Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Líder do governo no Senado, Fernando Bezerra terá reunião com Bolsonaro e ministro da Economia

(Foto: ASCOM)

A escolha de Fernando Bezerra Coelho (MDB) como líder do Governo no Senado Federal não foi por acaso. O presidente Jair Bolsonaro (PSL) apostou no nome do ex-prefeito de Petrolina como porta-voz das ideias de Bolsonaro por sua experiência no Legislativo.

LEIA TAMBÉM:

Fernando Bezerra é nomeado líder do governo no Senado

O governo Bolsonaro credenciou Fernando Bezerra, que já havia sido líder do Senado do ex-presidente Michel Temer (MDB), para ser um dos articuladores das pautas governistas, com atenção especial da reforma da Previdência, que curiosamente foi entregue pelo Executivo no mesmo dia de sua indicação na liderança.

LEIA MAIS

Presidente do Senado afirma que reforma da Previdência pode ser votada até julho

(Foto: Agência Senado | Marcos Oliveira)

O presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre (DEM) afirmou durante entrevista nessa sexta-feira (22) que a reforma da Previdência pode ser votada até julho desse ano. Alcolumbre informou ainda que o Senado terá uma Comissão Especial de Acompanhamento do projeto, cujos integrantes serão definidos na terça-feira (26).

“A gente vai fazer com que o relator dessa comissão seja um membro titular da CCJ [Comissão de Constituição e Justiça] e que ele também possa ser relator da Reforma da Previdência quando ela chegar na nossa Casa”, afirmou o senador durante um café da manhã com jornalistas na residência oficial do Senado.

Tasso Jereissati (PSDB-CE) é o nome mais cotado para assumir a relatoria da reforma da Previdência na comissão especial. O papel da comissão é fazer sugestões e encaminhar recomendações para que a proposta chegue ao Senado com as principais polêmicas já pacificadas para que seja votado na Casa o mesmo texto vindo da Câmara. Com informações da Agência Brasil.

Diário Oficial da União traz nomeação de Fernando Bezerra como líder do Governo

Fernando Bezerra já foi líder no governo de Temer (Foto: Ascom)

O Diário Oficial da União dessa quarta-feira (20) trouxe a nomeação de Fernando Bezerra Coelho (MDB) como líder do governo no Senado Federal. Ele foi confirmado no cargo na noite de ontem (19) e retornará ao cargo que exerceu no final do governo de Michel Temer (MDB).

LEIA TAMBÉM:

Gabriel Menezes afirma estar indignado com nomeação de Fernando Bezerra a líder do Governo

Fernando Bezerra é nomeado líder do governo no Senado

Antes disso Fernando Bezerra já foi líder do PSB na Casa entre 2015 e 2017. Caberá ao senador articular com os políticos a aprovação das reformas propostas pelo governo de Jair Bolsonaro (PSL), entre elas a da Previdência que chegou hoje ao Congresso.

LEIA MAIS

Fernando Bezerra é nomeado líder do governo no Senado

Senador petrolinense já foi líder no governo de Temer (Foto: Ascom)

Conforme era esperado o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB) assumirá a liderança do governo no Senado Federal. A decisão foi oficializada na noite dessa terça-feira (19). O nome do senador petrolinense começou a ser ventilado após a eleição de Davi Alcolumbre (DEM) para presidente.

Fernando já exerceu essa função no governo de Michel Temer (MDB). Confira a seguir a nomeação assinada hoje:

 

Fernando Bezerra tem reunião com Onyx para discutir liderança no Senado

Senador se encontrará com Onyx nessa segunda (Foto: Blog Waldiney Passos)

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni tem uma reunião marcada nessa segunda-feira (11) com o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB). A pauta do encontro é a liderança do governo de Jair Bolsonaro (PSL) no Senado Federal.

De acordo com o Exame, a aproximação do PSL com Fernando Bezerra tem como objetivo selar a paz com o MDB, após a derrota sofrida por Renan Calheiros que perdeu o posto para Davi Alcolumbre (DEM). Bezerra vem articulando seu papel como futuro líder do governo no Senado desde a semana passada com Alcolumbre, figura próxima à Onyx.

