Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

SAMU de Petrolina orienta alunos da rede municipal de ensino sobre prejuízos causados pelos trotes

(Foto: Arquivo/SESAU)

O projeto “Amigos do SAMU”, iniciado em agosto do ano passado pela Prefeitura de Petrolina (PE) já contemplou quase 2.500 alunos de 18 escolas municipais. A Escola Municipal Miguel Arraes, no bairro Vila Vitória, será a próxima a receber as atividades do projeto educativo que leva orientações sobre o perigo dos trotes ao serviço do SAMU, além de noções de primeiros socorros às crianças.  O evento irá acontecer nesta quinta-feira (16), a partir das 9h.

Na unidade de ensino, a equipe do órgão fará demonstrações sobre o trabalho de rotina do SAMU, como deve ser a agilidade do serviço e como as chamadas falsas podem, inclusive, impedir de salvar uma vida. Para auxiliar no trabalho educativo, o SAMU veste algumas crianças de socorrista, mostra como é uma ambulância por dentro e faz simulações de situações como engasgos, desmaios e convulsões.

Para Cristiane Nunes, coordenadora do SAMU, o projeto rende bons resultados, sendo uma experiência positiva, tanto para o órgão, como para os alunos das escolas. “A gente percebe que as crianças ficam atentas, fazem perguntas, têm vontade de aprender. Esse aluno se torna um multiplicador de informações em casa, na rua, com outros colegas, alertando sobre o prejuízo que um trote pode trazer, auxiliando assim em nosso trabalho diário” explica.

Prefeitura de Petrolina alerta sobre aumento de trotes ao SAMU durante férias escolares 

(Foto: Ilustração)

Neste início de ano, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) de Petrolina (PE) faz um alerta: durante as férias escolares o número de trotes na central de atendimento aumenta, e embora a média de ligações falsas tenha caído nos últimos meses do ano passado, a preocupação continua.

De acordo com a coordenadora do SAMU de Petrolina, Cristiane Nunes, o objetivo do órgão é diminuir, cada vez mais, as chamadas falsas. “A nossa meta é sempre diminuir a quantidade dos trotes recebidos, então, precisamos continuar as ações educativas, para que as pessoas se conscientizem que esse tipo de atitude pode comprometer uma vida”, ponderou.

LEIA MAIS

Números de trotes chegam a quase 5 mil e preocupa SAMU de Petrolina

A maioria dos trotes são feitos por crianças e adolescentes. (Foto: ASCOM)

Uma “brincadeira” de mau gosto tem preocupado o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) em Petrolina: são os trotes, ou seja, falsas chamadas feitas ao 192,que representam mais da metade das ligações recebidas pelo serviço.

Em média, por mês, o SAMU atende cerca de 3.400 chamadas, e destas, cerca de 2.000 são trotes. Entre junho e julho, período de férias escolares, o número aumentou consideravelmente, e foram contabilizadas cerca de 2.400 chamadas falsas/mês. Isso corresponde a mais de 70% do total de ligações feitas ao SAMU.

De acordo com a Coordenadora do SAMU, Laís Cabral, a maioria dos trotes são feitos por crianças e adolescentes, mas há também uma grande parcela de adultos que ocupam as linhas para dizer palavras de baixo calão às telefonistas, prejudicando o serviço que precisa ser ágil.

“À medida que alguém liga para o SAMU e faz uma brincadeira, solicita uma ambulância e esta é liberada para um trote, impede de auxiliar quem realmente está precisando dos nossos serviços. Então, fazemos um apelo pela conscientização dos cidadãos, dos pais, que orientem seus filhos para que não tenhamos mais esse problema, que é tão prejudicial para a própria população”, diz a coordenadora do SAMU.

LEIA MAIS

Mais de mil trotes são registrados pelo SAMU de Petrolina entre os meses de agosto e outubro

O SAMU tem procurado alertar aos cidadãos sobre os perigos dos trotes através de palestras educativas. (Foto: Arquivo)

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) em Petrolina tem se mostrado preocupado com o grande número de trotes ,chamadas com falsas ocorrências, recebidos pela instituição. Em média, por mês, o SAMU atende cerca de 2.500 chamadas, e destas, cerca de 900 são trotes. Entre os meses de agosto e outubro, o número aumentou consideravelmente, e foram contabilizadas mais de 1.100 chamadas falsas.

Segundo a Coordenadora de Enfermagem do SAMU, Cristiane Nunes, a maioria dos trotes é feita por crianças e adolescentes, mas há também uma grande parcela de homens que ocupam as linhas para dizer palavras de baixo calão às telefonistas, prejudicando o serviço que precisa ser ágil.

“À medida que alguém liga pro SAMU e faz uma brincadeira, solicita uma ambulância e esta é liberada para um trote, impede de auxiliar quem realmente está precisando dos nossos serviços. Então, fazemos um apelo pela conscientização dos cidadãos, dos pais, que orientem seus filhos para que não tenhamos mais esse problema, que é tão prejudicial para a própria população”, diz a coordenadora do SAMU.

Ainda de acordo com Cristiane, o SAMU tem procurado alertar aos cidadãos sobre os perigos dos trotes, através de palestras educativas que são feitas mensalmente em diferentes bairros da cidade. “Participamos de ações sociais que visam justamente orientar as pessoas quanto à prática dos trotes e cuidados com a saúde. Vamos iniciar o SAMU nas escolas, conversando com crianças e adolescentes, e escolhemos o período próximo das férias escolares por ser o momento em que recebemos mais chamadas falsas”, explica.