Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Manoel da Acosap pede fim da cobrança da taxa mínima de água e esgoto da Compesa

Edil afirmou que ficará no pé da Compesa (Foto: Blog Waldiney Passos)

Um dos autores do pedido para realização da Audiência Pública em Rajada no final de semana, o vereador Manoel da Acosap (PTB) afirmou que continuará no pé da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa). Ontem (11) ele apresentou o Requerimento n°216/2019, no qual pede a extinção da taxa mínima de água e esgoto imposta pela Companhia em Petrolina.

LEIA TAMBÉM:

Em Audiência Pública, Prefeitura de Petrolina busca soluções para abastecimento de água em Rajada

“Esse Requerimento faz parte dos trâmites da Audiência Pública que nós tivemos em Rajada. A Compesa arrecada por ano em Petrolina R$ 105 milhões e ninguém sabe para onde é que vai esse dinheiro. É uma caixa preta, eu digo isso porque fiz um Requerimento ao Governador [Paulo Câmara] e ao presidente da Compesa, Roberto Tavares pedindo o detalhamento das receitas líquidas e eles não respondem“, afirmou ao Blog.

LEIA MAIS

Compesa quer continuar operando em Petrolina, segundo Miguel

O prefeito Miguel Coelho afirmou, durante a entrega de ruas pavimentadas no bairro Loteamento Recife, na sexta-feira (17) que recebeu uma ligação do presidente da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), Roberto Tavares, solicitando a manutenção da empresa em Petrolina (PE) sem participar do processo de licitação.

LEIA TAMBÉM:

Após impasses com a Compesa, Prefeitura anuncia investimento de R$ 6 milhões para recuperar saneamento do Dom Avelar

“O presidente da Compesa me ligou querendo que a gente aceitasse um acordo, que não fosse para licitação”, disse. Em resposta, Miguel teria dito que “a população de Petrolina não aceita qualquer acordo com a Compesa que não seja o melhor e maior investimento na nossa cidade”.

LEIA MAIS

Manoel da Acosap reivindica informações sobre receita da Compesa

(Foto: Blog Waldiney Passos)

Uma das demandas discutidas e aprovadas na sessão dessa quinta-feira (16) na Casa Plínio Amorim foi o Requerimento n° 170/2019, proposto pelo vereador Manoel da Acosap (PTB). O edil solicitou informações ao presidente da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), Roberto Tavares sobre a receita da companhia.

Na demanda, Acosap reivindica dados a respeito da receita anual da Compesa em Petrolina, Rajada e também nas cidades vizinhas de Afrânio e Dormentes. De acordo com o edil, uma audiência pública está marcada para o dia 9 de junho em Rajada, na qual foi solicitada a presença de Tavares e João Raphael, diretor-presidente em Petrolina.

Acosap aproveitou seu discurso para criticar o Governo de Pernambuco, alegando que “é uma falta de respeito, falta de compromisso e falta de investimento do governador de Pernambuco”, o qual segundo ele é “de fachada”.

Em nota, Compesa afirma que ação de improbidade contra presidente não foi concluída pelo TCU

Roberto Tavares, presidente da Compesa é um dos citados pelo TCU (Foto: Arquivo)

O presidente da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), Roberto Tavares foi condenado por improbidade administrativa por supostas irregularidades em contrato para a construção do sistema Pirapama, que liga Recife, Jaboatão dos Guararapes e Cabo de Santo Agostinho.

Além de Roberto, o ex-presidente da Compesa, João Bosco de Almeida e a ex-diretoria de Engenharia, Ana Maria Torres também foram condenados pela 35ª Vara Federal de Pernambuco. O juiz Rodrigo Vasconcelos Coelho de Araújo apontou superfaturamento por sobrepreço e improbidade no processo licitatório.

A Compesa se manifestou a respeito da decisão por meio de uma nota oficial, afirmando que o Tribunal de Contas da União (TCU) fez uma auditoria ainda não concluída, não configurando decisão final do TCU sobre “as suspeitas relativas a eventual irregularidade no contrato”.

Na nota, a Companhia afirma ainda que técnicos competentes realizaram as cotações com base nos preços praticados no comércio, sendo os valores “apreciados e validados pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE)”. Confira a seguir a íntegra da nota da Compesa:

LEIA MAIS

Presidente da Compesa afirma que atendimento do call center será discutido pela companhia

(Foto: Reprodução/Internet)

Em uma rápida visita a Petrolina na terça-feira (3), o presidente da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), Roberto Tavares falou sobre uma das principais críticas dos petrolinenses: o atendimento por telefone. De acordo com ele, já foi solicitado um projeto para melhorar a comunicação da população com a companhia.

