Jogo do PSB é evitar racha

PSB tenta evitar racha.

Tão logo o presidente do MDB, Raul Henry, admitiu, à Rádio Folha, entrar na disputa pela Prefeitura do Recife, a cúpula do PSB foi ao encontro do senador Jarbas Vasconcelos. O governador Paulo Câmara e o prefeito do Recife, Geraldo Júlio, voltaram a provar do menu do cozinheiro e cacique Jarbas.

O ganho para o regabofe foi a discussão do plano nacional e a sucessão municipal. Mas esta segunda parte eles negam, como negam que o pequeno espaço do MDB no Governo e PCR tenha entrado no cardápio, reclamação ouvida com intensidade nos bastidores. Ternurando o MDB, o PSB quer evitar a entrada de Henry na disputa municipal para não atrapalhar a aliança em torno do deputado João Campos, já escolhido para tentar emplacar a sucessão de Geraldo.

LEIA MAIS

Henry é reeleito presidente do MDB em Pernambuco e acena para Fernando Bezerra

Discurso foi de paz na posse da presidência (Foto: Divulgação)

O sábado (6) foi marcado pela recondução do deputado federal Raul Henry ao posto de presidente estadual do MDB em Pernambuco. Porém, o que chamou a atenção no ato político foi o afago de Henry ao senador e líder do Governo Federal, Fernando Bezerra Coelho.

Os dois que até 2018 disputavam o comando da sigla selaram a paz e atuarão juntos até 2021, quando termina o período da presidência de Henry. O acordo foi selado com aval de Jarbas Vasconcelos, primeiro vogal da chapa única.

“Quero dizer que estou muito feliz de me colocar à disposição de Raul, nosso presidente, para que a gente possa fazer o MDB crescer no estado, para que o MDB possa assumir um papel de protagonismo importante em Pernambuco e no Brasil. Os nossos sonhos de um Pernambuco mais fraterno e solidário estão muito vivos, e o MDB será o instrumento da realização desses sonhos”, afirmou Fernando Bezerra.

LEIA MAIS

Pernambuco: Raul Henry deve ser reconduzido à presidência do MDB; chapa contará com Fernando Bezerra

Henry (esq.) e Fernando (dir.) estarão no comando do partido (Foto: JC Imagem)

A disputa pelo comando do MDB em Pernambuco parece ter chegado ao fim. O senador e líder do Governo Federal no Senado, Fernando Bezerra Coelho vai integrar a chapa única da Executiva Estadual, como 2º vogal. Desafeto de FBC, Jarbas Vasconcelos será o 1º vogal.

Raul Henry, outro político envolvido na disputa pelo comando da sigla, será reconduzido ao posto de presidente estadual. De acordo com o Jornal do Commercio, a decisão foi anunciada na quinta-feira (20) após reunião preparatória da Executiva para a Convenção Estadual da sigla, marcada para o próximo dia 6 de julho.

“É uma chapa unica até o momento e que procura contemplar todas as forças do Estado. Temos no senador Fernando Bezerra uma convivência respeitosa. Viramos a página do nosso conflito do passado. Vamos seguir adiante e ele pela sua legitimidade dele com o seu mandato merece ter um assunto na Executiva”, afirmou Raul.

Fernando Dueire, suplente de Jarbas no Senado, Alexandre Ferrer e Marta Guerra ocuparão a 1ª, 2ª e 3ª vice-presidências, respectivamente. Os nomes da chapa foram aprovados por unanimidade.

LEIA MAIS

Decisão final sobre disputa interna do MDB será de Ricardo Lewandowski

Henry e Jarbas devem ser beneficiados com decisão (Foto: Divulgação)

A disputa interna pelo controle do MDB em Pernambuco ganhou mais um episódio, quando a presidente do Superior Tribunal Federal (STF), a ministra Cármen Lúcia deixou a decisão final para o ministro relator do caso, Ricardo Lewandowski, que retorna aos trabalhos hoje (31).

Anteriormente Lewandowski já tinha decidido favoravelmente ao grupo de Raul Henry, que é vice-governador, e Jarbas Vasconcelos, deixando o senador Fernando Bezerra Coelho (FBC) sem o controle da legenda no estado.

Henry e Jarbas são da base do governo Paulo Câmara (PSB), enquanto FBC é da oposição, por isso a disputa é crucial em Pernambuco.

Os partidos aguardam uma decisão, já que o prazo das convenções partidárias termina neste final de semana e as siglas precisam definir seus candidatos e apoios políticos.

