Adutora de Caititu: “seria muito bom se o agricultor que enfrenta terríveis secas pudesse desfrutar dessa água”, afirma comunitária

A tão sonhada adutora de Caititu, zona rural de Petrolina, que deveria ser motivo de alegria se transformou em decepção para os moradores da região. Indignada com a situação a comunitária Cláudia Marques postou um artigo no Facebook questionado a falta de ação política no sentido de garantir água ao homem do campo.

Confira a íntegra do artigo:

Venho aqui hoje mostrar minha indignação quanto ao abastecimento de água da adutora de Caititu.

No ano de 2013, foi inaugurada nas regiões que liga Petrolina à Caititu uma adutora que teria como principal papel levar água ao “homem do campo”, ao menos era isso que se ouvia nos discursos políticos. Seria muito bom se isso fosse verdade, seria muito bom se aquele agricultor que vive ano após ano enfrentando terríveis secas pudesse desfrutar dessa água. O que era para representar um verdadeiro alívio aos moradores está causando um verdadeiro transtorno a outros.

O sonho daqueles sertanejos de um dia deixarem de ser humilhados para ganhar um pipa de água para abastecer seus reservatórios foi frustrado, pior que isso é ver uma adutora passando nas suas terras, para melhor dizer nas portas de suas casas e não ter o direito de desfrutar. É isso que está acontecendo naquela região, mais precisamente em “Carretão”. Tem a água do Rio São Francisco na sua porta, mas não podem pegar um balde de água para seu consumo porque, essa água só pode ser distribuída em povoados.

Qual a justificativa de dizerem que a água não chega a Caititu por culpa dos moradores de Carretão, sendo que temos um pouco mais de 38 quilômetros de adutora passando inclusive em outros povoados. Por que motivo só os moradores de Carretão não podem usufruir dessa água? Será uma perseguição? Ou acham que em Carretão não existe seca? Não existem pessoas que assim como todos os outros moradores dos povoados de Uruás, Cruz de Salinas, Atalho e Caititu precisam de água para sobreviver? Por que só quem mora nos povoados tem o direito de usufruir da água e aqueles que moram fora deles não? Quer dizer que na hora de escavar as terras desses pobres agricultores para a implantação da obra eles foram vistos, mas, na hora de desfrutar dela não?

Será que isso é justo caros políticos? Vocês concordam que esses moradores não têm o mesmo direito daqueles que moram nos povoados? Olhem para essas pessoas que estão sendo injustiçadas, lembre-se que além de agricultores que lutam dia a dia para sobreviver em meio a uma seca terrível, também são seus eleitores.

Caros representantes da CODEVASF, não estou falando de bandidos e sim de cidadãos, pais de família que apenas estão lutando pelo seu direito, fiscalize e identifique quem está usando de forma indevida, outras medidas podem ser tomadas para que isso deixe de acontecer, só basta cada um assumir sua responsabilidade, o que não pode é deixar os moradores que não pertence aos povoados morrerem de sede com a água na sua porta.

Direitos iguais a todos. Não é isso que prevê a constituição brasileira?

Cláudia Marques

2 Comentários

Deixe uma resposta