 100 mil de indenização do Estado. O 3ª vara do Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª região decidiu, em primeira instância, que o valor corresponde a danos morais sofridos pelas famílias.

A decisão segue o entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF) de que o Estado é responsável pela integridade física dos detentos, devendo responder pelas suas mortes.

No ano de 2014, alguns vídeos mostravam presos do complexo prisional de Pedrinhas, que fica em São Luís (MA), decapitados após uma rebelião na prisão. Em 2015, Pedrinhas foi considerada uma das cinco piores prisões do país em condições para os presos.

Secretário diz que mais PMs podem ser presos por incitar greve

Na primeira entrevista após a Polícia Militar descartar a greve e manter a operação-padrão, o secretário de Defesa Social de Pernambuco disse que o governo está disposto a levar até as últimas consequências a obrigatoriedade de a categoria cumprir as jornadas de trabalho.

“Não iremos tergiversar no enfrentamento ao desrespeito à ordem, à lei e ao princípio de autoridade. A hierarquia e a disciplina militares devem ser respeitadas por policiais e bombeiros”, ressaltou o secretário Ângelo Gioia.

Gioia afirmou que novas prisões podem acontecer. Sexta, o presidente e o vice da Associação de Cabos e Soldados de Pernambuco (ACS-PE), Alberisson Carlos e Nadelson Leite, respectivamente, foram presos.

LEIA MAIS

Delegados concedem entrevista e falam sobre ‘Operação Alcatéia”; Confira fotos dos grupos identificados na operação

dsc_0013

Delegados falam sobre detalhes da “Operação Alcatéia”. (Foto: blog Waldiney Passos)

Os delegados Marceone Ferreira e Magno Neves falaram, na manhã desta sexta-feira (2), à imprensa sobre os detalhes da “Operação Alcatéia”, que culminou na prisão de sete indivíduos, nas cidades de Petrolina (PE), Casa Nova (BA) e São Luís (MA), acusados de tráfico de drogas. Segundo Marceone, o objetivo da operação era tirar essas pessoas de circulação para garantir a segurança da população.

“Durante a investigação as três células foram identificadas e foram encontradas e apreendidas muitas drogas, armas e bastante dinheiro. O objetivo da operação foi tirar essas pessoas de circulação, pois estavam atuando de forma intensa com o tráfico em Petrolina. Conseguimos prender alguns membros que participavam destas ações. Semana passada foram presas duas mulheres que faziam parte dessa associação. A investigação obteve muito êxito com a prisão de pessoas em Petrolina, Casa Nova e São Luís”.

dsc_0014 marceoneO delegado Marceone explicou ainda que as investigações tiveram início com o trabalho do delegado Magno Alves, que deu início a uma investigação sobre homicídios que estavam acontecendo na cidade e que acabou se deparando com a atuação dessas pessoas no tráfico.

“Foi um ambiente operacional bastante intenso e difícil de atuar, mas a Polícia Civil se planejou e conseguiu o êxito da operação. A investigação começou com Dr. Magno, que fez um trabalho voltado para homicídios, e a gente se deparou com a atuação intensa dessas pessoas no tráfico da cidade. Oito pessoas faziam parte dessa associação e sete estão presas, e a gente acredita que é só uma questão de temo para efetuar a prisão do oitavo”.

O Dr. Magno Alves informou que as investigações acontecem há cerca de 10 meses e detalhou como acontecia a atuação dos indivíduos de dentro da penitenciária, que acabavam ordenando a prática de homicídios para estabelecer um cartel do tráfico em certas regiões da cidade.

dsc_0015 magno“Nós iniciamos as investigações há dez meses. Era um grupo criminosos que atuava no presídio e controlava o tráfico da cidade, além de praticar homicídios, especialmente na região do bairro José e Maria, tendo como vítima os detentos do regime semiaberto. Obtivemos êxito nas investigações desses crimes, mas no decorrer da investigação foi verificada a existência de um forte grupo, uma associação criminosa de tráfico de entorpecentes formada por uma equipe de criminosos dentro e fora do presídio. Então, as determinações para as práticas de homicídios vinham de dentro do presídio para estabelecer o controle do tráfico na região. Identificamos um grupo e depois outros grupos começaram a surgir nas investigações. Terminamos a operação com três grupos criminosos atuando com tráfico em Casa Nova, Petrolina e São Luís”.