Fernando Bezerra afirma que “continua como pré-candidato”

(Foto: Brenda Alcântara/Folha de Pernambuco)

O senador Fernando Bezerra Coelho (MDB) afirmou que continua como pré-candidato ao Governo de Pernambuco, apesar dos problemas internos no partido. Durante uma entrevista ao jornal Folha de Pernambuco, FBC garantiu que mesmo com os “embaraços” a corrida para outubro continua.

“A gente continua como pré-candidato. Evidente que a questão do PMDB cria alguns embaraços, porque gera uma certa insegurança, sobre a definição do controle partidário. Mas existe toda uma expectativa de que essa questão seja resolvida em um espaço muito curto”, disse o senador nessa segunda-feira (7).

Fernando Bezerra ingressou no MDB em 2017, mas a disputa pelo poder estadual da sigla se arrasta por meses. O vice-governador de Pernambuco, Raul Henry e o deputado federal Jarbas Vasconcellos conseguiram na Justiça a retomada da liderança no MDB de Pernambuco.

Retomada do partido

Mesmo com o revés no Supremo Tribunal Federal (STF), Fernando garante que a situação será resolvida em breve. “Renovamos nossa expectativa e nosso otimismo de que a situação será resolvida em favor daquilo que prevê a Constituição Federal e a legislação partidária. Os partidos têm autonomia para decidir suas questões internas. E ao final de toda essa discussão jurídica, acho que o PMDB nacional terá reconhecido seu direito de poder constituir seus diretórios estaduais”, afirmou.

Sobre a decisão de quem será o candidato da oposição, o senador afirmou que o grupo não aguardará a decisão do PT para planejar as estratégias eleitorais.  “O Anúncio está muito próximo. Tem toda essa expectativa. É natural. Mas estamos trabalhando para dentro de um espaço muito curto estaremos em condições de anunciar o nome que vai liderar essa frente”, finalizou.

Exclusiva: para senador Humberto Costa briga interna no MDB de Pernambuco enfraquece partido

Humberto Costa falou com exclusividade ao Blog Waldiney Passos sobre eleições 2018 (Foto: Reprodução)

A briga interna do vice-governador Raul Henry e o senador Fernando Bezerra Coelho pelo poder no diretório estadual do MDB continua nos bastidores. A última decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) foi favorável a Henry, mas o presidente nacional, o senador Romero Jucá já afirmou que não desistiu de dar a Fernando o comando da sigla.

O líder do PT no Senado Federal, Humberto Costa deu sua opinião sobre a celeuma interna do MDB em Pernambuco. Para o senador, é provável que o partido acabe se enfraquecendo com a briga entre Henry e Fernando.

LEIA TAMBÉM:

Exclusiva: escolha do PT sobre nome que disputará governo do estado deve acontecer em maio, de acordo com senador Humberto Costa

Em Petrolina, senador Humberto Costa reafirma que PT continua trabalhando na candidatura de Lula

“Isso na verdade é uma disputa que eu acho que ainda vai rolar, é um problema de ordem interna do MDB, acho o MDB nacional e Michel Temer estão decididos a entregar o partido a Fernando Bezerra, mas eu acho que essa disputa não vai se receber tão rapidamente. Vai terminar o MDB sem ter a certeza de que vai disputar a eleição com chance de eleger alguém, eu acho que essa pendenga vai continuar indefinidamente”, opinou o senador.

No final de semana Humberto Costa visitou o Sertão de Pernambuco, onde cumpriu agenda política em Granito, Salgueiro, Parnamirim, Serra Talhada e Petrolina, onde esteve no domingo e falou com exclusividade a nossa equipe.

Jucá não descarta volta de Fernando Bezerra ao comando do MDB estadual

Jucá ainda acredita na volta de Fernando ao comando da sigla (Foto: Reprodução)

Presidente nacional do MDB, o senador Romero Jucá afirmou que lutará até o fim para que o comando do partido em Pernambuco volte para as mãos do também senador, Fernando Bezerra Coelho. Questionado pela Rádio Jornal, nessa quinta-feira (12), Jucá criticou a postura adotada pelo vice-governador e presidente do MDB em Pernambuco, Raul Henry.

“Não queremos expulsar ninguém do partido. Política não se faz dessa forma”, comentou. No último dia 20, o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, devolveu o comando do MDB a Raul Henry, que quer manter a sigla na chapa do governador Paulo Câmara (PSB).

Oposição

Na visão de Jucá, o partido deve sair do governo estadual – oposicionista a Temer – e se tornar oposição a Paulo Câmara. “Não vamos marchar com o atual governador, pois ele é do PSB e o partido vive agredindo o MDB”, afirmou o senador.