“Já tem um estudo pronto e eu não consegui tratar ainda em reunião de diretoria, mas vamos voltar a tratar isso. Independente de onde funcione, o call center é só a porta de entrada. É o telefone que entra e registra no sistema e isso já está aqui em Petrolina”, ressaltou o presidente durante o programa Super Manhã, da Rádio Jornal.

LEIA TAMBÉM:

Gerente regional da Compesa questiona postura da Armup sobre multas aplicadas

População é a maior prejudicada pela disputa jurídica entre Compesa e Prefeitura, afirma presidente da companhia

No entanto, ele reconheceu que é necessário aumentar a equipe, para assim conseguir atender a demanda estadual. Questionado sobre a demora no atendimento de solicitações de vazamentos de água limpa, Roberto Tavares disse que essa é uma consequência do sistema antigo.

“Um vazamento que fica ali dois dias é muito ruim, mas nós temos uma rede que melhorou muito. Na Região Metropolitana a gente atende em média 80 vazamentos por dia, a rede no Brasil é muito antiga”, explicou.

População é a maior prejudicada pela disputa jurídica entre Compesa e Prefeitura, afirma presidente da companhia

(Foto: Aluísio Moreira/Divulgação)

Visitando Petrolina para cumprir agenda política com o Governador de Pernambuco, o presidente da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), Roberto Tavares participou do programa Super Manhã, na Rádio Jornal e comentou a posição política da Prefeitura de Petrolina em “retaliar” a companhia por desalinhamento a Paulo Câmara.

“A gente analisa sob vários aspectos, o primeiro é em relação à população. Mais uma vez a população é prejudicada por uma briga que não é dela. Eu tenho a recomendação do governador Paulo Câmara de não misturar política com saneamento”, afirmou o presidente da companhia.

De acordo com Roberto Tavares, Petrolina é um dos municípios de destaque nacional no quesito de saneamento e criticou o desalinhamento político entre a gestão municipal. “Nós hoje estamos impedidos de fazer uma parte dos investimentos, aqueles com empréstimo de financiamento por conta de uma insegurança jurídica criada ainda na gestão anterior e que o prefeito atual não tomou iniciativa de resolver”, comentou Tavares.

LEIA MAIS

Presidente da Compesa defende investimentos em Petrolina e atribui disputa com o município à política

Sem meias palavras, o presidente da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), Roberto Tavares, em entrevista ao programa Super Manhã, da Rádio Jornal, afirmou que a celeuma em torno da Compesa é mais uma vez devido ao ano eleitoral.

“Geralmente em ano eleitoral esse assunto volta à tona, o que eu acho que prejudica a cidade de Petrolina”, salientou.

No entanto, Tavares desconversou ao ser questionado sobre a possibilidade do governador Paulo Câmara está dando um tratamento diferenciado ao município devido ao rompimento político com o senador Fernando Bezerra Coelho, pai do prefeito Miguel Coelho.

“Justamente ao contrário, o governador Paulo Câmara me determinou que fosse para Brasília para conseguir o empréstimo para Petrolina. Nós assinamos esse empréstimo, é público está em todos os jornais, no dia 29 de dezembro assinamos um contrato de empréstimo, ou seja, tomando um dinheiro emprestado para pagar em 20 anos do FGTS de R$ 38 milhões para Petrolina”, assegurou.

Demonstrando preocupação Roberto Tavares relembrou que Petrolina já perdeu muito tempo entre os anos de 2001 e 2007 quando ficou nesta briga pela privatização dos serviços.

“Ficou naquela briga de municipaliza, disputa judicial, acho que é uma coisa que afetou os investimentos em Petrolina”

De acordo com Tavares em 2017, na gestão do ex-prefeito Odacy Amorim, a Compesa assinou um novo contrato de concessão até o ano de 2037 que permitiu o investimento de mais de R$ 150 milhões no município.

“Investimentos comemorados em toda a cidade por lideranças comunitárias, o próprio prefeito Miguel esteve conosco tanto na estação de tratamento de água nova, que é o sistema Vitória, que era um sistema almejado pelos petrolinenses, teve vendo a nossa estação de tratamento de esgoto que é modelo em todo o nordeste”, pontuou.