LEIA TAMBÉM:

Com aval da bancada Fernando Bezerra topa ser líder de Bolsonaro

Se o nome do senador petrolinense se confirmar, o Planalto ganhará, na teoria, o apoio de pelo menos mais doze Senadores do MDB, apesar das inúmeras divisões internas dentro do partido. À Folha de Pernambuco, Fernando Bezerra disse que, além do presidente da casa, sua liderança no governo também vem sendo articulada junto ao também senador e líder no MDB no Senado, Eduardo Braga.

“O presidente Alcolumbre sondou Braga sobre possibilidade de meu nome liderar o governo. O nosso líder consultou a bancada, que respondeu de forma positiva. Então, o Davi me pegou no plenário e disse que segunda-feira nós falaríamos com Onyx”, disse. Com informações do Exame.

Depois de eleger Alcolumbre presidente, Senado definirá integrantes da Mesa Diretora

(Foto: Agência Senado | Marcos Oliveira)

O senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) foi eleito presidente do Senado depois de duas tumultuadas sessões no Congresso Nacional, mas os demais integrantes da Mesa Diretora serão escolhidos na próxima quarta-feira (6). Serão definidos os cargos de primeiro e segundo vice-presidente, secretários e suplentes.

O presidente do Senado marcou a eleição dos dez cargos da Mesa para as 15h. Conforme previsto na Constituição, o mandato dos integrantes da direção do Senado é de dois anos. As atribuições também são constitucionais. A votação que terminou com Alcolumbre aclamado foi iniciada na sexta-feira (1º) e encerrada apenas na noite de ontem (2).

Alcolumbre ganhou notoriedade por ter assumido a condução da votação ainda na sexta, o que gerou críticas e dividiu opiniões. Com o impasse a respeito do poder da Mesa os senadores aceitaram a decisão de adiar o resultado. Ontem na primeira votação houve um número de cédulas maior que a de políticos e uma nova votação foi realizada. Renan Calheiros (MDB) retirou seu nome da corrida e deixou o Plenário. Com informações da Agência Brasil.

Fernando Bezerra confirma apoio a eleição de Renan Calheiros no Senado Federal

Senador é companheiro de partido e apoiará Renan (Foto: Blog Waldiney Passos)

O cenário político em 2019 no Brasil é de mudanças, não apenas na Presidência da República, mas também na Câmara dos Deputados e Senado Federal. Enquanto na Câmara o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) busca sua reeleição e tem o apoio de Jair Bolsonaro (PSL), Renan Calheiros (MDB-AL) é considerado “homem a ser batido” pelo PSL.

LEIA TAMBÉM:

Reformas devem ter prioridade no governo de Bolsonaro, analisa Fernando Bezerra Coelho

“O ano de 2019 será o melhor ano de toda a história da administração pública de Petrolina”, prevê senador Fernando Bezerra Coelho

No entanto, o nome de Renan é visto pelos colegas senadores como favorito e o alagoano terá o apoio de Fernando Bezerra Coelho (MDB) na votação de fevereiro. “Tô apoiando Renan, meu candidato é Renan, o candidato hoje que tem o maior número de apoios dentro do MDB. Mas eleição de Mesa Diretora do Senado e da Câmara ela só se resolve 48 horas antes“, disse em coletiva à imprensa de Petrolina.

Fernando Bezerra não é mais líder do Governo Temer

(Foto: Ascom)

O senador Fernando Bezerra Coelho (MDB) não é mais líder do governo Temer. Ocupando o cargo há três meses, FBC deixa a vaga que voltará a ser ocupada por Romero Jucá (MDB). O petrolinense apresentou requerimento para se ausentar do país entre 6 de 20 de dezembro, abrindo caminho para a volta de Jucá.

A missão de Jucá é conduzir a base aliada na votação da medida provisória que o Palácio do Planalto deve enviar ao Senado para garantir a estados e municípios a destinação de 20% do bônus de assinatura dos contratos da cessão onerosa.