Jucá revelou ainda que o deputado Jarbas Vasconcelos sabia desde o começo que FBC seria o candidato ao governo do estado, lhe estando assegurada a candidatura ao Senado, mas Jarbas recuou após pressão de Henry. O presidente nacional do MDB não descartou a volta de Fernando ao comando do partido em Pernambuco, com Jarbas sendo candidato a senador pela sigla: “tudo é possível”.

Raul Henry critica Jucá sobre brigas no MDB em Pernambuco

Henry e Jarbas têm decisão favorável, mas MDB Nacional vai recorrer (Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem)

O vice-governador de Pernambuco, Raul Henry voltou a ter o comando do Diretório Estadual do MDB. A decisão favorável a Henry foi tomada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski, na última semana.

Na terça-feira (20) o senador Fernando Bezerra Coelho assumiu o comando da legenda, mas a disputa política interna continua. Em entrevista à Rádio Jornal do Recife, Henry criticou Romero Jucá, presidente nacional do MDB.

“Jucá esculhambou a Justiça de Pernambuco, disse que era uma Justiça de amigos. Quero ver agora o que eles vão dizer do ministro Lewandowski”, disparou Henry.

Questionado sobre o futuro de Fernando Bezerra, Henry foi curto e grosso: “O que ele vai fazer da filiação e da vida dele é problema dele”.

A disputa interna pelo poder do MDB em Pernambuco teve início com a filiação do senador Fernando Bezerra Coelho, ex-PSB. O Diretório Nacional já afirmou que entrará com um recurso contra a decisão de Lewandowski.

Executiva Nacional do MDB vai recorrer de decisão que favorece Raul Henry

(Foto: Reprodução/Facebok)

A executiva nacional do MDB anunciou no sábado (24) que irá recorrer da decisão tomada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, que favoreceu o vice-governador de Pernambuco, Raul Henry.

LEIA TAMBÉM:

STF suspende dissolução do diretório do MDB-PE

A presidência da legenda no Estado havia sido retirada de Henry pelo comando nacional e entregue ao senador Fernando Bezerra Coelho, na última terça-feira (20). Com a liminar cedida pelo STF, nenhum processo de intervenção poderá ser instaurado até que o mérito do pedido do vice-governador seja analisado.

Em nota, o MDB disse que respeita a decisão de Lewandowski, mas afirmou que irá recorrer da decisão aos 11 ministros do STF. Na última terça-feira (20), o Tribunal Superior Eleitoral deu permissão à executiva nacional do MDB para interferir no diretório local.

Políticos lamentam morte de ex-presidente do MDB em Pernambuco

(Foto: Arquivo/JC Online)

Um dos fundadores do Movimento Democrático Brasileiro (MDB) em Pernambuco, Dorany Sampaio morreu nessa terça-feira (13). Dorany foi ex-presidente do partido entre 1989 a 2015 e faleceu aos 91 anos, no Recife.

Em sua carreira política, Dorany também presidiu a Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), durante o governo do ex-presidente José Sarney, no fim dos anos 1980.

Segundo a família de Dorany Sampaio, ele passou uma semana internado no Hospital Português, na capital. No sábado (10), seguiu para a residência da família, onde recebia cuidados. A causa da morte não foi divulgada.

LEIA MAIS

Janela partidária é oportunidade para políticos mudarem de partido

MDB segue com Raul Henry e Jarbas Vasconcelos. (Foto: Divulgação)

A partir dessa quarta-feira (7) está oficialmente aberta a janela partidária. Até o próximo dia 7 de abril, políticos com mandato podem trocar de partido, buscando legendas com melhores condições de se reeleger. Em Pernambuco, a janela deve esquentar a corrida eleitoral.

A briga interna no MDB coloca de um lado o senador Fernando Bezerra Coelho e o deputado federal Jarbas Vasconcellos. Um busca a candidatura ao Governo de Pernambuco, enquanto o outro, o Senado Federal, na chapa do governador Paulo Câmara. A disputa interna no partido começou em setembro e deve se arrastar por alguns meses.

LEIA MAIS

Vice de Paulo Câmara, Raul Henry critica FBC: “foi desleal”

Henry (esq.) não poupou críticas a Fernando (dir.)

O vice-governador de Pernambuco, Raul Henry (PDMB) criticou o senador Fernando Bezerra Coelho (FBC) em entrevista cedida ao Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC) na segunda-feira (12). Segundo Henry, a única pessoa com quem ele “tem problemas” na política é com FBC.

