Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Terreno destinado a empresa de call center volta a ser da Prefeitura

Sessão de quinta-feira (27) foi marcada por votação de matérias do Executivo (Foto: Blog Waldiney Passos)

Nove Projetos de Lei foram votados na sessão de quinta-feira (27) na Câmara de Vereadores de Petrolina, entre eles o PL nº 060/2018 que revertia imóvel ao patrimônio público. A propriedade em questão é o terreno do antigo Colégio Motivo, destinado à implantação de um call center na cidade.

Segundo o prefeito Miguel Coelho, a reversão do terreno ao município se fazia necessária tendo em vista que a AEC, empresa responsável por implantar o call center não cumpriu com suas obrigações, não gerando emprego ou utilizando o prédio que está abandonado.

LEIA TAMBÉM:

Votados em bloco, Projetos de Lei são aprovados por vereadores de Petrolina

A doação do terreno foi aprovada na Casa Plínio Amorim, na antiga gestão e oficializada na Lei Municipal nº 2.621/2014. Vereadores que fizeram parte da antiga legislatura da Câmara destacaram a falsa promessa de geração de emprego e foram favoráveis ao PL do Executivo.

Vereadores são favoráveis a reversão do terreno 

O projeto teve 17 votos a zero, favoráveis à reversão do terreno de particular a público, mas antes da votação os edis justificaram seus posicionamentos. “O call center não cumpriu com a exigência da Lei, nós entramos com um requerimento e o prefeito atendeu ao pedido dos vereadores e enviou esse projeto”, afirmou Ruy Wanderley (PSC), ex-líder da situação.

Ronaldo Cancão (PTB) votou contra a doação do terreno anteriormente e falou sobre a necessidade de reverter a situação. “Ali podia ser transformado em um centro de recuperação, em um CMEI, a empresa nem construiu, nem apareceu. Eu sabia que isso ia acontecer”, disse.

Um dos que votou favorável à doação, Ronaldo Silva (PSDB) também relembrou o insucesso da matéria. “Esse projeto era o sonho de geração de emprego e renda para a população de Petrolina”, ressaltou. Gilmar Santos (PT), membro da oposição cutucou a urgência das matérias, não dando tempo aos edis da atual legislatura a discutir os PLs enviados pelo Executivo.

Deixe uma resposta