Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Dia do Consumidor: Prodecon de Petrolina orienta sobre novo código e compra consciente

(Foto: Ascom)

O Programa Municipal de Defesa do Consumidor (Prodecon) de Petrolina está promovendo uma série de atividades em alusão ao ‘Dia Internacional do Consumidor’, celebrado nesta sexta-feira (15). A programação começou na última quarta-feira (13) e conta com palestras e orientações sobre os direitos do consumidor, e compra consciente.

A primeira atividade aconteceu em uma operadora de plano de saúde da cidade onde o diretor do Prodecon, Dhiego Serra, apresentou o novo código de defesa do consumidor e também orientou sobre a importância das empresas cumprirem as novas leis estipuladas e suas sanções.

LEIA MAIS

Após denúncias, Prodecon fiscaliza supermercado de Petrolina e alerta população sobre cuidados durante as compras

(Foto: Ascom)

Depois de registrar algumas reclamações dos petrolinenses, o Programa Municipal de Defesa do Consumidor (Prodecon) realizou, nesta quarta-feira (30), mais uma fiscalização para assegurar os direitos dos consumidores em Petrolina. Desta vez, a ação foi para identificar supostas irregularidades em um supermercado da cidade.

O objetivo foi avaliar se o estabelecimento vinha descumprindo os direitos dos consumidores relacionados a produtos sem data de validade; sem data de fabricação; preços divergentes entre gôndolas e caixa e ainda os produtos promocionais com data de validade próxima. Segundo o diretor presidente do órgão vinculado à Prefeitura de Petrolina, Dhiego Serra,  a principal dica é que os consumidores estejam sempre atentos a esses itens acima para não ter prejuízos.

“Uma das principais queixas registradas no Prodecon é sobre a diferenciação de preços entre o ofertado nas gôndolas e o valor cobrado no caixa. Essa prática fere o direito do consumidor e justamente por isso, recomendamos que no momento da compra o consumidor esteja atento ao valor que foi apresentado na gôndola e aquele que saiu no caixa, pois é direito do consumidor pagar o menor valor entre eles, como garantido pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC)”, disse.

LEIA MAIS

Prodecon de Petrolina orienta consumidores sobre compra de material escolar

(Foto: ASCOM)

Passadas as festas de fim de ano, o retorno às aulas fica cada vez mais perto e muitos pais e responsáveis já têm um novo compromisso: a aquisição do material escolar.  Diante disso, o Programa Municipal de Defesa do Consumidor (Prodecon) está orientando os consumidores sobre a compra deste material.

Segundo o diretor presidente do órgão vinculado à Prefeitura de Petrolina (PE), Dhiego Serra, a principal dica continua sendo a pesquisa de preços, uma vez que, os valores dos materiais escolares costumam ter bastante diferença entre um estabelecimento e outro.  “Quando se trata de economia, a pesquisa é o melhor caminho. Todo consumidor tem o direito de pesquisar para que assim, possa perceber qual é o melhor estabelecimento para adquirir seus produtos”, diz.

LEIA MAIS

Prodecon contabiliza mais de 800 audiências em  oito meses e ganha novo espaço em Petrolina

(Foto: ASCOM)

Apenas oito meses após ser reaberto em Petrolina (PE), o Programa Municipal de Defesa do Consumidor (Prodecon) já contabiliza mais de 800 audiências na cidade. Os dados revelam como o órgão tem contribuído com a defesa dos direitos do consumidor, tanto que houve um aumento significativo de reclamações na unidade.

Diante disso, o órgão da prefeitura, inclusive, ganhou um espaço ainda mais amplo no Centro de Convenções Senador Nilo Coelho, onde a equipe conseguiu melhorar o atendimento num ambiente mais confortável para receber os usuários do serviço. De acordo com os números, a Compesa lidera o ranking com maior número de reclamações. Também ganham destaque as queixas relacionadas à Celpe, ao Banco Bradesco S/A e Via Varejo (Casas Bahia).

LEIA MAIS

Petrolina: Prodecon fiscaliza agências bancárias para verificar irregularidades nos atendimentos

O cliente que se sentir prejudicado pelo atendimento bancário na cidade deve fazer reclamação junto ao Prodecon.