“Não tenho nenhum problema com ninguém na política de Pernambuco. Eu sempre fiz política pensando no interesse do público. Surgiu esse problema recente com o senador Bezerra Coelho porque foi uma violência muito grande contra nós” afirmou Henry.

FBC fazia parte do PSB até 2017, quando se filiou ao PMDB e começou a fazer oposição ao governo do estado, grupo do qual fez parte nas eleições de 2014, ano em que Paulo Câmara foi eleito governador de Pernambuco e o próprio Fernando foi eleito para senador.

Henry não poupou críticas a atitude de Fernando Bezerra. Para o vice-governador, o político petrolinense foi “desleal”. “Foi um gesto de absoluta deslealdade pessoal porque ele foi convidado a entrar no partido, ele entrou no partido numa quarta-feira e, na segunda anterior, de forma traiçoeira, ele pediu dissolução do partido que tem mais de 50 anos de história. Uma absoluta falta de respeito pessoal” alfinetou Henry.

FBC responde às críticas: “não posso deixar de reagir às agressões”

Fernando Bezerra respondeu às críticas de Henry chamando as declarações do vice-governador de “agressão”. “Não tenho nenhuma restrição pessoal a quem quer que seja. Na minha trajetória política de mais de 36 anos não tenho inimigos. Agora não posso deixar de reagir às agressões que são feitas sem nenhum respaldo com as verdades dos fatos” comentou.

Sobre a filiação ao PMDB, FBC destacou que “me filiei fazendo a comunicação prévia ao deputado Jarbas Vasconcelos que não apresentou nenhuma restrição. Estranho que ele desconhecesse todo o processo de afastamento meu do PSB para sinalizar positivamente e depois se posicionar de forma contrária à minha filiação” finalizou o senador.

MDB-PE consegue nova liminar contra processo de dissolução

Raul Henry, presidente do PMDB-PE. (Foto: Arquivo)

O processo de dissolução do PMDB-PE foi novamente suspenso, agora na segunda instância da Justiça de Pernambuco. Em decisão publicada hoje (19) pela manhã, o desembargador Eduardo Sertório Canto derrubou a liminar concedida pelo juiz de primeira instância José Alberto de Barros Freitas Filho, que admitia o prosseguimento do processo.

Como argumento, Sertório questiona a mudança do estatuto realizada durante Convenção Nacional, no último dia 19 de dezembro, em Brasília. Com o intuito de promover a intervenção em Pernambuco, a Direção Nacional modificou o artigo 73 do documento, transferindo, assim, a competência de dissolver diretórios estaduais do Conselho Nacional para a Executiva Nacional.

Nos autos, o desembargador justifica: “Não se trata de simples erro em que tivesse ocorrido uma troca de letras. A modificação feita posteriormente alterou a anterior, alterando seu conteúdo”. E, mais adiante, defende: “Por ter ocorrido alteração na disposição legal, não pode ser reconhecida tal alteração como simples erro material, pois houve uma alteração de competência. Dessa forma, a alteração feita passa a valer somente a partir de sua publicação, não podendo retroagir, exatamente, por tê-la modificado”.

Segundo o advogado do diretório estadual, Carlos Neves, a Justiça entendeu que a decisão da nacional não pode valer para atos anteriores. “Depois de retificarem o estatuto para abrir caminho para a dissolução, eles (a direção nacional) pressionaram o juiz para derrubar a liminar que suspendia o processo, durante o recesso e conseguiram. Assim, foi decidido que o processo continuaria. Mas o desembargador Eduardo Sertório entendeu que a decisão tomada na convenção nacional do MDB não pode valer para atos tomados anteriormente. Ou seja, não pode ser retroativo. Então, foi concedida nova liminar para suspender o processo”, disse.

Informado da decisão, o presidente do PMDB-PE, Raul Henry, afirmou que ela demonstra, mais uma vez, a ilegalidade desse processo. “O senador Romero Jucá mudou o estatuto do partido com o objetivo de nos prejudicar em um processo que já tinha sido iniciado. Como o estatuto é a lei partidária, ela jamais pode retroceder para lesar quem quer que seja. Reafirmo nossa confiança na Justiça e a nossa disposição de lutar até as últimas consequências”, comentou.

Juiz nega pedido de Raul Henry para reconsiderar decisão a favor de FBC

O juiz José Alberto de Barros Freitas Filho, da 26º Vara Cível do Recife, rejeitou nesta quarta-feira (17) um pedido de reconsideração apresentado pelo diretório estadual do PMDB sobre a sua decisão de autorizar a intervenção nacional do partido em Pernambuco. A solicitação foi do presidente estadual da sigla, o vice-governador Raul Henry, que disputa o comando do partido com o senador Fernando Bezerra Coelho, apoiado pela executiva nacional.

