Indicado à PGR, Aras quer visitar senadores antes de ser sabatinado

(Foto: Agência O Globo)

Indicado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) para assumir a Procuradoria-Geral da República (PGR), na última quinta-feira (5), o o subprocurador Augusto Aras já começou a procurar senadores em busca de apoio. Ele precisa ter seu nome aprovado por pelo menos 14 senadores na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e 41 no plenário.

LEIA TAMBÉM:

Bolsonaro escolhe Augusto Aras para suceder Raquel Dodge na PGR

Aras telefonou para a presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Simone Tebet (MDB-MS) ainda no dia em que foi indicado e anunciou que pretende visitar todos os 81 senadores da Casa antes de ser sabatinado. Tebet acredita que a votação do PGR poderá ser concluída ainda neste mês.

A tramitação do nome de Aras, no entanto, somente pode acontecer após o presidente Bolsonaro encaminhar ao Senado Federal a indicação. A votação no plenário é secreta.

Reforma da Previdência será discutida no Senado nessa manhã

Reforma da Previdência volta a ser destaque no noticiário nacional (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) de Senado deve ler nessa quarta-feira (28) o relatório da reforma da Previdência. De acordo com o relator do projeto, senador Tasso Jereissati (PSDB), a leitura acontecerá daqui  pouco, às 10h e levará pouco menos de 30 minutos.

Durante a manhã ainda será realizada uma vista coletiva para os senadores apreciarem o texto. Essa etapa só foi possível após os líderes de partidos realizarem um acordo coletivo e com isso a votação da reforma pode acontecer no dia 4 de setembro.

“A votação ocorrerá na quarta-feira [dia 4]. Nós abrimos prazo para a leitura, em um prazo razoável, dos votos em separado, porque provavelmente vai ter mais de um. Abre-se a discussão, encerra-se, vota e encaminhamos para o Davi [Alcolumbre, presidente do Senado] pautar no plenário”, disse a presidente da CCJ, Simone Tebet (MDB-MS).

Considerada a principal pauta do governo de Jair Bolsonaro (PSL) no primeiro semestre, a reforma da Previdência deve ter sua tramitação concluída no Senado nos próximos dias. (Com informações da Agência Brasil).

Senado arquiva investigação de suposta fraude na eleição da Mesa Diretora

Confusão se deu no dia da eleição de Davi Alcolumbre (Foto: Moreira Mariz/Agência Senado)

A investigação aberta durante a eleição da Mesa Diretora do Senado foi arquivada quase cinco meses após a confusão que marcou o pleito. Na ocasião, Davi Alcolumbre (DEM) terminou eleito mandatário. O corregedor da Casa, Roberto Rocha (PSDB) explicou o motivo do arquivamento.

A decisão foi publicada no Diário do Senado no último dia 22 de junho. O senador concluiu que pela análise das imagens de Tvs e câmeras de segurança não foi possível identificar quem teria tentado fraudar a votação e como isso aconteceu.

“Sendo assim, muito embora as imagens pudessem sugerir com mais ênfase a participação de algum senador, penso que a gravidade da pena, que poderia chegar até à cassação do mandato, nos impõe exigência de mais do que uma leve suspeita, mas de uma certeza plena da ocorrência do dolo, estando em jogo o valor máximo da democracia que é a soberania do voto popular, expresso pela vontade dos eleitores. As imagens, no entanto, são inconclusivas para determinar, com certeza além da dúvida razoável, a autoria e o animus do gesto”, afirmou na decisão.

Ainda segundo Rocha, o voto extra pode ser sido ocasionado por erro. “O surgimento de um voto extra, em meio a uma sessão excessivamente tumultuada, pode ter decorrido de erro, e não necessariamente de uma conduta dolosa”. (Com informações da Agência Brasil).

Presidente do Senado confia em aprovação da reforma da Previdência

(Foto: Agência Senado | Marcos Oliveira)

Os votos para aprovar a reforma da Previdência já estão garantidos. É o que afirma o presidente do Congresso, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP). Confiante, ele garantiu que todo processo deve ser concluído após o recesso parlamentar.