Nesta quarta-feira (21), o Programa Municipal de Defesa do Consumidor (Prodecon) realizou uma operação para fiscalizar as agências bancárias de Petrolina. Essa é a primeira vez que a ação acontece no município.

A fiscalização teve como objetivo identificar irregularidades em relação ao tempo de espera nas filas, existência de exemplar do Código de Defesa do Consumidor em local de fácil acesso, além do funcionamento dos caixas eletrônicos e “venda casada” de serviços.

As equipes percorreram mais de cinco agências no centro da cidade e constataram irregularidades como: desrespeito ao tempo de espera em fila; ausência de banheiros para clientes, mau funcionamento de caixas eletrônicos e ausência de funcionários nos guichês dos caixas.

O diretor-presidente do Prodecon de Petrolina, Dhiego Serra, lembra que a ação é pioneira e faz parte de uma preocupação do órgão municipal em prezar pelos direitos do consumidor.

“Essa ação é muito importante para a população, principalmente, porque estamos trabalhando para, de fato, chegar perto do consumidor e identificar quaisquer falhas na prestação de serviços. O Prodecon faz um trabalho diário em defesa do consumidor e todas essas atividades têm o único objetivo de fazer com que o Código de Defesa seja cumprido”, disse.

LEIA MAIS

Prodecon cobra repasse de desconto no preço de combustíveis em Petrolina

(Foto: Arquivo)

O Programa Municipal de Defesa do Consumidor (Prodecon) está acompanhando de perto se o desconto concedido pelas distribuidoras de combustíveis está sendo repassado aos consumidores de Petrolina (PE). Durante workshop realizado pelo Sindcombustíveis de Pernambuco na última semana, o diretor presidente do Prodecon, Dhiego Serra, falou aos empresários do ramo e questionou aos mesmos sobre os repasses ao consumidor final.

De acordo com Serra, o encontro foi proveitoso e o consumidor petrolinense já pode verificar uma redução de preços nas bombas dos postos da cidade. “Não é papel do Prodecon regular os preços dos combustíveis, essa é uma competência da Agência Nacional do Petróleo (ANP), o que cabe aos órgãos fiscalizadores é acompanhar se este desconto está sendo repassado aos consumidores como estamos fazendo. Aqui em Petrolina, houve bom senso dos empresários que já estão repassando o desconto aos consumidores”, disse.

Serra  também passou esclarecimentos sobre o Código de Defesa do Consumidor e a Lei 13.455/2017  que obriga o fornecedor a informar, em local visível ao consumidor, os descontos oferecidos em função do meio e do prazo de pagamento. A proposta não obriga a diferenciação de preços, somente oferece essa possibilidade ao comércio.

O repasse dos reajustes da Petrobras nas refinarias aos consumidores depende dos distribuidores – ou seja, fica a cargo dos postos repassar ou não a baixa do preço da gasolina ao consumidor final. Apesar disso, em Petrolina, o litro da gasolina que antes custava em média R$  5,06 agora pode ser encontrado a por R$ 4,92.

Prodecon orienta consumidores de Petrolina para compras no Dia das Crianças

Os consumidores que se sentirem lesados neste período e quiserem fazer alguma reclamação junto ao Prodecon podem procurar o órgão.

O Dia das Crianças está chegando e a procura pelos presentes dos pequenos já começou em Petrolina. Diante da data, o Programa Municipal de Defesa do Consumidor (Prodecon) faz um alerta os consumidores para evitar aborrecimentos durante as compras.  O diretor presidente do órgão da Prefeitura de Petrolina, Dhiego Serra, lembra que alguns cuidados simples podem ajudar na compra e prevenir problemas futuros.

Uma das principais orientações, é com relação à indicação de idade em cada brinquedo. Serra destaca ainda que o consumidor deve ficar atento às informações da caixa e avaliar se o item desejado está compatível com a criança que será presenteada.

“A compra de um brinquedo deve, acima de tudo, prezar pela segurança. É muito importante que o consumidor observe se o produto tem o selo do Inmetro que é a garantia de que o brinquedo passou por testes de segurança. Um brinquedo sem a devida inspeção pode trazer riscos como substâncias tóxicas, peças muito pequenas que podem ser engolidas pelos pequenos ou até mesmo partes cortantes que podem machucar a criança”, diz.