Em resposta, Henry afirmou que aguarda a análise do recurso em segunda instância.

O PMDB nacional, por outro lado, pediu ao desembargador Francisco Sertório, relator do caso, que abra prazo para apresentação de contrarrazões antes de decidir o pedido de liminar.

“Espera-se que, uma vez devidamente esclarecidos os fatos através do exercício do prévio contraditório, os falaciosos argumentos expostos pelo Diretório Estadual do MDB de Pernambuco sejam rejeitados e a decisão que autorizou a retomada do processo de dissolução seja mantida, respeitando-se a autonomia assegurada constitucionalmente aos partidos políticos para tratar de seus assuntos internos”, diz a executiva nacional em nota.

O juiz José Alberto de Barros Freitas Filho revogou, há uma semana, a liminar anterior, que favorecia o vice-governador, e autorizou o processo de dissolução do diretório estadual da legenda pela Comissão Executiva Nacional.

O presidente do partido, senador Romero Jucá (RR), aprovou, na convenção nacional, em dezembro, uma mudança no estatuto para permitir a intervenção em Pernambuco. No evento, o parlamentar afirmou que o processo seria concluído até este mês.

A decisão do magistrado levou em consideração essa alteração no estatuto. “Devo ressaltar que não se trata de retroagir alteração estatutária para atingir um caso concreto que já se encontrava em tramitação, mas, sim, reconhecer a existência de erro material involuntário que não retratou a intenção da Convenção Nacional do Partido ao promover a revogação de um inciso do art. 73. Trata-se apenas de extrair do estatuto a sua real intenção, inobstante o equívoco evidenciado e agora corrigido”, afirmou ou juiz na primeira decisão.

Raul Henry pediu a reconsideração alegando que não há “ampla defesa e contraditório” no processo de intervenção no partido devido às declarações de Jucá.

“Não obstante as declarações do presidente da Comissão Executiva Nacional sobre a dissolução do Diretório Estadual de Pernambuco, não é possível informar que a defesa a ser apresentada será desconsiderada pelos integrantes da comissão por já ter ocorrido um prejulgamento. Declarações públicas e isoladas de um dos membros da Comissão Executiva, ainda que este membro seja o seu Presidente, não são capazes de impedir a apreciação do pedido pelo colegiado, uma vez que não constituem em motivo suficiente para contaminar o devido processo legal”, respondeu o juiz.

Com o comando do PMDB prometido por Jucá, Fernando Bezerra Coelho se coloca como pré-candidato ao Governo de Pernambuco pelo partido, contra Paulo Câmara, que hoje tem aliados de primeira hora em Raul Henry e no deputado federal Jarbas Vasconcelos, liderança histórica do partido. Diante da incerteza, foram oferecidos espaços no PSB e o governador se articula com o PP, que tem o segundo maior tempo de televisão na campanha, perdendo apenas para o PMDB. FBC se movimenta criticando Paulo e tentando descolar a imagem de Câmara da do seu padrinho político, Eduardo Campos.

Com informações do Blog do Jamildo.

Grupo de Jarbas Vasconcelos não desiste e recorre ao TJPE contra a decisão que favoreceu a dissolução da executiva estadual da legenda

Tribunal de Justiça de Pernambuco. (Foto: internet)

De acordo com informações do Blog da Folha de Pernambuco, o advogado do MDB-PE, Carlos Neves, que representa o grupo liderado pelo deputado federal Jarbas Vasconcelos, está no Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), para protocolar o recurso contra a decisão do juiz José Alberto de Barros Freitas Filho, que favorece a dissolução da executiva estadual da sigla.

Nesta quinta-feira (11), o juiz determinou a derrubada da liminar que impedia a intervenção na executiva estadual da agremiação, comandada pelo vice-governador Raul Henry. Na sua argumentação, o magistrado alegou que a aproximação do calendário eleitoral pede que a Justiça resolva o imbróglio de forma célere.

“Só temos plano A, não temos plano B. Vou ficar no partido até depois de março, independentemente do prazo eleitoral. Ficaremos todos. Nossa disposição é lutar. Ir até as últimas consequências. Temos uma história de decência, coerência e dignidade. Somos um partido aberto que abriu as portas, inclusive, para este traidor. Acreditamos na Justiça. Não vamos permitir que um traidor oportunista roube a nossa história”, afirmou Raul Henry, nesta sexta (12).

12