Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Em dia de combate à sífilis, prefeitura faz mais de 250 testes rápidos em Petrolina

(Foto: ASCOM)

Com o intuito de celebrar o Dia Nacional de Combate à Sífilis, comemorado no terceiro sábado de outubro, a Prefeitura de Petrolina (PE) realizou, na última sexta-feira (19), centenas de testes rápidos para infecções sexualmente transmissíveis, com foco na sífilis.

Foram feitos mais de 250 testes rápidos de sífilis, hepatites B e C e HIV, no Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA). Destes, três deram positivos para sífilis e 01 para hepatite B. As quatro pessoas que tiveram doenças confirmadas foram encaminhadas ao Serviço de Assistência Especializada (SAE) para receber orientações e iniciar os tratamentos necessários.

O coordenador do CTA, Miguel Santos, destaca que o combate à sífilis deve ser levado a sério, pois a doença é silenciosa. “A sífilis é causada por uma bactéria chamada Treponema pallidum, que é geralmente transmitida via contato sexual. A infecção desenvolve-se em diferentes estágios e os sintomas variam conforme a doença evolui. Então, todo mundo que possui uma vida sexual ativa, deve fazer os testes pelo menos de seis em seis meses, e, claro, usar preservativo em todas as relações”, explica.

CTA e SAE

O Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) de Petrolina funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 18h,

LEIA MAIS

Conselho Comunitário organiza atendimento a pais do Santa Luzia, em Petrolina

Todos os pais da comunidade estão convidados a participarem do evento de saúde

O Conselho Comunitário do Santa Luzia, em Petrolina (PE), em parceria com o setor de Vigilância de saúde e Unidade Básica de Saúde do bairro, em comemoração ao dia dos pais, realiza um dia de atendimento especial para os pais da comunidade.

Os atendimentos acontecem nesta sexta-feira (10), a partir das 8h. Os pais poderão realizar restes rápidos de HIV e Sífilis. Além disso, haverá orientações sobre ATT, Hanseníase, TB e violência, assim como aferição de pressão e teste de glicemia.

Plantão da Saúde promove discussão sobre DSTs em Juazeiro

(Foto: Divulgação/Pastoral da Mulher)

Dentro das comemorações sobre o Dia Internacional da Mulher, a Pastoral da Mulher e a Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) realizaram na quinta-feira (15) um Plantão de Saúde.

Dentro do evento foram realizados exames preventivos e houve também, espaço para uma roda de conversa sobre a Sífilis. O objetivo do Plantão é levar informação às mulheres sobre as infecções sexualmente transmissíveis e de prevenção do câncer do colo uterino.

A atividade é uma parceria do Colegiado de Enfermagem da Univasf, sobre a orientação da professora Sheila Sued, que destaca a importância desse momento.

LEIA MAIS

No Dezembro Vermelho, secretaria leva testes rápidos de Hepatites B e C, sífilis e HIV ao público nesta sexta em Juazeiro

(Foto: ASCOM)

Quem for ao Juá Garden nesta sexta-feira (15) vai encontrar à disposição profissionais da saúde que estarão orientando e realizando testes rápidos gratuitos para toda a comunidade, a fim de detectar a presença ou não de doenças como as Hepatites B e C, sífilis e HIV.

Organizado pela Secretaria de Saúde de Juazeiro com o apoio do Rotary Clube São Francisco e do Shopping, a ação integra a programação do Dezembro Vermelho no município – mês marcado pela mobilização nacional para a prevenção de infecções sexualmente transmissíveis (ISTs), como HIV e Aids e tem o intuito de chamar atenção para as medidas de prevenção, assistência, proteção e promoção dos direitos humanos das pessoas com HIV.

“Durante todo esse mês nosso trabalho é de fortalecimento e de convencimento da nossa população sobre a importância do uso do preservativo. A Aids tem tratamento, mas não tem cura e isso precisa ser muito bem explicado para a sociedade. O teste é rápido, não dói, então não devemos ter vergonha ou medo. O importante é prevenir”, observou a Superintendente de Vigilância em Saúde, Tatiane Malta.

Segundo a Superintendência de Vigilância em Saúde este ano foram notificados 77 novos casos de HIV no município. Já os casos de sífilis chegam a 62. “No caso da sífilis o número de casos vem crescendo em todo o país, e no nosso município não é diferente. Temos intensificado a realização de testes rápidos em todas as nossas unidades de saúde para que o diagnóstico e o tratamento sejam feitos de imediato e não tragam mais riscos à saúde das pessoas”, explica Tatiane Malta.

Equipe de enfermagem do Hospital Dom Malan é treinada para realização do teste rápido de HIV e Sífilis

(Foto: ASCOM)

Com o objetivo de prevenir a transmissão vertical do HIV e da Sífilis, promover o cuidado ao paciente e a segurança da equipe de saúde, o Hospital Dom Malan/IMIP de Petrolina passará a utilizar os testes rápidos disponibilizados pelo governo federal. Antigamente, os testes eram feitos em laboratório. Agora serão realizados pela própria equipe de enfermagem, agilizando o acesso aos resultados.

Para a realização dos testes rápidos de HIV e VDRL é preciso que a equipe de enfermagem esteja treinada e os primeiros profissionais já foram capacitados na última semana. Até o final do mês, 100% dos profissionais estarão treinados e qualificados a realizar o teste rápido nas pacientes da emergência obstétrica.