Apesar de reconhecer que o município tem o direito de escolher quem quer operar, ele disse acreditar em um entendimento na reunião do próximo dia 25 com o prefeito Miguel Coelho.

“Petrolina tem graves problemas a serem enfrentados com relação a esgotamento sanitário por conta das bacias do Dom Avelar e Antônio Cassimiro, falei para o prefeito Miguel que estou disposto a assumir toda a responsabilidade desde que coloque na mesa qual é o planejamento, quais são as prioridades e possamos executar como executamos as obras que nos comprometemos nos último dez anos”,  concluiu.

Ouça o áudio da entrevista:

Presidente da Compesa se diz “surpreso” com anuncio de privatização dos serviços de abastecimento d’água e esgotamento sanitário em Petrolina

“Ficamos surpresos”, essa foi a reação do presidente da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), Roberto Tavares, com  o anuncio da privatização dos serviços de abastecimento d’água e esgotamento sanitário de Petrolina, feito pelo prefeito de Petrolina, Miguel Coelho.

Confira a íntegra da nota:

Ficamos surpresos com a proposta de privatização em Petrolina. A Compesa apoiou a operação de combate a ligações irregulares na rede de esgotos, atuou em parceira na limpeza da Orla, iniciou obras importantes de abastecimento d’água, como está realizando no Serrote do Urubu, e obras de esgotamento sanitário como está fazendo nos Bairros do Vale do Grande Rio, Pedro Raimundo e Jardim Amazonas. Além disso, estamos prontos para iniciar o Esgotamento Sanitário do Park Jatobá, num investimento de R$ 4,6 milhões que depende apenas de chegarem os recursos da Codevasf. Por fim, trabalhamos duro nos meses de novembro e dezembro para vencer a burocracia e conseguimos assinar contrato de empréstimo de R$ 38 milhões para investir em Petrolina”, lamentou Tavares.

Roberto Tavares apresenta PPP do Saneamento de Pernambuco para empresários britânicos

Presidente da Compesa, Roberto Tavares, participa da conferência mundial World Water-Tech Innovation Summit, em Londres, na Inglaterra

No primeiro dia do evento o presidente da Compesa Roberto Tavares participou de um debate sobre oportunidades e investimentos no setor de saneamento. A reunião aconteceu, ontem (20), no Ministério de Comércio Exterior, e contou com a presença de empresas inglesas interessadas em ampliar seu mercado de atuação, e também de países que apresentam muita necessidade de investimentos como a Arábia Saudita, Índia, Singapura, Filipinas, Costa Rica, Estados Unidos e Brasil. O evento será realizado até esta quarta-feira (22), mas Roberto Tavares permanece em Londres, até a próxima sexta (24), com a intenção de gerar boas oportunidades de negócios junto aos investidores internacionais durante reuniões articuladas pelo Consulado Britânico.

De acordo com o presidente da Compesa, com a saída da União Europeia – decorrente do Brexit, a Inglaterra fará um esforço ainda maior para expandir suas fronteiras, por meio da comercialização de equipamentos e tecnologia, além de fazer investimentos fora do país. “As oportunidades são muitas, então o país que fizer o dever de casa e que der garantias de retorno do investimento terá mais chances de receber esses recursos”, acredita Tavares, que apresentou aos empresários do Reino Unido a experiência exitosa com o Programa Cidade Saneada, a maior PPP  (Parceria Público Privada) do setor no Brasil. A intenção é replicar esse modelo para o interior do estado e acelerar a universalização dos investimentos em saneamento.

“Penso que o governo de Pernambuco está seguindo esse caminho, pois a Compesa tem aperfeiçoado sua gestão e feito um volume imenso de investimentos e ainda possui experiência com a maior PPP de Saneamento do Brasil. Estamos nos preparando para novos horizontes através do PPI (Programa de Parcerias de Investimentos)”, informa o presidente da Compesa.

Presidente da Compesa fala sobre atuação da Compesa em Petrolina e das melhorias promovidas pela companhia

Tavares afirmou que Petrolina pode ser a melhor cidade do Norte-Nordeste em relação a saneamento básico. (Foto: Internet)

O presidente da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), Roberto Tavares, falou, durante entrevista, nesta quinta-feira (26), ao programa Super Manhã, com Waldiney Passos, na Rádio Jornal, sobre diversos aspectos que rodeiam a companhia em Petrolina (PE).