O delegado Magno falou ainda sobre os três grupos que foram identificados durante a operação. Segundo ele, é possível que existam outros grupos, mas a Polícia Civil continuará com seu trabalho para trazer uma maior segurança para a população petrolinense.

dsc_0022

Grupos de criminosos que atuavam no tráfico de drogas em Petrolina. (Foto: blog Waldiney Passos)

“No início da operação foi apreendido um adolescente com certa quantidade de droga na rodoviária de Petrolina que estava na posse de drogas que pertenciam a um dos criminosos que atuavam de dentro da penitenciária. Depois foi identificado outro grupo que fazia o transporte de muita droga e agora no final identificamos outro grupo que diz respeito ao dessas mulheres presas na Areia Branca”.

O delegado apresentou os números das apreensões e afirmou que os grupos tinham um forte poderio e que aterrorizavam dentro e fora do presídio. Ele falou também sobre a continuação do combate ao tráfico de drogas na cidade.

“No total foram apreendidos cerca de 5 kg de cocaína, 25 kg de maconha, aproximadamente R$ 8 mil em espécie, alguns celulares, armas de fogo. Tudo isso demonstra o poderio desse pessoal que aterrorizava dentro e fora da penitenciaria. Normalmente existem outros tentáculos, mas as vezes as investigações não conseguem identificar. A Polícia fez seu trabalho para trazer uma maior tranquilidade para a população de Petrolina e o vamos continuar com os policias na rua e a ajuda da população petrolinense. Não vamos acabar com o tráfico, pois seria um sonho, mas vamos combater intensamento o tráfico em Petrolina”.

Operação Alcatéia

A “Operação Alcatéia” foi deflagrada na manhã desta quinta-feira (1º) com o objetivo de cumprir mandados de prisão em desfavor de suspeitos de tráfico de entorpecentes e associação para o tráfico, com atuação nos municípios de Petrolina (PE), Casa Nova (BA) e São Luís (MA).

O nome da operação busca caracterizar a atuação desses indivíduos que atuam com tráfico de drogas. Segundo o delegado Magno, essas disputas pelo estabelecimento de cartéis do tráfico assemelha-se às brigas dos lobos para marcar seus territórios.

Delegados realizam entrevista coletiva para apresentar detalhes da ‘Operação Alcatéia’

(Foto: Ilustração)

(Foto: Ilustração)

Na manhã desta sexta-feira (2), a partir das 8h, os delegados Marceone Ferreira e Magno Neves apresentam os detalhes da “Operação Alcatéia”, que foi deflagrada nesta quinta-feira (1º) com a finalidade de prender associação criminosa com 07 integrantes responsáveis por tráfico e associação para o tráfico de drogas na região do Sertão Pernambucano.

Foram cumpridos três mandados de prisão no sistema penitenciário, no qual os acusados já se encontravam por outros crimes. Entre os alvos que estavam em liberdade, dois tiveram as prisões efetuadas em Casa Nova (BA), uma em Petrolina (PE) e outro em São Luís (MA). O nome da Operação vem da forma como o grupo brigava pelo tráfico na região

 

Guerra entre facções causou rebelião em vários presídios do país, diz secretário

1352121301654-prisao

O secretário de Justiça e Cidadania de Roraima, Uziel de Castro, disse hoje (17) que a rebelião que ocorreu na tarde de ontem (16) na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, em Boa Vista, foi uma determinação nacional da facção Primeiro Comando da Capital (PCC), em São Paulo, de atacar os integrantes do Comando Vermelho, grupo criminoso do Rio de Janeiro.

“Eles declararam guerra entre as facções. Estamos percebendo em nível nacional o rompimento desse acordo entre eles”, disse Castro, explicando que existem ramificações dos grupos em vários estados do país.

LEIA MAIS

Deflagrada a Operação ‘Retorno do Estado’ em Campo Alegre de Lourdes na Bahia

prefeitura-campo-alegre

A operação ‘Retorno do Estado’ foi deflagada na manhã desta quarta-feira(5) na cidade baiana de Campo Alegre de Lourdes. A autuação da polícia objetiva cumprir  23 mandados de prisão, sequestros de bens e valores, busca e apreensão e condução coercitiva dos envolvidos que por ventura resistirem o cumprimento dos mandados judiciais.