“O diagnóstico antecipado da infecção pelo HIV e da sífilis durante o período gestacional seria o ideal para a redução da transmissão vertical, da mãe para o bebê. No entanto, a maioria das gestantes que dão entrada no HDM chegam sem estes resultados. Seguindo a Portaria n° 29, de 17 de dezembro de 2013, que aprova o Manual Técnico para o Diagnóstico da Infecção pelo HIV em Adultos e Crianças, qualquer profissional pode realizar o teste rápido, desde que tenha sido capacitado. Com o teste rápido realizado na entrada da gestante na emergência obstétrica, o resultado sai em, no máximo, 30 minutos, evitando a exposição da equipe e antecipando qualquer tipo de profilaxia, tratamento ou escolha da via de parto”, esclarece a coordenadora de enfermagem, Fátima Leal.

O número de caso de sífilis em Pernambuco, por exemplo, aumentou 414% em dois anos. Em Petrolina, foram confirmados 120 casos nos nove primeiros meses deste ano. Isso sem falar do avanço do HIV/AIDS. Em 2016, foram registrados 32 novos casos.

Diagnosticar e tratar essas doenças o mais rápido possível durante a gravidez é importante para impedir a transmissão para o bebê. Com o tratamento médico, a chance do bebê contrair a doença cai para menos de 1%. Quando não há tratamento, a taxa de risco chega a 20%. As recomendações envolvem o uso de antirretrovirais, parto cesárea e a não amamentação.

Os testes rápidos não são comumente usados para fins de diagnóstico, mas podem ser bastante úteis em situações de emergência, onde há a necessidade de avaliação e decisão rápida sobre o uso de profilaxia medicamentosa, por exemplo. Isso ocorre nos casos de exposição dos profissionais de saúde ao risco ou de gestantes prestes a entrar, ou já em trabalho de parto, que não tenham sido testadas para HIV ou sífilis no pré-natal.

Com mais de mil casos de sífilis congênita, Secretaria de Saúde de Pernambuco faz alerta a população

(Foto: Ilustração)

Até o dia 11 de setembro deste ano, foram registrados 1.022 casos de sífilis congênita em Pernambuco. Neste sábado (21) será o Dia Nacional de Combate à Sífilis, com ações em Petrolina.

A sífilis é uma doença sexualmente transmissível que tem cura, entretanto, durante a gestação 1.507 mães transmitiram a doença para o bebê em Pernambuco, segundo registro da secretaria de saúde do estado.

Segundo o coordenador do Programa Estadual de Infecções Sexualmente Transmissíveis, François Figueiroa, na forma congênita, a criança pode nascer com sequelas, como surdez, cegueira e retardo mental.

“É uma doença silenciosa. A ferida que aparece nos órgãos genitais parece com um arranhão que não dói e nem arde. As pessoas acham que é só um machucado, um arranhão. Por isso é preciso fazer o teste antes de ter relações sexuais sem preservativo e programar a gestação”.

O Sistema Único de Saúde (SUS) garante o tratamento gratuito da sífilis. Para tentar diminuir os números, a Secretaria de Saúde aposta na descentralização do teste rápido.

Em Petrolina, diversas ações serão realizadas neste sábado (21) no Centro de Testagem e Aconselhamento, localizado no prédio da Secretária de Saúde de Petrolina, no Centro.

Com informações do G1

Secretária de Saúde de Petrolina realiza treinamento para a realização de testes rápidos de HIV/AIDS e Sífilis

(Foto: ASCOM)

Na manhã desta terça-feira (18), a Secretaria de Saúde de Petrolina, através do Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), promoveu um treinamento de atualização com cerca de 50 profissionais das Unidades de Atendimento Multiprofissional Especializado (AMEs) para a realização de testes rápidos para a detecção do HIV/AIDS e Sífilis na atenção básica.

A oficina que ocorre durante todo o dia, tem o objetivo de passar conhecimento teórico e prático em relação ao serviço oferecido no município. A psicóloga, Sâmara Paes, ressaltou a importância do treinamento dos servidores para a eficiência e condução adequada do procedimento.

“É preciso que a equipe esteja formada, com todo o conhecimento em relação a realização do teste, aconselhamento, humanização e, em caso de resultado positivo, encaminhamento para o tratamento. É um momento muito delicado para o paciente. Nós temos casos de pessoas que passam horas sentadas na porta do nosso serviço e não tem coragem, sequer, de fazer o teste, então, imagine nos casos positivos, é preciso saber como conduzir essa situação”, frisou.

LEIA MAIS

Brasil enfrenta uma epidemia de sífilis

camisinhas na festa

A maioria dos casos notificados de sífilis está na região Sudeste./ Imagem ilustrativa

O Ministério da Saúde admitiu nesta semana que o Brasil enfrenta uma epidemia de sífilis. Entre junho de 2010 e 2016 foram notificados quase 230 mil casos novos da doença, de acordo com o último boletim epidemiológico do governo.

Três em cada cinco ocorrências (62,1%) estavam no Sudeste e a transmissão de gestantes para bebês é atualmente o principal problema.

A situação foi qualificada como “epidemia” somente agora, mas vem se desenvolvendo há mais tempo.

Em 2015, por exemplo, no país todo, foram notificados 65,878 casos. A maioria desses ocorreu na região Sudeste (56,2%) e afetou pessoas na faixa etária dos 20 aos 39 anos (55%), que se auto-declaram da raça branca (40,1%).

LEIA MAIS