A MP já vem sendo negociada pelo presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB) com as equipes econômicas dos presidentes Temer e do eleito, Jair Bolsonaro (PSL) desde a semana passada.

Com informações da Folha de Pernambuco

Posse de Bolsonaro será antecipada em duas horas, confirma presidente do Senado

Bolsonaro foi eleito no segundo turno (Foto: REUTERS/Pilar Olivares)

A solenidade de posse do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) acontecerá duas horas antes do que sugere o protocolo. A informação foi confirmada pelo presidente do Senado Federal, Eunício Oliveira (MDB), a pedido do próprio Bolsonaro.

De acordo com Eunício, a posse está marcada para 15h do dia 1º de janeiro de 2019. Serão realizadas solenidades no Congresso Nacional, dn Presidência da República e no Ministério das Relações Exteriores.

O atual presidente do Senado também relatou estar em discussão com a equipe da área econômica do novo governo para discutir a Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2019, vendo a possibilidade de alterar a verba do ano seguinte.

Com informações do Diário de Pernambuco

Senadores pernambucanos divergem em votação sobre reajuste salarial do STF

Humberto Costa (PT) foi único pernambucano ausente (Foto: Arquivo)

O Senado Federal aprovou na quarta-feira (7) o reajuste salarial dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e do titular da Procuradoria-Geral da República (PGR) em 16,38%. A partir de agora os ministros receberão R$ 39,2 mil, quando recebiam R$ 33,7 mil.

Foram 41 votos a favor, 16 contra e uma abstenção. Os representantes pernambucanos – um deles relator da matéria – no Senado divergiram de opinião. Armando Monteiro Neto (PTB) e Fernando Bezerra Coelho (MDB) votaram a favor e Humberto Costa (PT) se ausentou da votação.

A medida foi duramente criticada pelo presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) e analistas afirmam que o reajuste provocará um efeito cascata nas contas públicas do país. A matéria teve relatoria de Fernando Bezerra. Confira a seguir como votaram os senadores:

LEIA MAIS

Senado aprova relatório de Fernando Bezerra que prevê multa a empresa por interrupção no abastecimento de energia

(Foto: Ascom)

A Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) do Senado Federal aprovou na quarta-feira (31) um substitutivo apresentado por Fernando Bezerra Coelho (MDB) favorável ao Projeto de Lei do Senado nº 209/2015, cuja ementa propõe ampliar os direitos e benefícios aos consumidores de energia elétrica.

Entre as medidas aprovadas está a aplicação de multa à empresa que interromper o abastecimento de energia em um prazo não superior a três meses, após o período de apuração da fatura. Durante a votação três emendas foram acatadas.

No seu relatório, Fernando Bezerra determina que as empresas ficam sujeitas a punições quando a interrupção for causada por falha nas instalações da unidade consumidora e também pela suspensão por falta de pagamento da conta por parte do usuário.

“Os objetivos deste projeto de lei transcendem a mera aplicação de multa. O que mais se pretende é dar segurança regulatória ao consumidor, de modo a prevenir que disposições regulamentares venham a ser alteradas abruptamente em desfavor do usuário”, disse FBC.

As emendas tratam da questão dos “Riscos Não Hidrológicos”, da concessão da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) e a destinação de recursos gerados pela venda do excedente de petróleo por meio da chamada “cessão onerosa” a Brasduto.

Eleições: 20% dos candidatos ao Senado tiveram menos de 1% dos votos

(Foto: Ilustração)

Uma semana após o primeiro turno das eleições o Senado Federal já sabe quem assumirá uma cadeira em cada estado, mas enquanto alguns celebraram as vitórias, no lado oposto o desempenho dos que ficaram de fora chama atenção.

A Agência Brasil fez um levantamento e concluiu que 20% dos candidatos teve apenas 1% dos votos, o que representa um baixo desempenho no pleito. A mesma onda de rejeição pôde ser vista na Câmara dos Deputados, onde 2.998 (34,9%) pleiteantes somara 0,1% dos votos ou menos.