Segundo Tavares, uma licitação foi aberta para que os bairros Vale do Grande Rio, Pedro Raimundo, Jardim Amazonas e outros que ficam nas proximidades não encontrem mais problemas no abastecimento e no tratamento das águas que chegam a essas comunidades.

“Lançamos, durante a vinda do Governador a cidade, uma licitação importante, que foi um dos primeiros pleitos do prefeito Miguel para que a gente pudesse resolver o problema de um sistema que não foi construído pela Compesa, mas que agora a Compesa vai entrar com a solução nos bairros do Vale do Grande Rio, Pedro Raimundo, Jardim Amazonas. Vamos investir R$ 1,4 mi só nessa obra para que esse problema seja resolvido”.

Tratamento da água

Outra questão levantada pelo presidente foi a respeito do tratamento adequado das águas na cidade. De acordo com Tavares, a empresa acompanha “rigorosamente esses relatórios” que mostram a realidade da qualidade da água em Petrolina. Ainda segundo o presidente da companhia, “toda a rede construída pela Compesa e que é operada pela empresa é 100% tratada e sempre se encontra dentro dos padrões estabelecidos”.

Ligações Clandestinas

Grande parte da população petrolinense tem se preocupado com as ligações clandestinas que acabam jogando esgotos no rio São Francisco e poluindo o meio-ambiente local. O presidente da companhia afirmou que fez um levantamento dessa ligações clandestinas e não encontrou nenhuma que pertencesse à Compesa. Ele alertou que as redes vêm de residências, comércios e até condomínios da cidade.

“Nós percorremos o rio procurando os locais de lançamento de esgoto. Caso fosse em nossa rede, a gente teria a obrigação imediata de concertar. Mas verificamos que há várias ligações clandestinas de casa, comércio, condomínios e entregamos o relatório para a prefeitura. Onde houver o corte dessas ligações, nós vamos oferecer ao local que estava com ligação clandestina a possibilidade de ser feita a ligação regular na nossa rede”.

Investimentos

Tavares aproveitou para citar os investimentos feitos pela companhia na cidade, o que ainda pode ser investido e das melhorias que estão sendo implantadas no município. Segundo ele, Petrolina tem a capacidade de ser a melhor cidade do Norte-Nordeste em relação a saneamento básico.

“Nós investimos em Petrolina R$ 150 mi nos últimos anos. Não tem como fazer um investimento dessa magnitude e não melhorar o serviço, apesar de que Petrolina é uma cidade muito pujante, que cresce muito, é um polo regional. Os investimentos precisam continuar. Nós temos conversado com o prefeito Miguel, por que ele quer estabelecer uma rotina de parceria para que a gente mantenha esse volume de investimentos para que Petrolina possa ficar tranquila com a infraestrutura oferecida pela Compesa. Petrolina tem todas as condições de ser a melhor cidade, em saneamento, do Norte-Nordeste e centro-oeste”.

 

Miguel Coelho assegura investimentos para saneamento no São Gonçalo, Dom Avelar e Jatobá

Prefeito eleito Miguel Coelho em reunião com o presidente da Compesa Roberto Tavares

A manutenção da rede de esgoto dos bairros São Gonçalo, Dom Avelar e Jatobá será prioridade nos primeiros 100 dias de governo do prefeito eleito Miguel Coelho. A decisão foi acordada, na tarde de ontem (27), com o presidente da Compesa, Roberto Tavares, que garantiu a viabilização dos serviços no início do mandato do novo gestor. Além do tratamento da rede desses bairros, Miguel pediu o empenho da Compesa para solucionar o despejo irregular de esgoto no Rio São Francisco.

A retomada dos investimentos na rede de esgoto da capital do São Francisco foi um dos principais compromissos de campanha do novo prefeito. “Nossa cidade foi durante muito tempo uma referência em saneamento no Nordeste e precisamos resgatar essa condição. Vamos correr contra o tempo e, por isso, antes de assumir o mandato já encaminhei esse pacote de obras em bairros que sofrem com o esgoto a céu aberto. Espero já no primeiro mês de mandato acompanhar o início dessas ações”, explicou Miguel após a reunião.

Também participou do encontro o futuro secretário de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade, Eduardo Carvalho, que será responsável por acompanhar o trabalho da Compesa em Petrolina. “Sabemos do imenso desafio que é o saneamento da cidade, em especial, nesses bairros. A Secretaria vai buscar recursos para novas obras e ao mesmo tempo cobrar da Compesa a melhoria dos serviços”, reforçou Carvalho.