A expectativa é que a Câmara finalize a sua parte antes das férias de julho, que começam dia 18. O Senado retomará a discussão em agosto e deve encerrar a votação em 60 dias. “A Câmara já tem os 308 votos. No Senado, tem ampla maioria“, apostou Alcolumbre em um jantar na noite de ontem (24).

O senador ressaltou que a aprovação da reforma não será resultado da articulação política do governo, mas do consenso de que a medida é necessária para a retomada do crescimento econômico. “No Senado, eu conto quatro votos do PSL pró-governo“, afirmou. (Com informações do Infomoney).

Ao lado do presidente do Senado, chefe da Caixa anuncia Superintendência Regional em Petrolina

Solenidade contou com participação de Davi Alcolumbre na manhã de hoje (Foto: Blog Waldiney Passos)

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães anunciou na manhã dessa quinta-feira (20), em Petrolina a nova Superintendência do banco na cidade. A solenidade realizada na Fundação Nilo Coelho – que na segunda recebeu o ministro da Educação – também contou com a presença do presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre (DEM).

Alcolumbre desembarcou em Petrolina na tarde de ontem (19), para conhecer o São João, numa comitiva formada pelo senador e líder do Governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (DEM), o senador Marcos Rogério (RO) e o deputado federal Fernando Filho (DEM).

Superintendência em Petrolina será polo no Sertão

Anfitrião, o prefeito Miguel Coelho saudou a presença do “amigo e presidente do Senado”, bem como de Pedro, que em sua terceira visita “faz um anúncio que há muito tempo Petrolina aguardava”. “Petrolina tem que ter o seu polo, sua referência, não apenas para atender os interesses da Prefeitura que são muitos. A distância e a burocracia muitas vezes gera empecilho”, comemorou o gestor.

LEIA MAIS

Presidente do Senado cumpre agenda oficial nessa quinta-feira, em Petrolina

Alcolumbre (dir.) cumpre agenda oficial nessa quinta-feira (Foto: Ascom)

Depois de receber o ministro da Educação na segunda-feira (17), Petrolina agora tem como visitante o presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre (DEM). Ele desembarcou na cidade na tarde de ontem (19) e nessa quinta-feira (20) cumpre agenda oficial ao lado do presidente da Caixa Econômica Federal, às 9h.

Turismo

Na quarta-feira Alcolumbre visitou o Museu de Petrolina, a Igreja Catedral, além de conhecer a culinária típica do Sertão. “O Brasil precisa conhecer esse modelo de desenvolvimento voltado para a produção, a gente precisa levar para o Brasil esse sentimento de que o país dá certo“, destacou o presidente.

LEIA MAIS

Após contribuir com agendas do Governo no Senado, Fernando Bezerra é cotado para substituir Lorenzoni

(Foto: Blog Waldiney Passos)

Líder do Governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB) pode substituir Onyx Lorenzoni na Casa Civil. Foi o que afirmou o jornalista Magno Martins em sua coluna nessa quarta-feira (5). De acordo com a publicação, o senador petrolinense passou a ser visto como “sucessor” de Onyx após contribuir para as vitórias do Governo no Senado.

Tido como articulado e com bom trânsito em todos os partidos no Congresso, Fernando Bezerra seria “o nome talhado para oxigenar a relação do Governo com a Câmara e o Senado”, segundo o colunista. O senador já foi ministro da Integração Nacional e líder do governo Michel Temer também no Senado.

De acordo com a matéria, Bezerra Coelho ganhou a confiança de Jair Bolsonaro (PSL) após conseguir fazer com que o Senado votasse o texto da Medida Provisória da reforma administrativa, aprovada na Câmara. E nessa semana, contribuiu para a votação da MP do pente fino no INSS.

CCJ do Senado discutirá decreto do porte de arma nessa semana

(Foto: Ilustração)

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado deve discutir na próxima quarta-feira (5), o relatório do senador Marcos do Val (Cidadania-ES) sobre os projetos de decreto legislativo (PDLs) que pretendem derrubar as novas regras sobre armas de fogo, editadas pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL).