A ação é capitaneada pela segunda Promotoria de Justiça Criminal da comarca de Remanso, que investiga supostas fraudes em processos licitatórios que desfalcou os cofres públicos do município em aproximadamente 13 milhões de reais.

Na realização da operação foram efetuadas as prisões de Averaldo Dias da Rocha – Secretário de Finanças, Agenor Dias Boson e Geovane Almeida Santos- que figuravam como sócios da empresa Loventos.

Falta cumprir os mandados de prisão da filha da prefeita Maria Maria Luíza Borges Dias – Secretária de Gabinete- e do irmão da prefeita Luiz Carlos de Sousa.

Encontra-se também foragido do município de Campo Alegre de Lourdes  o Secretário de Administração Carlos Augusto dos Santos.

Durante as buscas foram apreendidas jóias, cheques, dinheiro e veículos e conduzidos para prestarem depoimentos advogado Willian Santos Dias, Raimunda Maria de Santana Passos e Renata Carine Marques Dias.

Toda a operação é uma ação conjunta da  Polícia Rodoviária Federal (PRF), da Polícia Militar de Juazeiro (Rondesp), do Comando da Polícia Militar de Remanso, do Delegado da Polícia Civil de Remanso e equipe,  do Delegado da Polícia Civil  de Campo Alegre de Lourdes e equipe e do Comando da Polícia Militar de Campo Alegre de Lourdes.

Operação Aracuã prende quadrilha que traficava drogas na Bahia e em Pernambuco

(Foto: Arquivo)

(Foto: Arquivo)

Nesta quinta-feira (14), foi deflagrada pela Polícia Civil da Bahia a Operação Aracuã para cumprimento de 36 mandados de busca e apreensão e 28 mandados de prisões nas cidades de Senhor do Bonfim e Antonio Gonçalves na Bahia, e Petrolina, Sertão de Pernambuco

Durante 2 anos, equipes monitoraram membros da organização criminosa com a finalidade de desarticular e prender os envolvidos no tráfico de drogas, venda e compra de armas, roubos a bancos, casas lotéricas, correios e homicídios. Entre os envolvidos, quatro são acusados de liderarem a quadrilha, além de cultivarem e vendem maconha, como também outras drogas sintéticas, crack e cocaína para localidade na Bahia como: Senhor do Bonfim, Antonio Gonçalves, Juazeiro, Salvador, Capim Grosso, Pindobaçu, Campo Formoso. E em Pernambuco:, Cabrobó, Belém de São Francisco e Petrolina.

LEIA MAIS

Janot pede prisão de Renan, Sarney e Jucá por tentarem barrar Lava Jato

teori

Ministro Teori Zavascki está com o pedido há pelo menos uma semana, segundo jornal ‘O Globo’. Segundo informação de TV, prisão de Cunha também está no pedido

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a prisão do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), do ex-presidente da República José Sarney (PMDB-AP) e do senador Romero Jucá (PMDB-RR) por tentarem barrar as investigações da Operação Lava Jato. A informação é da edição desta terça-feira do jornal O Globo.

No pedido, que está com o ministro Teori Zavascki há pelo menos uma semana, Janot também pediu o afastamento de Renan da presidência da Casa. Os argumentos, de acordo com o jornal, são similares aos apresentados contra o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que o tirou da presidência da Casa e do mandato de deputado federal.

A trama contra a Lava Jato foi gravada pelo ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado. Nas captações, Renan sugere mudar a lei para inibir a delação premiada, ao passo que Jucá descreve uma articulação política dele e de outros líderes para derrubar a presidente Dilma e, a partir daí, “estancar a sangria da lava jato”.

Conforme revelado em VEJA desta semana, em seu acordo de delação premiada, Machado disse que distribuiu 60 milhões de reais em propina para peemedebistas durante os doze anos que esteve à frente da estatal, entre eles Renan, Sarney e Jucá – apenas ao ex-presidente da República, foram 19 milhões de reais. Machado também contou que guardava dinheiro no exterior para políticos, entre eles o presidente do Senado.

Cunha – O jornal Bom dia Brasil, da TV Globo, informou posteriormente que Janot também pediu a prisão do presidente afastado da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha. Segundo a Procuradoria-Geral da República (PGR), Cunha continua tentando interferir na Lava Jato, bem como nas comissões da Casa.

Com informações Veja online