São Paulo teve 1.010 concorrentes abaixo de 0,1%. Em seguida, aparecem Rio de Janeiro (542), Minas Gerais (436), Bahia (228) e Pernambuco (159).

Ibope divulga últimas pesquisas para governador e senador em Pernambuco

Câmara pode confirmar vitória ainda amanhã (Foto: Reprodução/Internet)

Paulo Câmara se encaminha para confirmar sua vitória ao Governo de Pernambuco ainda no primeiro turno, é o que prevê a nova pesquisa do Ibope, divulgada na noite desse sábado (6), véspera da eleição. O atual governador chegou a 51% das intenções de votos válidos, quando não são considerados brancos ou nulos e indecisos.

Levando em conta a margem de erro, Câmara chega a 53%, enquanto Armando Monteiro Neto (PTB) soma 37%. Ex-prefeito de Petrolina Julio Lossio (Rede) ficou com 4%. Dani Portela (PSOL) e o ex-deputado federal Maurício Rands (Pros) têm 3%. Ana Patricia Alves (PCO) e Simone Fontana (PSTU), 1%.

2º turno

Em um eventual segundo turno, Paulo Câmara aparece com 44% das intenções de voto e Armando Monteiro com 38%. O percentual dos que disseram que vão votar branco ou nulos é de 14%, enquanto os que não sabem ou preferiram não opinar são 3%. Foram entrevistados 2.002 eleitores entre os dias 4 e 6 de outubro, em pesquisa encomendada pelo Jornal do Commercio e TV Globo.

LEIA MAIS

Jarbas se isola na liderança das intenções de voto ao Senado

(Foto: Internet)

Jarbas Vasconcelos (MDB) se isolou na liderança das intenções de voto ao Senado Federal, afirma a nova pesquisa do Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (IPESPE), divulgada na sexta-feira (5). O deputado federal aparece com 41%, seguido por Humberto Costa (PT) que tem 34%.

LEIA TAMBÉM:

Câmara tem 43% das intenções de voto, Armando 28%

Em terceiro surge o nome de Mendonça Filho (DEM), somando 25%. Sílvio Costa (Avante) tem 12%, Bruno Araújo (PSDB), 8%, Pastor Jairinho (Rede) aparece com 3%. Eugênia (PSol), Albanise (PSol), Adriana Rocha (Rede) e Hélio Cabral (PSTU) somam 1%, cada. Alex Lima Rola (PCO) e Lidia Brunes (PROS) não pontuaram.

Votos brancos e nulos no primeiro voto somam 20% e no segundo, 31%. Os que não sabem ou não responderam representam 23% das manifestações. A pesquisa foi feita entre os dias 03 e 04 de outubro e ouviu 800 entrevistados, a pedido do jornal Folha de Pernambuco.

Jarbas cresce, Humberto permanece em segundo e Mendonça estagna na briga pelo Senado

(Foto: Divulgação/Folha PE)

A nova pesquisa de intenções de votos ao Senado Federal coloca Jarbas Vasconcelos (MDB) na liderança em Pernambuco, com 38%. Ele é seguido por Humberto Costa (PT), que tem 34% e Mendonça Filho (DEM) soma 25%. Os números foram apresentados pelo Datafolha na quinta-feira (4).

LEIA TAMBÉM:

Em nova pesquisa do Datafolha, Paulo Câmara amplia vantagem e vê Armando perder força

Silvio Costa (Avante) subiu para 14% e Bruno Araújo (PSDB) tem 10%; Pastor Jairinho (Rede) soma 6%, Adriana Rocha (Rede) aparece 3%, seguida por Hélio Cabral (PSTU) com 2% e Eugênia Lima (PSol) com 2%, Lídia Brunes (Pros) com 1%, Albanise Pires (PSOL) com 1% e Alex Rola (PCO), com 1%.

Brancos e nulos para a primeira vaga somam 19%, na segunda vaga o número salta para 26%. Não souberam ou não responderam para a primeira vaga: 7% e na segunda, 11%. Foram ouvidos 1482 eleitores, em 59 cidades, entre 3 e 4 de outubro.

1234