O documento lido na CCJ na semana passada pelo relator defendeu que as seis propostas as quais argumentam ilegalidade e inconstitucionalidade de iniciativa do Executivo sejam rejeitadas. Segundo ele, a definição objetiva dos critérios para a aquisição e posse de arma de fogo e a especificação dos indivíduos de efetiva necessidade para o porte “concretizam uma política de segurança pública definida pelo Poder Executivo federal, que buscou atender de modo eficaz as necessidades urgentes da sociedade, dentro das balizas previstas em lei”.

Sobre o porte de armas, Marcos do Val afirma que embora o Estatuto do Desarmamento (Lei 10.826, de 2003) proíba o porte como regra, a norma permite para integrantes das Forças Armadas, agentes que atuam em órgãos de segurança pública, além de integrantes de determinadas carreiras e para atiradores desportivos.

LEIA MAIS

Recriação de ministérios foi retirada de MP da reforma administrativa, afirma Fernando Bezerra

Líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB) afirmou que a recriação dos ministérios da Integração Nacional e das Cidades será retirada da Medida Provisória 870, responsável por reorganizar a estrutura administrativa do Governo Federal.

De acordo com o senador, a decisão já foi comunicada aos presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM) e Davi Alcolumbre (DEM), além do ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni na noite de terça-feira (21). “Após aprovação do relatório, se criou todo um ambiente, através de declarações no Parlamento e fora do Parlamento, de que se estaria pressionando por espaços políticos na Esplanada dos Ministérios. E o presidente Rodrigo Maia e o presidente Davi Alcolumbre decidiram zerar o jogo para que a estrutura proposta pelo presidente Bolsonaro originalmente pudesse ser preservada”, disse FBC.

A recriação dos ministérios havia sido avalizada pelo presidente Jair Bolsonaro durante as negociações para a aprovação da MP 870 na Comissão Mista do Congresso. Contudo, a MP que será votada nessa quarta-feira (22) não contará com o item. (Com informações da Folha de Pernambuco).

Líder do governo no Senado, Fernando Bezerra terá reunião com Bolsonaro e ministro da Economia

(Foto: ASCOM)

A escolha de Fernando Bezerra Coelho (MDB) como líder do Governo no Senado Federal não foi por acaso. O presidente Jair Bolsonaro (PSL) apostou no nome do ex-prefeito de Petrolina como porta-voz das ideias de Bolsonaro por sua experiência no Legislativo.

LEIA TAMBÉM:

Fernando Bezerra é nomeado líder do governo no Senado

O governo Bolsonaro credenciou Fernando Bezerra, que já havia sido líder do Senado do ex-presidente Michel Temer (MDB), para ser um dos articuladores das pautas governistas, com atenção especial da reforma da Previdência, que curiosamente foi entregue pelo Executivo no mesmo dia de sua indicação na liderança.

LEIA MAIS

Presidente do Senado afirma que reforma da Previdência pode ser votada até julho

(Foto: Agência Senado | Marcos Oliveira)

O presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre (DEM) afirmou durante entrevista nessa sexta-feira (22) que a reforma da Previdência pode ser votada até julho desse ano. Alcolumbre informou ainda que o Senado terá uma Comissão Especial de Acompanhamento do projeto, cujos integrantes serão definidos na terça-feira (26).

“A gente vai fazer com que o relator dessa comissão seja um membro titular da CCJ [Comissão de Constituição e Justiça] e que ele também possa ser relator da Reforma da Previdência quando ela chegar na nossa Casa”, afirmou o senador durante um café da manhã com jornalistas na residência oficial do Senado.

Tasso Jereissati (PSDB-CE) é o nome mais cotado para assumir a relatoria da reforma da Previdência na comissão especial. O papel da comissão é fazer sugestões e encaminhar recomendações para que a proposta chegue ao Senado com as principais polêmicas já pacificadas para que seja votado na Casa o mesmo texto vindo da Câmara. Com informações da Agência Brasil.

