14 milhões de cheques devem ser devolvidos por falta de fundo em 2015

untitled

Até 31 de dezembro devem ser movimentados mais de 600 milhões de cheques no Brasil. Deste montante, cerca de 14 milhões devem ser devolvidos por falta de fundo. Logo, se esse número se confirmar, será o pior ano de inadimplência ocasionada pelo uso cheque desde 2009, segundo levantamento da Boa Vista SCPC.

A Pesquisa Perfil do Inadimplente descobriu que no 3º trimestre deste ano, o cheque é o terceiro meio de pagamento mais citado pelos entrevistados inadimplentes como meio que gerou a restrição, com 15%. Atrás apenas do cartão de crédito (30%) e do carnê/boleto (28%).

Ao longo da série histórica da pesquisa, os cheques se mantiveram na 3º posição em todo período. “Os números apontam um risco maior ao aceitar este meio de pagamento neste ano. Portanto, é indispensável aumentar a cautela na hora de efetuar a venda, principalmente as vendas sazonais de fim de ano. A redução da atividade econômica, o aumento dos juros e da inflação e a deterioração do mercado de trabalho prejudicam o orçamento das empresas e das famílias, que, por sua vez, refletem nos indicadores de inadimplência”, explica o economista Flávio Calife.

Diante da incerteza da compensação do cheque, muitos comerciantes preferem o pagamento via cartão de crédito, transferindo o risco de inadimplência para as operadoras de cartão. Por outro lado, as taxas das operadoras podem chegar a 6% do valor total da venda ou serviço, retirando uma parte significativa do lucro das empresas. Outra característica é o tempo para a liberação do dinheiro da venda, atingindo diretamente o fluxo de caixa do empresário e, muitas vezes, o obrigando a contratar produtos de antecipação de receitas que também incidem em custos elevados.

Deixe uma resposta