1ª noite do Festival Internacional da Sanfona é marcada por diversidade de ritmos

(Foto: Divulgação)

A primeira noite de shows do VI Festival Internacional da Sanfona animou a Arena do Centro de Cultura João Gilberto, em Juazeiro (BA). Mais de mil pessoas prestigiaram a abertura oficial do festival que vai até o próximo sábado (28).

A primeira atração da noite foi o petrolinense, Ivan Greg, que tocou e cantou músicas autorais no melhor estilo da MPB. Nos acordes de sua sanfona, também não faltou o autêntico forró. O cantor e acordeonista, ou sanfoneiro, como prefere ser identificado, já morou na Europa e realizou shows na Alemanha, Holanda, Espanha, Itállia, França, Suécia e Bélgica, além de desenvolver projetos nos Estados Unidos.

Em seguida, o juazeirense, Silas França, encantou a todos com o melhor da Bossa Nova, uma justa homenagem ao ilustre João Gilberto. O jovem acordeonista, de apenas 24 anos, tem influência musical de grandes acordeonistas nacionais e internacionais e tem no repertório além da bossa-nova, o Chorinho, o Samba, o Reggae, música Nordestina, Italiana e Francesa.

Para fechar a primeira noite de shows, o gaúcho, Fernando Ávila, que encantou o público com os acordes da sua sanfona, com uma verdadeira aula, misturando o som nordestino, sulista e argentino.  Fernando é natural de São Leopoldo (RS), é compositor e professor de acordeon. Atuou como solista frente à Orquestra de Câmara Unisc e como solista convidado junto ao Quarteto de Cordas da cidade de São Paulo. Participou de diversos festivais e concertos nacionais e internacionais, na Bélgica, França, Holanda, Argentina, entre outros.

Hoje sobem ao palco os músicos: Raniel Pernalonga, a atração internacional da Sérvia, Petar Maric e Chico Chagas. O Festival Internacional da Sanfona é  uma realização da Conspiradoria Projetos e Produções e Toca Pra Nós Dois Produções e Eventos Ltda, e tem apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia.

Deixe uma resposta