Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Trabalhadores dos Correios em Pernambuco aprovam estado de greve, Petrolina também pode paralisar atividades

(Foto: Arquivo)

Uma nova greve dos funcionários dos Correios pode acontecer em Pernambuco. Na noite da terça-feira (7) os trabalhadores decidiram manter o estado de greve. Uma nova reunião está marcada para o dia 14, próxima semana e terá em pauta a possibilidade de paralisação.

Funcionários de Caruaru, Petrolina e Recife aderiram à orientação passada pela Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect) e da Federação Interestadual dos Empregados da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (Findect).

A categoria se manifestou através de nota sobre as pautas e reivindicações, entre elas a posição contrária à privatização dos Correios e sucateamento das unidades em todo país.

Confira a íntegra da nota:

Reunidos em assembleia, trabalhadores e trabalhadoras da Empresa de Correios e Telégrafos (ECT) em Pernambuco decidiram seguir a orientação das federações da categoria, FENTECT e FINTECT, e manter o estado de greve e as negociações em curso.

Em todo o Brasil, os ecetistas se reunirão novamente no próximo dia 14 para deliberarem sobre o movimento e a possibilidade de paralisação. O foco da negociação está no Plano de Saúde. O comando de negociação do Sindicato dos Trabalhadores da Empresa de Correios e Telégrafos em Pernambuco (SINTECT-PE) comunicou à categoria local as condições do Tribunal Superior do Trabalho (TST) para manter a mediação, em despacho assinado pelo vice-presidente do Tribunal, Renato de Lacerda Paiva. Ainda ficou demonstrado no despacho que o TST está sensibilizado pelas condições dos trabalhadores e trabalhadoras diante da obrigação de arcar com mensalidades do plano de saúde da categoria, o Postal Saúde.

O novo custo, a coparticipação, que a empresa impôs aos seus funcionários e funcionárias está ponderando os salários líquidos em até 70%. O despacho propõe ainda a manutenção das cláusulas do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2017/2018, que perdeu a vigência no último 1° agosto. A assembleia, no Recife, ocorreu no auditório da Igreja da Soledade, no Centro da cidade, e ainda nas subsedes do SINTECT-PE em Caruaru e Petrolina.

A categoria luta:

• Contra a cobrança de mensalidade no Plano de Saúde;

• Contra a privatização da ECT;

• Em defesa de uma empresa pública e de qualidade;

• Contra o sucateamento dos Correios.

Deixe uma resposta