Pernambuco foi o estado que mais gerou empregos formais no Brasil no mês de setembro

(Foot: Internet)

Os números mostram, ainda, que o acumulado do ano ainda é negativo. (Foto: Internet)

Foram 15,7 mil trabalhadores com carteira assinada de saldo positivo da conta de admissões menos as demissões. Os números contribuíram, inclusive, para o Nordeste, que fechou o mês como a região que mais promoveu empregos formais no Brasil. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) pelo Ministério do Trabalho.

Os números mostram que a indústria de transformação foi o maior empregador no estado, ocupando quase 8,2 mil pessoas a mais que o número de demissões no setor. Em seguida, a Agropecuária fechou o mês contratando mais de 7 mil pessoas acima do número de desligamentos. De acordo com o coordenador geral de estatísticas do trabalho, do Ministério do Trabalho, Mário Magalhães, a cana-de-açúcar foi o efeito responsável pelo movimento no emprego.

“O ciclo da cana atinge positivamente o estado de Pernambuco e o Nordeste em vários setores da economia. Para se ter ideia, ela promoveu o aumento de empregos no cultivo, que atinge a agropecuária, até a produção de açúcar, tanto o refinado quanto o bruto. Esse comportamento eleva o emprego na indústria de transformação”, pontuou.

“A cana compensou a queda do emprego na construção civil, que só no mês passado, fechou 817 empregos, fruto da queda de demanda do setor imobiliário, que esfriou a partir da queda de renda e do crédito para a compra de casa própria”, resumiu.

Os números mostram, ainda, que o acumulado do ano ainda é negativo. De janeiro a setembro deste ano, foram quase 32 mil postos fechados no saldo, resultado da demissão de 339 mil pessoas e contratação de “apenas” 307 mil trabalhadores. Nos últimos 12 meses, o saldo negativo ultrapasa as 57 mil demissões de trabalhadores com carteira assinada.

Ranking dos estados no Brasil
1 – Pernambuco +15,7 mil
2 – Alagoas +13,3 mil
3 – Santa Catarina +3,5 mil

Deixe uma resposta