LEIA MAIS

Para evitar preços abusivos em Petrolina, Prodecon fiscaliza postos de combustíveis

Fiscais do Prodecon durante a fiscalização, em Petrolina. (Foto: ASCOM)

Diante do aumento no preço dos combustíveis, o Programa Municipal de Defesa do Consumidor (Prodecon), de Petrolina (PE), iniciou nesta terça-feira (04) uma fiscalização aos postos de combustíveis contra preços abusivos.

A fiscalização visa coibir infrações, como a elevação abusiva de preços de produtos e serviços sem justa causa. Cerca de 50 postos de combustíveis de Petrolina devem ser vistoriados para apresentar a nota fiscal de compra de combustível e o valor repassado aos consumidores.

Segundo o diretor presidente do Prodecon de Petrolina, Dhiego Serra, durante a fiscalização não foi detectado qualquer tipo de abuso por parte dos postos da cidade, mesmo assim, o órgão tem acompanhando as elevações de preços para assegurar o direito dos consumidores da cidade.

“Apesar do aumento que pegou muita gente de surpresa, até o momento, não detectamos qualquer aumento abusivo por parte dos donos de postos. Durante as fiscalizações, nós verificamos as notas de compra e com base nesses dados, nossa equipe pode saber se houve prática abusiva ou não”, explicou Serra.

Qualquer pessoa que perceba um aumento abusivo no preço de algum produto deve fazer reclamação junto ao Prodecon. A reclamação pode ser protocolada no órgão que funciona no Centro de Convenções Senador Nilo Coelho das 8h às 12h. Para formalizar a denúncia, é preciso apresentar cópia de RG, CPF, comprovante de residência, além de nota ou contrato relacionado ao produto ou serviço denunciado. Outras informações através do número: 3861-3066.

Prodecon orienta consumidores sobre compras em período de promoções

O Prodecon orienta que os estabelecimentos comerciais não podem exigir um valor mínimo para os pagamentos em cartões.

Os consumidores que gostam de economizar ganharam um atrativo para sair às compras em Petrolina: é que tem sido comum ver lojistas realizando promoções nesta época do ano para tentar zerar seus estoques. Mas, especialmente agora, é importante que os consumidores fiquem atentos para não terem seus direitos violados.

Para orientar os petrolinenses, o diretor do Programa Municipal de Defesa do Consumidor (Prodecon), Dhiego Serra, listou algumas dicas importantes para assegurar compras tranquilas  neste período. A primeira delas diz respeito à troca de mercadorias. Segundo Dhiego, o consumidor tem  direito de trocar produtos com algum defeito, mesmo em promoções.

“É comum alguns estabelecimentos fixarem informativos de que não aceitam trocas de produtos que estão em promoção. Mas, segundo o Código de Defesa do Consumidor, o cliente tem direito de trocar produtos quando estes apresentam qualquer defeito ou vício. O consumidor só precisa ficar atento aos prazos e à política de cada estabelecimento”, explica Dhiego.

LEIA MAIS

Procura em postos de combustível aumenta em Petrolina

(Foto: Reprodução/Google Maps)

Desde as primeiras horas da manhã dessa quinta-feira (24) a demanda nos postos de combustível de Petrolina tem sido intensa. Agora pela tarde a equipe do Blog Waldiney Passos fez um giro pela cidade e percebeu que alguns estabelecimentos já não têm mais combustível para atender a população.

Na Avenida Tancredo Neves, Estrada do Jatobá e na Avenida da Integração, três postos na cidade já zeraram o estoque de gasolina comum e aditivada e só têm etanol disponível.

Em outro posto localizado próximo da antiga curva da Sabel, na Avenida da Integração a procura por volta das 15h30 era intensa de motocicletas e carros. Segundo os frentistas, a previsão é que a gasolina acabe ainda hoje, antes das 17h.

Enquanto a demanda aumenta, alguns estabelecimentos elevaram o preço do combustível. Há relatos de postos comercializando a gasolina acima de R$ 5,00. Outros proprietários optaram por manter o valor em torno de R$ 4,98 para a aditivada.

O consumidor que se sentir lesado deve registrar uma queixa no Procon contra o posto de combustível que comercializa gasolina ou diesel a valores abusivos.