Diário Oficial da União traz nomeação de Fernando Bezerra como líder do Governo

Fernando Bezerra já foi líder no governo de Temer (Foto: Ascom)

O Diário Oficial da União dessa quarta-feira (20) trouxe a nomeação de Fernando Bezerra Coelho (MDB) como líder do governo no Senado Federal. Ele foi confirmado no cargo na noite de ontem (19) e retornará ao cargo que exerceu no final do governo de Michel Temer (MDB).

LEIA TAMBÉM:

Gabriel Menezes afirma estar indignado com nomeação de Fernando Bezerra a líder do Governo

Fernando Bezerra é nomeado líder do governo no Senado

Antes disso Fernando Bezerra já foi líder do PSB na Casa entre 2015 e 2017. Caberá ao senador articular com os políticos a aprovação das reformas propostas pelo governo de Jair Bolsonaro (PSL), entre elas a da Previdência que chegou hoje ao Congresso.

LEIA MAIS

Fernando Bezerra é nomeado líder do governo no Senado

Senador petrolinense já foi líder no governo de Temer (Foto: Ascom)

Conforme era esperado o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB) assumirá a liderança do governo no Senado Federal. A decisão foi oficializada na noite dessa terça-feira (19). O nome do senador petrolinense começou a ser ventilado após a eleição de Davi Alcolumbre (DEM) para presidente.

Fernando já exerceu essa função no governo de Michel Temer (MDB). Confira a seguir a nomeação assinada hoje:

 

Fernando Bezerra tem reunião com Onyx para discutir liderança no Senado

Senador se encontrará com Onyx nessa segunda (Foto: Blog Waldiney Passos)

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni tem uma reunião marcada nessa segunda-feira (11) com o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB). A pauta do encontro é a liderança do governo de Jair Bolsonaro (PSL) no Senado Federal.

De acordo com o Exame, a aproximação do PSL com Fernando Bezerra tem como objetivo selar a paz com o MDB, após a derrota sofrida por Renan Calheiros que perdeu o posto para Davi Alcolumbre (DEM). Bezerra vem articulando seu papel como futuro líder do governo no Senado desde a semana passada com Alcolumbre, figura próxima à Onyx.

LEIA TAMBÉM:

Com aval da bancada Fernando Bezerra topa ser líder de Bolsonaro

Se o nome do senador petrolinense se confirmar, o Planalto ganhará, na teoria, o apoio de pelo menos mais doze Senadores do MDB, apesar das inúmeras divisões internas dentro do partido. À Folha de Pernambuco, Fernando Bezerra disse que, além do presidente da casa, sua liderança no governo também vem sendo articulada junto ao também senador e líder no MDB no Senado, Eduardo Braga.

“O presidente Alcolumbre sondou Braga sobre possibilidade de meu nome liderar o governo. O nosso líder consultou a bancada, que respondeu de forma positiva. Então, o Davi me pegou no plenário e disse que segunda-feira nós falaríamos com Onyx”, disse. Com informações do Exame.

Depois de eleger Alcolumbre presidente, Senado definirá integrantes da Mesa Diretora

(Foto: Agência Senado | Marcos Oliveira)

O senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) foi eleito presidente do Senado depois de duas tumultuadas sessões no Congresso Nacional, mas os demais integrantes da Mesa Diretora serão escolhidos na próxima quarta-feira (6). Serão definidos os cargos de primeiro e segundo vice-presidente, secretários e suplentes.

O presidente do Senado marcou a eleição dos dez cargos da Mesa para as 15h. Conforme previsto na Constituição, o mandato dos integrantes da direção do Senado é de dois anos. As atribuições também são constitucionais. A votação que terminou com Alcolumbre aclamado foi iniciada na sexta-feira (1º) e encerrada apenas na noite de ontem (2).

Alcolumbre ganhou notoriedade por ter assumido a condução da votação ainda na sexta, o que gerou críticas e dividiu opiniões. Com o impasse a respeito do poder da Mesa os senadores aceitaram a decisão de adiar o resultado. Ontem na primeira votação houve um número de cédulas maior que a de políticos e uma nova votação foi realizada. Renan Calheiros (MDB) retirou seu nome da corrida e deixou o Plenário. Com informações da Agência Brasil.

12345